História Let's play a game - YoonSeok - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Suga
Tags Bangtan Boys, Bts, J-hope, Lemon, Sobi, Sope, Suga, Sugahope, Yaoi, Yoonseok
Exibições 267
Palavras 3.436
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Lemon, Shonen-Ai, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


One shot Yoongi x Hoseok!!!

Boa leitura! o/

Capítulo 1 - Capítulo Único


Fanfic / Fanfiction Let's play a game - YoonSeok - Capítulo 1 - Capítulo Único

O jovem moreno repousava - esparramado - no sofá de sua casa enquanto esperava por seu convidado. Sua mente vagava hora pensando no trabalho, hora pensando que um cochilo talvez fosse uma boa ideia, hora pensando no que fazer nessa noite. Digamos que ele se manteve mais focado na terceira opção.

Quando o som estridente da campainha soou pela casa, o jovem, num pulo, foi descalço até a porta de entrada. Assim que a porta fora aberta ele deu de cara - ou melhor, de costas - com um garoto de cabelos alaranjados encarando distraído a rua enquanto assobiava. O ruivo demorou a notar uma presença atrás de si, e quando o fez deu um pulo, assustado.

- Yoongi do céu! - falou enquanto punha a mão no coração. - Quer me matar?

- Eu? - apontou para si, incrédulo. - Você quem estava avoado.

O - levemente - mais alto mirou a cabeça para baixo, fechou os olhos, suspirou, e voltou a encarar o moreno.

- Que seja. - deu de ombros. - Vai me deixar entrar ou não? - mencionou assim que notou que o menor estava meio lento.

- Ah, foi mal. - disse Yoongi votando à realidade. - Entra, Hoseok.

Assim que o menor deu passagem, o outro entrou no recinto sem muitas cerimônias, afinal já estivera ali incontáveis vezes. O alaranjado tirou seus sapatos e meias, e os repousou num canto perto da entrada, enquanto o moreno fechava o trinco da porta.

Yoongi e Hoseok não eram namorados, muito menos ficantes, eram amigos. Talvez a chamada amizade colorida seja o termo certo para definir a relação dos dois.

Ambos se conheceram no meio do ensino médio, Hoseok no segundo ano, e Yoongi já no terceiro. Eles de fato se tornaram amigos próximos, tão próximos que lá para o quarto ano de faculdade de Yoongi - e terceiro de Hoseok - essa proximidade se transformou em algo a mais. Por quê? Por pura e simples curiosidade mútua.

A amizade permanecia a mesma, só que de vez em quando eles davam uma escapada. Quarto, sala, banheiro, carro, estúdio de dança, tudo já fora alvo das almas fogosas dos dois jovens. Os dois mantinham essa vida selvagem, sem regras e descompromissada há três anos, afinal o que se espera de jovens de 24 e 23 anos?

Enquanto Hoseok caminhava e se jogava no sofá da sala de estar, Yoongi pensava em um jeito de inovar, até porque a vida sexual dos dois estava meio monótona e repetitiva recentemente. As ideias corriam pela mente do compositor à medida que ele andava pra lá e pra cá pelo tapete felpudo do local.

"E se fizéssemos sadomasoquismo?" - cogitou mentalmente. - "Não, já fizemos isso... No sofá! Ah não... Já fizemos lá também. Hm... Ah!" - uma lâmpada se acendeu no topo de sua cabeça. - "Já sei!"

- No que você tanto pensa hein, Yoongi? - Hoseok fitou-o.

- Hoseok-ah, vamos jogar um jogo?

- Jogo? - o olhou torto. - Quem é você e o que fez com Min Yoongi? - caçoou.

- Não entendi. - perguntou o moreno, genuinamente confuso.

- Desde quando Min Yoongi prefere jogar um jogo ao invés de transar?

- Desde nunca, Jung Hoseok. - seus lábios formaram um sorriso travesso fazendo o outro erguer o corpo para se sentar.

- O que está aprontando, jovem? - disse encarando-o melhor.

Hoseok sabia muito bem do que ele estava falando, porém não custava entrar na brincadeira.

- Vamos fazer algo diferente. - o menor disse e se virou de costas para o outro, mas antes dirigiu-lhe um sorriso sapeca.

O alaranjado, percebendo que o mais velho seguia rumo ao segundo andar, saiu do sofá às pressas a fim de segui-lo até o quarto. Chegando lá, Yoongi se dirigiu à cômoda e começou a revirar a gaveta à procura de um pequeno objeto que seria essencial na brincadeira. Ao encontrá-lo, mostrou-o para o mais novo, que o olhou estranho.

- Um dado? - perguntou se sentando na cama, aflito.

- Não é um simples dado. É um dado erótico. - respondeu breve. - As regras são as seguintes: você joga o dado e segue o comando, fim.

- Só eu?

- Não, gênio. - debochou. - Eu também, óbvio.

- Ah, entendi. - sorriu de canto. - Vamos começar então?

- Claro, quem começa? - questionou o moreno.

- Hm... Pedra, papel, tesoura? - sugeriu.

- Tá. - se aproximaram e estenderam os braços. - Um, dois e já.

O mais novo fez pedra, e o mais velho, papel.

- É, parece que eu começo. - disse o moreno.

O Min chegou mais perto do garoto em sua cama e se sentou em seu colo, posicionando uma perna de cada lado do corpo do outro. O alaranjado levou suas mãos até a cintura do moreno e deixando lá um aperto leve. Quando ele tentou trazer o baixinho para perto na tentativa de tomar-lhe os lábios, o mais velho colocou seu dedo indicador na boca do alaranjado, rejeitando-o.

- Á á. - negou o mais velho. - Só quando o dado disser. - sorriu cínico em seguida.

O Jung bufou, o que desencadeou uma risada assoprada do outro. Sem perder mais tempo, o garoto com o dado em mãos jogou-o em cima do colchão. A face do objeto virada para cima indicou uma parte do corpo em que o menor teria de trabalhar, a boca.

- Está com sorte hoje, Jung. - sorriu se lado, envolvendo o pescoço do outro com os braços, e se aproximou lentamente.

Yoongi selou seus lábios intensamente. Ambas as bocas trabalhavam os movimentos com vontade, as línguas se enroscavam, sedentas. A fim de cumprir com sua tarefa, o moreno mordeu o lábio inferior do parceiro sem usar muita força para tal, mas não tardou a voltar a beijá-lo.

Se uma palavra resumisse o sentimento dos dois naquele momento, essa palavra seria desejo.

O Min, ao perceber a língua do outro adentrar novamente em sua boca, sugou-a sem hesitar. Para aquecer ainda mais as preliminares, o menor passou a dar leves puxões nos cabelos presentes na nuca de Jung, arrancando suspiros hora ou outra. Com o alaranjado não foi diferente. Ele segurava e apertava de vez em quando a cintura do jovem sentado em seu colo, trazendo para mais perto de si à procura de mais contato.

Esses toques a mais - somados ao beijo fervoroso - levaram a dupla a se animar rapidamente. Ambas as recentes ereções se tocavam à medida que Hoseok aproximava Yoongi de seu corpo, fazendo com que arfes escapassem em meio ao ósculo. Yoongi sabia que não poderia se demorar ali, porque se não ele até se esqueceria do bendito jogo.

Sabendo disso, o Min afastou seu rosto do rosto alheio e sorriu enquanto mordia levemente seu lábio inferior, justamente para provocar o mais novo. E funcionou.

- Sua vez... - sussurrou encarando de forma extremamente sensual.

- Não podemos esquecer esse jogo não, Yoongi-ah? - disse igualmente provocador, mas ainda assim manhoso. O outro acenou negativamente com a cabeça e murmurou um breve "Ande logo".

Sem ter como fugir do jogo, Hoseok pegou o dado - que ainda estava próximo de si na cama - e o jogou no mesmo local. Pescoço. O Jung sorriu largo e aproximou seu rosto do pescoço de Min, roçando seu nariz ali. O aroma de seu hyung adentrou suas narinas e deu um nó em seu olfato.

Ele cheirava a sabonete, mas parecia que estavam presentes dezenas de odores diferentes naquela região. Rosas, lavanda, capim-limão, até café o mais novo jurou ter sentido. Como? Talvez a excitação já estivesse bagunçando sua percepção da realidade.

Apenas com os leves e superficiais toques do nariz de Jung, o corpo de Min já havia se arrepiado até mesmo onde ele nem sabia que haviam pelos. O alaranjado, louco para começar suas ações em seu hyung, começou a depositar pequenos selares por toda a área, arrancando suspiros do moreno. Ele beijou desde a clavícula até o pomo de Adão e a ponta do queixo.

Ansioso para provar o pescoço de Yoongi, Hoseok deixou as cerimônias de lado e começou a desferir lá uma marca, a sua marca. Enquanto ele chupava a pele exposta - pálida como a neve, e doce como açúcar - do Min, o mesmo sentia arrepios percorrendo toda a extensão de seu corpo, indo da ponta do pé até o último fio de cabelo.

Quando uma língua quente tocou a sua pele foi o limite, e assim um gemido baixo fora lançado no ar, chegando aos ouvidos de Hoseok e deixando-o mais excitado ainda. O Jung trabalhava incessantemente no pescoço do mais velho, e estava disposto a transformá-lo numa obra de arte com seus chupões. E de fato fez.

Marcas foram deixadas lá com sucesso. O mais novo se afastou por um breve momento para apreciar sua criação colorida "de longe". Algumas marcas eram rosas - as mais suaves e menos demoradas -, enquanto umas eram vermelhas, e outras chegavam a ser roxas - as que foram sugadas por um período de tempo maior. Satisfeito, ele se aproximou da área novamente e passou a língua pelo comprimento do pescoço, seguindo a trilha dos chupões.

O Min ofegou ao sentir a língua molhada de Jung deslizando em si, e lançou um olhar de reprovação ao outro ao vê-lo se afastar.

- Sua vez. - sorriu. Aquela era como uma vingança para com o moreno, já que ele também parara sua ação no auge.

- Você é mau, Hobi. - disse manhoso enquanto pegava o dado e o jogava na cama novamente. Virilha alheia. Esse era o comando do dado.

Yoongi olhou malicioso para o outro, e, antes que este pudesse falar qualquer coisa, o moreno começou a rebolar no colo do mais novo. Min queria provocar Jung, e ele sabia como. E como sabia. Na verdade, se tinha uma coisa que o moreno gostava era provocar o alaranjado ao extremo.

Mesmo sem nenhuma música no ambiente, o mais velho decidiu fazer uma lap dance no mais novo. Ele dançava sensualmente sob o alaranjado, rebolando, e tocando seus membros - eretos - de vez em quando. O Jung, ao ver seu hyung ali, se empenhando no quesito sensualidade - não que isso fosse difícil para o Min -, mordeu os lábios e agarrou firmemente sua bunda, trazendo o corpo alheio mais próximo ao seu.

O moreno estremeceu quando sentiu as mãos do outro apertando com tanta vontade a sua bunda. Ele já estava louco - os dois na verdade -, e ele queria mais é que o dado e o jogo fossem para a puta que pariu. O que ele mais desejava era sentir o Jung dentro de si, dando-lhe prazer e recebendo prazer também. Mas com muita determinação em seguir aquilo até o fim, afastou as mãos alheias de si e saiu do colo do mais novo.

Já ajoelhado no chão o moreno abriu o zíper da calça do outro lentamente. Assim que o fez, pediu ao maior que se levantasse um pouco para ele conseguir tirar aquela maldita peça de seu corpo. Depois de lançar o jeans em qualquer canto do quarto, Yoongi encarou a box preta na sua frente, e salivou ao ver o tamanho da ereção do outro.

O tecido estava levemente molhado pelo pré-gozo - o que deixou o moreno mais atiçado do que já estava. O mais velho nem hesitou ao lamber a intimidade molhada do outro por cima da cueca mesmo, arrancando um arfe de Jung suplicando por mais. Por fora ele estava mantendo um ar provocador, mas por dentro o que Min mais queria era provar Jung. E assim o fez.

Ele desceu a box pelas pernas do rapaz e jogou-as longe, assim como as calças. Finalmente o mais velho pôde ver o quão duro o outro estava de fato. Sem mais delongas o moreno pegou o caralho molhado do jovem e o abocanhou de uma só vez. Sua boca ia e vinha no pênis ereto de Jung, e tudo o que Jung podia fazer era gemer - gemia baixo, mas gemia.

O alaranjado ofegava ao sentir o interior da boca do mais velho, e só podia pensar que queria que seu pau estivesse em outro lugar agora. Não que ele não apreciasse o boquete do Min, é que ele queria mais do que uma mera boca. O jovem estremecia a um simples toque da língua alheia em seu membro, e ele ficava cada vez mais duro ao ver seu hyung ali, entregue.

O quadril do mais novo começou a se mover devagar automaticamente, e ele começou a foder a boquinha úmida do outro. Uma de suas mãos foi até a cabeça do outro e agarrou seus cabelos - sem empregar muita força - e passou a ditar o ritmo do boquete. O Min chegou a se engasgar uma ou duas vezes, mas nada grave. O Min Yoongi normal odiaria que o tratassem daquela forma. Entretanto na hora do sexo ele adorava ser dominado - ainda mais por Jung Hoseok.

- Ei, já chega. - o Jung afastou o Min de seu pênis. - Eu quero gozar em outro lugar. - olhou malicioso.

- Sua vez. - se sentou novamente no colo de Jung, e este jogou o dado na cama mais uma vez. Abdômen.

Hoseok encarou seu hyung, e, antes de mais nada, deu uma mordida em seu queixo (mesmo não sendo esse o comando). Ele agarrou a cintura fina do mais velho e o girou, assim o moreno caiu deitado na cama e o alaranjado ficou por cima. Ele começou por tirar a blusa do moreno e arremessou-a em algum lugar. Depois ele foi em direção aos mamilos do rapaz e começou a estimulá-los com a língua.

O Min gemia ao sentir o caminho que a língua alheia fazia ao circundar seu mamilo rijo. Enquanto isso o outro trabalhava no mamilo oposto com os dedos, e se arrepiava ao sentir os gemidos do outro toda vez que ele dava um apertão de leve na área. Cansado de lamber e doido para marcar, Jung começou a sugar os mamilos do outro com vontade, um de cada vez.

O moreno obviamente foi à loucura, aquilo era demais. As mãos de Jung retornaram à cintura do Min e davam apertos periodicamente. Dos mamilos Jung seguiu para a barriga branca e lisa do mais velho, depositando lá diversos selares e chupões. As costas de Yoongi curvaram-se ao sentir os lábios de Hoseok em sua barriga, e seus arfes cada vez mais frequentes eram música para os ouvidos de Jung.

- Ho...seok... - chamou entre um gemido e outro.

- Hm?

- E-Eu não aguento mais...

- Mas e o jogo, Yoongi? - fingiu ter certo interesse em segui adiante com a brincadeira.

- Que se foda o jogo. - disse.

- Eu estava só esperando você dizer isso. - sorriu e retirou a calça e a box do moreno e jogou-as sei lá aonde.

O moreno também não perdeu tempo e arrancou impaciente a camisa do alaranjado - e nesse ato violento alguns botões da roupa se soltaram. Hoseok não ligou pra isso no momento, na realidade ele nem sequer notou que sua camisa havia sido arruinada pelo outro. Tudo o que Jung pensava era que ele nunca havia visto seu hyung tão duro na vida.

Ambos já estavam despidos e prontos para - finalmente - transarem. Ou quase. Hoseok levou dois dedos à própria boca para lubrificá-los e preparar Yoongi em seguida. Ele queria que tudo fosse o mais confortável possível para seu hyung, independentemente de sua vontade louca de possuir o moreno naquele mesmo instante. Quando ele ia levar seus dedos à entrada do mais velho, este o interrompeu.

- Hoseok-ah... Só vem logo.

- Mas, hyung...

- Nada de "mas". - envolveu o pescoço do alaranjado com os braços e sussurrou em seu ouvido: - Me mostre o que esse seu pau grosso sabe fazer...

Hoseok estremeceu.

- Então você quer ser fodido, hm? - esfregou seu pênis entre as nádegas do mais velho, que revirou os olhos só de imaginar aquilo dentro de si.

- Quero, quero muito. - disse com certa dificuldade.

- Então me peça. - ordenou.

- Me come, Hoseok... - disse com a respiração já ofegante. - Me rasga com esse seu caralho... Me fode rápido e com força...

Aquela foi a gota d'água para Hoseok. Yoongi havia conseguido mandar a sanidade no alaranjado para a puta que pariu com aquilo.

Hoseok meteu com tudo em Yoongi, que gritou de dor no momento da penetração. O alaranjado não se moveu por um instante, pois ele havia congelado ao sentir-se comprimido no interior de Yoongi. Já o moreno, apesar da dor indescritível que ele estava sentindo, estava revirando os olhos de prazer ao sentir o pênis de Hoseok dentro de si.

O mais novo não perdeu tempo e logo começou a estocar como seu hyung havia lhe mandado: rápido e com força. Yoongi gemia de dor alto enquanto arranhava as costas do alaranjado tentando aliviar a tensão. Depois de poucos minutos os gemidos do moreno passaram a ser gemidos de prazer. Ele podia sentir o membro de Hoseok em atrito com as paredes de seu reto, ele podia ouvir o som de seus corpos se chocando com certa violência, ele podia sentir Hoseok.

O membro do mais alto era esmagado pelo interior quente e apertado do mais baixo, e isso proporcionava uma sensação delirante para ele. Mesmo as unhas de Yoongi sendo curtas, Hoseok podia senti-las fincando em sua carne e arranhando as suas costas. Ele viu a boca aberta de seu hyung gemendo de prazer e resolveu iniciar um beijo afoito e necessitado por ambos.

O beijo era desengonçado, intenso, fervoroso. Os gemidos de ambas as partes foram abafados pelo ósculo, que se prolongou até o ar se fazer necessário - o que foi rápido. Ao se separarem, os dois se encararam tão intensamente por um breve momento que parecia que só existiam os dois no mundo e mais ninguém. O contato visual só fora quebrado porque Yoongi sentiu sua próstata ser atingida - o que o fez arquear as costas e inclinar a cabeça pra trás de olhos fechados.

Hoseok aproveitou que a pele do pescoço do mais velho estava de fácil acesso e deixou lá mais alguns chupões, aumentando a quantidade de marcas naquela região. Tendo percebido que ele havia atingido a próstata do moreno, ele estocou com força o suficiente para continuar acertando aquele ponto especifico.

Não demorou muito para que Yoongi se desfizesse sobre seus abdomens sem ao menos precisar se tocar. Seu orgasmo aconteceu e trouxe consigo uma onda de espasmos, prazer e tudo que há de bom. Seu gemido alto certamente foi ouvido pelos vizinhos mais próximos, mas ele pouco se importava pra isso ou pra o que pensariam dele no dia seguinte.

Hoseok sentiu o interior já apertado de Yoongi se comprimir mais ainda, e ele revirou os olhos de prazer. Bastaram mais algumas estocadas para que ele se gozasse no interior do moreno, liberando seu líquido quente num urro. O corpo suado do alaranjado caiu sobre o do moreno igualmente suado e ambos respiravam ofegantes. O cheiro de sexo predominava no quarto, os suores se misturavam e o único som no ambiente era o das respirações descompassadas.

O mais novo saiu do interior do mais velho e se jogou ao seu lado na cama. Eles ficaram uns minutos deitados olhando pro teto, enquanto recuperavam o fôlego, até que Yoongi se levantou da cama e caminhou - com dificuldade - até a porta do banheiro.

- Aonde vai? - perguntou confuso.

- Tomar um banho. - respondeu. - É desagradável ter porra escorrendo pela perna, sabe?

O Jung corou ao ver - com a ajuda da luz do banheiro - um líquido branco descendo pela coxa do Min.

- Quer vir junto? - perguntou o moreno e o alaranjado assentiu, indo até ele e o abraçado por trás.

- Desculpe por isso. - se referiu ao gozo.- E me desculpe se eu te machuquei.

- Tudo bem, Hoseok. - segurou os braços do mais novo e sorriu de canto. - Eu to bem.

- Espero mesmo. - deu um beijo na nuca do Min e se afastou. - Vamos tomar banho ou não vamos?

Yoongi sorriu e acompanhou Hoseok para dentro do box, não podendo evitar de gargalhar quando um jato de água fria acertou em cheio as costas do alaranjado (o que arrancou de si um grito estridente).

 


Notas Finais


Escrever em 3ª pessoa é difícil pakas socorro

Gostaram??

Até a próxima fic o/


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...