História Let Me Love You (Camren G!p) - Capítulo 38


Escrita por: ~

Postado
Categorias Ariana Grande, Austin Mahone, Cameron Dallas, Camila Cabello, Demi Lovato, Fifth Harmony, Justin Bieber, Nick Jonas, Selena Gomez
Personagens Ally Brooke, Ariana Grande, Austin Mahone, Cameron Dallas, Camila Cabello, Demi Lovato, Dinah Jane Hansen, Justin Bieber, Lauren Jauregui, Nick Jonas, Normani Hamilton, Selena Gomez
Tags Camila Cabello, Camren, Fifth Harmony, Lauren G!p, Lauren Jauregui, Norminah
Visualizações 660
Palavras 3.195
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Ficção, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oii pessoinhas? ❤

Espero que gostem do capítulo, como eu tinha dito antes, não sei muito bem fazer um hot, então deu nisso... Jahskaj

ENJOY!

Capítulo 38 - Capítulo - 38


Fanfic / Fanfiction Let Me Love You (Camren G!p) - Capítulo 38 - Capítulo - 38

Pov Camila

No dia seguinte

Fazia umas duas horas que eu já estava acordada, já ia dar umas dez horas da manhã. Lauren me ligou avisando que já estava no aeroporto e estava esperando seus pais irem pegar ela e os seus avós.

Estava assistindo um desenho com Sofi. Bob estava entretido brigando com uma bola.

Escutei à campanhia ser tocada e me encaminhei para a porta. Abri a porta, vi uma Dinah carregada de chocolates, e uma Normani com uma cara de tédio.

— Vão entrar não? – fingi ser ignorante.

— Claro querida! – disse Dinah e passou por mim pela porta.

— Você sabe, ela está naqueles dias e só vive com esses chocolates. – disse Mani como se fosse o óbvio, ela também passou por mim e eu fechei a porta logo em seguida.

Voltei para a sala, e encontrei Dinah esparramada no sofá e Mani no outro. Dinah já estava enchendo Sofia de chocolates, Sofi que não é besta estava aceitando todos de bom grado.

— Lauren chegou ainda não Mila? – perguntou Normani.

— Os pais dela foram pegar ela no aeroporto, ela me ligou avisando. – disse e dei de ombros.

— Você falou com ela sobre a casa de praia? – perguntou Dinah, e lambeu seu dedo todo melado de chocolate.

— Não, mas quando ela vim pra cá eu vou dizer a ela. – ela concordou dando de ombros e deitou no sofá. Ela deixou um chocolate cair no chão e Bob correu para pegar o mesmo. Na mesma hora ela se levantou e correu atrás do mesmo.

— Bob, você não vai comer meu chocolate não, garoto mal! – disse correndo atrás do mesmo. Sofia se acabou rindo, como eu e Normani.

(…)

Passamos um bom tempo na sala, conversando baboseiras. Até que María avisou que Lauren tinha acabado de chegar. Eu saí em disparada, estava com muita saudade dela.

Assim que eu saí de casa, vi ela descendo da moto e tirando o capacete colocando em cima da moto. Nossa, minha saudade era imensa. Ela me olhou e sorriu o sorriso mais lindo que eu vi na minha vida. Abriu os braços e eu corri para os mesmo. Eu estava uma semana sem ver a pessoa que eu amava, uma semana. Imagine ficar meses, ou sem ela. Seria meu fim com certeza. Realmente eu não iria conseguir viver sem Lauren.

Ela me abraçou com certa força, como se não quisesse que eu fugisse do mesmo, eu apenas retribui da mesma forma.

— Que saudade… – suspirou ela com o rosto no meu ombro.

Ficamos naquele abraço por um tempo, até que ela me colocou no seu colo e me beijou, saudade resumia tudo naquele momento, saudade do beijo dela, saudade do seu cheiro, do jeito dela.

— Hey vão se comer aí mesmo? Subam pro quarto meu povo! – gritou Dinah lá da porta da minha casa. Lauren riu entre o nosso beijo, e me colocou sobre o chão novamente.

Dinah e Mani já estavam perto de nós no momento.

— Amém que a Jauregay voltou, pensei que tinha morrido lá. – disse Dinah, Lauren gargalhou.

— Estou aqui novamente pra azucrinar sua vida Dj. – falou Lauren e Dinah fez uma cara de pouco caso.

— Acho que é mais fácil eu azucrinar do que você! – disse e puxou Lauren pra um abraço e baguçando o cabelo de Lauren como se ela fosse uma criança. Lauren bufou e se soltou do abraço. — Também te amo. – gargalhou.

Lauren deu o dedo do meio e mandou ela ir se fuder. E Dinah fechou a cara.

— Vou contar de um a três, se você não correr, corto todos os seus dedos, e sua coisinha. – disse Dinah com uma expressão bem raivosa e apontou para o membro de Lauren, que no mesmo instante começou a correr e Dinah foi atrás dela. Fazendo eu e Mani quase se mijar de tanto rir. Acho que Dinah não estava naqueles dias não, ela é realmente louca.

— Essas duas parecem duas crianças! – afirmou Normani cessando suas risadas.

— Realmente, não tem que tirar! – disse e começamos outras risadas.

(…)

Pov Lauren

Depois de Dinah ter quase me jogado na piscina da casa de Camila, paramos de correr e entramos na casa.

Matei a saudade com Sofi, pois estava com muitas saudade dela também.

Estávamos todas reunidas na cozinha. Estranhei nenhum dos pais de Camila estar em casa, deveriam estar trabalhando.

María, fez mais uma de suas receitas, e era uma das minhas preferidas, pois Camila fez eu adorar demais, toda vez que eu vinha ela estava comendo essa torta então.. Na segunda vez que eu vim aqui para "completar" o trabalho com Camila, María fez torta de framboesa.

Depois de todas estarmos servidas. Dinah começou um assunto.

— Você vai com nós para a casa de praia né, Lauren? – perguntou e eu fiquei confusa.

— Casa de praia?

— Sim, você vai com nós, né?

— Vocês vão quando? – perguntei curiosa.

— Nesse final de semana já. – disse Dinah.

— Vou falar com meus pais sobre. – disse e ela concordou.

— Dinah quem você mais chamou para ir? – Mani perguntou pra ela.

— Ah, eu chamei só os próximos mesmo, meus pais não iriam deixar eu lotar a casa não. Eu chamei a Ally e Troy, talvez a Vero e Lucy vão, também chamei Cameron e Alexa. – disse o que fez eu sorrir no mesmo momento. Não me esquecia mais do que eles fizeram por mim.

— Er Dinah onde é essa casa de praia? – perguntei, eu estava curiosa.

— Miami Beach. – deu de ombros, e deu uma mordida na sua torta.

(...)

Depois que conversamos sobre a casa de praia, Dinah e Mani foram embora. Já passavam das sete horas da noite. Estava no quarto com Camila assistindo uma série, e começou a chover lá fora, ela estava toda encolhida, peguei seu lençol e à enrolei. Passou uns minutos e ela pegou no sono. Olhei no relógio novamente e já era oito horas em ponto, tinha que voltar pra casa.

Me levantei da cama com cuidado para não acorda-la, parecia um anjo dormindo. Dei um beijo na sua testa, coloquei meus coturnos, fechei a TV e dei uma última olhada na minha Camz, saí do quarto. Desci as escadas e encontrei Alejandro na sala bebendo alguma bebida sozinho.

— Oi senhor Alejandro. – disse e ele me olhou e sorriu.

— Você chegou hoje da viajem? – perguntou e eu concordei. — Já vai Lauren? Tá cedo, quiser ficar pra dormir. – deu de ombros e deu um no seu copo de vidro que segurava.

— Bom eu queria, mas meus avós estão lá, e eu tenho que organizar umas coisas. – ele assentiu com a cabeça.

— Então tá, quiser vim, pode vim, a casa também é sua. – disse sorrindo. Ele claramente já estava bêbado.

— Tá certo, boa noite, seu Alejandro. – peguei meu capacete que estava em cima de uma mesinha.

— Boa noite, menina! – concordei e saí da casa. Já não estava mais chovendo, estava só uma chuva fraca, uns respingos. Não me importei, e fui pra casa na chuva mesmo.

(…)

O final de semana já havia chegado, e chegou carregado de alegria. Todo mundo estava animado para passar as férias na tal casa de Dinah.

Minha mãe só deixou eu ir, porque Camila iria e eu não ia fazer merda nenhuma nas férias. Então ela liberou.

Vero e Lucy iriam, como também Cameron e Alexa também iriam, eu estava muito animada mesmo. Ally e Troy vieram de carro pois iriam ser dois carros para ir. Eu e Camila iriamos junto com Dinah no seu carro.

Estávamos na frente da casa de Dj, só esperando ela tirar seu carro da garagem. Estava com minha mochila nas costas e segurando uma bolsa de Camila ainda tinha outra que ela estava carregando. Parecia que ela ia se mudar, ou algo do tipo.

Dinah finalmente tirou o carro da garagem e estacionou o mesmo na nossa frente. Colocamos as bagagens dentro do mesmo, enquanto ela voltava pra dentro da casa para falar algo com seus pais. Normani também fazia o mesmo com as bagagens dela e de Dinah. Dinah voltou.

Troy que estava encostado do outro carro se aproximou de nós.

— Você vai na frente que eu vou te seguindo né? – perguntou ele.

— Sim. – disse ela.

Olhei a minha volta, Camila e Normani já estavam dentro do carro. Me agachei na janela.

— Eita que vocês estão é apressadas hein? – dei uma risada.

— Claro querida, é porque você nunca foi, quando chegar lá, vai ficar admirada. – disse Normani e eu quase caí na gargalhada, do seu jeito como ela falou.

— VAMOS JAUREGAY? – gritou Dj, fazendo eu dar um pulo.

— Quer me matar girafa? – perguntei bufando.

— Vai ficar aí? – perguntou já entrando no carro.

— Claro que não o sua poste. – disse bufando e entrei no lugar do passageiro. Camila e Normani só riam. Égua nem minha namorada pra ter alguma ação ela tinha. Alexa veio com nós, porque no outro carro não coube ela. Já tinha cinco pessoas.

(…)

Elas foram o caminho todo falando merda, rindo, e eu tava com muito sono, não tinha dormido a noite muito bem. Isso foi bem chato, mas fazer o que né.

Pov Camila

Lauren estava bem estressada, acho que era por conta de Dinah só tirar sarro com ela. Ela acabou dormindo no carro. Talvez ela devia estar com sono.

A viajem durou uma hora, já avistamos a praia e o imenso mar. Nunca tinha mais vindo para a casa de praia da Dinah. Tinha várias casas lindas e com certeza eu iria comprar uma por aqui com Lauren. Sim por mais que a gente ainda fossemos jovens, eu quero ter uma família com ela. Sei que esse também é um sonho dela. E nós vamos realizar juntas.

Dinah parou o carro.

— CHEGAMOS JAUREGAY! – gritou fazendo Lauren bater sua cabeça na janela do carro.

— DINAH! – gritei com raiva. Essas duas agora ficavam só tirando sarro uma da outra, quando não era Lauren, era Dinah.

— Desculpa Mila, foi sem querer. – falou e recebeu um tapa de Normani. — Aí amor! – alisou o lugar que Mani bateu.

— Isso é para aprender a não insultar com os outros que não está fazendo nada com você. – disse Mani, abriu a porta e saiu do carro.

— Aquela música lá "Turn down for what" – Lauren cantou a última parte alto o que fez Dinah revirar os olhos.

— Tô morrendo de rir olha. Aí vou morrer, pera. – disse Dinah e eu comecei a gargalhar.

— Meu Deus, vocês se amam né? – perguntei e Lauren fez uma cruz com os dedos apontando para Dinah, que deu o dedo do meio pra mesma.

Depois disso, saímos do carro. E Lauren olhava tudo admirada.

— Lindo né Laur? – perguntei me aproximando dela que me abraçou de lado.

— Muito lindo! – afirmou sorrindo.

(…)

Estávamos ajeitando nossas malas no quarto. Cada casal ficou com um quarto. O que eu achei ótimo. Depois de termos terminado, Lauren deitou na cama e disse que iria tirar um cochilo, pois ela estava com muito sono.

Eu apenas dei de ombros e fui tomar um banho. Peguei minha toalha rosa bebê e entrei no banheiro, me despi toda. Liguei o chuveiro e a água quente desceu, pelo meu corpo, peguei o sabonete e o esferguei no meu corpo. Depois de passar por todo o corpo, tirei o sabão que fez na água.

Terminei meu banho e saí do banheiro enrolada na toalha. Lauren estava sentada na cama mechendo no seu celular.

Pov Lauren

Tirei minha atenção do celular, minha mãe tinha ligado pra mim, perguntando se nós já tínhamos chegado, se estávamos bem.

Camila saiu do banheiro enrolada em uma toalha rosa. Logo um cheirinho de morango empestou o quarto todo, era bem seu shampoo de morango.

Me levantei da cama e dei um sorriso de leve pra ela.

— Hum, tá cheirosa! – disse e dei um beijo no seu pescoço, o que fez ela se arrepiar.

— Só para você. – disse Camila, provocando.

— Só pra mim é? – perguntei trombando a cabeça pro lado e ela concordou sorrindo.

Camila me pegou de surpresa e me beijou, abracei sua cintura e sem querer deixamos a toalha dela cair. Tirei minha mãos de sua cintura rapidamente.

— Desculpa Camz. – disse e tampei os olhos com minhas mãos. Ouvi uma risada. Ela tirou as minhas mãos dos meus olhos e olhei para seu corpo nu.

— Não precisa pedir desculpas Laur. – disse e olhei para seu corpo que estava com nenhuma peça. Suas curvas eram de violão, seios médios, ela se aproximou de mim sem nenhuma vergonha. Camila estava bastante provocante esses dias. Eu estava me segurando pra não agarra-la naquele momento.

Ela passou os braços pelo meu pescoço e eu coloquei minhas mãos em sua cintura, fazendo um choque de leve nos meus dedos por sua cintura está descoberta.

Nos beijamos um beijo calmo e o beijo começou a ficar quente, até por ela estar sem peça nenhuma. Minha mente estava nenhum pouco pura nesses momentos. Eu só pensava em pegar ela e fode-la ali mesmo. Porém Camila ainda era virgem.

Caí na cama e ela por cima de mim. Levei minha mão até seu volume traseiro e apertei com votande. Ela gemeu baixinho sobre nossos lábios. Meu pênis já estava ereto, e já doía de tão duro.

Camila parou o beijo e me olhou decidida.

— Eu quero ser sua hoje Lauren.

— Você tem certeza Camz? – perguntei, e ela concordou sorrindo de leve.

— Sim eu quero ser sua hoje, e sempre. – dito isso começando um outro beijo, mas agora esse mais delicado com cuidado, com amor. Eu passava minha mão pelo seu corpo. Ficamos de joelhos na cama, e tirei minha blusa, sutiã, calça e fiquei somente com a cueca branca que já marcava meu membro. Lembrei da camisinha e peguei uma que estava na minha carteira que minha mãe tinha colocado. A carteira estava dentro da minha calça que facilitou na hora. Peguei a mesma e deixei em cima da cama.

Deitei Camz na cama e fui beijando cada parte do seu corpo, subi para seu pescoço onde deixei marcada e desci os beijos novamente agora para seus seios, colei minha boca em um e Camila soltou um gemido baixo, colei minha boca no outro e fiquei massageando o outro. Ela olhava tudo atentamente, mordia os lábios e seus cabelos estavam baguçados trazendo um ar muito sexy para a mesma.

Desci meus beijos pela sua barriga e dei algumas mordidas pela mesma. Cheguei na sua virilha e ela levantou o rosto pra ver o que eu iria fazer.

— Você vai me chupar? Huh? – perguntou Camila inocente, puta merda. Isso acaba com minhas estruturas.

— Você quer? – respondi com uma pergunta. Ela mordeu os lábios e concordou.

Dei um beijo em cada lado de sua virilha, sua buceta era lisinha, afastei um dos seus lábios com um dedo e introduzi a língua, circulando seu clitóris com a mão. Olhei pra Camila, ela estava gemendo baixinho e se contorcendo. Continuei à chupando e suguei seu Clitóris com força, com minha boca.

— Laur…en eu vo..u. – disse manhosa e gozou na minha boca. Engoli todo o seu gosto e subi para ela sentir do mesmo. — Isso foi incrível. – disse Camila e eu concordei.

Nos beijamos com fogo. Camila pegou a camisinha que estava na cama do meu lado. Paramos o beijo e ela abriu a mesma com o dente. Tirei minha cueca o que fez meu pênis saltar pra fora ereto. Camila segurou o mesmo com a mão e colocou a camisinha.

— Tem certeza Camz? – perguntei pela última vez.

— Sim Lauren. – disse e eu concordei. Me posicionei direito em cima do seu corpo e abri mais suas pernas. Olhei pra ela como se fosse uma permissão e ela concordou me incentivando a continuar.

Encostei meu pênis na sua entrada e comecei a forçar lentamente. Vi sua afeição se tornar em dor e parei na barreira onde me impedia de seguir adiante. Rocei meus lábios no seu e começamos um beijo calmo, como se fosse para relaxar ela. Fui forçando meu quadril, devagar, até sentir meu pênis ser completamente tomado pela sua buceta apertada.

Camila gemeu alto, porém o grito saiu abafado por estamos se beijando. Apertou meu corpo em um abraço e seu corpo estava super tenso. Fiquei parada para ela se acostumar com o tamanho e dei algumas chupadas no seu bico dos seus seios para ela relaxar.

Suas paredes internas apertaram meu pênis dentro, tirei ele pela metade e olhei vendo meu membro com um fio de sangue.

— Está doendo Camz? – perguntei preocupada, e ela negou. Eu sabia que estava doendo. Decidi ir devagar.

Voltei a colocar ele por completo e pela metade, fazendo isso várias vezes seguidas. Eu estava sentindo dor por ela ser tão apertada, mas mesmo assim não parei. Estava sentindo prazer do mesmo jeito.

Quando vi que Camila estava mais relaxada, comecei a me mover rápido. Ela levou suas unhas para minhas costas e nuca, me arranhando. Ela mordia meu ombro com certa força, para liberar sua dor que estava se tornando prazer. Mas como era primeira vez, creio que sentia os dois. Ela nos virou na cama o que fez eu ficar surpresa, com sua agressividade. Ela colocou meu pênis dentro de sua buceta e começou a calvagar em cima do mesmo. Isso foi uma perdição pra mim. Já sentia cada vez mais meu gozo próximo.

— Camz, eu vou..go..zar – gaguejei e comecei a estocar mais rápido e ela começou a soltar umas palavras sem nexo.

— Vem Lauren, comigo, vem? Goza mais eu amor? – com isso eu estoquei com mais força, acertando seu ponto G. Gozamos juntas e caímos na cama, completamente suadas. Eu ainda estava dentro dela, tratei logo de sair.

— O que achou Camz? – perguntei alisando sua bochecha e dei um beijo na mesma.

— Eu amei lolo. – sorriu de leve.

— Acho que você precisa de um banho novamente. – apontei para seu corpo e ela gargalhou.

— Nós precisamos Jauregui. – concordei.

— Vamos tomar banho juntas? – perguntei, ela assentiu e foi a primeira a segui para o banheiro.

Tomamos o banho sem nenhuma malícia, só com alguns beijos e só. Terminamos o banho e se vestimos para descer.

Quando chegamos na sala estava todo mundo, reunido. O que fez eu e Camz ficarmos envergonhadas.

— Amém, pensei que tinham morrido no quarto. – falou Dinah, fazendo todos rirem, fazendo eu e Camila corarem.

— Eita que um vampiro, atacou a Mila! – disse Cameron apontando pro pescoço de Mila.

— Que nada, aí foi a Palmito mesmo. – disse Vero fazendo todos rirem novamente. Camila ficou com vergonha e deitou seu rosto no meu pescoço.

— Deixem elas, gente, amo esse casal. – disse Ally a mais civilizada.

(…)

Jantamos e conversamos sobre o que iriamos fazer amanhã, e resolvemos fazer umas compras com as meninas. A casa não tinha quase nada.

Eu e Camila voltamos para o quarto, estávamos cansada, acabadas, também depois do que fizemos, como não ficar.

Só deu tempo se jogarmos na cama e cair em um profundo sono. 


Notas Finais


Eitaan genteney, finalmente né? Kkjk

Desculpem os erros

Até o próximo cap, beijocas 😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...