História Let Me Love You Until The End? - Capítulo 18


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton, Personagens Originais
Tags Allybrooke, Camilacabello, Camren, Dinahjane, Laurenjauregui, Normanihamilton, Norminah
Visualizações 43
Palavras 1.881
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia)
Avisos: Álcool, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Camila, hoje não é quarta. Você disse que ia atualizar de quarta e hoje é sexta. Sorry por isso, quarta não era um dia bom pra mim, pedi para uma pessoa atualizar aqui e ela acabou só atualizando uma das três e eu só fui ver agora... 

Capítulo 18 - 18.


Narrador...

Ninguém vai bater mais forte do que a vida. Não importa como você bate e sim o quanto você aguenta apanhar e continuar lutando; Quanto pode superar e seguir em frente. É assim que se ganha. - Sylvester Stallone.

Alejandro falava sem parar desde a hora que Camila tinha chegado em casa com uma Sofia sonolenta. Ela já tinha deixado o bolo com os doces na cozinha quando deixou Alejandro lá falando sozinho e subiu para fazer  Sofia dormir. Não antes de fazer ela tomar banho. Aproveitou e também tomou um. Nos poucos minutos que Camila deixou a água cair em seu corpo, ela pensou em uma frase que sua mãe lhe contava e não saia da sua cabeça. Para Camila, a vida já havia batido bastante nela, ela ainda estava apanhando por Sofia, ela era o único motivo de Camila ainda apanhar da vida e continuar de pé. Poucas horas atrás, Lauren tinha dado uma grande trégua naquela briga, depois de tanto apanhar para conseguir colocar um sorriso verdadeiro no rosto de Sofia, Lauren tinha conseguido. Ali ela viu que a sua luta poderia finalmente chegar ao fim.

Naquela noite Sofia só queria dormir com a irmã, e Camila sabia que era mais uma das tentativas de não haver nenhuma briga entre os dois. Mas ela falhou e deixou seu sono falar mais alto que ela. Camila só esperou Sofia dormir para descer mais uma vez. Colocou seus fones em Sofia e saiu do quarto, foi descendo as escadas com a maior calma que estava em seu corpo. O dia tinha sido ótimo ao lado de Sofia e Lauren, ela não queria estragar tudo ou deixar Alejandro e Valentina fazer aquilo.

- Já pode sentar e me ouvir, Camila. - O tom de voz de Alejandro, que não era um dos mais calmos, foi ouvido de não tão longe.

- Eu estou te ouvindo desde a hora que passei pela porta. - Camila foi até a sala, a voz vinha de lá. - Quer falar mais o que? E por favor fale baixo, eu não quero que acorde Sofia.

- Quero falar do que está acontecendo entre você e aquela mulher.

- Quer falar sobre o que da Lauren? - Camila se encostou na parede que dava de frente para seu pai.

- Ela chega aqui na cidade e te leva para São Paulo, te segura lá por três dias e quando volta, ela faz uma festa para Sofia. Quer que eu continue?

- Por favor. Não pare. - Mesmo sem querer, a voz de Camila soou em um verdadeiro deboche.

- O quarto da Sofia está cheio de jogos e brinquedos que ela mandou para cá. O que você fez para ela ser tão mão aberta com vocês?

- Mão aberta? - Alejandro assentiu. - Ser uma pessoa boa não faz dela uma mão aberta. A Lauren só quis ajudar desde o começo, mas não se preocupe, eu vou devolver tudo o que ela pagou.

- E você vai pagar como, Camila? Você mesmo me disse que o dinheiro da sua mãe acabou.

- E acabou mesmo, você e a Valentina acabaram com todo o dinheiro que a minha mãe deixou para o meu futuro e o da Sofia. Mas você pensou nisso? É claro que não. Você só pensou e pensa em vocês.

- Não começa, Camila. Você sabe que o dinheiro foi gasto por uma boa causa.

- Suas viagens em família sem uma de suas filhas? Os vários tratamentos da Valentina que não deram certo? Isso é a sua boa causa? - Ela não teve uma resposta. - Foi você que nos afundou em dívidas por causa disso, você não pensou na gente em momento algum.

- Não repita isso. Você sabe que vocês vem em primeiro lugar. - Alejandro se levantou, chegando mais perto da filha.

- Você acredita mesmo nessa mentira? Eu não! Você deixou a gente de lado e já faz tempo.

- Isso nunca aconteceu, Camila. Vocês são minhas filhas, sempre irão estar em primeiro lugar na minha vida.

- Não parece.

- Você está fugindo do real motivo da nossa conversa.

- Eu já falei que vou pagar a Lauren. - Camila desviou de seu pai e se jogou no sofá, não era o lugar que ela queria deitar, mas era melhor que ficar em pé.

- E eu quero saber como.

- Eu vou trabalhar. - Se sentou quando seu pai fez o mesmo. - Você deveria ir e tentar fazer o mesmo.

- Como arrumou um trabalho?

- A Lauren me deu, eu vou trabalhar pra ela.

- Trabalho fácil? - Camila cerrou os olhos. - Que tipo de trabalho ela te ofereceu, Camila? Não me diga que ela é um tipo de...

- Cafetina? Acha mesmo que a Lauren é isso? Não é isso que você pensou aí, a Lauren tem uma construtora. Esse é o tipo de trabalho que ela ofereceu. E para de me olhar assim.

- Você quer que eu pense o que? Ela te levou e te trouxe de volta. Você nem ficou por muito tempo e já foi para uma festa que ela pagou para Sofia. Agora você me diz que ela te ofereceu um trabalho. Você foi pra cama com ela, Camila?

- Deixa eu te falar algumas coisas, pai. Ela me levou e me trouxe sim de São Paulo. Eu só tinha quarenta reais na carteira, ela me levou para ir ver o túmulo da minha mãe, coisa que você não faz mais, já que está bem ocupado junto com a Valentina levando a Sofia para longe daqui. Outra coisa. É bom saber o que pensa realmente de mim. - Camila se levantou pronta para sair da sala, mas foi impedida de sair por Alejandro que foi mais rápido e a segurou. Camila sorriu e disparou - Só mais uma coisa, pai. Se eu estivesse ido mesmo pra cama com ela, como você está imaginando e tirando as suas próprias conclusões, não seria da sua conta.

O sangue de Alejandro ferveu quando ouviu tal coisa sair da boca de Camila. Camila arregalou os olhos quando viu a mão de seu pai indo até seu rosto, fechou os olhos para sentir aquela dor, mas a dor não chegou. Abriu seus olhos e engoliu seco quando viu que a mão de Alejandro estava centímetros de seu rosto.

- Vamos lá, me bate. E só isso que falta você fazer. Não fique na vontade, vai, acerta o meu rosto. Vamos!

- Eu... Eu não... Não vou te bater. - Em nenhum momento Camila abaixou seu rosto, se era aquilo que ele queria, era aquilo que ele iria ter. Alejandro abaixou sua mão com lágrimas no rosto, era para ser só uma conversa.

- Não vai mesmo? Eu não vou te dar outra chance.

- Eu não quero e não vou te bater, eu não queria levantar a mão para você, me desculpa. Isso não vai acontecer, eu juro que não vou mais fazer isso. Não vou mais chegar perto do seu rosto assim.

- Você não vai chegar perto de mim. - Camila falou baixo, quase sussurrou.

- Eu já pedi desculpa. Perdi a cabeça.

- E eu não vou aceitar, o que eu faço da minha vida, desrespeita somente a mim. Eu não fiz nada com a Lauren, mas eu vou fazer. - Alejandro arqueou as sobrancelhas. - Eu vou ir trabalhar com ela. Eu vou ir embora para São Paulo com ela. E avisa a Valentina que você quase fez o que ela queria.

[...]

O Caminho de volta para Lauren foi no mais completo silêncio, dentro do carro, já fora era uma outra coisa. Não tinha Camila cantando ou comendo os doces, não tinha Sofia olhando a rua ou dormindo no banco de trás. O trânsito tinha ajudado bastante, mas quatro horas de viagem, eram quatro horas e não quatro minutos. Tudo o que Lauren mais queria era chegar em casa e deitar, mas ela sabia que provavelmente não iria acontecer.

Lauren caminhava até a porta de sua casa com um enorme sorriso no rosto, Os motivos eram os mais simples de todos. Era o dia incrível que tinha tido com Camila e Sofia. Era os presentes que Sofia tinha esquecido e os doces que Camila tinha deixado no porta mala com um bilhete. "Achou mesmo que eu iria deixar a Sofia se matar nos doces sozinha? Nada disso. Deixei doce e bolo para vocês três. Obrigada por hoje." Lauren equilibrou tudo em um só braço, rezando para nada cair no chão, colocou a chave no pequeno buraco da fechadura e abriu a porta, antes mesmo de dar qualquer passo, Normani apareceu sorrindo.

- Eu te ajudo com isso. - Pegou as duas caixas de presentes, esperou Lauren entrar e fechou a porta.

- Achei que estaria dormindo. - Deixou as caixas sobre a mesa, tirando sua carteira e seu celular do bolso.

- Ainda não, eu estou acabando de assistir um filme. Fui deixar o copo na cozinha e ouvi quando fechou a porta do carro. E fiquei esperando você. - Normani deixou os presentes do lado das caixas sobre a mesa.

- Obrigada pela ajuda. Cadê a Dinah?

- Deitou na cama para te esperar, mas eu tenho certeza que ela dormiu com o remédio para dor que ela tomou.

- Melhor assim. Eu vou fazer o mesmo que ela.

- Sabe que não vai conseguir fugir de uma conversa, não sabe?

- Com você ou com ela?

- Comigo é conversa, com a Dinah vai ser uma pequena briga.

- Por favor, Mani. Se for falar alguma coisa sobre a Camila, deixa para falar amanhã junto com a Dinah.

- Ouvi meu nome? - Lauren revirou os olhos, seus planos de deitar estavam acabados. - Lembrou que tem casa?

- Mas eu nunca me esqueci. Eu posso tomar um banho antes?

- Para você trancar a porta? Não.

- Tudo bem, eu vou me sentar então. - Normani já tinha até se esquecido do filme, puxou duas cadeiras e se sentou junto com a Lauren. - Pode começar.

- Santo Deus, Lauren. O que deu em você para sumir o dia todo? Virou sua rotina sumir? Melhor, virou rotina ficar atrás daquela...

- Aquela o que? - A voz de Lauren saiu mais rouca do que esperava.

- Por favor, Dinah. Sem insultos outra vez. - Foi a vez de Normani falar.

- Camila, atrás da Camila.

- Eu fui levar ela embora, Dinah. Não tem nada demais nisso.

- E aproveitou e ficou para uma festa?

- Que? - A pergunta tinha saido de Lauren, mas foi Normani que ficou surpresa.

- Tem caixas de presente e caixas que eu tenho certeza que são doces.

- Os doces foi a Camila que mandou e os presentes são da Sofia.

- Quem é Sofia? Ela tem uma filha? É por isso que tem presentes com você?

- A Camila não tem uma filha, ela tem uma irmã. Eu comprei os presentes e ela esqueceu no carro. Eu sei que você vai saber de qualquer jeito que foi eu também paguei o buffet que escolhi para Sofia passar o aniversário dela.

- Você está dormindo com ela? - Dinah  foi direta e mais uma vez Lauren não estava surpresa com aquela pergunta.

- Dinah, meu dia foi ótimo. E nem com essa pergunta absurda que você me fez vai conseguir estragar. - Lauren se levantou, deixou um beijo na testa de Normani, passou por Dinah e fez o mesmo. - Boa noite, até amanhã. Amo vocês. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...