História Let"s Get Lost - Capítulo 18


Escrita por: ~

Postado
Categorias Big Bang
Personagens Cl, D-Lite (Daesung), G-Dragon, Minji, Park Bom, Sandara Park, Seungri, T.O.P, Taeyang
Tags Big Bang, Garotas, Garotos, Hentai, K-idol, K-pop, Romance, Seungri, Sexo, Top
Exibições 43
Palavras 2.788
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Famí­lia, Festa, Ficção, Hentai, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


OPA!QUANTO TEMPO AHAHAHAH
Desculpa pelo atraso, mas é que aconteceram algumas coisas na faculdade que tomaram minha vida (TORTURA AHHHH)
Espero que ainda gostem da minha ffic (por favor Gdeus será que ainda tem alguém aqui?kkk)
Boa leitura!

Capítulo 18 - Traições


Fanfic / Fanfiction Let"s Get Lost - Capítulo 18 - Traições

 

Uma dica sobre traições: Nunca pense que será fácil.

Ao entrar em um relacionamento você que será errado sempre conviverá com a insegurança e a chance de ser pego; o perigo irá te rondar como se estivesse em um tanque cheio de tubarões famintos prontos para ataca-lo.

Hyorin não era exatamente um tubarão – na verdade ela era bem diferente, uma flor delicada, uma pétala de cerejeira delicada -, mas para mim era humilhante de qualquer jeito ser pega fazendo algo que não deveria na frente de uma pessoa que parecia ser tão honesta.

- Eu posso... Explicar – Gaguejei dando um passo para trás.

Ótimo Lee!Isso!Exatamente assim!Use a frase que todos os mentirosos e traidores de namorados usam quando são pegos pulando a cerca.

A garota balançou a cabeça, naquele momento ela realmente parecia mais próxima a mim do que nunca; nossas conversas eram basicamente artificiais sobre roupas e doramas, mas agora ela agia como se realmente fosse uma amiga me julgando.

- Não, você não pode – Ela ergueu a cabeça, os olhos brilhando para mim como se estivesse magoada – Sung por Deus! O que deu em você?Ficou maluca?!Eu... Eu te conheço há anos e nunca te vi assim!Você... Você não tem cara de quem faz esse tipo de coisa!

Não respondi. A tonalidade na qual ela falava comigo lembrava muito o jeito que Park Shin havia dito antes deu sair que nem uma desvairada de casa; suguei o ar com força desejando ficar invisível naquele momento.

- Quem te contou? – Foi tudo o que consegui dizer sem vacilar. Ela balançou a cabeça finalmente entrando no cômodo e olhando em volta com desconfiança, parecia procurar alguém.

- Youngbae-ssi disse que desconfiava, mas eu não acreditei muito nas afirmações dele – A garota suspirou pesado – Afinal você ama o Seungri não ama?

- Mas é claro que sim! – Respondi um pouco alto demais a fazendo franzir um cenho. Merda! Estava saindo do controle!Passei as mãos nervosamente pelo cabelo tentando parecer normal – Hyorin não é uma coisa que você pode entender agora, mas eu peço que não conte nada a ninguém, nem ao Seungri.

- Tudo bem.

- Muito menos pro seu namorado – Frisei e ela me deu um olhar raivoso – Por favor, você não sabe o quanto essa situação é complicada pra mim.

Ela pareceu pensativa por alguns instantes; pesando as consequências de suas ações caso resolvesse dar com a língua nos dentes, eu não poderia fazer nada, estava de mãos atadas porque era a mentirosa daquela cena, rezei para que tivesse pena de mim.

- Ah que seja isso não é da minha conta! – A morena jogou as mãos pro alto antes de ouvirmos o barulho do elevador.

Nos entreolhamos assustadas. Esse era o sinal de que alguém vinha vindo pelo corredor e que se me pegasse por aqui geraria mais uma camada de bola de neve que já estava enorme com tantos segredos.

- É o Tae se esconda! – Ela pediu baixo, mas gesticulando rapidamente para mim. Meu coração gelou dentro do peito e por dois segundos meus pés parecem ficar grudados no lugar.

- Anda logo!

Ignorando a ordem de pânico na minha cabeça corri para o lado onde havia a área dos quartos, destrancando a primeira porta que vi á minha frente. Bati com força e me escorei nela respirando com dificuldades para me acalmar.

“Caramba!” Pensei. “Essa foi por pouco.” 

- Amor? – A voz de Taeyang soou bem baixinho do outro lado, somente o suficiente para que pudesse açúcar minha audição e escutar o que tinham a dizer.

- Estou aqui – Respondeu Hyorin e eu apostava que ela estava sorrindo tremulo. A garota era uma boa atriz, ela podia se virar com isso não podia?

- Uai. Que foi? – Parou um pouco e ouvi mais passos como se adentrasse pela sala – Por que você tá me olhando assim?

- Assim como oppa?

- Parece que viu um fantasma – Ele riu.

- É porque tem uma garota aqui.

O QUE?!

- O que? – Tae pareceu surpreso.

Eu sabia que não poderia confiar na Hyorin!Essa garota não tinha gênio forte para esconder coisas do namorado, ela era completamente submissa as vontades do Youngbae!Eu iria me ferrar agora!Já sentia o olhar do membro do Big Bang sobre mim quando saísse lá de dentro, ele iria me apedrejar por trair o amigo com outro amigo.

- É!Hum... Parece que o T. O. P – ssi trouxe alguém para passar a noite aqui com ele – Ela explicou – Vamos embora.

- Mas acabamos de chegar!

- Oppa nós sempre usamos o apartamento. É muito egoísta da sua parte não deixar aproveitar um pouco também – Hyorin o arrastou pelo braço – Vamos.

- Posso ao menos saber que é ela? – Perguntou o namorado antes de ela fechar a porta da frente por completo.

Será que Hyorin iria me dedurar?A resposta me deixou surpresa.

- Não sei – Disse ela – Não conheço.

E assim os dois partiram. Ouvi quando o elevador chegou e quando os levou embora.

Naquele momento me deixei escorrer pelo chão refletindo no quão perto de ser exposta eu cheguei. Eu tinha me enrolado dentro de uma cama de gato na qual não poderia sair sem deixar muitos estragos.

Meu Deus!O que eu tinha feito?

Era sempre assim. Eu ficava com Choi e tudo era uma maravilha, um passeio de carrossel com direito a luzes brilhantes e cheiro de algodão doce; então o passeio acabava e eu era jogada num carrinho bate- bate onde era atingida pela realidade, amigos e o próprio Seungri.

Seungri...

Ergui os olhos, aquele lugar não me era estranho... O interior era preenchido com uma cama de lençóis azuis e paredes com listras da mesma cor, alguns livros e DVDs de inglês e japonês – coisas que ele gostava de usar quando estava aprendendo uma nova língua – claro que não seria o espaço dele sem uma pequena bagunça: Várias e várias roupas jogadas sobre uma cadeira.

Fazia muito tempo desde que estivemos ali a ultima vez; grãos de poeira dançavam no ar enquanto um feixe de luz entrava pela janela indo em direção exatamente no ponto que machucava meu coração, em cima do criado mudo havia mais uma das várias fotos que Seungri tinha de mim, dessa vez uma do ano  novo que passamos em Hong Kong. Andei devagar lá. Era tão bonita; mesmo de longe eu sentia o sorriso de Seungri ao ter tirado do outro lado, me abracei sentindo um frio repentino.

O que estava acontecendo comigo? Eu já tinha alguém que me amava não tinha? Por que estava sentindo a necessidade de ter outro em minha vida?

Meu celular vibrou no exato momento; me sobressaltei pegando o aparelho e olhando o remetente desconhecido na tela.

 “Onde você está?” Dizia Estou preocupado, aconteceu alguma coisa?”.

Seung com certeza. Me senti completamente estranha pela preocupação dele; admirada pelo cavalheirismo e culpada por achar bom ao mesmo tempo por deixar meus dedos digitarem uma resposta amistosa.

“ Estou chegando. Fiquei bem ok oppa?”

Ah eu tinha chegado ao fundo do poço!

Peguei minhas chaves e dei as costas para o pequeno mundo escondido.

 

(***)

 

Quando cheguei o estúdio estava fervendo.

Estagiários iam e vinham de um lado para outro trazendo cafezinho para os produtores enquanto os câmeras se aglomeravam em volta do cenário tentando achar o melhor ângulo de Seung para filmar.

- Obrigado por assistirem nosso dorama, prometemos dar nosso melhor para satisfazer os espectadores - Aquele sorriso. Por que ele tinha aquele sorriso?Era tão perfeito que um arrepio corria minha espinha só de olhar!Era o que estava acontecendo comigo. Ele ergueu uma mão no ar - Fighting! 

Os puxa sacos - é claro, quem não se derretia por T. O. P? - bateram palmas incansavelmente até os olhos dele encontrarem o meu. Fiquei sem reação.

- Sung! 

De repente todos estavam se virando para mim, os rostos ansiosos esperando uma resposta minha. Engoli em seco aproximando-me devagar a passos pequenos.

- Mas o que aconteceu aqui?

- O que aconteceu? – Kang Joan nosso diretor brotou do chão praticamente me empurrando pelos braços, os olhos dele brilhavam de tanta empolgação e uma taça de champanhe estava escorregando de seus dedos gordos - O trailer do nosso dorama  acabou de ganhar mais de um milhão de acessos durante a madrugada, isso é um recorde na historia da Sbs!

Eu deveria ficar feliz. Era minha primeira atuação como protagonista e os frutos do meu esforço estavam começando florescer; mas havia algo maior do que uma boa atuação com roteiro, bom orçamento e um ator bonito.

Choi Seung era meu affair secreto, eu estava me envolvendo com ele de maneiras que não dava para voltar atrás. Ele sabia se esconder atrás daquele sorriso bonito e aos olhos do publico ainda era solteiro, eu em contraste a ele estava suando frio com medo de que descobrissem sobre nós.

Iriam me apedrejar!Minha carreira iria por água a baixo, a imprensa me colocaria na lista de famosos para possível suicídio... Só voltei a mim mesma quando um material gélido encostou contra as palmas de minhas mãos, os dois cubinhos de gelo dançaram dentro da taça quando T. O. P com a própria mão apoiou as minhas para o champanhe não cair.

Com a livre ele ergueu meu rosto fazendo encara-lo.

Eu não estava feliz. Queria que ele soubesse disso.

- Montanha russa? – Sussurrou retribuindo o olhar sério.

Balancei a cabeça vagarosamente tentando não chorar, seu toque em meu queixo caiu e eu quase pedi para que ele voltasse a me tocar, por algum motivo aquilo me fez acalmar por alguns instantes, ouvi Choi suspirar virando o rosto para qualquer canto do recinto ficando em silencio alguns segundos antes de voltar a falar, 

- A algumas horas atrás podíamos quase tocar as nuvens e agora estamos no pico mais baixo – Seu semblante uniu as sobrancelhas castanhas, a mandíbula em forma de v travou, eu nunca o tinha visto fazendo aquilo pessoalmente, só em mvs – O que aconteceu?

- Não posso falar. Não aqui.

- No meu apartamento então?

Me desesperei.

- Seung não acho que...

Ele não me deixou terminar. Passou o braço pelo meu nos obrigando a um brinde desnecessário, por cima dos ombros dele vi a equipe nos analisando com atenção esperando o próximo passo; eu não tinha opções, tinha que atuar conforme a cena. Ergui os lábios até a borda do copo deixando que o líquido amargo escorresse pela garganta, estava provando do meu próprio veneno.

- Tin, tin – Sussurrou secretamente no meu ouvido – Vou busca-la as oito.

 

(***)

 

 

“Você estava desconcentrada e desorientada, não decorou o texto e errou o tempo todo durante as falas. Não sei o que está acontecendo na sua vida pessoal, se seu namoro com o Seungri não está indo bem, mas se continuar assim não vai poder ficar reclamando pelos cantos que T. O. P ganha mais atenção que você só porque é k-idol. Se cuide Lee”. Diretor Kang Joan.

Meu chefe estava puto.

Bufei jogando o celular em qualquer canto do sofá. Minha vida já estava uma merda mesmo, no que uma bronca iria piorar as coisas?Talvez se eu fosse demitida... Não!Vira essa boca pra lá Lee Sung Kyung!

Estava nevando no Seul. Um grande temporal vindo do norte da China tinha virado floquinhos de neve no meio do caminho e feito um natal antecipado na capital, ou seja: não vamos sairíamos dali tão cedo. Zanzei pelos canais sem qualquer vontade de realmente assistir algo, minha cabeça estava confusa, eu não conseguiria então fiquei acordada fitando o nada.

Em algum momento meu celular tocou.

Era ele. Óbvio.

- Hm? 

- Eu trouxe alguns doces e vinho, reparei que você gosta de chocolate escocês então comprei eles em maior quantidade. Será que você poderia...

- Você não vai subir.

- O que? - A voz de Seung saiu surpresa.

Cerrei os olhos com força. Droga!Por que ele ficava me seguindo?! Ele tinha tudo!Podia ter a garota que quisesse, mas não, o objeto de obcessão era exatamente quem não podia ter!

A namorada do amigo.

- Seung vai pra casa - Tentei soar o mais despreocupada possível - Por favor. Isso não vai dar certo.

- Com você nos sabotando o tempo todo realmente não tem como dar - Seu tom se tornou gélido, quase sem vida - Eu... Eu não te entendo você!Um momento me deseja, se deita comigo e chama meu nome!No seguinte já está gritando feito louca, me expulsando da sua vida como se eu fosse um cachorro. Isso não dá pra mim. Não sou seu brinquedo.

- Mas esse não era seu verdadeiro objetivo?  - Revidei sarcasticamente soltando uma risada seca - Brincar comigo?  Sim porque te fato você não pode me ter, eu já sou do Seungri.

Não houve resposta, só uma respiração curta e ofegante. Alguém ficando com raiva.

- Olhe para baixo - Disse antes de  desligar o telefone.

Fiquei atônita por alguns segundos tentando entender o que tinha acontecido, mas nenhuma ideia vinha na minha cabeça além do fato de que Seung estava na frente da minha casa.

Oh.

Corri rapidamente até a janela que dava para a rua; a noite lá fora estava agitada, era o horário de pico onde havia mais pessoas na rua e testemunhas para reconhecer um k-idol. Perto de um poste de luz o carro preto reluzia com uma figura alongada acenando para mim.Minha boca ficou aberta.

Como ele tinha coragem de fazer aquilo?!

- Oppa?! - Uma menina de uniforme azul parou na sua frente, devia ter uns quinze anos ou menos. Com certeza uma fã girl.

T. O. P a encarou. Finalmente reparei que ele estava de óculos escuros e tinha um ar entediado, nem parecia que alguns segundos atrás estava gritando comigo pelo telefone, só assim me toquei o quanto ele vivia de aparências.

- Uma foto? Você pode? - Disse ela alto o suficiente para eu ouvir, apontou toda alegre para o celular que segurava.

 “Não, não, não!” Minha mente gritou em pânico.

Se alguém o visse próximo a minha casa os comentários maliciosos surgiriam e então os boatos de que estávamos juntos explodiriam e Seungri ficaria sabendo.

Ai meu Deus!

Ele riu e perguntou alguma coisa que a deixou muita animada.

Não pensei duas vezes. Saí correndo de casa na intenção de parar o que quer que ele estivesse fazendo, Seung não iria acabar comigo tão fácil!O elevador pareceu demorar a eternidade para descer, fiquei apertando os botões até travarem no vermelho, como se isso fosse fazer as coisas andarem mais rápido.

Cheguei à calçada com cara de desespero. T. O. P estava com as mãos no bolso do casaco e para meu azar duas meninas já tinham se juntado ao bando.

DROGA!

Meu sangue ferveu.

- Seung! – Chamei sem me importar em ser notada.

Todos me olharam assustados. Ele ficou alguns segundos me fitando em silencio enquanto as meninas questionavam pela minha presença.

- Espera! – Uma loira apontou para mim - Você é a atriz de...

- É ela mesmo – Seung respondeu antes dela e acrescentou – Estamos contracenando juntos.

Nosso pequeno publico esperou minha resposta.

Estava frio. No desespero eu nem tinha colocados sapatos ou um casaco, só shorts minúsculos e uma blusa fina cobriam meu corpo, eu estava parecendo uma maluca na pior das hipóteses, mas nunca iríamos saber.

- Eu... Eu estou aqui – Consegui responder abraçando a mim mesma, alguns grãos de neve caíam nos meus braços nus e estavam derretendo na minha pele. Tremi pelo constrangimento e frio.

Ele ergueu uma sobrancelha.

- E?

As meninas viraram o rosto de volta para mim como se assistissem um jogo de pingue pongue . Será que elas não tinham algum lugar para ir tipo: A casa delas?!

Engoli em seco.

- E... Eu fiz o que você me mandou fazer – Respondi tentando deixar minhas palavras explicitas para ele, mas nada que passasse pelo radar das intrometidas – Estou aqui.

Acho que meu sangue foi todo trenado por minhas bochechas, pois quando Seung se aproximou de mim – ato que não previ – colocou suas mãos grandes sobre elas forçando meus lábios a formarem um biquinho, fumaça saiu da minha boca embaçando o espaço entre nós.

Ele sorriu feliz fazendo meu coração acelerar.

O que queria dizer aquilo?

- Entra no carro – Disse sério – E sem questionamentos.

O que podia fazer?Toda vez que me tocava lutar contra ele se tornava inútil, aquele rapper tinha poder sobre mim, ainda tinha o fator surpresa das meninas ainda nos encarando com curiosidade.

Sem escolher abaixei a cabeça e entrei no carro quando ele abriu a porta do carona para mim escorregando o casaco pelos meus ombros antes de fechar, o ouvi falando abafado com as fãs.

- Desculpem meninas, mas estou pressa, quem sabe outro dia?



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...