História Let"s Get Lost - Capítulo 19


Escrita por: ~

Postado
Categorias Big Bang
Personagens Cl, D-Lite (Daesung), G-Dragon, Minji, Park Bom, Sandara Park, Seungri, T.O.P, Taeyang
Tags Big Bang, Garotas, Garotos, Hentai, K-idol, K-pop, Romance, Seungri, Sexo, Top
Exibições 31
Palavras 2.488
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Famí­lia, Festa, Ficção, Hentai, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oi gente!
Espero que gostem do capítulo!Obrigada pelos comentários e favoritos!
Bjs!

Capítulo 19 - Um Coração


Fanfic / Fanfiction Let"s Get Lost - Capítulo 19 - Um Coração

 

Não foi uma vez, nem duas que transei com Choi  Seung Hyun. Nossas aventuras se estenderam por longas dias, tardes e noites antes de tudo se esgotar; mas isso não vem ao caso agora...

Quando entrei no carro minha mente nublou. Sabe aquele momento entre a consciência e a inconsciência quando você não faz nada, somente fica encarando o nada sem reação?

Essa era eu.

O tempo tinha fechado; as nuvens tinham acobertado o céu do Seul e a neve caia de maneira absurda obrigando Seung Hyun a ligar o para brisa dirigindo devagar. Ele também ficou em silencio e eu não queria falar mais nada.

Isso era bom. O clima ruim amedronta as pessoas e nem os paparazzis se arriscariam nas ruas molhadas tentando perseguir um k-idol. Dirigimos até o limite do centro; ao oeste dos estúdios da KBS para ser mais exata, ali o fluxo de carros ia diminuindo aos poucos, havia mais prédios e empresas de música do que comércio.

Houve um suspiro.

- Para onde estamos indo? – Perguntei baixo demais.

- Você não acha que vou te levar pra minha casa não é? – Ele respondeu sem me olhar guiando o carro para a esquerda.

Sinceramente?Eu mereci essa.

Se eu fui rude porque ele não seria comigo?

O carro desceu por uma rampa que dava para um estacionamento subsolo; era bem escondido entre dois prédios bem altos com placa de bancos ou alguma coisa do tipo, juntei as pernas sobre o peito abraçando meus próprios joelhos, meu estomago revirou pressentindo alguma coisa ruim que iria acontecer.

T. O. P tocou minha cabeça gentilmente, ato que me surpreendeu, pois ele parecia a ponto de cortar minha garganta fora a qualquer momento; olhei para ele assustada e o mesmo disse:

- Não deixe que vejam seu rosto.

Finalmente lembrei que havia um casaco nos meus ombros, tinha escorregado quando pus o cinto; puxei de volta cobrindo todo meu tronco e levantando o colarinho até acima da minha boca como uma mascara. Não me reconheceriam pelos olhos. Podia ser qualquer um não podia?Sei lá, às vezes os outros diziam que minhas sobrancelhas se pareciam muito com as da Suzy do Miss A.

Tudo bem... Eu não era tão bonita como ela, mas não custa nada sonhar!

Fechei os olhos quando a forte luz de uma lanterna iluminou minha visão; rezei para que não tivessem me visto e escondi o rosto entre as mãos.

- Boa noite senhor – Ouvi um homem falar.

- Boa noite.

Não ouvi muito do resto, Choi pareceu conversar com o trabalhador por alguns instantes e só ergui os olhos novamente quando ligou o carro. 

Era de fato um estacionamento subterrâneo como tinha imaginado; iluminado somente por faixas amarelas no chão que indicavam direções e delimitavam uma vaga da outra.

- Que lugar é esse? - Murmurei vendo as sombras dos carros mais luxuosos da Coreia sendo iluminados pelos faróis do carro de Choi. BMW, Mercedes, Porche...

- Existem mais lugares onde k-idols podem se esconder além de restaurantes - Ele disse escolhendo o lugar mais afastado de todos atrás de uma pilastra e estacionando.

Engoli em seco. Agora ele iria me prensar contra a parede. Me senti um animal enjaulado quando o motor desligou e a pequena luz do painel acendeu revelando seu rosto sério.

Droga!

- Tudo bem – Seung suspirou como se tentasse achar a paciência do canto mais profundo de sua alma - Pode me contar agora o que aconteceu.

Fiquei em silêncio.

Não. Eu não podia.

- Lee... Olhe pra mim – Disse pondo a mão na minha nuca.

Me arrepiei com seu toque. Choi Seung Hyun era como magnetismo quando me vinha assim e eu era um imã que reagia loucamente para estar perto dele, estava tentando me concentrar para não cair de amores por ele – bem, pode ver que não deu certo -.

- Por favor. Vire-se.

Eu virei. Encarei aqueles olhos castanhos escuros até não poder mais, sentindo o medo e a raiva caírem por terra só pelo simples fato de ter a atenção dele somente para mim. Acho que nunca tínhamos ficado tanto tempo em sem dizer nada como naquele momento, foi assim até ele quebrar o silencio.

- Desculpa por ter gritado com você no telefone,eu não queira, de verdade -Disse pondo uma mecha de cabelo atrás da minha orelha - Eu realmente não sou assim, não sou de ficar brigando com as pessoas que eu gosto, mas com você eu tenho pavio curto-  Ele franziu o cenho como se não reconhecesse as próprias palavras - Eu... Eu não sei o que dá em mim quando estou com você. É automático.

- O que é automático? 

- Virar um possessivo para que você não fuja.

O.K. Acho que uma batida do meu coração escapuliu uma batida com essas palavras.

- Eu estou tão confusa – Confessei massageando minhas têmporas, o cansaço estava tomando conta de mim -  Quer dizer eu sei que é errado, muito errado, mas... Droga eu não consigo me afastar!

- Eu passo pelo mesmo sentimento-  Ele soltou o meu pescoço e riu encarando o teto - Mas não posso evitar. Eu te quero.

“Eu te quero também!” Minha mente quis gritar, mas meu orgulho não deixou!Ao invés disso estendi minha mão até a de Choi entrelaçando nossos dedos timidamente, ele retribuiu o contato levando minha palma até os lábios e beijando de maneira sutil.

“Você não está sozinho nessa” Era o quer eu queria dizer.

Nossos gestos significavam mais do que palavras, T. O. P sabia que eu estava estendendo uma bandeira branca da paz e com isso senti que poderia pesar meus olhos aos poucos deixando as complicações para lá, minha cabeça foi tombando para o lado e antes que pudesse dizer alguma coisa ele estava me beijando.

Em um primeiro momento foi leve, somente uma pequena pressão das nossas bocas onde minhas mãos escorregaram para o cabelo dele trazendo-o mais para perto de mim aproveitando o calor que irradiava de sua respiração quente e me aquecendo, me entreguei – é claro -, mas depois de um tempo quando ele não podia mais aguentar, quando já estava impaciente chupando minha língua e eu mordiscando com vontade senti seus braços passando pelas minhas coxas e me elevando por cima das marchas.

Caí no colo dele feito uma luva, um gemido excitado se apoderando da minha garganta logo que pousei em sua ereção encoberta pela calça.

- Fala pra mim o que aconteceu  - Disse ele me beijando no canto dos lábios.

Balancei a cabeça meio ofegante meio atordoada. Como ele conseguia me deixar louca somente com um beijo?!Era insano!Agarrei seus ombros com mais força jogando minha cabeça para trás quando sua língua transitou lentamente pela v line do meu rosto causando arrepio.

- Não... – Choraminguei me debatendo. Aish!Por que me torturar tanto?!

Foi um erro. T. O. P gemeu rouco deduzindo meu movimento como um incentivo para transarmos ali naquele momento, não que eu não quisesse, mas sem esperar uma mão entrou pelo cós do meu short e rapidamente substitui o linho da minha calcinha. Gritei surpresa pelos dedos de uma vez só dentro em mim, tanto que bati a cabeça no teto esbarrando no volante logo em seguida.

A buzina do carro soou altamente. Morri de vergonha lembrando repentinamente que aquele não era o lugar certo para fazer barulho, quantas pessoas deviam estar nos observando naquele instante?

- Shhh... – Seung colocou uma mão sobre minha boca impedindo-me de gritar – Tudo bem, tudo bem, não vai acontecer de novo – Tranquilizou ele me colocando ereta novamente - Lee...

- Pra que quer saber disso?Pra que? – Gemi angustiada – Não podemos falar em outro momento? – Peguei seu rosto pálido entre as mãos, os olhos castanhos estavam dilatados, escorrendo desejo – Se concentra em mim Choi.

Mais um dedo. Dessa vez se movimentaram apertando o interior da minha vagina.

- Jagi, não posso ajudar se você não revelar o que está acontecendo – Pediu em uma voz manhosa me dando um selinho, há essa hora o suor já estava escorrendo pelas minhas pálpebras, ele olhou e sorriu beijando ali também – Anda...

Mordi o interior da minha bochecha com determinação. Eu não podia contar podia?Se eu deixasse de lado o assunto morreria, porém Seung era tão persuasivo que não conseguia resistir, eu expunha minha alma para ele!

E em algum futuro próximo o meu coração.

- Hyorin e Taeyang estiveram no apartamento – Soltei de uma vez.

Os dedos de Seung travaram. Choque tomou conta de seus olhos e ele me fitou quase que em pânico.

Não... Como ele poderia me deixar à míngua? Poderíamos resolver isso mais tarde! 

- O que disse?

- Continua! - Pedi não tanto a mínima atenção a ele – Oppa...

- Vamos parar aqui – Ameaçou ele com a voz tranquila.

Grunhi e comecei a rebolar por contra própria em seu colo, deslizei mais para perto e colei nossas testas com fervor respirando bem na cara dele, o vi entreabrir os lábios deixando um suspiro sair vagarosamente tentando se controlar. Ele iria ceder rápido. Com os dedos hábeis desabotoei todos os botões de sua camisa passando minha mão por dentro onde toda a pele macia se escondia.

Tão gostoso!

- Ela me viu – Falei mordendo o lóbulo de sua orelha, depositando um beijo estralado bem ali, ele se retraiu com a brincadeirinha e apertou minha cintura de maneira possessiva – Foi uma tragédia.

- E você contou? 

Balancei a cabeça.

- Claro que não! – Exclamei ofendida – Esse é o nosso segredo lembra?

Um pequeno sorriso brotou nos lábios de Choi. Por mais que ele também odiasse aquela situação esconde - esconde, saber que eu confiava nele o encantava.

Seung podia negar; mas era um romântico incurável.

Fiquei elétrica quando ele me empurrou para trás novamente; dessa vez as mãos infiltrando pela barra da minha blusa e erguendo-a no ar, jogando em qualquer lugar distante onde eu não pudesse pegar para me cobrir, os dedos finos traçaram uma linha reta pela minha barriga chegando ao centro do meu busto e achando o possível fecho do sutiã. Foi satisfatório a cara que ele fez quando viu meu peito desnudo!

- Mas você... – O moreno ficou sem palavras, pegou um dos picos entre os dedos e puxou me fazendo arrepiar por inteiro - Ah Lee!

- Por favor, me beija!

- Vou fazer melhor que isso.

Seung estendeu a mão para trás de mim alcançando a pala de sol de onde tirou uma camisinha, não adiantaria muito, pois eu já estava quase no clímax só com aqueles dedos mágicos dentro de mim. Mas eu precisava de mais. Sempre precisava. Visando tê-lo dentro de mim também ajudei desabotoando sua calça e descendo o zíper rápido demais para mau gosto, Seung deu um grito abafado quando seu membro foi liberado sem piedade alguma.

- Desculpa, desculpa... – Pedi o acariciando por cima da cueca box revertendo completamente à situação constrangedora, ele gemeu excitado – Pode ser assim oppa?

- Ainn... Não... Não me torture Sung.

Isso fez um sorriso no meu rosto. Beijei sua bochecha carinhosamente, percebendo-a corada pelo calor que se instalava no carro.

Quando desci a peça Seung ergueu o quadril por reflexo me permitindo deslizar as duas em conjunto; ele estava tão embaixo de mim que seus lábios rasparam meus seios quando se movimentou causando mais um fervor na minha pele.

- Me desculpe por isso – Disse finalmente livrando minha intimidade, respirei fundo sentindo minhas pernas ficarem úmidas – E por isso também.

- O que...?

Ele desmanchou sem dó o tecido fino do meu short. Era meu pijama predileto exatamente por ser fino e fácil de tirar!Palavras certas... Era. Nem tive tempo de ficar triste, fiz um beicinho encarando o cetim escorregando para de baixo do banco.

- Seria fisicamente impossível tira-lo sem movimentos mais bruscos – Seung riu me puxando para um beijo – E o movimento mais brusco que eu quero fazer agora é dentro de você.

Minha calcinha também se foi e com um movimento brusco como prometido ele me penetrou arrancando um gemido falho de nós dois quando alcançou o fundo.

O que era aquilo?Aquela conexão inquebrável entre nossos olhares enquanto nos perdíamos um no outro?Normalmente se as pessoas querem prazer elas fecham seus olhos e se concentram no desejo carnal dentro delas; mas entre eu e Seung isso não existia, eu queria vê-lo e ele também, precisávamos saber que estamos conectados um com o outro, suas irís castanho douradas refletiam nas minhas gradualmente e isso me deixava em um estado de pura alegria. Então eu fiz o impensável:

Mesmos que minhas mãos estivessem tremulas elas procuraram as de T. O. P como se fossem sua parte incompleta; ele ergueu os dedos para mim como se já esperasse por aquilo, entrelaçou carinhosamente e os pousou sobre minha cintura ajudando nos movimentos.

Eu estava ofegante enquanto o sentia ir e vir ferozmente; pedia inconscientemente por mais e ele me acatava como se fosse um prazer atender meus pedidos, debrucei meu tronco sobre o dele sentindo o cheiro seu cheiro inebriante de café e vinho tomar contra dos meus sentidos deixando meu corpo ainda mais em êxtase.

Seung estava lá.

Ele estava em todos os lugares certos naquele momento.

- Eu não consigo mais te esquecer – Foi o que ele sussurrou com o ultimo ar que restava em seus pulmões, a boca úmida tomando conta da minha, não em um beijo, mas tocadas como uma só – Eu... Quero que esteja perto de mim o tempo todo.

- Seung... – Meu eu que correspondia a ele se comoveu levando a mão até sua nuca, puxando os cabelos e grudando.

- Está sentindo isso? – Disse com a voz entrecortada, os olhos quase se fechando - Estou quase vindo pra você.

Ele me envolveu em seus braços quando o clímax chegou, tanto que pude sentir cada parte suada de seu tronco contra o meu nos misturando em um calor suportável e bom, Seung esperaria até que as batidas do meu coração se acalmassem para me colocar sobre o banco, seria sempre assim, ele nunca me deixaria partir até ter a certeza de que eu estava bem sem ele; porém antes disso acontecer houve uma cena que não me esqueci até hoje.

Em um vidro embaçado havia nosso reflexo, dois amantes secretos fitando um ao outro; Choi ergueu o indicador para o material e desenhou algo simples que me deu uma percepção de tudo o que acontecia.

Um coração.

Sim.

Ele estava apaixonado por mim.

E eu por ele?

 

OBS:Eu tirei essa foto do capítulo lá do instagram da atriz, se quiserem visitar é @heybible.

OBS 2:Espero que todos estejam bem apesar do disband 2ne1, nem da pra acreditar que mais um grupo da geração se foi,eu entrei nesse mundo de kpop faz uns três anos e mesmo que seja recente parece que eu conhecia a CL, Bom, Minzy e Dara a anos porque era obcecada pela carreira maravilhosa dessas meninas!2014 PORQUE VC TÁ ASSOMBRANDO A GENTE NOVAMENTE?!FIGHTING BLACKJACK!



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...