História Let me serve you - Capítulo 3


Escrita por: ~ e ~BottomNochu

Visualizações 317
Palavras 3.314
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Bishounen, Comédia, Fluffy, Lemon, Misticismo, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Ai a criatura desaparece
shushauahuahs e volta na maior carinha de pau
eu mesma me desculpa ;-;

esse cap vai mostrar um pouco mais da 'adoração' que o Jimin tem pelo Jungkook e também a historinha de amor fracassado do tae

Boa Leitura!

Capítulo 3 - Uma história de amor fracassado


Pov's Jimin

 

Depois da minha fala ficamos em um silêncio confortável, enquanto o mestre se divertia embrenhando os dedos nos meus cabelos. "Jiminniee seu cabelo é tããããoo macio..." ele estava falando meu nome de um jeitinho tão manhoso, passando as mãozinhas pela minha franja. Eu sinceramente estava adorando isso.

Então em um ato súbito o pequeno agarrou meus fios e me puxou pra perto do seu rosto, para enfiar o nariz neles e ficar assim, com a cara enterrada no meu cabelo.  "Tem cheiro de cerejeira Jiminniee..." falou fungando ali. Dei uma risadinha, quais são as chances de o Jungkook fazer isso sóbrio? Pelo menos o ataque de fúria dele acabou. 

 Meus pensamentos foram interrompidos por um arrepio que cruzou meu corpo quando o Jeon desceu seu rosto para o meu pescoço e começou a acariciar minha orelha. E não é que esse bêbado de primeira viagem encontrou meu ponto fraco?! Ele deu uma risadinha quando me viu fechar os olhos e empurrar a cabeça contra a sua mão, mexendo mais nos pelinhos da minha orelha. Se já não tem como não se entregar a um cafuné, imagina um cafuné do Jungkook.

O moreno continuou afagando ali enquanto se deitava melhor no meu ombro, soltando um bocejo e fechando os olhinhos... Depois de alguns minutinhos eu ouvi um ressonar baixinho vindo do meu mestre. Ele dormiu no meu colo. Com o rosto contra o meu pescoço. E o mais engraçado era que a mãozinha continuava me afagando. Eu acho que tomei um chá de trevo de quatro folhas com uma ferradura de sete furos pendurada no pescoço. Só assim pra ter tanta sorte. Sorri o abraçando e tentando me convencer a levá-lo logo para o conforto da cama e vez de ficar ali sentado com ele no meu colo. Suspirei enquanto tentava segurar o pequeno de um jeito seguro para que não tivesse risco do meu mestre cair. Optei por agarrar as coxas dele em um aperto firme, e levantei com cuidado andando até o quarto.

Chegando ao cômodo, empurrei a porta com o pé e encontrei o Taehyung dormindo pesado ali, eu nem me lembrava mais da existência dele. Soltei um riso soprado, pelo visto eu ia ter que colocar o mestre na mesma cama que ele. Isso seria realmente cômico. Me aproximando mais do colchão, abaixei meu corpo até que as costas do moreno encostassem nos lençóis, para então soltá-lo de mim. Quando o fiz, ele automaticamente se virou de lado, ficando todo encolhidinho enquanto ronronava baixinho.

Sorri fascinado. Meu mestre é a criatura mais fofa que existe na face da terra. Ele consegue ser adorável em tudo, até mesmo sua personalidade retraída me encanta. Quem eu quero enganar? Sua timidez é o que mais me encanta.

Desde que o vi pela primeira vez, venho reparando em suas manias como sorrir igual um coelho sem nem perceber, ou corar facilmente e gaguejar quando está conversando com qualquer um. Incrivelmente fofo.

Pensando em tudo isso uma melancolia me atinge, eu que sou uma criatura tão podre, pude ter a honra de me aproximar de um serzinho tão perfeito. Com um sorriso triste, imagino o quanto a sorte sorriu a meu favor na hora que o pequeno me aceitou sem ao menos saber do meu passado, do qual ele me tirou sem nem mesmo fazer esforço.

Chego mais perto do Jungkook, resvalando os lábios de leve na sua orelha enquanto sussurro. "Você me salvou pequeno..." Aperto os olhos fechados aproveitando o cheiro doce de sua pele "Ah eu te amo tanto..." Abrindo minhas orbes lentamente, eu deixo um beijo casto no lóbulo para então continuar "Eu te amo, e agora que consegui me aproximar de você, vou te seguir até o fim dos tempos..."

"Jimin..." Me afasto de súbito. Jungkook acordou?! Como ele vai reagir ao escutar todas essas coisas que eu guardei em segredo comigo? Arregalo os olhos o encarando temeroso. Porém o moreno apenas murmura meu nome mais uma vez, um pouco mais baixo, e vira de costa, me fazendo lembrar que ele tem o costume de falar enquanto dorme.

Suspiro aliviado decidido a deixá-lo descansar, antes que eu acabe acordando-o de verdade. Ainda está no meio da tarde e eu tenho que fazer algo para os dois pinguços comerem quando acordarem, o que vai acontecer só lá pro meio da noite. 

...
 

Depois de tudo feito, estava dando uma olhada na estante de livros do meu mestre para passar o tempo. Era incrível a variedade de títulos que ele tinha. Desde histórias antigas e clássicas até as mais atuais, além de apostilas sobre os mais diversos assuntos. São muitos livros e eu sei que ele leu todos. Percebo uma sacola de papel no fundo da estante, atrás de todos os outros exemplares. Ao pegá-la vejo que dentro tem a coleção ‘50 tons de cinza’ e uma máscara. Tá disso eu não sabia. Quando eu ia dar uma folheada no primeiro dos três livros, sinto algo se aproximando e olho pro chão avistando o Rascal me encarando. “Onde diabos você estava?” perguntei mais pra mim enquanto fitava aquele gato medonho. Ele some na rua, some pela casa, e nunca parece estar ali. “Agora sei por que o mestre perecia tão sozinho. Você é inútil.” Comento fazendo o bichano sibilar pra mim. Que ousadia! Porém antes de eu começar a rosnar, minha orelha canina levanta, escutando um bocejo alto. Acho que alguém acordou.

Largo os livros dentro da sacola e a escondo novamente, correndo até o quarto. Ao chegar, solto uma risadinha, presenciando uma cena engraçada. Taehyung estava com um braço e uma perna esticados em cima do mestre. O mesmo não sabia se tirava os membros de cima de si, saía da cama, ou ficava lá parado. Uma pessoa normal simplesmente chutaria o loiro pro lado, mas como estamos falando do realmente tímido Jeon Jungkook, estou ansioso pra ver o que ele fará.

Ele começou a corar, rolando pra fora da cama e tomando cuidado pra fazer o mínimo de barulho ou movimentos possível, acabando por cair de quatro no chão.

Opa o que temos aqui?

Balanço minha cabeça espantando os pensamentos maliciosos.

"Mestre?" O chamo risonho, fazendo-o levar um pequeno susto e se virar bruscamente pra mim, acabando por tombar pro lado e ir em direção ao chão de novo. Ah eu não aguento toda essa fofura. Tive que ir em direção a ele e ficar por cima de si, me sustentando sobre os joelhos e as mãos. O moreno enrubesceu e desviou os olhos de mim, envergonhado. 'Ah não garotinho, eu já encurralei você'. Pensei dando um sorriso ladino. "J-jimin..." 

"Antes de qualquer coisa, você está com dor de cabeça ou algo do tipo?" Algo do tipo, vulgo ressaca. Ele bebeu até pouco pra isso, mas o que se esperar dessa criatura? Encostei minha testa na sua, esperando a resposta. "U-um pouco..."

Eu não falei?

"Eu vou pegar um analgésico depois...” agora vem a pergunta crucial. “Você se lembra do que disse mais cedo?" Não tem jeito, eu tinha que perguntar isso pra ele. Me sinto até mal por saber que estou apenas preparando o terreno pra hora que eu não vou me segurar e vou cobrar que ele prove ser um servo melhor. Mas é uma oportunidade tentadora demais pra se perder assim.

 "E-eu falei alguma coisa... Ruim?" Seus olhos estavam arregalados me encarando, o que ele tinha tanto medo de ter dito afinal? "Não mestre, não falou nada ruim." Mas talvez seja... Comprometedor pra você... Completei mentalmente enquanto sorria.

"Olha, só vi uma interação mas já é meu otp!" Taehyung que eu nem vi que já tinha acordado falou, enquanto nos observava de cima da cama. Jungkook virou as orbes em direção a ele e começou a gaguejar uma desculpa, enquanto o outro ria.

“Vamos comer.” Falei interrompendo os dois e me pondo de pé.

...
 

Depois de dar um comprimido de remédio pra cada um, eu os coloquei pra comer o macarrão simples que tinha feito, o qual eles atacaram como se nunca tivessem visto comida. “Ei...” O loiro que estava comendo quase que desesperadamente se pronunciou. “Eu sei que to parecendo tranquilo agora, mas... Eu estou confuso, como diabos vim parar na casa do garotinho tímido?” ele indagou, ainda com a boca um pouco cheia. Pinguço esfomeado. “Casa de q-quem?” Jungkook perguntou encarando Taehyung. “Era assim que a gente chamava você. A gente, quer dizer eu e o... Suga...” ele ficou levemente cabisbaixo, abaixando o tom da fala.Passou alguns segundos assim, imóvel enquanto o pensamento ia longe. “BOM” disse um pouco mais alto de repente, tomando ânimo. “Só te vimos umas duas vezes nos corredores, e nas duas nós tentamos falar com você, mas você simplesmente abaixava a cabeça e corava. A gente achava tão estranho!” para finalizar, o loiro apertou as bochechas do Jungkook “Um estranho muito fofinho!”. Me senti um pouco desconfortável com isso, apesar de saber que eu não podia agir de um jeito possessivo para com o meu mestre. Apertei os punhos em baixo da mesa.

"E-eu me lembro que você bateu na porta, e entrou bem b-bêbado querendo contar sua 'história de amor fracassado'." Jungkook respondeu à pergunta do loiro, e sem olhá-lo, continuou. "E-eu queria muito ouvir a s-sua história..."

"Eu não contei?"

"Tentou." Respondi risonho fazendo os outros sorrirem também. "Bom então eu conto...” Ele parou respirando fundo e continuou. “Yoongi foi meu grande amor, ele mora, ou pelo menos morava, nesse prédio aqui. E me acolheu quando eu cheguei na cidade. Sabe, eu não tinha onde ficar e já passavam das 3 da manhã. Meu plano era deitar no banco da praça e dormir ali mesmo. Ele chegou e me levou pra casa, e em vez de eu acordar em uma banheira de sangue sem meus órgãos, como pensei que seria... Eu acordei com um café da manhã na cama! F-foi..." Taehyung soltou uma fungada, deixando algumas lágrimas caírem e fazendo o Jungkook se alarmar. "E-ei! Não precisa contar o resto Tae..." Ele chamou o pinguço de que?

"Não, eu vou contar. B-bom eu acabei morando com ele no fim, a gente se dava tão bem sabe? Não tinha como eu não me apaixonar pelo Suga pois ele era simplesmente incrível. Atencioso, compreensivo, eu me via cada vez mais louco por ele a cada dia... Então resolvi me declarar, enchi a casa de pétalas de rosa e velas, comprei chocolates e todo aquele clichê para a surpresa ser perfeita. Na hora o Yoongi  ficou sem reação, apenas me encarou com uma face perplexa e disse que ia dormir e que conversávamos amanhã. Eu concordei com ele, tentando me convencer de que o mesmo só estava muito cansado. Passei a noite inteira alimentando minhas esperanças até ficar alegre novamente... Mas no dia seguinte ele simplesmente sumiu. Eu acordei de manhã, vendo a alegria que eu construí se tornar pó quando fui recebido apenas por uma carta, dizendo pra não o procurar. De trouxa eu procurei. Passei uma semana inteira indo atrás de qualquer pista, qualquer coisa que me levasse à ele. Não conseguia dormir e muito menos comer. Mal sabia que o encontrar seria uma dor tão grande... Ele tinha fugido de mim pra não ter que aceitar o meu amor e quando eu insisti que ele voltasse, pois ser seu amigo já seria o suficiente..." O loiro levou as mãos até o próprio rosto, deixando o próprio corpo balançar com a força do choro. Jungkook começou a tremer levemente, não sabendo o que fazer até que se levantou da cadeira e abraçou Taehyung. Eu fiz o mesmo e ficamos ali por um tempo. Em silêncio. Até que o Tae passou a falar novamente com a voz deveras embargada "q-quando eu insisti, ele colocou pra fora o que sentia de verdade... Disse que não sabia que tinha abrigado alguém tão nojento na casa dele... Que enquanto ele me dava sua amizade eu só pensava fazer coisas horrível com o corpo dele. E que tinha repúdio até mesmo de voltar para o nosso apartamento." Terminou a fala com a voz quase nula, logo voltando a chorar de novo. Mas ele não era o único. Quando olhei na direção do meu mestre, vi que ele estava se desmanchando em lágrimas junto com o loiro.

 

O que eu faria com esses dois agora?

 

"J-jimin... O Tae, snif" o Jeon tentou falar entre as fungadas. Ele fica tão lindo chorando. Se controla Jimin... Se controla. "Calma mestre, a gente vai cuidar dele...” pensei por alguns instantes no que faria “Pode ir lá ao quarto e pegar um cobertor? Enquanto isso eu vou preparar algo que vai ser ótimo pra ele." Jungkook assentiu e correu até o quarto. O loiro continuava chorando desesperadamente, ao que eu me dirigia rapidamente até a cozinha.

 

Alguns minutos depois, as três xícaras de chocolate quente com marshmallow estavam postas. Com a ajuda do Jeon, levei Taehyung até a sala e o enrolei no cobertor que o meu mestre tinha trago, tratando de deixá-lo bem confortável. Logo lhe entreguei a bebida quentinha, o vendo sorrir um pouco enquanto encarava os marshmallows boiando. Agora é só colocar um filme fofo com caráter esperançoso. Disney tem um monte.

 

 Filme colocado, sentamos cada um de um lado do loiro, fazendo cafuné nele ou apenas apertando seu ombro, enquanto bebíamos nossos chocolates. Como eu imaginava, ele dormiu envolto no edredom fofinho e com um bigodinho de chocolate acima da boca. "Jimin, então é assim que se cuida de um coração partido?" Jungkook perguntou sussurrando. Ele parecia deveras aliviado por te feito o outro dormir. "É uma das maneiras mestre. Vem, vamos pro quarto pra não ter perigo de acordá-lo."

Chegando ao cômodo, Jungkook foi até a janela e ficou lá, observando a paisagem que parecia melancólica por causa da chuva e soltando um longo e audível suspiro. "O que houve mestre?" Perguntei preocupado me pondo por trás dele e o abraçando. Ele estava triste por causa da história do Taehyung, e ver meu mestre assim me destruía. "N-nada Jimin, é só que eu não estou com sono..." Falou sem me encarar. Fiquei levemente agitado. Tenho que distrair o Jungkook de alguma forma pra que ele saia desse clima monótono... Acho que já sei até como fazer isso.

 

"Sabe mestre... O senhor ainda parece não ter se lembrado do que me disse ontem..." Sussurrei resvalando meus lábios no seu pescoço. O  baixinho logo estremeceu, ficando em estado de alerta por causa das minhas palavras. "O-o que eu d-d-disse?!" Indagou com a voz alguns tons mais fina. Eu adoro assustar o meu Jeon. "Disse que eu sou um péssimo servo..." Falei com o rosto ainda afundado no seu pescoço, dando leves selares que mais pareciam encostares sutis dos meus lábios na sua tez. O Jeon arrepiava, se remexia, apertava os olhos... As reações tímidas me enlouquecendo cada vez mais por mostrarem o quanto o outro soava entregue. "E que seria um servo muito melhor do que eu."  O baixinho tencionou os músculos enquanto eu continuei a falar "Deixou até eu escolher o dia para você tentar comprovar essas palavras , e olha só... Hoje parece ser perfeito, não acha?" Soltei minha isca, sínico como nunca. "S-sabe Jiminnie... E-eu na verdade a-acho que você é o melhor servo, b-b-bem melhor do que eu seria, nem precisamos inverter os papéis p-pra que haja comprovação..." Meu mestre dizia evasivo enquanto amassava o tecido da própria blusa.

Ah então é assim?!

"Mesmo assim eu tenho certeza que o senhor é uma pessoa de palavra, e que vai cumprir o que disse, não é mesmo?" Eu deveria ser um híbrido de raposa, vai ser manipulador assim lá longe! Passei para a sua orelha, mordiscando o lóbulo para logo jogar a cartada final "Vamos Kookie, começa com uma palavra... Repita comigo: mestre."

"Jimin e-e-eu vou pra sala ver como o Tae está..."

"Eu consigo escutar a respiração pesada, ele está dormindo tranquilamente."

"E-então eu vou... tomar um banho! Isso!" Falou dando um pequeno sobressalto e saindo do meu abraço, para caminhar apressado até o banheiro. Me magoou um pouco o fato de o pequeno ter fugido assim de mim, fazendo minha voz ficar deveras chorosa na minha próxima fala.

"O senhor vai voltar pra cá? Vai voltar pra ficar comigo?" Perguntei com as orelhas baixas. O Jeon sorriu e caminhou de volta pra perto de mim, dando um selar na minha testa ao que sussurrava: "M-mas é claro que sim." E saiu apressado.

 

Quem olha até pensa que eu desisti de fazê-lo inverter os papéis.

...
 

Ao ouvir o barulho da porta do banheiro se abrir, logo minhas orelhas se levantaram enquanto eu não conseguia segurar o sorriso. O Jeon abriu a porta do quarto devagar, revelando estar apenas de tolha, o cheiro gostoso de sabonete na sua pele,o que fez meu corpo ferver. Ele caminhou acanhado até a porta do guarda-roupa, colocando uma boxer por baixo da toalha enquanto eu não deixava de fitar suas costas branquinhas, e as coxas torneadas. Nem percebi quando o mesmo terminou de se vestir e se virou de frente pra mim, mais corado do que nunca, desviando o olhar pra tudo que é canto, a fim de não me encarar de volta. "Está com sono mestre?" Perguntei um pouco atônito, fitando agora a roupa que eu chutava ser um pijama. Camisa  branca e um tipo de bermuda que estava pequena demais, mostrando muito das cox- "N-não... P-para de me encarar..." O moreno ficava cada vez mais corado e encolhido, me fazendo rir da sua vergonha. Mas era um pouco preocupante. Como eu faria para aquela criatura relaxar na minha presença?

"O que acha de um carinho?" Sugeri de súbito. "C-carinho?!"

"Sim, ontem quando estava bêbado, o senhor fez cafuné em mim, foi a primeira vez que recebi um carinho e achei tão bom... eu quero retribuir agora." Falei animado me aproximando de si e o levando pela mão até a cama, o deitando de lado na mesma enquanto me colocava atrás. Ele se deixou conduzir por mim facilmente, mas ainda estava deveras nervoso. "E que tal você me chamar de mestre?" Perguntei risonho no seu ouvido, vendo o garoto gaguejar, sem dizer nada realmente. "Tudo bem... Tudo bem... Vou fazer você dormir agora."

Envolvi sua cintura com meus braços, o puxando mais pra perto e colando nossos corpos. A respiração do mestre estava cada vez mais ofegante, me fazendo pensar que desse jeito seria mais difícil de relaxá-lo. Então, levei uma mão até seus cabelos e acariciei ali, sentindo seu corpo se acomodar ao meu quase que inconscientemente. "M-mas você quer me fa-zer dormir? Eu ainda não estou com s-sono Jiminnie..." Sussurrou de repente, meio risonho, mas ainda não deixando de gaguejar como sempre fazia. "O senhor quer fazer alguma outra coisa?" Perguntei no seu ouvido, vendo-o se virar de frente pra mim. "N-na verdade..." Desviou os olhos dos meus. "E-e-eu queria saber c-como..." Jungkook se interrompeu, mordendo o lábio inferior. Eu já sabia o que ele estava querendo perguntar. "Como me salvou?" Indaguei encostando a minha testa na sua e ele assentiu devagar. Respirei fundo. "Você tem o direito de saber sim, mas... Pode me dar uma semana?" Falei hesitando. Se fosse pra falar do meu passado pro Jeon, eu teria que pensar em um jeito de contá-lo sem que ele se assustasse muito e me abandonasse.  Ele poderia muito bem fazer isso, mas...

Eu não iria suportar.

O moreno assentiu novamente em resposta e ficou em silêncio, ainda sem me encarar. "E que tal um carinho mestre?" Sorri, levantando seu queixo e vendo que o outro sorria também. “Não, eu já ganhei carinho demais, você tem que ganhar um pouquinho também.” Ele disse abraçando meu pescoço e embrenhando os dedos nos meus fios, me fazendo fechar os olhos e empurrar mais a cabeça contra suas mãos.

 

Eu tenho realmente o melhor mestre.
 


Notas Finais


Não foi dessa vez que o Kookie chamou o nosso seme carente de mestre ;-; (mas alguém aqui falou em desistir? nunca!)
Não vou mentir adoro um seme mais carentezinho nhaaaa *sangramento nasal*

"Autora, o que você tem a dizer sobre Tiger?" Tiger ta lá nas nossas mentes, nos nossos corações e atrasada né *rindo de nervoso*

Surgiu uma pergunta, alguém aqui já assistiu Diabolik Lovers (protagonizado pela sonsa da Yui ahsushusha)
sempre pensei como seria um yaoi desse anime ashusahus


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...