História Lets Not Fall in Love - Capítulo 48


Escrita por: ~

Postado
Categorias Big Bang, DaeSung, G-Dragon, SeungRi, T.O.P, Taeyang
Personagens D-Lite (Daesung), G-Dragon, Personagens Originais, Seungri, T.O.P, Taeyang
Tags Big Bang, Dae, Daesung, D-lite, Drama, Kpop, K-pop, Romance, Seul, Seung, Seungri, Taeyang
Visualizações 113
Palavras 2.218
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Fluffy, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá leitores :3
Obrigada por estarem acompanhando a fic, de verdade, estou me esforçando para que ela finalmente rume ao final, e espero não decepcionar vocês, porque a história está um pouco complicada de desenvolver e tive muitos bloqueios ultimamente :v
Enfim, esse cap é um especial pro Comeback do Taeyang, aniversário do GD e do BigBang! Por isso tem mais de 2000 palavras~ provavelmente o próximo terá um tamanho semelhante, então aguardem um pouco ^^'

Boa leitura~!

Capítulo 48 - Cliclo pré-iniciado (parte 1)


 

Não foi fácil para JiYong ser abandonado pelos pais daquela forma. A empresa iria se expandir, era necessário que liderassem essa nova ramificação a fim de fortalecerem ela ao máximo até que virasse uma grande e poderosa raiz, e essa estava localizada nos Estados Unidos.

Assim que se viu livre dos pais, faria de sua avó a passagem para fora daquela família corrompida de uma vez por todas.

Em uma manhã, quando estava apenas ele e alguns empregados da casa, a velha chefe da família chegou. JiYong era novo, mas já era bem estudado na parte de direito, pois precisava ter um pouco de vantagem se quisesse sobreviver ali. Por conhecer bem as leis, sabia que chantagem era crime, algo que a avó lhe fazia constantemente, mas resolveu lhe devolver em uma moeda ainda maior, garantindo-lhe segurança.

(Esse é um flashback dentro do outro flashback, por favor não se confundam)

“- Eu sei que sou um estorvo para essa família, você me lembra desse detalhe cada vez que abre a boca – disse para a avó que havia acabado de lhe falar atrocidades como fazia com frequência.

- Então sabe que está prejudicando o avanço da empresa não é?

- E o que quer que eu faça? – questionou, tinha um motivo para estar levando a conversa para aquele rumo.

- Você irá se calar, entrar para a SKY, se formar em direito e se tornar uma pessoa digna para essa família. Vai liderar uma das empresas filiais e quem sabe assim deixe de ser esse garoto ingrato que é.

- Você não pode me obrigar a fazer algo que eu não quero, eu já tenho planos para mim.

- Você não tem autonomia pra querer nada, faça como estou mandando. – falou rispidamente.

- Eu sou dono do meu futuro, e quero você e o resto dessa família longe dele. – disse firmemente, a avó lhe olhou confusa – Eu sei que você ainda está tentando matar a Seunome de alguma forma, mas você não pode fazer nada a ela enquanto eu estou vivo.

- O que quer dizer com isso? Essa garota mora no Brasil, como eu poderia fazer algo a ela? – riu com maldade, mas estava claro que a própria estava assustada.

- Não se faça de idiota, senhora Kwon. Você tem medo de que essa família afunde por causa dela, mas eu tenho mais chances de fazer isso. Está com medo? – franziu as sobrancelhas com um sorriso igualmente maldoso.

- Está me ameaçando, Kwon JiYong?

- Não apenas você, toda a família. Ainda não entendeu?

- O que seus pais achariam de você agindo como um gangster? – disse ela incrédula.

- Eles nunca agiram como pais, não é como se fossem fazer algo agora. – disse impaciente e continuou: - Se você não quiser o futuro da empresa Kwon ameaçada, então acate às aminhas condições.

- Você é idiota? – gritou.

Ignorou a pergunta da velha e prosseguiu.

- Aquele casarão isolado que vocês usam para reuniões será dado a mim, juntamente com empregados daqui. Não irão interferir na minha vida daqui em diante e também não me espionarão. – falou seriamente.

- Acha mesmo que vou fazer o que está mandando? Não iremos sustentar um gangster, ingrato e rebelde.

- Você esqueceu que eu sei todos os podres seus e da família? Ou achou que eu soubesse apenas do mando para assassinar os Myeong? Eu posso parecer jovem, mas não sou tolo como imagina. Com apenas dois ou três podres revelados à mídia você já estarão na rua se alimentando dos restos que jogam nas lixeiras. Se está duvidando do que eu sei, posso lhe listar um por um, apenas peço que se sente, a senhora já está bem acabada, não aguentaria as horas que ficaria falando. – sorriu malicioso ao final.

- Está querendo morrer, garoto? – encarou-o com raiva.

- É exatamente disso que estou falando! Você acha que pode fazer o que bem entende, terei que adicionar essa ameaça à lista dos podres da senhora e dessa família?

A mulher engoliu em seco, visivelmente nervosa preocupada.

- Como espera sustentar a si mesmo? Você não trabalha, nem estuda-

- Não se preocupe vovó, a senhora irá cuidar disso para mim – o sorriso ainda estampado no rosto soltou um riso.

- Mas alguma coisa? – questionou irritada

- Não toquem na Seunome, nem a espiem. Não irei ficar parado se souber de qualquer contato de vocês com ela. É a condição mais importante.”

(Fim do flashback dentro do outro~)

 

Lembrava-se do dia em que se mudou para o casarão, a avó que lhe fora visitar apenas para firmar o trato dos dois. O último olhar foi ameaçador, como vinha sendo sempre, mas a frase da mulher nunca lhe saiu da cabeça: “Você irá se arrepender e se afundar nos próprios fracassos”, nunca uma previsão fora tão certeira.

JiYong afastou seus únicos amigos verdadeiros, os trocando por um grupo de garotos encrenqueiros. O grupo foi formado sem mais nem menos, o jovem Kwon não via mais sentido em sua vida e só o que lhe dava algum gosto de diversão era bagunçar a vida das pessoas que lhe parecem seu antigo eu, pessoas corretas e respeitáveis.

Ele não sabia ao certo o porquê de ser assim e fazer, mas não podia negar que a previsão estava certa. O vazio que sentia cada vez que lembra-se de sua atual vida e da falta que sente dos amigos é maior que qualquer coisa, e esse sentimento não era abafado pelo som absurdamente alto da música ali dentro. Odiava boates mais do que qualquer outra coisa. Se estava ali era para mutilar-se mentalmente, algo que não era tão difícil de ser feito.

- Hey, G-Dragon, para de fazer essa cara de merda e vá descarregar um pouco na pista. Sério cara, odeio vir pra cá com você. Sempre fica assim, é um saco. – Jared reclamou irritado – Olha lá – apontou para um ponto no aglomerado de pessoas que mais pareciam animais em uma gaiola pequena – Aquelas garotas não param de encarar você, porque não vai aproveitar?

JiYong bufa, tentando filtrar o que o garoto dissera.

- Quando aquele garoto dos Estados Unidos vai vir? O Joshua. – disse dirigindo-se a Drake.

- Ahn... Daqui a um mês, eu acho...

- Beleza. – levantou-se.

- Você finalmente vai se divertir? – Jared questinou, fazendo JiYong virar-se para ele.

- Eu vou embora. – sorriu e continuou a andar, passando pelas garotas que até então o estavam secando com falsas esperanças de que ele as daria alguma atenção, enquanto em seu interior tudo o que ele fazia era ignorá-las.

Assim que saiu da casa noturna foi atingido pelo vento gélido. Não havia se dado conta da mudança de tempo enquanto estava naquele lugar abafado, e caminhando dali até qualquer lugar, não notava muitas coisas, inclusive o carro que discretamente tinha como passageira sua avó, que olhava para o neto com um grande ar de razão. Ela estava certa, ele estava se afundando nos próprios fracassos, e agora que confirmara isso, não via motivos para observá-lo a não ser para ver como o mesmo reagiria ao saber que Seunome voltara para a Coréia.

Espiar qualquer um dos dois ia contra vários dos combinados feitos entre a chefe Kwon e o ex-herdeiro, mas como isso não estava nos conhecimentos do jovem, que estava mais preocupado em se embebedar e causar problemas, não havia perigo algum.

- Veremos até onde suas ações estúpidas o levarão... – a velha disse com um sorriso maldoso nos lábios enquanto encarava o garoto absorto em pensamentos diversos através da janela escura no carro -... Vai ser como matar duas bolas em uma mesma tacada, agora que a Seunome voltou para a Coréia.

 

O cheiro de álcool era fortíssimo no quarto, tal como suas essências exageradas, a louça suja e tudo o mais piorava sua dor de cabeça. Maldita ressaca. Ele acordara mais mal-humorado que o normal, e nenhum dentre os fatores mencionados foram responsáveis por seu despertar, mas sim o som irritante do celular vibrando na mesinha ao lado. Resmungo algo e pegou o aparelho, porém sua visão ainda estava embaçada demais para que pudesse ler o nome da pessoa no visor, então apenas atendeu.

- G-Dragon, um dos nossos foi preso! – David falava do outro lado.

- E isso é motivo pra me ligar, otário? Estou pouco me ferrando pra todos vocês... – falou irritado, mas a verdade é que ultimamente ele realmente não suportava eles e muito menos a si próprio.

O som no telefone ficou diferente, uma nova pessoa o pegara do outro lado.

- Aqui é o Jared. G-Dragon, a gente tá subindo aí. – disse autoritariamente.

Sem a mínima paciência para argumentar, apenas desligou o aparelho e o jogou em qualquer canto. Voltou a dormir pouco tempo depois, mas acordou tendo o quarto invadido pelos garotos inconvenientes da gangue. Amaldiçoou-se mentalmente por esquecer-se de trancar a pora.

- O que querem? – falou rabugento.

- Como conseguiu ficar tão nojento da noite para o dia? Você não estava assim ontem. – olhou para JiYong desconfiado, mal sabia que o garoto passara a noite bebendo sozinho naquele quarto de hotel que a tanto tempo ocupava, culpando-se por todas as coisas horríveis que vinham acontecendo em sua vida e na de outras pessoas ao redor de si.

- Diga logo o que quer, não estou com a mínima vontade de olhar para a cara de qualquer um de vocês.

- É sobre isso que viemos falar. Você não está mais agindo como um líder e muito menos como um de nós, então viemos propor um teste pra você, se passar você não sai da gangue.

- Não é como se eu quisesse ficar, não é Jared? Se acha tanto o líder, então porque não me substitui de uma vez? Você é tão bom, tão melhor que qualquer um... Veio aqui provar isso? Pode ir embora, não estou interessado em teste algum. – riu fraco, mas o sorriso cínico em seu rosto foi desfeito pelo soco certeiro de Jared.

- Seu merda, estou fazendo isso pro seu bem, porque continua agindo como um imbecil?

JiYong queria rir, deveria estar fazendo essa pergunta a ele, mas como não estava a fim de rebater, apenas sorriu.

- Tudo bem, mas quero que me deixem em paz por um tempo depois dessa, eu estou muito a fim de descansar a cabeça um pouco.

Jared e os outros se entreolharam, então David se manifestou:

- Uma garota fez um escândalo na boate ontem quando um dos nossos tentou algo com ela, por causa disso a polícia veio e ele foi levado em cana.

JiYong escutava um tanto desinteressado, mas assentiu.

- E o que isso tem a ver com o teste? – piscou os olhos, sonolento.

- Você vai dar o troco na vadia. – Jared falou, inegavelmente irritado.

- Fácil. – soltou o ar entre os dentes e sorriu – Só isso?

Assentiram e ele se levantou dolorido, indo até a pia e pegando o único copo limpo e enchendo-o de água pra logo colocar um remédio na boa juntamente com o líquido.

- Me levem até ela, então. Quero terminar isso o quanto antes pra dormir e fazer essa dor de cabeça passar.

 

GD não era capaz de entender o que era aquela cobrança em cima de si, pressionando-o a ser ativo naquele grupo que agora lhe era tão tosco. Se queriam tanto que completasse aquele teste, porque não foram verificar isso? JiYong achou que eles iriam acompanha-lo para terem a certeza de que completaria o serviço, mas deixaram tudo para outro integrante do grupo que fora o único a ver a tal garota.

- Esse é o colégio dela, o uniforme é o mesmo que estava usando. – falou para JiYong que tentava manter um temperamento razoável para lidar com a situação.

- Sabe quem é, não? Seja breve. – recostou no banco, querendo fundir-se àquele estofado, e aguardou.

Passados alguns minutos, os alunos começaram a sair, e apenas quando o fluxo diminuiu ao máximo foi que a vítima apareceu.

O motorista membro da gangue apontou para a garota, afirmando ser aquela em meio a insultos. Não estava com paciência para ouvir ou esperar, JiYong juntou toda a sua disposição e saiu do carro, e a luz solar nunca fora tão forte e penetrante. Piscou algumas vezes até que sua visão focasse a garota que andava em direção a um beco que levava até a rua atrás do colégio. Era sua chance.

Ainda um pouco zonzo atravessou a rua e discretamente aguardou até que a garota adentrasse aquela passagem para que acelerasse o passo. Seria breve, mas aproveitaria ao menos um pouco, afinal não era tolo a ponto de perder esta oportunidade.

Vendo apenas suas costas, era capaz de julgar que ela ainda não notara sua aproximação, mesmo sendo os únicos seres ali e estando silencioso agora que não havia estudante algum nos arredores. Aproximou-se mais um pouco, até que suas mãos fossem capazes de agarrar os ombros da garota e a virar por completo enquanto a jogava contra o muro, exatamente como fez.

Sua expressão surpresa e assustada juntamente com os cabelos cobrindo parte do rosto não foram suficientes para impedir JiYong de reconhecê-la, e agora ele se fazia consciente da situação. Não podia vacilar, mas parecia mais perdido do que nunca.

- Não se mexa Seunome, você corre perigo.


Notas Finais


Bom, é isso!
Espero que algumas coisas estejam ficando claras pra vocês ;-;

Beijos de Nutella e DARLIIIIIIIIING pra vocês, até o próximo cap!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...