História Let the Snow Fall - Imagine Jungkook - Capítulo 19


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bangtan Boys, Bts, Hoseok, Imagine, Jimin, Jin, Jungkook, Namjoon, Taehyung, Yoongi
Visualizações 132
Palavras 2.231
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


The first kiss = O primeiro beijo

Capítulo 19 - The first kiss


Fanfic / Fanfiction Let the Snow Fall - Imagine Jungkook - Capítulo 19 - The first kiss

 Jungkook envolveu seu braço em minha cintura e praticamente grudou os nossos corpos acabando com qualquer espaço que antes havia entre eles. Com a sua mão livre, ele segurou a minha bochecha e fez um singelo carinho ali. Eu, por minha vez, envolvi meus braços em seu pescoço, fazendo com que o beijo se aprofundasse.

  Estava tudo perfeito, porém como dizia o famoso ditado: tudo que é bom dura pouco. E acabei de perceber que durava mesmo.

 Meus pulmões começaram a implorar por oxigênio e não tive outra escolha se não interromper o beijo. Porém quando fiz isso, Jungkook me olhou assustado e seu rosto ganhou uma coloração avermelhada.

-M-me desculpe (s/n), não era a minha intenção te beijar sem a sua permissão. Me desculpa, me desculpa, me... – Eu tinha certeza que se eu deixasse, Jungkook ficaria se desculpando pelo resto da noite, então decidi o interromper com outro beijo.

 Juntei nossos lábios novamente e suspirei baixo quando senti sua boca macia contra a minha. Jungkook ficou surpreso e por alguns segundos não teve nenhuma reação, mas felizmente ele se libertou desse transe e correspondeu o beijo.

 Era maravilhoso como nossas bocas se mexiam com perfeita sincronia de um modo gentil, carinhoso e inocente.

 Dessa vez foi ele quem se afastou primeiro por causa da maldita falta de ar. Ele me olhou impressionado quando recuperou o fôlego e eu sorri inocentemente para ele.

-Acho que sou eu que preciso me desculpar agora por ter te beijado sem a sua permissão.

-V-você me beijou! – Ele estava tão feliz que eu podia jurar que a qualquer momento ele começaria a soltar fogos de artifício. – Isso é real ou eu tô apenas sonhando?

-Sinto lhe formar, mas você tá sonhando. – Foi quase cómico a rapidez que seu sorriso se desfez em seu rosto.

-Sério?

-Você é tão idiota Jungkook, é claro que isso é real. – Comecei a rir de sua reação. Mas acho que era injusto eu o julgar dessa forma, pois em minha cabeça tudo isso ainda parecia ser muito surreal.

-Então você não tá chateada por eu ter te beijado sem a sua permissão? – Jungkook perguntou inseguro.

-Jungkook eu correspondi o beijo, é claro que eu não estou chateada. – Segurei em sua mão tentando passar tranquilidade a ele.

-Por acaso você correspondeu o beijo para não me magoar? – Balancei a cabeça incrédula.

-Isso é sério? Jungkook eu te beijei porque eu quis. Por que você tá duvidando de mim?

-Eu não estou duvidando de você (s/n), eu só quero ter certeza que eu não te forcei a nada.

-Isso é muito fofo da sua parte, sabia?

-Eu não sou fofo, você que é.

-Eu não sou fofa. – Cruzei meus braços indignada fazendo Jungkook rir.

 Mesmo fingindo indiferença, senti meu coração dar milhares de cambalhotas em meu peito quando ele me chamou de fofa. Da para acreditar numa coisa dessas? Eu, fofa? Aish esse garoto ainda me mata de fofura.

 Ficamos nos olhando sem saber ao certo o que fazer agora. Imagine a cena: dois amigos que acabaram de se beijar em um fliperama, agora acrescente que os dois estavam pra lá de envergonhados por causa disso.

-Hum... acho que eu tenho que te dar comida, né? – Jungkook perguntou tímido

-Por quê?

-Eu tecnicamente não ganhei a aposta, então acho que você venceu.

-Então eu te beijei à toa? 

-YAH! Claro que não foi à toa. – Ele disse ofendido. – Eu te proporcionei a oportunidade única de beijar a minha bochecha linda, você devia se sentir honrada por isso.

-Sempre tão metido. – Suspirei alto.

-Sempre tão chata. – Ele suspirou me copiando. – Vem, vamos logo ao restaurante antes que eu desista.

 E como de costume, ele pegou em minha mão e me puxou para fora do fliperama.

 

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

 

-Você tá bem? – Perguntei quase em um sussurro.

 Nós dois tínhamos acabado de sair do restaurante e estávamos indo em direção a minha casa novamente. Jungkook, cavalheiro do jeito que era, insistiu para que eu o deixasse me acompanhar até em casa e eu não consegui negar seu pedido.

 Já era noite e a lua brilhava alta no céu negro. O luar banhava a cidade e trazia um pouco de conforto para a noite fria. As estrelas tão brilhantes apenas somavam nesse cenário encantador.

 Porém, o homem que estava ao meu lado agora era mil vezes mais encantador que qualquer lua ou estrela. Jungkook estava distraído admirando o céu e eu estava distraída o admirando.

 Seus olhos, que normalmente já tinham um brilho natural, brilhavam mais ainda sob a luz das estrelas. O luar parecia apenas acentuar cada detalhe de seu rosto, inclusive a sua pequena cicatriz na bochecha. Um charme em minha opinião.

 Porém, ele parecia estar nervoso. Sua mão, que às vezes tocava sem querer a minha devido a nossa proximidade, parecia tremer. E notei também que seus olhos vasculhavam o céu como se estivessem procurando algo para prender sua atenção.

-Eu estou. – Ele disse subitamente me assustando. Eu estava tão entretida em admira-lo, que havia me esquecido completamente de minha pergunta.

-Tem certeza? – Nossos dedos se encostaram novamente e percebi que sua orelha ficou um pouco vermelha.

-Eu só tô um pouco nervoso, nada de mais.

-Hey, sou só eu, você não precisa ficar nervoso. – Ele riu baixo me fazendo ficar confusa.

-Não é você (s/n)... é você.

-Me desculpa, mas eu não entendi.

-Aish até uma preguiça é mais rápida que você.

-Yah! Me respeita Jeon.

-Tá, tá desculpa. O que eu quis dizer é que eu estou nervoso por sua causa... pode parecer bobo, mas você me deixa nervoso.

 Senti meu rosto esquentar e inconscientemente olhei para baixo. Eu o deixava nervoso? Eu? As batidas de meu coração ecoavam alto em meus ouvidos e por um segundo me preocupei que talvez Jungkook pudesse as ouvir também.

-Eu não acho isso bobo... você também me deixa nervosa. – Confessei tímida.

-Sério? – Ele perguntou deslumbrado e eu apenas assenti com a cabeça. Eu estava envergonhada demais para usar as palavras. – Eu te entendo, quem não ficaria nervoso perto de mim? Eu sou incrível, fazer o quê.

-Retiro o que eu disse. Você não me deixa nervosa, você me deixa irritada.

-Agora é tarde demais (s/n), você já admitiu que eu te deixo nervosa.

-Grande coisa! Você também admitiu que eu te deixo nervoso.

-Isso é diferente. – Jungkook disse abanando com a mão para descartar minha ideia.

-Diferente como posso saber?

-Hum... diferente, tipo diferente. – Ele coçou a nuca e eu sorri vitoriosa.

-Não acredito que o fantástico Jeon Jungkook está sem argumentos. Acho que hoje vai chover canivetes por causa disso.

-Aish fica quieta (s/n). – Suas bochechas começaram a ficar vermelhas e eu não consegui afastar minhas mãos de suas bochechas.

-Awwnt que fofo ele tá vermelhinho. – Eu disse apertando de leve suas bochechas coradas. – Você pode inventar a desculpa que quiser Jungkook, mas eu sei que eu te deixo nervoso.

-Você é tão irritante. – Ele tirou minhas mãos delicadamente de suas bochechas. - Por que eu ainda sou o seu amigo mesmo?

-Porque você me ama.

 Ele me olhou assustado e admito que demorei alguns segundos para entender o que eu tinha falado de errado. Isso (s/n), parabéns! Você só faz e fala besteira mesmo. Cadê o meu troféu de trouxa do ano?

-E-eu não quis dizer que você me ama nesse sentido... eu quis dizer como amiga... amor de amigos e...

-Eu entendi (s/n), mas... nós somos apenas amigos mesmo? – Engoli em seco e o olhei nervosa.

-Nós somos amigos... não somos?

-Mesmo depois de tudo que aconteceu no fliperama?

-Com “tudo” você quer dizer o bei... o bei... – Por algum motivo eu não conseguia pronunciar a palavra, então Jungkook me ajudou.

-O beijo. – Ele disse firme.

 A lembrança do beijo invadiu minha cabeça. Lembrei-me do cheiro do perfume de Jungkook, de sua mão em minha cintura, de seu carinho em minha bochecha, de seus lábios macios, de seu... CHEGA! Poxa eu tinha apenas relembrado de nosso beijo e meu coração parecia um tambor em meu peito! O que isso tudo significa?

 Acho que a resposta para essa pergunta é fácil e até óbvia de certo modo. Eu estava me apaixonando por Jeon Jungkook. Porém se apaixonar não é tão fácil como muitos creem por aí. Havia vários fatores que precisavam ser levados em consideração e um deles era os sentimentos de Jungkook.

 Tá ele havia me beijado, mas isso significa que ele gosta de mim? Ele me tratava super bem, mas isso não é pelo fato de eu ser sua melhor amiga? Mas e se ele realmente gostasse de mim? Será que nossa amizade acabaria se ficássemos juntos e algo desse errado? Perguntas demais e respostas de menos, eu odiava isso.

-Jungkook posso te fazer uma pergunta?

-Claro que pode princesinha. – Senti meu coração flutuar com o apelido.

-O beijo significou alguma coisa pra você? – Ele me olhou espantado, porém quando falou, sua voz soou firme.

-Significou muita coisa pra mim.

-Pra mim também.

 Nos olhamos e trocamos um sorriso bobo de uma maneira tão natural que qualquer pessoa que nos visse agora pensaria que éramos namorados.

-Eu ainda não sei ao certo o que eu estou sentindo, mas eu sei que é muito forte. – Eu disse tentando explicar, do melhor jeito que eu conseguia, os meus sentimentos para ele.

-Eu também sinto uma coisa muito forte. Sempre que eu estou perto de você eu me sinto bem, eu me sinto eu mesmo. Você é muito especial pra mim (s/n).

-Você também é especial pra mim Jungkook.

-Então vamos fazer um acordo?

-Que acordo?

-Vamos apenas deixar que as coisas aconteçam naturalmente. Não vamos força ou apressar nada.

-Eu gosto desse acordo.

-Eu também gosto.

 Sorrimos cúmplices um para o outro e continuamos a andar.

 Não demorou muito e para a minha infelicidade logo chegamos a minha casa. Porém nem eu e muito menos Jungkook nos despedimos de imediato. Nós dois ficamos apenas ali, parados sob o luar, olhando um para o outro e torcendo para que essa noite não terminasse nunca.

-Mesmo que eu não queira, acho que você precisa entrar agora. Está bem frio aqui fora e eu não quero que você pegue um resfriado. – Ele disse.

-Eu tenho uma imunidade boa, você não precisa se preocupar com isso.

-Não tem como eu não me preocupar com você bobinha. Por favor, entre. – O olhei triste e ele riu. – Por favor, por mim!

-Você é tão irritante!

-Você vai entrar? – Ele fez uma carinha fofa e eu não consegui resistir.

-Tá, eu entro!

-Wow ganhei! Um a zero para mim.

-Você é tão competitivo. – Eu disse rindo e ele me acompanhou.

 Peguei minha chave em meu bolso e abri a porta. Mas antes que eu pudesse sequer colocar o pé dentro de casa, Jungkook envolveu minha cintura com seus braços e me puxou para perto dele.

-Antes de você entrar... eu posso te perguntar uma coisa?

-Claro. – Eu disse um pouco nervosa por causa de nossa proximidade.

-Posso te beijar mais uma vez? – Sorri com seu pedido e assenti.

-Claro que pode seu idiota.

 Jungkook então selou nossos lábios sem hesitar. Fechei meus olhos e me permiti apreciar essa sensação maravilhosa. Eu me sentia tão viva, que eu podia jurar que meu coração estava nesse exato momento soltando fogos de artifício.

 Porém, diferente de nosso primeiro beijo, esse era mais urgente. Era como se estivéssemos desesperados pelos lábios um do outro. Mas mesmo assim, o beijo ainda continuava gentil e delicado. Acho que eu tinha encontrado um novo vício.

 Jungkook interrompeu o beijo e me olhou bobamente. Um sorriso enorme parecia estar colado em seu rosto.

-Você gostou? – Assenti com a cabeça e seu sorriso, não sei como, aumentou ainda mais. – Eu também gostei, mas agora você precisa realmente entrar. Já tá tarde e nós temos aula amanhã cedo.

-Quem é você e o que você fez com o Jungkook? Desde quando você é tão responsável assim? – Jungkook fez uma careta me fazendo rir alto.

-Você parece uma hiena engasgada rindo.

-Ah é assim? Então pode ir embora, nossa amizade acabou depois disso.

 Ele inusitadamente me abraçou e escondeu o rosto na curva de meu pescoço, me deixando pasma. Eu esperava tudo, menos isso.

-Me desculpe por isso, prometo que vou tentar parar de ser tão sincero. – Ele sussurrou em meu ouvido e eu lhe dei um pequeno tapa no braço.

-Eu não sei por que eu ainda te aturo.

-Quer que eu fale por que você me atura? – Mesmo com a cabeça escondida em meu pescoço, eu pude praticamente visualizar o sorriso travesso que deveria estar em seus lábios agora.

-Cala a boca Jungkook. – Ele apenas riu e me apertou mais em seus braços.

-Obrigado por hoje (s/n), você salvou esse encontro.

-Eu não fiz nada de mais.

-Você não tem ideia do quanto você fez bobinha.

-Yah! Para de me chamar desse jeito.

-Não da, acho que já virou uma mania minha. – Ele me soltou e beijou cuidadosamente minha testa. – Você precisa descansar agora, teremos um longo dia de estudos amanhã.

-Sério quem é você e o que você fez com o Jungkook? – Ele riu novamente e se afastou de mim.

-Boa noite (s/n), sonhe comigo.

-Se eu sonhar com você eu vou ter pesadelos.

-Pode ser, pelo menos você vai sonhar comigo. – Ele piscou e deu seu característico sorriso convencido antes de se virar para ir embora.


Notas Finais


Espero que gostem!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...