História Lets not fall in love - Capítulo 28


Escrita por: ~

Postado
Categorias Big Bang, DaeSung, G-Dragon, SeungRi, T.O.P, Taeyang
Tags Big Bang, Drama, Revelaçoes, Romance
Exibições 47
Palavras 2.078
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Ecchi, Festa, Hentai, Luta, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oiiii.
Mais um cap saindo do forno... Hehehehe

Capítulo 28 - SeungRi, por que?


Fanfic / Fanfiction Lets not fall in love - Capítulo 28 - SeungRi, por que?

Não conseguia acreditar nisso... Parecia uma falsidade espantosa.

Um momento estávamos bem e em outro tudo se acaba, se afunda. Por que, ele tinha que fazer isso?

Eu acreditei que nunca havia existido outra além de mim, que Choi se reservava e que não se envolvia com tantas. Como sou uma idiota!

Ele tem poder e fama, acha mesmo que iria se prender somente à mim?

Lógico que não!

Depois do incidente na escada tive alta 2 dias depois, por sorte foi apenas um ferimento pequeno na testa. Porém, eu queria ter quebrado o pescoço e morrido na hora só para não ter quer suportar essa dor agonizante em meu peito.

Não entendia o porquê de amar doía tanto!

É algo bom e perfeito, mas doía, e muito. Choi foi alguém que me envolvi muito rápido e em eu momento de fraqueza corri para os seus braços acabando de entregar-me sem mais e nem menos.

E então, me apaixonei!

Que merda fiz...

Suspiro alheia aos movimentos dos trabalhadores, dançarinos e demais produtores que estavam ajudando no ensaio do show hoje à noite.

O estágio era enorme, sem contar com o palco. As luzes chegavam a doer em meus olhos, mas pouco me importava. Eu estava anestesiada de sofrimento e tristeza.

Por sorte meu rosto não estava acabado, eu conseguia manter minha boa aparência e ganhava pontos com isso.

Ninguém sabia do envolvimento que tive com Choi antes disso, a história do quase estrupo calou toda a hipótese que teríamos passado a noite juntos.

Toco meus cabelos suspirando pesadamente, pisquei diversas vezes tentando me concentrar nos movimentos que as pessoas estavam fazendo. Eu tinha que treinar, pois era uma dançarina também. Mas, não tinha nem forças para levantar de onde eu estava.

Estava me sentindo um lixo!

E bom, ele não parecia está diferente. Seu semblante sério e abatido denunciava o quão decepcionado estava. Como se ele se importasse con tudo isso.

Balancei a cabeça afastando esses pensamentos, isso era coisa da minha mente. Se ele estive abatido ou até mesmo arrependido, não deveria ter feito isso. Choi é bem grandinho para saber o que é certo ou errado.

Tola fui eu por acreditar em suas palavras, e por ter deitado novamente com ele na cama.

Choi SeungHyun nunca sera meu, idiota!

Mas, outra coisa está me intrigando!

O que diabos Kim fez para poder se manter fora do país tanto tempo?

Peguei as pressas o notebook que estava dentro de minha bolsa ao meu lado, abri ligando-o logo em seguida. Meu coração começou a palpitar rapidamente, era até engraçado, parecia que eu estava vasculhando algum documento fiscal e o medo de ser pegada tomava conta do meu corpo.

Sorri com esse pensamento.

Abri a página e comecei a pesquisar sobre seu nome, sobrenome e toda a sua vida, tentando colher qualquer informação que podia. Mas, nada era intrigante. Tudo parecia normal, nada relacionado a polêmica.

Será se foram obrigados a excluir qualquer vestígio e comentários sobre esse tal incidente?

Mesmo pensando nisso não desistir, me pus a aprofundar cada vez mais.  Eu queria descobrir sobre esse assunto, sabia que os meninos não iriam falar, até mesmo a Song e principalmente Choi. Nosso contato simplesmente cessou.

Cheguei até me perder de tantas abas que abria em busca de informações, mas de repente algo chamou minha atenção. Uma foto de Kim aos beijos com um desconhecido por mim, e demais fotos preencheram a tela do notebook, ambos estavam e diferentes lugares, até mesmo adentrando moteis clandestinos.

Não me diga que... Não, isso não pode ser!

Pesquisei mais ainda, tinha que a certeza disso. A certeza dos atos de Kim anos atrás.

Foi então que consegui achar uma reportagem dois anos após o debut do Big Bang, tudo estava relacionado ao namoro entre Choi SeungHyun e Kim. Ele parecia feliz, sorria como nunca e ela não estava diferente. Mas, ao olhar as fotos na página abaixo nada parecia o mesmo.

As fotos com o desconhecido estava ali juntamente com as fotos de T.O.P.

Kim havia traído Choi publicamente!

Com isso sua reputação foi por água abaixo, as criticas e repulsa das gravadoras e empresas de marketing romperam os contratos que haviam com ela, causando revolta. E com isso Kim foi expulsa da YG.

Perseguida pelas fãs do Big Bang, teve que sair do país por segurança. Mas, por que depois de tantos anos inventaram esse casamento?

E por que, Choi deitou com ela na cama? Por que?

Bati a tela do notebook fazendo-o fechar com força. Minha cabeça estava à mil, borbulhava de tantas informações, e mal conseguia encaixa-las corretamente.

Pensando melhor, Choi parecia ser tão inocente dessa história que chegava a imaginar que aquela foto era tudo armação. Pois, que tiraria foto depois de manter uma relação com outra pessoa, e ambos nus?

Somente a Kim...

Aish... Não conseguia tirar aquela imagem dos meus pensamentos por nenhum momento.

Massageei minhas têmporas, estava cansada, não havia conseguido dormir nesses últimos dias devido ao excesso de trabalho e por esses últimos acontecimentos.

A cafeína está sendo meu parceiro das noites em claro.

Foi então que me lembrei de um detalhe...

Abri novamente o notebook e por sorte as páginas que estavam abertas, não fecharam. O desconhecido não parecia ser tão estranho para mim, analisei todas as fotos em que ele estava com a Kim, mas a máscara que usava não dava para decifrar quem era.

Aquela destra segurando as mãos de Kim e até mesmo seus olhos eram conhecidos para mim, muito bem conhecidos. Até a desenho de suas pernas.

De repente, senti meu ar faltar, e uma tontura tomar conta de mim, o enjôo fez com que eu batesse novamente a tela do notebook fechando-o com mais força ainda.

Toquei minha testa fechando só olhos fortemente tentando controlar os sintomas, mas tudo era em vão.

Um nó se formou em minha garganta, eu queria chorar porque eu estava sendo usada e ameaçada por alguém que eu admirava e esse alguém foi o cúmplice da traição de Kim.

Levantei rapidamente e me pus a caminhar sem rumo, meus olhos começaram a ficar embasados e tentei segurar todas as lágrimas que teimavam em cair. De vez em quando batia com os ombros nas pessoas e fazia reverência pedindo desculpas.

Com dificuldade consegui chegar até os corredores que davam acesso ao camarim, assim eu podia andar com mais rapidez tocando a parede.

Ao longo avistei uma silhueta, suas roupas negras e seu chapéu não enganava-me. Estanquei no local dando passos para trás, ele era a única pessoa que queria encontrar nesse momento. Com medo tentei correr, mas sentia sua mão agarrar fortemente meu braço fazendo-me olhá-lo a força.

Será se ele descobriu que eu havia andando pesquisando sobre sua vida particular?

- Me solta! - disse com a voz embassada tentando me soltar. Mas, para cada tentativa ele apertava meu braço causando dores maiores.

Gemi... Eu só podia gemer.

- Por favor, me solta! - derramei em choro.

Senti meu corpo ser arrastado dentre aqueles corredores, até chegar em uma sala. Eu não tinha forças para fugir, muito menos para gritar. Aliás, ninguém iria ouvir, pois o barulho dos instrumentos que estavam sendo afinados impediam que qualquer pessoa ouvisse meu pedido de socorro.

Meu peito doía cada vez mais, já não bastava ser humilhada por Choi e agora tem isso?

Eu estava ao ponto de ficar louca com trabalho e pressão psicológica de todos os lados, e ameaças não ajudavam muito, ou melhor pioravam minha situação.

Meu corpo foi jogado contra o enorme estofado que havia naquela sala, me mantive jogava do mesmo modo que fiquei ali depois de entrar em choque com o objeto. Meus olhos estavam embasados de mais e mal conseguia enxergar, apenas tentei sentar no lugar preparando-me para as palavras duras e assustadoras que estavam por vim.

- Tudo estava indo tão bem, não é mesmo? Porém, só bastou ela aparecer que tudo isso foi acontecer. - olhei para ele surpresa. Ele parecia mais perdido do que eu. - Mas, eu preciso fazer isso, então eu espero que um dia você me perdoe.

- O que você...

Tentei falar, mas não consegui ele foi mais rápido do que à mim e interrompeu minhas falas de desespero. Seus punhos se fecharam ao lado de seu corpo impedindo que eu pronunciasse demais palavras de piedade.

- Cala a boca! - exclamou ele entre dentes.

- Não! - disse alto e em bom som surpreendendo até mesmo a mim por estar falando com ele nese tom.

Ele poderia me machucar, não duvidava disso. Ele estava do lado de Kim e temia que o pior pudesse acontecer à mim e principalmente à Choi.

Seus olhos se arregalaram e deu um passo para trás se recompondo logo em seguida, ele parecia estar sendo forçado a fazer isso.

Pobre SeungRi, por que está fazendo isso?

- Não pode fazer isso, Panda! Você não é assim! - disse firme levantando-me do estofado.

- Não diga bobagens! - seu semblante mudou completamente para sério. - Não me conformo por Hyung ficar sempre com o melhor, não entende isso?

- Com o melhor? - sussurrei confusa.

Então, a fixa caiu. SeungRi deveria está fazendo isso pelo fato de ter me envolvido com ele? Mas, isso não de encaixa, não tem cabimento.

Tem algo à mais atrás disso, e sei que Kim deve estar envolvida.

Pois se Kim traiu Choi com SeungRi, não duvido que esteja fazendo isso novamente, mas de uma forma pior. Aliás, Lee parecia atordoado como se não quisesse estar aqui tentando me ameaçar ou me obrigar a fazer algo!

Então, continuei:

- É ela, não é, Panda? É a Kim que está fazendo isso com você! - cerrei os punhos. Me dava dó só de imaginar aquela louca maltratando ele.

Ele se manteve em silêncio durante alguns segundos talvez tentando encontrar palavras certas para dizer à mim, ou para perguntar como eu consegui descobrir isso.

- Isso não lhe diz a respeito... - foi a única coisa que pronunciou.

- Então, é verdade...

De repente, SeungRi chegou perto de mim e uma velocidade incrível agarrando novamente meus braços tomando sua pode de frio. Sem medo o encarei, seu rosto podia estar sério, mas seus olhos jamais me enganariam.

Com as mãos livres, toquei levemente seu rosto com dó. Ele por sua vez, ficou em silêncio observando cada movimentação que minha face dava.

Nunca havia chegado tão perto dele como eu estava agora, eu sentia falta do Panda de antes, do Panda que existia muito antes da Kim aparecer. E a hipótese de que ela estava envolvida nisso não deixa a minha mente. Depois do que li na internet, não descarto nada do que ela é capaz de fazer.

SeungRi é um bebê, e pode ser manipulado facilmente por qualquer um. Como alguém pode querer machucar alguém tão querido como ele?

SeungRi empurrou-me cessando nosso toques, limpou o lugar onde eu estava tocando e olhou feio para mim apontando o dedo.

- Nunca mais ousa fazer isso, ouviu bem? - ele tentou parecer firme, mas parecia atordoado envez de ameaçador. - Escute muito bem, pois de agora em diante tudo vai sair conforme irei mandar.

- Você não pode fazer isso, Panda! Essa mulher está acabando com você!

- Estou pouco me fodendo para isso, então é melhor calar essa boca, ou quer que seu querido Choi perca seu legado por sua causa? Por um simples caprichos de ambos, aliás vão adorar saber que vocês dormiram juntos na noite em que vc sofreu o atentado.

Meus olhos se arregalaram, aquilo só podia ser brincadeira. Como ele sabia daquilo?

Meus olhos se encheram de lágrimas, tudo isso não podia se tornar pior.

Meus pés doíam no salto que estava usando, mas pouco me importava. Não chegava na dor que estava sentindo por dentro, o corredor estava vazio, só ouvia as vozes dos meninos ecoarem ao longe.

Encostei-me na parede escorregando pelas mesmas em prantos. Se pelo menos eu pudesse voltar ao tempo, escolheria viver em outro lugar se eu soubesse que tudo seria assim.

Deitei minha cabeça nos joelhos, escondendo os mesmos dentre as mesmas e possibilitando de botar pra fora tudo o que tinha guardado dentro de mim desde da morte de meus pais. Sabia que de agora em diante tinha que fazer tudo o que foi me mandando.

Tinha que seguir as ordens de Lee SeungHyun, ou a vida de T.O.P. estaria acabada por minha causa!


Notas Finais


Gostaram?
Não esqueçam de deixar seus comentários.
❤❤❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...