História Let's Run, Baby! - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jungkook, V
Tags Bts, Comedia, Corrida, Hoseok, Jikook, Jimin, Jungkook, Maratona, Run, Taehyung, Vhope, Yaoi
Visualizações 179
Palavras 3.108
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Esporte, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Quando a pessoa não aguenta ficar parada, então ela não fica parada né, pse. Nem era para estar postando agora, mas eu fiquei tão ansiosa que joguei aqui e seja o que Deus quiser, amém qq
Inicialmente era uma One Shot, mas como não teria sentido ser uma One porque ficaria muita coisa de fora e o capítulo ia ficar GIGANTE, então resolvi fazer uma 3shot mesmo, nem fiz os outros capítulos ainda mas não me segurei e postei mesmo, espero que não flope scro.
Espero que vocês gostem szsz

Capítulo 1 - We Will Run, Baby!


Fanfic / Fanfiction Let's Run, Baby! - Capítulo 1 - We Will Run, Baby!

A cama batia com agressividade contra a parede de concreto fino, os gemidos atrapalhavam a leitura do morador do apartamento ao lado. O pobre homem estava quase quebrando a parede com sua própria cabeça. Tentava se concentrar nas letras de seu novo livro preferido, porém, toda vez que achava que aquela algazarra estava acabando, vinha mais um gritinho fino e agudo para fazer seus olhos ferverem de raiva e seus ouvidos latejarem de dor. Toda noite era a mesma patifaria, e ele não era o único que odiava isso, mas era o que mais sofria com as safadezas alheias.

Do outro lado da parede, os dois garotos suados e sedentos não sossegavam e muito menos se importavam em atrapalhar os seus vizinhos, gemiam e soltavam palavrões como se fosse apenas eles no condomínio inteiro. Jungkook ia mais forte e rápido contra Jimin e sequer perceberá que a cama estava quase rachando a parede branca. Mais duas estocadas e o gemido mais alto da noite fez com que ambos se permitissem relaxar sobre a cama. Exaustos, suados, e cansados o suficiente para aquela ser a última rodada da noite.

Por outro lado, Kwon – o vizinho sofrido – só faltou pular de alegria em sua cama quando, após dez segundos, nada mais se foi ouvido. Abriu um sorriso e se aconchegou na cama, pegando seu livro e o recomeçando a lê-lo com um imenso sorriso satisfatório no rosto. Esse era seu momento preferido da noite.

As respirações dos garotos estavam se normalizando, voltando a se recompor e as batidas de seus corações voltaram ao normal, relaxaram o corpo contra a cama e trocaram olhares, sorrindo um para o outro, como acontecia todas as noites. Estavam tão acostumados com essa rotina, que se saíssem dela, se cansariam e a retomariam rapidamente.

Jimin puxou a coberta para cobrir seu corpo e o de seu namorado, se aproximando do corpo maior e deitando sua cabeça no peitoral dele, sentindo as mãos grandes de Jungkook acariciando seus fios castanhos. Era a sua parte preferida da noite. E então, quando estavam muito cansados, fechavam os olhos e dormiam, na maioria das vezes iam dormir limpos. Mas, nessa noite, não aconteceu nenhuma dessas coisas por causa de um simples comentário vindo de Jeon.

— Eu fui incrível, não fui? — falou com seu tom superior que Jimin tanto odiava, era uma das grandes coisas que detestava na personalidade de Jeon: Ele era convencido demais quando queria, e isso o irritava profundamente, tanto que não se conteve em dar aquela famosa revirada de olhos. Ele falava que odiava esse lado do garoto, mas era tão ruim quanto.

— Você?! — exclamou, se afastando de seu corpo. — Não diga bobagens. Você estava uma verdadeira lesma hoje, se não fosse por mim, estaríamos nas preliminares ainda. — Ofendido, Jungkook se sentou na cama, encarando a face plena e cheia de razão do garoto menor, como se o que tivesse acabado de falar fosse uma coisa verdadeira, o que estava longe de ser – em sua mente.

Jimin realmente achava que estava coberto de razão. Para ele, fazia tempo que seu namorado não tomava controle da situação e deixava tudo para si, enquanto só se importava com o prazer próprio e se esquecia de satisfazer quem estava por baixo. Já para Jungkook era totalmente ao contrário, seu companheiro só sabia gemer, gemer, gemer e pronto, enquanto a pequena parte desgostosa ficava toda ele, e o garoto nem reclamava das dores nos braços na manhã seguinte.

— As outras pessoas não pensam como você. — Provocou, fazendo o rosto de seu namorado ficar vermelho de ódio.

— Você é tão ridículo que precisa usar isso como justificativa para suprimir esse seu orgulho de merda — a irritação era tão evidente em sua voz quanto em seu rosto avermelhado, e aquilo não era apenas pelo sexo que acabaram de ter. — Só admita, meu bem, não é tão difícil dizer a verdade para si mesmo. Vamos, experimente, mentir para si mesmo é ainda pior. — Acalmou sua voz, que agora era puro deboche.

— Ah, fala como se não fosse você que fica a noite inteira gritando “Isso, Jungkook, Isso” — imitou-o, fazendo uma voz mais fina numa tentativa de imitar Jimin, que se sentiu ofendido com aquela acusação, pensando num modo de se defender daquela calúnia, que era verdadeira, mas seu orgulho não o deixaria admitir.

— Graças a meu esforço para fazer você ir mais rápido. Dá próxima eu fico em cima e te mostro o que é velocidade. Imbecil — sussurrou a última palavra alto o suficiente para poder ser ouvido por ouvidos alheios, que não ficaram contentes com o que acabará de escutar.

— Eu poderia te mostrar como sou melhor que você, se não estivesse tão cansado. — Jimin riu.

— Cansado de que? Não fez praticamente nada! — gritou, sendo mais exagerado que o normal.

O próprio vizinho se assustou e o livro que segurava voou de sua mão. Só faltava sair fumaça de seus ouvidos quando, agora, não só uma, mas sim duas pessoas gritavam uma com a outra e as vozes se misturavam na discussão, deixando impossível de dizer de quem era a voz mais brava, mas, claramente, as duas estavam repletas de ódio.

Aquilo foi demais para o coitado do homem, que colocou seu roupão e foi até o apartamento do lado, batendo na porta e tocando a campainha de modo desesperado.

Os dois namorados só pararam de gritar quando ouviram alguém, praticamente, arrombar sua porta, estuprar sua campainha e gritar para abrir a porta. Ficaram em silêncio e se encararam, enquanto em suas mentes passava o seguinte desafio: O mais rápido consegue abrir a porta. Olhos pegando fogo se desviaram para frente e seus pés tomaram velocidade, contudo, Jimin se lembrou de colocar uma camisa rapidamente antes de sair correndo, já o outro…

Chegou na sala e a porta estava aberta e seu namorado encarando Kwon desentendido e quando viu quem acabará de chegar depois dele, sorriu vitorioso. O homem estava tão vermelho que parecia que era uma bomba prestes a explodir vergonha para todo o lado. Então o mais baixo dos três olhou para o corpo de Jungkook, despido, aquilo o fez olhar para baixo e vendo aquilo que ninguém além dele e a pessoa com o qual se relacionava deveria ver. Saiu correndo para o quarto, trancando a porta, quem estava com vergonha era ele. Não que se importasse com as pessoas lhe verem nu, mas o ar momento deixava as coisas mais constrangedoras. Encostou os ouvidos na porta para escutar o que os dois que ficaram na fora falavam.

— Eu sei que é a sua casa, mas eu não aguento mais, toda noite é a mesma coisa. Transem em outro lugar que não seja na cama que fica encostada na parede do meu quarto — esbravejou irritado.

— Des- — tentou dizer, mas foi interrompido por uma voz mais grave.

— Entendo que tenham necessidades, mas porra, todo dia? Vocês são algum tipo de macacos no cio?! Estou tentando terminar meu livro faz duas horas. Eu vou chamar o síndico, ah, eu vou sim. — E lá se foi o homem batendo forte com os pés até o apartamento abaixo. Jimin revirou os olhos e fechou a porta com força, um pouco se fodendo para quem ele ia reclamar, tinha assuntos pendentes com seu namorado, e precisava resolver.

Caminhou até o quarto de ambos e tentou abrir a porta, que estava trancada. Gritou pelo nome de Jeon, e apenas recebeu um:

— Quando admitir que sou melhor que você, nós conversamos, Park — disse e frisou o sobrenome do outro, o deixando irritado.

Naquela noite, só restou ir ao banheiro tomar um banho quente e ir dormir no sofá com aquela camiseta vários números maiores que ele. Nem que suas costas ficassem quebradas no dia seguinte, jamais se humilharia desse jeito por aquele idiota. Park Jimin nunca faria isso.

Mesmo sentindo uma leve dor no coração por ter deixado seu namorado dormir no sofá naquele frio, tinha seu orgulho, e ele não seria ferido por Jimin e nem por ninguém. Foi dormir naquela noite com remorso, mas seu orgulho e sua dignidade estavam intactas. Sua dignidade nem tanto, a vergonha de minutos atrás ainda era evidente em suas bochechas, mas seu orgulho mal cabia dentro de si, igualmente a seu ego.

• • •

O pobre Hoseok escutava as lamentações de Jimin enquanto andava com uma pasta nos ombros e um copo de chá gelado em uma das mãos. Ele ficou se lamentando a manhã inteira, vezes ou outras soltando palavrões para insultar o namorado que nem ao menos estava ali para se defender. Hoseok fingia escutar o que o outro dizia, porém não estava dando uma foda para o que seu amigo falava, não era a primeira vez que os dois brigavam por motivos idiotas, mas esse, com certeza, era o pior motivo de todos, e Hoseok não conseguiu ficar calado quando as palavras seguintes foram proferidas.

— Você acredita que ele falou que é melhor do que eu na cama? — Ao ouvir o garoto falar, parou imediatamente, incrédulo com o modo como o relacionamento dos seus amigos era conturbado o suficiente para ambos brigarem para saber quem é melhor no sexo.

— Tá de palhaçada né? — perguntou com a voz debochada. — Jimin, você dormiu no sofá, no frio que estava ontem, com apenas uma camiseta, por causa disso? Você só pode estar de fuleragem com a minha cara, né?

Jimin mal podia ouvir as palavras “sofá” e “frio” que já tinha vontade de chorar. A noite anterior foi, talvez, a pior noite de toda a sua vida. Além de ficar tremendo de frio, acordava a cada cinco minutos pois o sofá era pequeno demais para ele se mexer e acaba por cair no chão. Se remoía todo só de pensar que seu – provavelmente ex – namorado dormia quietinho nas suas cobertas, numa cama macia e espaçosa, e nem ao menos olhou para cara de derrotado de Jimin, que também ignorou sua presença no café da manhã e o deixou com fome, pois havia feito apenas para si, obviamente, propositalmente.

— Eu tenho meu orgulho. — Se defendeu.

— Mas perdeu o cérebro — disse, arrancando uma careta descontente do amigo. — Se resolvam logo antes que Taehyung descubra essa coisa ridícula. — Finalizou. De fato, se o garoto descobrisse o motivo da discussão, ou faria os dois se resolveram na base dos tapas ou riria da cara deles até o fim dos tempos.

Continuaram andando a caminho do trabalho, ambos trabalhavam juntos em uma empresa de roupas famosa, eram parceiros de trabalho, criando designs e novas coleções. Adoravam moda, e isso era evidente ao olhar o jeito como se vestiam, pareciam verdadeiros modelos aos olhos de outras pessoas, e não só pelas roupas.

O telefone de Hoseok tocou, e ele atendeu, falando enquanto sorria e só respondia com “Sim” “Huhum” Claro”, quem virá diria que era coisas de trabalho, mas o sorriso em seu rosto o entregava sem deixar uma dúvida sequer em quem sabia, era Taehyung. Falando com aquele sorriso abobalhado só podia ser seu namorado. Jimin queria sorrir enquanto falava no telefone com Jungkook, também, mas, jamais, daria seu braço a torcer, se possível, torceria o de Jungkook.

A ligação foi desligada, e Jung colocou seu celular no bolso traseiro, olhando para Jimin com um sorriso ainda maior do que estava antes.

— Você vai ir comprar roupas de malha hoje, comigo — mandou, como de costume, quando estava ansioso, nem pedia favores as pessoas, ele mandava nelas mesmo, e Park nunca recusaria algo com aquele sorriso colado em seu rosto.

— Vai fazer academia? — questionou confuso. Hoseok odiava roupas esportivas, por isso sempre se negava a desenhar para a coleção esportiva a até mesmo não ia para a academia justamente por esse motivo. As roupas o deixavam estranho, seu corpo não foi feito para usar aquele tipo de vestimenta, seu guarda-roupa tinha total de zero peças daquele estilo.

— Não soube? — Jimin negou com a cabeça. — A maratona de fevereiro, sabe, aquela de casais para comemorar o dia dos namorados. — Colocou a mão no queixo, pensativo. — Nunca ouvir falar, não é? — Negou.

— Mas, correr? Para quê? — Aquilo não tinha a mínima lógica para ele. Se quisessem comemorar com seu namorado, ficaria em casa, comendo um ao outro, mas correr era cansativo demais, e sem sentindo algum para os dias dos namorados.

Subitamente se lembrou que, bem capaz, passaria o dia dos namorados brigado com o seu, e não tinha coisa pior nesse dia do que isso, exceto não ter ninguém, isso aí já era solitário demais até mesmo para alguém como ele.

— Aí Jimin, uma instituição de atletismo prepara isso todo ano, é como uma experiência saudável e até mesmo romântica com seu par, os vencedores ganham um jantar naquele restaurante japonês cheio de gente fresca, mas que tem uma comida maravilhosa. — Passou a se lembrar de quando jantaram naquele restaurante, porém foram expulsos por conversarem enquanto comiam. Hoseok faria questão de perder aquela corrida, jurou a si mesmo que nunca entraria naquele lugar, que além de custar os olhos da cara, tinha regras impossíveis de serem compridas.

— Isso é babaquice. Você e o Tae vão mesmo participar dessa coisa aí? — Hoseok assentiu rápido, confirmando e fazendo Jimin bufar entediado.

— O casalzinho vinte deveria fazer o mesmo, para amenizar essa briga idiota de vocês — disse sem pensar, se arrependendo logo em seguida ao ver o sorriso malandro estampando na cara de seu amigo. Coisa boa não se passava pela cabeça dele naquele momento, mas Park diria ser uma ideia genial.

— Claro! Eu e Jungkook vamos correr! — esbravejou animado, deixando Jung surpreso.

— Mesmo?!

— Sim, vou mostrar para Jeon Jungkook que eu consigo ser muito melhor que ele na cama e em outras coisas também. — O maior ao seu lado bateu na própria face, mal acreditando no que acabará de escutar.

— Qual o seu propósito com isso?

— Vou mostrar aquele patife que de Jimin ele não ganha. — Saiu andando na frente de seu amigo, orgulhoso pela ideia que acabou de ter.

O outro sabia que aquilo acabaria em confusão. Tinha consciência que não seria apenas uma corrida, dando voltas por uma pista enquanto vários casais se divertiam, sabia que alguém acabaria no hospital, e poderia até mesmo não ser Jimin e nem Jungkook, dariam um jeito de incluir os outros em suas brigas infantis. Hoseok mesmo já estava deixando a ambulância no número de emergência, e até mesmo o da polícia. Quando aqueles dois inventavam de ficar um contra o outro… Nunca dava certo.

• • •

Jimin se preparava para contar a novidade para seu companheiro, sorria para o vento, pois sabia que Jungkook era o maior sedentário de todos os tempos. Enquanto ele corria todas as manhãs para se manter em forma, o outro fechava os olhos e aproveitava os minutos extras de sono, sem contar que seu fôlego era o mesmo que o de um usuário de crack, não podia subir as escadas que já estava morrendo de cansaço, Park tiraria muito proveito disso. Nem mesmo que precisasse treinar para conseguir vencê-lo.

Hoseok ficou insistindo a manhã inteira, dizendo que podia transformar aquela competição numa atividade saudável de um casal equilibrado, igual ele e Taehyung. Odiava quando o moreno se vangloriava de seu relacionamento – quase – perfeito, ninguém podia negar que eram um casal lindo e exemplar, que resolviam seus problemas em uma conversa propícia, invés de saírem desafiando um ao outro. Nem mesmo Park podia negar que a discussão havia sido por pouca coisa, mas se ele começou aquilo, então ele iria até o fim, e humilharia Jungkook quando ganhasse aquela corrida, iria até o bendito restaurante e comeria por eles dois, além de esfregar na cara de todos que ele era melhor que Jungkook.

Mais pareciam inimigos de longa data do que namorados relativamente instáveis, realmente, eles não eram nada estáveis, nem equilibrados, eram como uma montanha-russa, em todos os sentidos, indo para cima e para baixo, cima e para baixo, cima e baixo…

A porta se abriu, revelando um Jungkook claramente casado após subir as escadas do prédio, simplesmente não entendia como o elevador quebrava tanto.

Jogou sua bolsa em algum canto da sala e pulou no sofá, sorrindo satisfeito por sentir seus músculos descansarem pela primeira vez naquele dia, sequer percebeu a presença de outra pessoa na sala, ou apenas ignorava de propósito. A segunda opção parecia mais coerente ao olhos de Park, que logo colocou um panfleto em frente ao seu rosto.

— O que é isso? — Pegou o papel e começou a ler, ainda sem entender nada, olhou para o garoto parado a sua frente com um grande sorriso no rosto.

— É uma maratona, não está vendo? — Usou toda a sua ignorância ao se dirigir diretamente a ele, mas ainda sem tirar o sorrisinho dos lábios.

— E o que é que tem? — Se levantou, dirigindo seu olhar mais desafiador para o mais baixo, que não se deixou abalar por tão pouco. Achava Jeon fofo, então aquele olhar não o intimidava tanto, jurava que se não estivesse bravo com ele, encheria aquele rosto bonito de beijos, porém, estava irado com ele. Irado! Puto da vida.

— Nós vamos participar — disse simplista.

— Isso é para casais, e é no dia dos namorados — concretou a parte óbvia. — Não está mais bravo comigo? Aceitou que eu sou melhor que você, Jiminnie? — O tom de convencimento precipitado na voz suave dele irritou até a alma de Jimin, que puxou o panfleto e o amassou.

— Não seja patético. Eu contra você. Vamos correr — cruzou os braços. —, querido — a risada sarcástica do maior preencheu o lugar, mas não fez com que a posse superior de Jimin fosse tirada de si.

— Você quem está sendo patético aqui. Eu não vou fazer isso. — Se jogou no sofá de novo, levemente irritado e com seus músculos estalando.

— Admita que está com medo de perder porque eu sou melhor que você, e aí nós podemos fazer coisas mais divertidas. É só admitir, Kook.

— Eu não tinha terminado — interrompeu a fala do garoto em pé. — Eu quis dizer que não vou fazer isso a não ser para ganhar de você.

Os dois se olharam, quase saindo faíscas de seus olhos. Tinham personalidades competitivas, o que não era bom para um relacionamento, mas amavam um ao outro, apesar de estarem quase se matando nesse exato momento.

— Vamos estabelecer uma regra antes. — Jeon voltou a se levantar. — Nada de trapacear, entendido? — Assentiu com a cabeça.

Nenhum dos dois obedeceria a essa regra. Podia, facilmente, comparar a situação com Jogos Vorazes, não que estivesse muito longe de ser, os dois fariam de tudo para passar por cima um do outro. Ganhar a maratona nem era tão importante assim, o importante era ganhar um do outro.


Notas Finais


Que não tenha nenhum erro scrooo
Eu to nervosa.
Deixe a opinião de vocês nos comentários, okay?
Até mais, lindxs <33


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...