História Letter - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Suga, V
Tags Taegi, Taehyung, Yoongi
Visualizações 35
Palavras 770
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Yaoi
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Mutilação, Suicídio
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


escrevi essa história há muito tempo atrás sem nenhuma intenção de postá-la mas hoje do nada, resolvi que iria então é isso aí.
boa leitura sz

Capítulo 1 - Capítulo Único



 

“Olá, Taehyung

    Já faz um tempo, não é?

    Já faz um tempo desde a última vez que você disse que me amava; Já faz um tempo desde a última vez que nós dormimos juntos. Aliás, já faz um tempo desde a última vez que você dormiu em casa.

    Hoje é o nosso aniversário de casamento, hoje completa cinco anos que nós prometemos amor eterno um ao outro.

    Mas não está sendo exatamente assim, não é?

    Hoje completa três anos desde a última vez que comemoramos nosso casamento e também foi a última vez que eu senti que seu “eu te amo” era real.

    Tudo isso porque você encontrou alguém, Taehyung. Alguém que você encontrava durante a noite após trabalhar. Alguém que provavelmente dizia te amar e você respondia mas não com um olhar de pena, como fazia comigo.

    Mas apesar de tudo isso eu ainda te amo.

    Eu ainda faço seu almoço, sabia? Eu ainda faço tipos diferentes para nós dois pois não temos o mesmo gosto para comida.

    Você saberia disso se viesse para casa mais vezes.

    Mas eu não me importo… Bom, na verdade eu me importo sim mas finjo que não.

    Eu finjo que não me importo quando você chega bêbado em casa de madrugada. Quando eu te coloco na banheira e dou banho em você enquanto minhas lágrimas se misturam à água. Eu finjo que te olhar daquele jeito não me machuca.

    Sabe, Tae, minha mãe me ligou ontem e me perguntou sobre você. Ela nunca gostou muito de você então eu estranhei um pouco mas eu logo percebi o motivo.

    Sabe porque ela perguntou? Porque ela tem esperança de que eu desista de ti. Bom, ela é minha mãe e sabe exatamente o que eu estou passando mas uma coisa que ela não sabe é que eu já desisti.

    

    Eu nunca te pedi muito, Taehyung, tudo que eu te pedi foi que ficasse do meu lado. Queria que você me olhasse nos olhos e dissesse que me amava mesmo que fosse mentira. Queria que você deitasse do meu lado na cama e me tocasse porque Deus sabe como eu sinto falta dos seus toques. Queria que você lembrasse do meu aniversário, mesmo que não me comprasse nenhum presente, eu só queria saber que estive em sua mente por alguns segundos. Queria que você ao menos tentasse recuperar o tempo perdido. Mas você não quer. Por isso estou te deixando.

    Eu sei que você não se importa, então, quando estiver lendo isso, será tarde. Não vou pedir que tente me esquecer pois sei que seria fácil demais e eu não vou dizer que você nunca vai achar alguém que te ame como eu pois eu te amo e quero o seu bem.

    Te desejo tudo de bom, Taehyung.

    Desejo que seu novo amante te ame e que você o ame de volta. Desejo que você não faça com ele o que fez comigo. Desejo que todos os seus sonhos se realizem, mesmo que um dia você tenha me dito que queria realizá-los ao meu lado…”

 

    Como sempre, não conseguiu ler até o final da carta sem chorar até soluçar. Sete anos se passaram e Taehyung sempre parava no mesmo ponto. Lia aquela mesma carta velha todo ano no aniversário do autor, arrependendo-se de seus erros ao ler pois sabia que cada letra estava carregada de mágoa.

    Mas, ao mesmo tempo que partia seu coração, aquele pedaço de papel lhe trazia conforto, afinal, foi a última coisa que seu marido fez antes de ingerir várias cartelas de antidepressivos com algumas garrafas de álcool e se deitar em sua cama, deixando que sua vida fosse tirada de seu corpo.

    Toda vez que lia aquela carta imaginava tudo que poderia ter feito ao lado de seu marido se não tivesse deixado o casamento esfriar, se não tivesse deixado o desejo carnal superar o amor que tinha.

    Sempre se sentia estúpido e culpado e, bom, no final, era mesmo.

    Durante dois anos Taehyung permaneceu de luto. Se lembrava de sua perda sempre que voltava para casa e se deitava sozinho na cama que um dia dividira com o homem da sua vida mas, no meiado do terceiro ano, deixou Daegu – sua cidade natal –, partiu para Seul e foi lá que conheceu alguém e se casou novamente, prometendo a si mesmo que jamais cometeria o mesmo erro duas vezes.

    — Feliz aniversário, meu amor. – Nunca foi muito religioso mas, uma vez por ano, todo ano, permitia-se falar com seu falecido marido.

    Leu a última frase e, como se conseguisse ouvi-lo dizer a si, o respondeu.

     — Eu também te amo, Min Yoongi.

 


Notas Finais


não me matem por matar o yoongi


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...