História Let Me Take Care of You - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO, F(x), Girls' Generation, SHINee, Super Junior
Personagens Amber Liu, Jessica, Krystal Jung, Taeyeon, Tiffany, Yuri
Tags Kryber, Taeny, Yulsic
Exibições 79
Palavras 2.026
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Ficção, Ficção Científica, Hentai, Romance e Novela, Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Suicídio
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


hey guys <3 como estão ? sem enrolar mais, boa leitura >< Desculpe qualquer erro...

Capítulo 13 - Capítulo 13 - I'm Sorry Mommy and Daddy


Fanfic / Fanfiction Let Me Take Care of You - Capítulo 13 - Capítulo 13 - I'm Sorry Mommy and Daddy


 

Kim Taeyeon P.O.V -

 

Depois daquela notificação eu sabia que tudo iria piorar. Kwon estava agindo de maneira irresponsável, porém eu não posso negar que em outras circunstancias eu não faria isso.

Suspirei pesado e fechei a aba do notebook, me sentei na beirada da minha cama e deixei minhas mãos apoiadas em minha cabeça, deixando as lembranças voltarem a tona.

Eu estava sentada em uma cadeira, em frente aos três. Minhas mãos entrelaçadas sobre a mesa, e meus olhos corriam entre os mesmos esperando alguém falar alguma coisa. Dez minutos se passaram e nada, bufei irritada.

- Tem que haver uma maneira de vocês deixarem as meninas em paz... Eu faço qualquer coisa...

Eles se entreolharam e sorriram de maneira diabólica. Eu sabia que a partir daquele momento as coisas se tornariam pesadas pro meu lado, mas eu não me arrependia, tudo pelo bem de Yuri e Amber com suas meninas. E claro, tudo para que minha menina seja feliz.

- Deixaremos as meninas em paz, assim como suas irmãs, se... você nunca mais ter contato com sua escolhida. Você não pode ter nenhum tipo de contato com a garota. E nem tente nos enganar... estaremos sempre de olho em vocês.

Suspiro e fecho meus olhos, não achei que isso aconteceria. Assenti levemente e me levantei, peguei meu casaco e sai daquela sala. 

Eu me sentia sufocada, uma vontade imensa de chorar, mas agora já estava feito. Fechei meus olhos e senti aquele formigamento conhecido. 

Ao abrir meus olhos, me sentei na areia, abraçando minhas pernas, e deixando minha cabeça entre as mesmas, deixei tudo que eu sentia escorrer por lagrimas.
 

A porta foi aberta e Yuri se aproximou devagar e se sentando ao meu lado.

- Me desculpe... mas sabe que estou pensando apenas no que é melhor para as meninas. Sabe que com esse emprego elas finalmente poderão sair da casa dos pais e viver uma vida sem interrupções.

Assenti lentamente e a olhei

- Você faz as entrevistas... não quero contato com ninguém.

- Sabe que você quem tem que fazer isso... posso dispensar a entrevista com a Hwang, mas você deve fazer isso, eu só cuido das contas... Você cuida do resto.

Assenti lentamente e fechei meus olhos, pedi para que a morena me deixasse sozinha e apenas ouvi a porta sendo fechada.

Me deitei na cama e abracei meu travesseiro. Seria mais uma noite em que minhas emoções ficariam no travesseiro e eu acordaria como outra pessoa.

 

Eu mesma não me conhecia mais. Eu não sabia quem era Kim Taeyeon. E sabia que meus pais estavam decepcionados.

Durante a semana toda eu seguia “normalmente”. Deixava todas as emoções no travesseiro e me levantava como se nada tivesse acontecido.

Convenci Yuri a fazer as entrevistas mas a mesma me disse que apenas eu bateria o martelo final. Consequentemente passei a semana toda em um mau humor, que todos que trabalhavam ali estavam se esquivando para não passar no meu caminho.

Como tudo na vida, quando ta ruim, as coisas pioram drasticamente, tive várias reuniões durante toda a semana, e todas,  desnecessárias, as pessoas não sabiam resolver problemas simples e convocavam malditas reuniões para isso.

Eu estava com vontade de mandar metade da empresa embora e procurar pessoas realmente qualificadas para isso. 

Só que Yuri cortou meu barato, dizendo que cortava meu café se eu demitisse mais alguém.

 

 

No final de semana, eu apenas queria ficar em casa, com meus desenhos e meu café. Mas o dever me chamou.

Yuri me avisara que uma reunião de ultima hora, havia sido marcada hoje de manhã e investidores da puta que me pariu viriam resolver alguns termos do contrato.

Ou seja ?

Seis horas da manhã, de um sábado, eu já estava estressada, vesti meu terno, peguei minha pasta e sai em direção a empresa. Eu tomaria café por lá.

Ao chegar, minha vontade de matar Yuri estava tanta que se a morena cruzasse meu caminho ela tomaria uns supapos.

Os minutos foram se passando e a suposta reunião, e os supostos investidores, não apareciam.

Quando fechei meus olhos, e percebi o quão obvio aquilo estava.

A ruiva estava ali.

Eu iria matar Yuri, parecia que ela queria se vingar de tudo que fiz errado. Fiquei em minha cadeira, separando alguns papeis que daria para as garotas assinarem e percebi alguém se aproximando da porta.

Amber abriu a porta logo a fechando e caminhou a minha mesa, deixou um café e um lanche natural sobre minha mesa e se sentou na poltrona a frente.

- Você está bem com isso ?

Sua voz era cautelosa, eu sabia que a menor estava um tanto receosa quanto dirigir a palavra a minha pessoa, isso me magoava, porque anos atrás, eramos como uma familia. Unidas. E isso era minha culpa.

- Eu não fazia ideia. Eu apenas percebi agora que senti a presença dela. Eu não quero ela aqui Liu, é perigoso demais.

Abaixei a cabeça e suspirei, a porta foi aberta e a morena adentrava o local, pude ver de relance a ruiva la fora e meus olhos se fecharam lentamente.

Depois de dez anos, ela estava com vinte quatro anos, terminava a faculdade, e havia virado uma mulher. Ela estava linda, maravilhosa. Eu não tinha argumentos para explicar a beleza dessa mulher. O tom ruivo de seus cabelos destacava seus olhos castanhos e sua boca, um conjunto perfeito. Quando ela sorria, eu sabia que em qualquer planeta que eu estivesse, aquele sorriso sempre seria o melhor sorriso do mundo. Suas curvas, volumes. Céus, eu era perdidamente apaixonada por essa mulher. E eu sabia que isso não era apenas devido a ligação. Era impossível não se apaixonar por essa garota.

Parei de divagar quando Yuri sentou a minha frente e um sorriso moldava seus lábios. Mantive minha expressão séria, e o sorriso da morena foi morrendo me levantei e passei a caminhar de um lado para o outro.

- Yuri... você mentiu pra mim... EU TE DISSE QUE NÃO FARIA A PORRA DA ENTREVISTA, VOCÊ SABE QUE NÃO PRECISA DISSO! NÓS SABEMOS TUDO DELAS NÃO PRECISAMOS PERGUNTAR OU ALGO DO TIPO.

Soltei de uma vez, e senti que atrás daquela porta, a ruiva estava surpresa e curiosa para saber o que acontecia, mas logo sua atenção voltava para algo lá fora.

- Temos que ser igual a todos, elas precisam passar por entrevista, assim como todos dessa empresa.

- ENTÃO FAÇA VOCÊ ? QUAL É O SEU PROBLEMA YURI ? VOCÊ NÃO PERCEBE QUE ISSO ME MACHUCA ? NÃO PERCEBE QUE ISSO ME MAGOA ? EU NÃO POSSO FICAR PERTO DELA, NÃO POSSO CONVERSAR COM ELA. E AGORA ELA ESTÁ LA FORA, ESPERANDO. PARE DE SER EGOÍSTA YURI, É A UNICA COISA QUE EU TE PEÇO.

A morena suspira e abre a boca várias vezes, Amber se levanta chamando nossa atenção.

- Vocês duas são pior que criança, resolvam isso de maneira madura. E Taeyeon, você fez algo por conta própria, não perguntou a ninguém se concordávamos com isso. Então não reclame. Soojung está prestando atenção e esta quase entendendo o que está falando por causa dessa gritaria então abaixe o tom de voz antes de termos problemas maiores.

Eu estava surpresa. As palavras da mais nova me atingiram em cheio, mas eu apenas conseguia ficar mais puta.

Ela abriu a porta saindo da sala, e a segui.

- Eu não mandei você ir embora Liu.

O corpo da loira travou e respirou lentamente, ela se virou, me dando uma resposta automática e me virei para a castanha ali. Eu estava evitando olhar para a ruiva. Eu queria mimar aquela garota de tantas maneiras, que eu sabia que se a olhasse eu iria fraquejar.

- Senhorita Jung pode entrar.

Me virei dando de cara com Kwon, seu rosto demonstrava que ela se sentia culpada, suspirei e balancei a cabeça, logo me dirigindo a minha cadeira.

A castanha se aproximou timidamente e apontei a poltrona a minha frente.

- Bom dia Senhorita Jung, peço desculpas por chama-lá em pleno sábado, mas meus horários durante a semana estavam um pouco apertados.

- Sem problemas Senhora Kim, eu agradeço por ter essa oportunidade.

- Você não precisa me agradecer em nada. Se está aqui é porque é capaz, e se não for capaz não sei porque está sentada ai. 

A castanha tinha os olhos arregalados e eu podia ver seu cérebro maquinando. Me levantei dando a volta na mesa e apresentando pra ela o contrato.

- Não tenho perguntas a fazer para a senhorita. Seu curriculum é excelente assim como o de sua amiga, essa é a proposta que fazemos a vocês. Será oferecido também um apartamento próximo a empresa para que vocês tenham uma mobilidade melhor, já que o endereço que nos forneceu é longe daqui.

Vi a garota passar os olhos pelo contrato me olhando atentamente e seus olhos se arregalaram ao chegar na parte de remuneração.

- Você tem certeza que é tudo isso ?

Ela parecia surpresa e assustada. Apenas dei de ombros e caminhei até minha prateleira onde eu guardava minhas bebidas. Me servi um copo de qualquer coisa alcoolica ali e me virei para ela.

- Você será secretária da Kwon, valorizamos nossos funcionários da melhor maneira possível, já eles tem que estar dispostos a oferecer todo seu trabalho e talento a empresa.

Ela assentiu lentamente enquanto lia o contrato e me apoiei na mesa a observando. Meus olhos estavam nela, mas minha mente estava na ruiva lá fora.

Eu queria poder voltar no tempo, queria poder ter forças o suficiente para lidar com aqueles velhotes que se acham os melhores.

Apenas sai de meus devaneios quando a Jung me estendeu o papel já assinado, deixei o mesmo em minha mesa e entreguei pra ela uma copia do documento. Pedi para que saísse e chama-se Kwon para mim e assim ela fez.

A morena adentrou a sala e ficou para em frente a mesa, me levantei segurando o contrato recém assinado e estendi a mais nova.

- Espero que esteja satisfeita. Apenas peça para que a Hwang assinar e a avise para nunca cruzar o meu caminho. Vou passar o dia fora Kwon, não me siga, não me procure.

Puxei minha camisa pra cima mostrando a tatuagem em minhas costelas e a fitei.

- Achei que tinhamos uma promessa.

Vi os olhos da morena ficarem marejados e passei a caminhar para fora da sala.

- VOCÊ ESTÁ FUGINDO COMO SEMPRE KIM! SEMPRE FAZ ISSO!

Suspirei e me virei para a mais nova.

- Não Kwon, quem sempre fugiu aqui foi você, quem perdeu quatorze anos por medo foi você. Eu apenas estou cansada de tentar arriscar e sempre me dar mal. Não me espere Kwon.

Empurrei as portas e sai caminhando de maneira apressada até o final do corredor, senti o olhar de todas nas minhas costas mas continuei caminhando. Senti o formigamento passar por meu corpo e quando abri meus olhos, suspirei derrotada. 

 

Me sentei em um banquinho que ali havia e observei os pequenos pedaços de mármore infincados na terra.

 

“Senhora Kim” 

“Senhor Kim”
 

- Eu falhei novamente appa... me perdoe omma, não sou capaz de ser aquela garota que você sempre quis. Não consigo. Sou fraca... Não sou como os senhores. Que nunca desistiram. 

Faziam-se mais de vinte anos que meus pais haviam sido assassinados. Eu carregava a culpa até hoje. E sempre irei carregar. Quatro pessoas morreram por causa de meus atos impulsivos. Eu nunca iria me perdoar. E eu sabia que eles estavam desapontados. Eu nunca conseguiria ser a filha perfeita, ou pelo menos tentar ser.

 

Fechei meus olhos lentamente, e senti meu corpo reclamar, mas não dei atenção. 

Peguei uma das telas brancas que eu tinha guardado, e logo, as tintas, a paleta, um recipiente com água e tudo que eu precisava para começar a relaxar.

Ao segurar o pincel, fechei meus olhos e deixei que minha mão se movesse sozinha. As pinceladas eram leves, eu quase não manchava a tela com a tinta. Quando abri meus olhos, eu sabia que só existia uma coisa que se formaria a partir daquele traço. 

O meu eye smile favorito.
 


Notas Finais


Já Já eu volto com Amber escrava das Jung's 3:) hahahaha boa noite pessoinhas até mais tarde <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...