História Liberdade para viver - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias As Irmãs Vampiras
Personagens Dakaria Tepes, Personagens Originais, Silvania Tepes
Tags Daka, Dakaria, Murdo, Romance, Tim Oliver Schults
Exibições 30
Palavras 620
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Hentai, Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Gente, essa é minha primeira fanfic e ela não é muito séria. Eu só consegui o primeiro livro das Irmãs Vampiras, então não tenho muitas informações além dos filmes. Se algo não encaixar com uma informação dos filmes ou livros, foi mal.
A MitsukiNohana me ajudou muito a fazer essa fanfic, me dando ideias e dicas, então valeu, gata.
- Kami

Capítulo 1 - Um


Fanfic / Fanfiction Liberdade para viver - Capítulo 1 - Um

Ao terminar seu show Murdo estava exausto. O tour pelas principais cidades de vampiros era um sucesso, mas estava destruindo-o. Ele queria alguns dias de descanso entre as apresentações, mas seu empresário Xantor as tinha marcado próximas, pois afirmava que era necessário ganhar o máximo de dinheiro no curto tempo do tour.

Mas o pensamento de Murdo era diferente: sua paixão era pela música e não pelo dinheiro. Maik, o baterista da banda e seu melhor amigo, concordava com ele. Os dois se conheciam desde que eram pequenos vampiros na escola e tinham se unido por sempre serem excluídos pelos outros colegas de classe. Murdo era visto como esquisito, por ser recluso e Maik era perseguido por ser metade vampiro. Eles sempre tinham sonhado em terem uma banda em que podiam cantar, tocar e se expressar, onde ninguém os julgasse.

Os outros membros da Krypton Krax, Zeernebooch, chamado por todos de Zee, e Thamuz haviam se juntado ao grupo mais tarde. No início os quatro eram grandes amigos, mas recentemente Murdo tinha sentido que eles haviam se distanciado e deixado a fama subir à cabeça. Eles estavam cada vez mais parecidos a Xantor. A banda havia decidido tirar alguns dias de férias, devido a brigas constantes e à exaustão. O empresário não tinha gostado da ideia, mas ele não podia obrigar os garotos a tocar. A pausa estava marcada para depois da próxima apresentação, na cidade de Bindburg, onde os ingressos já estavam esgotados.

Quando chegou ao seu camarim, dentro de seu trailer, Murdo sentou-se e tirou sua sanguessuga, Carlotta, do bolso. Ela também parecia desgastada.

-Eu sei, Carlotta, eu sei. É cansativo, mas só precisamos fazer mais um show. Depois de Bindburg vamos tirar umas férias. Você vai gostar. Prometo. - Disse, Murdo, exausto.

-Sabe, Carlotta, eu gosto dos shows, gosto da emoção dos fãs, é uma sensação sem igual. Mas ultimamente, sinto que só quero me livrar das apresentações. Mal posso esperar para que o show naquela cidade passe logo.

Dias depois a banda estava em Bindburg, descarregando os equipamentos. Murdo ajustava o microfone no palco, testando o áudio. Ele sentia que suas pálpebras podiam se fechar a qualquer momento. A viagem para chegar à cidade havia sido longa e cansativa. Murdo não tinha conseguido dormir, como sempre, sua insônia o mantinha acordado durante o dia.

Momentos depois, Xantor avisou ao grupo que o portão seria aberto, para a entrada dos fãs, e a cortina seria fechada até o início do show. Murdo suspirou profundamente e pensou nas noites agradáveis que passaria sem nenhuma preocupação.

A banda se preparava enquanto ouvia os gritos dos fãs. Maik parecia animado, ele girava as baquetas entre os dedos e cantarolava o início da primeira música da apresentação. Zee e Thamuz conversavam entusiasmadamente. Mas Murdo não compartilhava a emoção de seus companheiros.

A cortina se abriu, os fãs gritaram e Zee tocou a primeira nota da música, na guitarra.

As músicas passavam sem que Murdo desse muita importância à apresentação que fazia.

A última música finalmente começou e seus olhos passaram lentamente pela multidão. Os fãs estavam animados, pulavam e gritavam. Aqueles mais próximos do palco aparentavam ser os mais empolgados, eles berravam os versos da canção e dançavam intensamente. Contudo, Murdo notou uma garota de cabelo curto e escuro, na primeira fileira, ela aparentava ser jovem e parecia deslocada, entre todos esses vampiros emocionados, ela estava triste. Murdo pensou que ela poderia até estar enfurecida e frustrada. Ele se perguntou porque alguém iria a um show se sentindo daquela forma. Mas antes que a apresentação terminasse ele entendeu. Seus olhos encontraram os da vampira e ele sentiu que a enorme decepção era dirigida a ele. Ele era a causa daqueles sentimentos.


Notas Finais


Eu não encotrei os nomes dos outros membros de Krypton Krax na internet, então escolhi alguns nomes que gostei Seguem os significados deles:
Maik - Agora
Zeernebooch - Monarca do império da morte
Thamuz - Embaixador do inferno


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...