História Letters - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Stranger Things
Personagens Chefe Jim Hopper, Dustin Henderson, Eleven (Onze), Jonathan Byers, Joyce Byers, Lucas Sinclair, Mike Wheeler, Nancy Wheeler, Steve Harrington, Will Byers
Tags Fillie, Finn Wolfhard, Mileven, Millie Bobby Brown, Stranger Things
Visualizações 235
Palavras 1.336
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Escolar, Esporte, Famí­lia, Festa, Ficção, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Heeey, minha primeira fic Stranger Things com ship Fillie na área
Espero que gostem, Xoxo Rima 229

Capítulo 1 - Nove dias


2017,16 de Agosto
Escola Hitscast, Los Angeles, Califórnia

Millie, 16 anos, Pov ON

 Ele é como o Sol em meio aos planetas e demais corpos celestes, algumas pessoas daquela sala eram planetas, entretanto, somente aqueles que se agrupavam ao seu redor eram estrelas, eu não fazia parte deles, gosto de ser idêntica a poeira cósmica, vagando ao redor, nas sombras, observando atentamente o quão radiante ele podia ser.
Seus cabelos negros aproximados ao mais profundo ébano, levemente encaracolados, “as estrelas no rosto...que os leigos chamavam de sardas”, os lábios rosados e carnudos,  a pele alva, os traços finos, o nariz delicado, sua personalidade... tudo nele fazia meu mundo chacoalhar, chacoalhar em segredo, mas não era só o meu mundo, pior, era o da escola inteira.

Quando finalmente o sinal tocou, me tirando dos devaneios frequentes provenientes do nono ano, olhei para o teto, lá estava a campa adornada de prata no seu balançar abrupto, contando de uma maneira quase neurótica o quanto ela balançava enquanto milhares de alunos se dirigiam para suas respectivas salas em frações de segundos, dei a volta diante dos armários no momento em que o corredor se encontrou deserto e não se via mais uma viva alma, subi as escadas, indo para onde deveria estar a muito tempo.

Bato na porta, devidamente atrasada, Sr.Randy me olha com a mesma cara disciplinada de todos os dias, a partir do primeiro ano do ensino médio- curso o segundo ano agora, as aulas começaram faz nove dias - mesmo assim, me dá a graciosa passagem para assistir sua aula sobre química.

 Sento na última cadeira do fundo do lado esquerdo com vista para janela, a típica cadeira, poucos direcionam as suas atenções sobre mim,  olhares cheios de ansiedade, ninguém atrativo.  A sala está morna, nem fria, nem quente, morna. Entediante. Pois ele, ele não está presente, nove dias sem ele já é uma tortura aparente para a classe, imagine para mim, que fiquei sem o ver as férias inteiras. Agora entendi o porquê da ansiedade de muitos, sua ausência.

Um pedaço de papel salmão amassado pula sobre minha carteira, reparo  o lado direito do cômodo  e Sadie Sink, minha melhor amiga desde que me conheço por gente, pisca pra mim, uma fileira longe,  me incentivando a ler, sua pontaria é ótima, inclusive, poderia chamá-la de Merida.

“Ouvi rumores de Noah e Gaten que “ELE” chega hoje, você sabe bem de quem estou falando"- SS

 SS não significava Sadie Sink e sim Salmon Sorbet , foi pura coincidência o apelido combinar com as iniciais de Sadie,  Salmon por ser uma referência a cor dos seus cabelos e Sorbet por ela adorar Sorbet, principalmente no verão, então possivelmente depois da aula vamos ao L.A. Center, o shopping, principal ponto para os estudantes da Histcast, atender aos desejos da minha pessoa,  um marco a Cristina Yang, minha ruiva.

O coração falhou três batidas, nem uma, nem duas, três.
O nervosismo me atingiu em cheio. Ele chega hoje, será que vou vê-lo amanhã? Mal posso esperar.
A maçaneta se abre calmamente depois do pequeno bilhete ter sido deixado para mim , o olhar de todos, junto do meu, recaíram acerca da entrada,   grande expectativa nos consumiu, de tal maneira que quem estivesse adentrando possuísse um imã, algum tipo de imã que faz todos darem a si a devida atenção. Sr.Randy  parou de escrever no quadro, assuntos cansativos sobre oxidação  e deu o sorriso mais aberto e sincero conhecido por nós, fazendo uma reverência a quem estivesse do lado de fora da sala como se ele ou ela fosse um importante membro da realeza, ainda não tinha visto quem era, mas eu sabia, sabia que Sr.Randy só dava esse sorriso para ele. A sala entrou em turbulência, Finn deu três passos, tirou os óculos escuros de alguma grife consagrada, o semblante inicialmente sério fulminando a todos com as pupilas violentas tomou conta de um lindo e gozador sorriso como se estivesse brincando com os presentes, isso não impediu de seu grupo de amigos voarem em cima dele, o abraçando.

A Regra da Lei do grupo era “Proteger uns aos outros”.
Noah, Gaten, Caleb, Jack, o jogaram no chão, tamanha euforia, e ele gritava “calma, calma pessoal”, as risadas se multiplicaram pelo ar, o resto da sala se levantou indo ao seu encontro, fazendo high-fives, toques, dando abraços...
Principalmente os meninos do time de lacrosse, foram sem pestanejar dar as boas-vindas de volta ao mais novo Capitão, desde que Joe entregou a posse de bom grado ao seu melhor pupilo, o destaque central da temporada passada.


Longe da ideia ou estereótipo dos capitães de qualquer time de esporte serem vagos e sem nada na cabeça, Finn brilhava, possuía uma aura estonteante, de dar inveja em muitos porém as pessoas simplesmente não conseguiam continuar a alimentar essa inveja dele, pelo contrário, ele revertia o quadro, ele as faziam o amar.

Representava falando por Histcast inteira nos discursos impressionantes e emocionantes , não era um idiota, não perdia tempo insultando qualquer alvo fácil de bullying, animado, vivo, o sangue quente correndo pelas veias, fiel aos amigos na vida, fiel aos amigos na morte, além de ser super“bobo” daquele jeito de derreter o coração de qualquer um e divertido.- Uma das provas  disso foi quando três ano atrás o pobre Noah, presidente do conselho estudantil, uma ex-vítima constante de preconceito,  no refeitório tropeçou nos pés de um valentão, Dacre, que os colocou no caminho propositalmente e o presidente se sujou todo, Finn vendo a cena, partiu pra cima dele o colocando contra parede, o mandando nunca mais fazer isso com alguém menor, sem precisar levantar a mão ,somente a voz, bramando como um leão, todas as salas do grande lugar saíram em partido dele e Dacre se acovardou.
Finn fez de Noah seu melhor amigo e até hoje essa amizade floresce, não revestiu Noah com olhar de pena,  mas o ajudou, dando-lhe roupas novas para o dia ,que tinha em seu armário, mesmo que tenham ficado um pouco folgadas ,o que valia era a intenção, e comprando um novo lanche para o novo amigo desde aquele dia em diante.-  é por isso que a música “When We Were Young” da Adele combina tanto consigo.
Sadie falou comigo pela troca de olhares, novamente me incentivando, dessa vez a levantar e ir falar com ele, tomar a iniciativa, porém eu apenas continuo o observando com toda a cobiça que pude enquanto o mesmo não conseguia reparar na minha cadeira ou presença pela multidão cercante, não movo um dedo sequer, até Íris Apatow levantar da sua carteira, -a loira mais linda da Histcast , talentosa líder de torcida, levar minha chance embora com o que devia ser meu por direito por água abaixo, afinal, quase três anos gostando de alguém as escuras consta no meu currículo- tirar os alunos que estavam no seu caminho e agarrar Finn pelo pescoço, -como se fosse uma cobra e ele sua vítima, foi uma boa analogia, bem irreal, já que a loira é um amor de pessoa- dando um selinho demorado na pequena parte descoberta de seu peitoral abrigado de uma camisa branca gola V e a inesquecível jaqueta de couro por cima , a marca do batom vermelho queimado ficou em sua pele,  uma duvidante marca de posse, viro a cabeça, não sou obrigada a ver esse tipo de coisa. 
Eles se abraçam, todos comemoram o chamado “casal do ano”, faço uma careta, eles namoram há um ano, por sorte ninguém notou.
 Sr.Randy pede que a turma se acalme, portanto que voltem para os seus lugares porque todos já falaram com Finn, até Sadie levantou para o cumprimentar, debochando de mim que continuei estática no meu lugar feito idiota, meu Wolfhard foi para o seu aguardado lugar no meio da sala mas antes disso me notou  ,naquele mar de gente, olhando de um jeito insano na minha direção, eu estava devolvendo o olhar a muito tempo por não conseguir tirar meus olhos dele e me assustei por ele devolver.


Continua?


Notas Finais


Continua?? O que acharam?
Críticas construtivas, opiniões, tudo é bem vindo quero saber se faço continuação
Beijinhos


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...