História Liberté


Escrita por: ~


Sinopse:
O mundo seguiu adiante. A fome, a poluição, a maquinaria, os aristocratas; muitos são os inimigos e as possibilidades de sobrevivência são escassas, a Guerra do Canadá eclode. Estrangeiros são perseguidos, alunos começam a desaparecer. Da poeira, os estudantes erguem a bandeira vermelha para resistir à opressão. Nasce La Resistance.


"Resistência: substantivo feminino, 1. Ato ou efeito de resistir. 2. Força que se opõe a outra, que não cede a outra. 3. Força que defende um organismo do desgaste de doença, cansaço, fome, etc."

Universo Alternativo, Stan/Kyle, Christophe/Kyle.
Iniciado
Atualizada
Idioma Português
Visualizações 2.921
Favoritos 53
Comentários 70
Listas de Leitura 5
Palavras 310.635
Terminada Não
Categorias South Park
Tags Christophe / Kyle, Distopia, Futurismo, Revolução, Stan / Kyle, Style, Tophlovski, Triângulo Amoroso, Universo Alternativo

Fanfic / Fanfiction Liberté
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Fantasia, FemmeSlash, Ficção, Ficção Científica, Lemon, Luta, Mistério, Poesias, Romance e Novela, Sci-Fi, Shonen-Ai, Slash, Sobrenatural, Suspense, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Lista de Capítulos

Capítulo
Palavras
1.
12 de maio
6
270
4.877
 
2.
O Forte
1
104
3.849
 
3.
O Fantasma
1
86
4.007
 
4.
A Causa
2
76
4.158
 
5.
O Escuro
1
60
4.720
 
6.
A Esperança
1
53
5.342
 
7.
O Trem
1
48
3.147
 
8.
O Horizonte
1
39
3.598
 
9.
O Meio
1
39
4.304
 
10.
A União
1
44
4.994
 
11.
O Ajuste
1
37
3.774
 
12.
O Nervo
1
40
3.296
 
13.
O Choque
1
48
3.103
 
14.
A Mãe
1
39
3.277
 
15.
A Coragem
1
41
7.849
 
16.
A Queda
1
43
6.745
 
17.
O Nascer
1
41
3.737
 
18.
A Morte
1
40
3.799
 
19.
O Renascer
1
40
6.651
 
20.
O Descanso
1
41
5.439
 
21.
A Ruptura
1
34
6.311
 
22.
O Perdão I
1
34
7.312
 
23.
O Fogo
1
31
3.556
 
24.
A Comunhão
1
38
5.810
 
25.
A Noite
1
46
5.304
 
26.
O Perdão II
1
33
5.734
 
27.
A Fuga
1
36
5.739
 
28.
O Salvador
1
44
4.504
 
29.
O Adeus
1
48
7.021
 
30.
A Cólera
1
61
6.212
 
31.
O Lar
1
51
4.309
 
32.
A Irmandade
2
52
5.300
 
33.
O Ébrio
2
52
6.101
 
34.
A Cicatriz
1
49
4.994
 
35.
A Retaliação
1
58
3.333
 
36.
A Presença
2
57
4.342
 
37.
O Confronto
1
62
5.400
 
38.
A Criança
1
61
8.008
 
39.
O Renegado
1
57
4.709
 
40.
O Justo
1
51
5.258
 
41.
O Eterno
1
60
7.146
 
42.
O Limite
1
40
8.085
 
43.
A Ratoeira
1
46
6.849
 
44.
A Promessa
1
48
4.444
 
45.
O Presidente
1
52
5.337
 
46.
A Prisão I
1
58
8.753
 
47.
A Prisão II
4
80
11.382
 
48.
O Luto
1
55
7.782
 
49.
O Traidor
1
50
6.916
 
50.
O Resgate
1
52
13.047
 
51.
A Euforia
1
41
6.867
 
52.
O Retorno
2
52
7.536
 
53.
A Insuficiência
3
46
6.412
 
54.
O Medo
1
30
4.815
 
55.
O Fruto
1
27
5.341

Gostou da História? Compartilhe!

Comentários em Destaque

Postado por ~millab
Capítulo 47 - A Prisão II
Usuário: ~millab
Usuário
Liberté:
Cá estou, pronta pra argumentar trilhões e trilhões de coisas, xciuomjk eu realmente espero que você esteja pronta pra ler. Então comecemos do começo, por motivos óbvios não posso comentar capítulo por capítulo em apenas um enooorme comentário, mas eu posso passar por cima das mais antigas impressões as mais novas, fazendo um apanhado de críticas e um apanhado um pouco maior de elogios, talvez.

O início de leitura dessa fanfic, como eu já devo ter te contado se deve a Patty. Eu agradeço ela imensamente já que eu estava lendo muito mais pra montar uma crítica do porque eu não leio suas obras e menos pra realmente aproveitar uma boa leitura e esquecer meus problemas. Foi onde eu me surpreendi porque o feeling passou justamente o contrário, de certo eu não pude realmente esquecer meus problemas lendo essa... obra prima daiuzcokm eu mais te parabenizo por ter me feito pensar, afinal do que é feita Liberté para mim além de uma golada de realidade? Já que por mais que existam os momentos de dor, assim como na vida, existem momentos de alegria e eu nem posso dizer que são divididos igualmente já que em meio a tristeza eu posso sentir o toque de esperança e até mesmo dentro da alegria, um tom de desespero (desespero por ela ser escassa, talvez?) Mas enfim, let's começar porque eu ainda nem cheguei no início desse comentário...

Certo, agora tá ligado, tá gravando. Bora começar.
Da cabeça (é claro) com os personagens, da primeira impressão que tive deles à mais recente, do útil ao agradáve e até mesmo o que me desagrada porque enfim.
Narrador, eu comecei com esse personagem porque por mais que ele tenha um histórico enorme de mistério por trás (e também ser o único mistério que no começo esperamos que seja dito logo) tenho minhas teorias. Mas no momento seria a primeira impressão que tive dele: nada demais. Eu não posso dizer com toda certeza que o narrador me chamou a atenção, na verdade isso é um aspecto positivo da escrita com ele: Não é algo pessoal, ele não apresenta características fortes e isso me agradou de fato porque cumpre a propósta de narrador e por mais que presente e imerso no mesmo ambiente, ao mesmo tempo não está, não nos dá interferências de opinião na história e mesmo que desse não conseguiu interferir em nada a minha. Ele é com certeza a pessoa que me fez começar a me interessar por Liberté de uma forma não muito forte, mas rica ao ponto de me fazer querer compreender mais e mais do universo somente porque me pegou nos detalhes.

Ok, antes de começar a falar sobre as minhas primeiras impressões dos personagens a seguir eu devo dizer que é mais uma sensação primária que eu tive? Certo, porque foi. Nada do que eu comentar aqui vai ser super relevante do início ao fim, mas pode ser que seja e estou me esforçando ao máximo pra não misturar a emoção da razão nessa parte do comentário (até porque essa primeira parte é recheada de razão, afinal é assim que eu tenho minhas primeiras impressões das pessoas em geral).

Depois do narrador, minha vítima será Kyle. Kyle que por si só não teve o maior impacto no início, eu devo admitir que quando li pela primeira vez o ruivinho sendo o narrador eu percebi uma mínima distinção de escrita, mas não o suficiente pra o ver como um ponto forte, uma pilastra ou algo assim como eu posso dizer... ele foi uma primeira impressão muito passiva afinal suas ações ainda reprimidas por algo que no momento eu não entendia 100% me fizeram não ter uma suuuuper afeição por ele, mas também não me fez o odiar ou desgostar. Era neutro, porém não tanto quanto o narrador foi o que é mais um elogio na sua listinha: gosto do Kyle, não qualquer Kyle. O seu Kyle.

Fato é que eu sou chata pra ler/ver/criticar logo de cara, então não se sinta triste por eu não ter me apaixonado logo de primeira por liberté, porque daqui em diante minhas primeiras visões desses personagens foi quase tão passiva quanto a narração do *tosse falsa* Ike *tosse falsa* do narrador desconhecido. (Vale lembrar que as piadinhas também são da primeira impressão que tive, como a teoria do Ike and shit).

E agora... Stan. O moreno, devorador de livros, amante de Kyles. Vamos dizer que isso nem é minha primeira impressão do Stan, isso na verdade foi a primeira visão que eu tive dele, quando apareceu logo no começo e um pouco depois -quem sabe até o capítulo cinco ou seis- não mudou muito. Ele é um personagem que me fazia questionar o amor por Kyle. Não o amor amigo, já que faz realmente sentido, mas o amor romântico. Porque inicialmente não parecia (na verdade comparado a certos alguéns até hoje não parece) que existe uma química forte ali pra chegar a esse ponto. Stan não pareceu de primeira pra mim alguém muito relevante sendo assim eu só pude me perguntar "por quê" do realcionamento dele com Kyle e não com qualquer outro dos rapazes. Eu meio que esqueci do que eu já tinha visto na própria série ou o que o famoso ship teria a ver e vi ele como um outro ser, tirando essas mensagens ocultas por trás de um ship construído e podemos até abrir um tópico aqui no meio da parte do Stan: Liberté inteira me fez ver uma desconstrução de personagem, se ligando no fato de que eles mudam com o cenário (todos eles) e eu nunca vou poder ter certeza de que isso foi ruim, ou até mesmo ótimo até então. Há um pouco de cada um ainda, no fundo, mas Stan eu posso dizer que teve a maior mudança entre todos principalmente por conseguir ver o lado positivo das coisas.

Now Gregory, o que eu posso dizer se não "nossa"? Esse personagem foi DE LONGE o ponto crucial pra eu ler a partir do momento em que começa a mostrar a relação dele com Christophe *toca balão mágico - Amigos do Peito de fundo* a amizade que os dois tem além de só parceria funciona de tal forma que eu vejo Gregory facilmente como um personagem de ótimas primeiras impressões. Super diferente da primeira impressão que eu tive no filme, dele ser um playboyzinho de merda e ao mesmo tempo parecida já que o narrador mesmo teria essa opinião num passado distante.
O loirinho meio a pompa demais sem sombra de dúvidas foi o que menos pude ver só com olhos analíticos de primeira mão e isso nos leva a uma das críticas profundas que eu prefiro comentar depois de um curto período de tempo.

E enquanto não chega, vamos falar sobre toupeiras... http://imgur.com/a/H1NvJ
Ze Mole, como eu gosto de chamar, por mais que tenha uma personalidade distinta e que de primeira eu vi como "seme master" ou "pika grossa" eu devo dizer que não pude ter tanto apreço por ele (de primeira porque.. né?). Mas pude com sinceridade dizer que é interessante, ele é interessante pra mim e foi desde quando colocou o pé na casa de Kyle e mais ainda quando eu vi que a personalidade de frente com a merda que está acontecendo na sociedade é bem diferente da de Stan e que, nesse aspecto, eu posso dizer que entendo ambas as visões e que com toda certeza prefiro a de Stanley... mas depois falamos mais sobre isso.

Let's go to babyboy, I mean, Cartman. O personagem cujo meu amor não cabe numa fodendo mansão. EU me contive muito pelas primeiras impressões dele serem tão norm... realmente nunca pensei que poderia ter mais apreço pelo Gregory primeiramente do que por ele, mas vamos logo ao ponto.

Cartman pra mim teve uma aparição posinegativa desde o começo. Não consigo distinguir sua personalidade logo de cara e isso foi uma das coisas que também me fez querer ler mais, afinal ele não é só um cuzão como também não me aparenta nada amigável e por mais que eu descreva ele assim, não foi meu ponto de foco. Não foi meu foco observar como meu personagem favorito age porque o personagem que eu achei que teria menos foco ainda e o que eu mais quis reparar vem logo aí...

Kenny *suspira* Kenny, Kenny, Kenny. Eu admito, as primeiras impressões que tive dele permanecem até hoje, ele é o ponto suave de tudo isso aqui é o personagem que eu gosto simplesmente por estar ali, existindo e de primeira mão eu posso dar os parabéns porque eu quase nunca noto o Kenny e sua descrição sobre ele, mesmo não sendo super aprofundada no começo, foi bem satisfatória pra mim e me fez abrir um leve sorriso por sentir que foi o personagem que menos mudou, digamos assim, da série pra fanfic (afinal ele já é todo fodido mesmo).

Logo em seguida nós temos a Wendy. O que eu posso dizer? Não sou a maior fã de personagens como ela, muito menos a pior inimiga por motivos de eu só conseguir realmente gostar depois de muito tempo de convívio com o personagem, não que esteja muito além do que South Park propõe dela sobre ser ativista, feminista e ser o extremo de "contra preconceitos", mas ela envolve um glamour muito maior e isso eu posso dizer que entendendo em uma perspectiva mais a frente, porém no primeiro contato que eu tive com ela me veio uma leve urticária até porque eu não gosto da Wendy (porque eu não gosto de extremos) mas ao mesmo tempo imaginei que isso seria auto explicativo futuramente (talvez).

O trio: Tweek, Craig, Clyde. Como posso dizer... achei criativo, uma das partes mais criativas, se é que eu me lembro foi a primeira aparição dos três por eu poder ver como cada um foi desenvolvido de forma separada e ao mesmo tempo como um todo. Dentre eles, Clyde foi o que eu mais gostei de personalidade e Craig de desenvolvimento. Por mais que eu possa elogiar a forma que Tweek foi retratado eu o via mais como alguém entre os outros que teria pouco foco e mesmo se tivesse seria um tanto quanto mais a frente.

Um parágrafo só para dizer o quanto logo de cara eu adorei seus cenários, sua descrição de cenário já era algo que eu conhecia, mesmo antes de ler liberté (de gostar de você como pessoa) eu sempre admiti a mim mesma o quanto sua descrição de cenário era boa, não, o quanto era maravilhosa pois por entre muitos MUITOS livros que eu já li, a maioria ou exagerava demais na descrição, ou as deixava pobre com algo que não passava nenhum sentimento de... digamos "imersão" no lugar, coisa que é como num filme e eu vou usar exemplo do clichê: se o personagem está triste chove.

Well, por enquanto (MUITO MESMO) esses são os personagens os quais eu tive uma primeira impressão. Porque é claro, temos outros. Mas esses eu quis citar por motivos de: Eles apareceram antes de eu GOSTAR da sua fanfic realmente, apareceram por estarem ali logo de início e minha lógica não se misturar quase nada com o sentimentalismo que depois você vai ver. Ou seja, o que eu quero dizer é que: Agora começa a viadage, então se prepare aí.

Egalité:

Essa é a parte que vamos começar a desenvolver um afeto maior dos personagens e relações que um tem com o outro. E como eu já citei antes esse afeto vai logo de encontro com Gregory. Como eu posso dizer? Ele é quase como um ponto de equilibrio entre o que eu acredito ser bom e o que realmente é fazer algo, não 100% do tempo ele está entre Chris e Stan, mas quando isso acontece me vinha sempre aquele calor enorme no coração a espera de que a cena durasse um pouco mais.

Gregory é de longe o personagem que eu mais tive afeição (??? I guess) porque dentre todos eles é o que menos foi extremista, por mais que tivesse que cumprir sua tarefa como líder portador da revolução ali naquele momento ele fez isso sem muito enfeite sem muita escolha e é algo que qualquer um em sua posição faria: o que tem que ser feito.

Eu nunca fui a favor da violência, muito pelo contrário e talvez tenha sido isso que me levou a ter uma afeição maior por Stan ao mesmo tempo que eu berrava "DEIXA DE SER INOCENTE SEU BOSTA" ? Enfim era uma faca de dois gumes, já que mesmo odiando esse pensamento violento não se podia fazer outra coisa. E foi exatamente nesse momento que eu passei a amar Liberté: Com o contraste. Não simplesmente o contraste de personalidade entre os personagens, mas de cenário, situações, de guerra, sofrimento, paz, alegria. O quão longe nós chegamos por uma ideologia que não vai se cumprir, no caso do Stan e o quão forte é o desejo por algo... Esse foi o ponto inicial pra eu amar Liberté, porque "ok" yaoi é ótimo, tensão sexual melhor ainda, mas isso sem um background não vai além de um simples pornô ou uma outra coisa qualquer, a união de tudo isso faz a força E EU AMO LIBERTÉ POR ISSO *rola no chão* ca-ra-lho veja o que você fez comigo! ISSO NÃO TÁ CERTO *se recompõe* beleza eu tenho que terminar isso ainda ufa, respira fundo May a gente ainda nem chegou na melhor parte.

K Y L E *rufem os tambores* Quando eu comecei a amar o Kyle: Numa tarde fresca de outono as folhas caíam, mas quem liga pro clima quando se esta dentro de casa, com seu tablet lendo Liberté? Não eu. Aquele dia foi O DIA... digamos que eu nunca vou esquecer esse capítulo, eu nunca vou me esquecer meu amor por esse capítulo e a gente pode estar no cap 279 que eu vou me lembrar do 18. ISSO SENHORAS E SENHORES, foi quando eu comecei a amar o Kyle, quando eu comecei na verdade a realmente me appaixonar por Liberté de milhares de formas possíveis eu não sei o que deu no seu ser pra escrever AQUELE capítulo, mas foi TÃO BOM, TÃO REAL, TÃO FODA que nossa *suspiro* eu disse que talvez não teria descrição detalhada de capítulo, porém eis aqui uma excessão: Esse nem foi tão longo, eu me lembro que li várias e várias vezes, captando a dor e sofrimento como se fosse uma sádica de merda, mas eu não estava rindo, muito pelo contrario eu fiquei realmente triste (ainda sou incapaz de chorar) mas muito triste mesmo, vamos lá: Chris tinha tomado um tiro, ele estava sangrando e muito, mas eu não esperava que Kyle reagisse como reagiu: como qualquer pessoa que perde alguém que ama teria? Não, não daquele jeito ele estava COMPLETAMENTE PERDIDO e eu vendo isso me apeguei muito a situação e por mais que minha curiosidade dizia "CARALHO MAYLA VAI VER SE ESSE PUTO TA MORTO NO PRÓXIMO CAPÍTULO" eu continuei relendo, umas três... quatro? Não sei quantas vezes, porque foi muito bom ver como ele reagiu, como Christophe estava fraco e ele por mais que precisava ser forte não conseguia! Isso, isso me deixou muito feliz e nem foi muito "uau" era de se esperar entende? Era algo que Kyle faria, mas talvez a maneira com que foi escrito me fez sentir um apego pelo personagem, como aquilo que você diz "pegar ele no colo e dizer -shh, vai ficar tudo bem" M A S N Ã O V A I. Porque eu imaginei que Chris não morreria ali, mas mesmo assim o desespero silencioso do Kyle fez parecer que 'o amanhã era incerto' e acho que esse está no meu top 5 de capítulos, nem só de liberté, como de "Top 5 best of all time". Phew, vamos lá continuando.

Christophe, "O personagem mais fodido que você respeita" digamos que: não tem como não gostar do Christophe, tipo até tem, mas aí você não leu liberté. Não vejo como descrever em palavras ou procurar capítulos que me fizeram gostar efetivamente desse personagem, porém talvez gestos como ele sorrir de forma brincalhona em momentos desnecessários ou coisas do tipo: não saber como se comportar em sociedade, não entender princípios básicos de etiqueta, não se dar ao luxo de viver mais um dia, ou melhor, de viver. As vezes eu fico viajando enquanto trabalho, ou enquanto eu leio ou escrevo qualquer coisa e ele vem invadir meus pensamentos, é um personagem com conceitos diferentes e você parece ter tudo sob controle quando escreve com ele. Como posso dizer isso... é como pegar a briga dele com o Stan (AH QUE MOMENTO DELICIOSO) e a com o Cartman (AINDA MAIS DELICIOSO).
As reações de Christophe as coisas sempre me farão o admirar ou o odiar, não entendo porque pra mim não tem meio termo. Não é neutro, acho que é o único personagem inclusive que não me fez sentir nada neutro em qualquer coisa que faça. E isso fez com que eu me apegasse demais a ele, em todos os aspectos.

Cartman?
Ok você me confundiu aqui, por que eu estou falando do Cartman logo aqui, por que não antes? Por que não depois? Talvez porque o Eric me deixa muito eufórica, principalmente em contato com Kyle ou Kenny. Ele não é um ponto de equilíbrio como o Gregory entre Chris e Stan, mas também não se encaixa no perfil de "extremo oposto" de alguém e ao mesmo tempo não tem muitas características em comum com os outros personagens (... a não ser querer o corpo nu do Kyle que *cof cof cof* oi?) Então, meu bebe está sendo colocado exatamente aqui porque eu gostaria de dizer isso abertamente: Eu peguei amor a ele depois de ter me afeiçoado a Gregory, Christophe e a Kyle, mas não antes de eu me apegar ao Stan. Então deixemos como está, porque por mais que ele seja meu personagem favorito eu não consigo dizer algo como "amei logo de cara" nope, demorou pra isso acontecer e eu posso garantir que a cena da banana ajudou (que). Todo sarcásmo dele e o fato do amor pelo Kyle ser one-sided foi desenvolvido um pouco depois AND I LOVED IT. O ciúmes bem de leve é quase imperceptível e mascara com um pouco do que já estamos acostumados: xingamentos. Xingamentos e sarcasmo, sarcasmo e desvio de assunto e assim por diante, ele é com certeza digno de troféu joinha porque eu não gosto facilmente de como as pessoas em geral escrevem com o Cartman.
E você conseguiu <3 IT'S JUST RIGHT.

KENNYYYY ok, let me guess.... Ele é o personagem amável que você ama e respeita. O personagem que você espera que diga algo engraçado mesmo antes de todos irem botar o cu pra abate em uma guerra que não se pode ver o fim. Bem, ele é o que eu gosto de chamar de "alívio cômico" e ao mesmo tempo um dos melhores nesse quesito, ele é tão de boa em um universo caótico, mas não é trouxa e eu posso garantir que isso deixa tudo melhor. Ele sabe o momento para as coisas, mas mesmo que fiquem horríveis ele está lá pro Kyle, Stan e até o Cartman... as vezes. Eu digo isso porque o Kenny eu posso dizer que desde o começo até agora passa isso de ser mais tranquilo, carismático e as vezes até parece meio inocente pensar dessa forma, mas eu tenho certeza de que se não tivéssemos um Kenny na história o Kyle e o resto estariam pirando já que ele quem dá algumas aliviadas e eu simplesmente AMO ISSO.

Stan meu querido Stan. Eu... peguei afeto por você é um carinho que me faz querer socar sua cara muitas vezes. Te ver dando aquele freak out acho que foi a melhor coisa e eu devo admitir que me senti como o Christophe, debochando da situação tipo "ué vai apelar pra violência finalmente?" asiudzjxmk, eu gosto do Stan, eu gosto. Mas cara... ele me irrita, me irrita o pensamento simplista dele de achar que tudo vai ficar bem, me irrita ele ser cego demais pra (PFFFFT) pra ver que o Kyle e ele não tem a mesma coisa que Kyle e Christophe e nunca vai ter e me irrita ME IRRITA DEMAIS dizer que ainda sim depois de todas essas merdas eu ainda gosto dele.
Seu filho da puta.

O que eu posso dizer dos outros personagens? Talvez que eu goste de todos, de formas diferentes, como a coragem da Wendy, como a inutilidade do Clyde e... mortes *war flashbacks* mas é a maioria tem sua especialidade, uma particularidade que eu sempre vou gostar, de formas diferentes e que num todo fazem da fanfic algo especial. Algo único, tudo vai se moldando a partir do início e muda muito mesmo não estando no fim, assim como desenvolvimento de personagens e suas mudanças quanto a acontecimentos e é aí que entramos em...

Fraternité:

Sinceramente. SINCERAMENTE, eu não sei como descrever a parte a seguir, são como as coisas que me lembro de ter lido e me chocado, os berros que eu talvez não tenha dado na tl que deveriam ter acontecido... mas melhor de tudo é aqui que eu começo a demonstrar muito sentimentalismo pelas cenas que eu mais gostei as que eu mais me lembro ou mais marcaram TANTO FAZ, Strap in!

Vamos começar com uma coisa meio demais... começar com um lemon, não o primeiro e provavelmente não o último, mas o que eu considero o melhor que eu acredito que seja no capítulo 29... ou sei lá, talvez o 30, MAS QUE É MUITO BOM PUTA QUE ME PARIU.
COMEÇA BEM, DECORRER DELE É PERFEITO E OS DIÁLOGOS O S D I Á L O G O S
eu quase morri nesse lemon, não eu devo ter morrido e revivi, sei lá. É MUITO FODA, acho que porque é o Kyle e o Chris e a maldita e bendita tensão sexual *toca Do I Wanna Know* ESSE LEMON EU LI TIPO EU... EU ENGOLI O LEMON COMO O KYLE ENGOLE O PAU DO CHRIS (que) eu sei que foi muito foda, tão bom quanto Le Buldog, porém de uma maneira diferente na qual eu duvido que va saber explicar, mas você sempre me surpreende como consegue escrever lemon e esse foi o principal motivo de eu ter te pedido pra escrever um, I guess. Toda a tensão a sensação é como uma dança, só que cada passo certo faz com que o casal esteja mais e mais envolvido e envolva a platéia também... é simplesmente perfeito *noseblood* ok vamos seguir a diante.

Brigas, brigas, brigas você escreve brigas tão bem quanto escreve putaria AS TRETA SÃO MINHA RAZÃO DE VIVER EM LIBERTÉ isso e ver geral sofrendo *cof cof* oi, disse nada não.
Mas a melhor com toda certeza vai para o Chris vs Cartman. ELES PODIAM VARAR A NOITE SE SOCANDO QUE O ÚLTIMO GOLPE SERIA TÃO DELICIOSO QUANTO O PRIMEIRO e é aí que tá MUITO NA CARA que o Cartman sente coisas pelo Kyle e ele pretende não dizer, porque desavenças não importando o motivo inicial, nesse caso sempre vão haver segundas intenções e eu AMEI ESSA BRIGA TIPO PUTA MERDA olha eu nem sei como descrever mas foi quase como a sensação de ver o Kyle estourando o abajur contra a parede tipo PLOWWW e tipo TUUUUFFF não sei como explicar em palavras, só sei que foi um awkward boner mas MUITO AWKWARD e muito boner.. oi? Nada. Enfim, já que eu falei do Kyle estourando o abajur na parede vamos falar dessa cena e o quanto eu tive raiva do Kyle, VOCÊ PODIA TER PEGO O CHRISTOPHE PELOS CABELOS E BEIJADO ELE INTENSAMENTE, MAS AÍ TU RESOLVE *respira* RESOLVE DAR COM O ABAJUR NO POBRE COITADO QUE TÁ TENTANDO PARAR DE PENSAR EM VOCÊ O TEMPO TODO COMO VOCÊ É EGOISTA KYLE STAWP! Ok, meu momento de rage foi embora. Mas acredite eu também adoro esse capítulo minha nossa sinhora e a parte que ele diz "eu daria qualquer merda pra te esquecer" foi um tiro no peito outro no pé e um na testa, pra garantir que tá morto... affe

Bom, eu sei lá, eu... nem sei como tocar na morte dos loirinhos eu não gosto muito de falar sobre isso. Ambas me deixa #chatiada e a culpa é meio que sua. Mesmo sabendo que não tínhamos outra escolha e não importa quanto tempo passe eu ainda vou ficar meio triste por eles, eu gostava dos dois como personagens, seriouslly.

Mas não vamo falá de coisa triste, vamo falá de Tekpix, ou melhor: VAMO FALÁ DE TIRO PORRADA E BOMBA que o que está vindo aí eu tenho que ler ainda (e vou) alcançar todas vocês porque that's not fair você escreve rápido pra cacete e eu preciso de um tempo pra refletir ainda.
Espero que você tenha gostado desse comentário, sério foi divertido fazer, provavelmente faltaram coisas... muitas coisas. Mas eu vou me esforçar pra da próxima vez não ter que resumir todos meus feels de quase 50 capítulos em só um comentário.
Continue com o bom trabalho Renard <3

~Fin
Postado por ~kingoflizards
Capítulo 47 - A Prisão II
Usuário: ~kingoflizards
Usuário
MEU DEUS VELHO
Postado por ~CatyBolton
Capítulo 47 - A Prisão II
Usuário: ~CatyBolton
Usuário
vc quer me matar?