História Libidinoso - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Suga
Tags Hopega, Hoseok!bottom, Jung Hoseok, Lemon, Min Yoongi, Pwp, Sobi, Yoongi!tops, Yoonseok
Exibições 523
Palavras 4.370
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Escolar, Lemon, Shonen-Ai, Shounen, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Tá meio pombo, mas dá nada, se flopar nunca existiu.

A fic vai dedicada a minha unnie maravilhosa que me contamina com a ideia de Hoseok bottom, te amo Hel. E também a Lari que ama um Hoseok assim, que eu sei.

Ah, e quero agradecer a Zai (@FANFUCK -vão ler os lemons dela-) por me ajudar, a Priscila (@soudebadz) pela capa e Amanda (@Oberyn) por betar o capítulo <3

Capítulo 1 - Unico


Fanfic / Fanfiction Libidinoso - Capítulo 1 - Unico

A fumaça acinzentada subiu em direção ao céu nublado, sumindo de vista instantes depois. O mais novo encarava o céu com dedicação, como se fosse algo importante decorar os formatos das nuvens. O mais velho tragava mais uma vez o cigarro que tinha em mãos admirando a beleza do amante. 

Estavam acomodados nos trilhos do trem, este que estava desativado à alguns meses, que mais pareciam ser anos. Algumas flores já floresciam entre os vãos, e davam um ar de mais abandono ainda. 

As mãos estavam entrelaçadas, e tinham um contraste forte, o mais novo era quente enquanto o tatuado era gelado, até demais. Conversavam coisas meio incertas como o que fazer depois que Hoseok saísse da escola. Fugir? Era uma opção, bem ressaltada afinal. 

O Jung havia novamente matado o treino de dança para sair andar por Seul com Yoongi. O affair dos dois já duravam algum longo tempo, mas não podia nem ser cogitada a ideia dele a seus pais. Seria um escândalo. Então o melhor jeito mesmo era fugir. 

Planejavam tudo com os mínimos detalhes, pareciam crianças criando planos inóspitos para o futuro. O rapper, bem mais velho, pegaria todas suas economias, juntaria com as do mais novo e partiriam para algum lugar, bem longe de onde estão de preferência, e viveriam sem os escândalos do pai de Hoseok. 

Não que esse soubesse do caso do filho. 

Imagina, Jung Hoseok junto com um rapper do subúrbio de Seul. Que desonra à família mais respeitada da capital. Jamais admitiriam isso. 

Toda noite Yoongi se perguntava aonde é que foi se meter caindo de amores pelo filho de ChungHo, entretanto, toda vez que tinha a imagem de Hoseok completamente entregue a si, de corpo e alma, e via a pele do mais novo como uma obra de arte composta por roxo e vermelho, ele tinha certeza que estava pouco se fodendo para a família de Hoseok. 

Hoseok foi corrompido por Yoongi. Isso era óbvio. Há dois anos, o Jung mais novo, nunca se quer pensaria em matar aula para sair com um rapper, fumar cigarros ou fugir de casa. Mas agora era prova viva de que tudo, tudo mesmo, muda. E muito rápido. 

O mais novo sentiu o corpo de Yoongi se mexer ao seu lado e logo estava em cima do dele, com ambas as mãos apoiadas do lado da cabeça do moreno, e os joelhos flexionados na altura das coxas alheias. 

— Hey, Jung, você é lindo. — Hoje era mais um daqueles dias onde Hoseok faltava as aulas vespertinas e escapava com o Min para tomar um café em bairros que se quer conhecia, fumavam alguns cigarros, riam de qualquer coisa que acontecia, depois ao entardecer iam para o apartamento do Min no subúrbio de Seul e se davam prazer, se amavam de corpo e à mil juras diziam se amar de alma. 

Hoje era esse dia. 

Um pouco diferente, diga-se de passagem. Hoseok e Yoongi estavam passando a tarde nas antigas ferrovias ao invés de uma cafeteria qualquer. 

— Obrigado Yoonnie. — O mais novo roubou um selar leve, que segundo depois foi aprofundado pelo mais velho. 

O ósculo era sedento por mais, até que a falta de ar se fez presente. 

Eles se encararam por um tempo e depois rindo anasalado, Yoongi virou-se de lado novamente. Encarou o céu por mais um tempo curto. Levantou-se e estendeu a mão para que Hoseok a pegasse e ficassem de pé para ir embora. 

Saíram andando pelo local, o mais velho segurava à mão do menor para que ele andasse nos trilhos, se equilibrando para não cair. 


Depois de um tempo conversando, já se viam atravessando as avenidas principais da cidade em direção ao metrô com as ruas pouco movimentadas e o céu salpicado de estrelas fragilmente brilhantes. 

Já sentados nos bancos disponíveis na locomotiva, o menor apoiava a cabeça nos ombros largos de Yoongi, o metrô já não estava tão cheio, ainda que recebesse alguns olhares de desgosto, não havia tantas pessoas e não era como se isso incomodasse os namorados. 

Yoongi começaria com seus joguinhos sujos, Hoseok conhecia o namorado e não ia demorar muito para que as provocações começassem. 

Dito e feito. 

— Saiba que eu vou te destruir hoje. — Min sorriu ao ver as reações de seu sussurro em Hoseok. Seus poros se arrepiaram, e seus olhos se fecharam. Por mais que Min sempre fizesse isso consigo, era meio controlar teu corpo e suas reações. 

— Você gosta Hoseok-ah? Gosta quando volta para casa todo cheio de marca e seu pai pergunta quem é que fez aquilo? — O menor mordeu os lábios e assentiu de leve com a cabeça. 

Sentiram o impacto da máquina parando e os três passageiros que estavam no vagão com eles desceram na estação que antecedia algumas da que os garotos desceriam. 

Logo que a porta foi fechada e a voz gravada voltou a falar algo sobre as próximas paradas, às mãos de Yoongi se infiltraram entre as coxas do mais novo e a apertaram com gosto. 

— Fazer dança deixa seu corpo uma delícia, sabia? — Hoseok abaixou a cabeça e riu baixinho. 

-— Você gosta, hyungie? — O castanho olhou profundamente nos olhos do mais velho mordendo os lábios. Em uma provocação descarada. 

O Min foi em direção ao pescoço do mais novo, sentiu o perfume natural, que só Hoseok tinha, e que nunca acharia outro igual. 

— Eu adoro. — Mordeu de leve a pele acobreada do mais novo, vendo a marquinha dos dentes nela. — Principalmente com ele todo suado, sem essas roupas, com as minhas marcas. 

As mãos do mais velho já passeavam pela extensão da coxa do Jung, subindo um pouco mais e arrastando às pontas dos dedos pelo membro do mesmo. 

— Você vai mancar amanhã, Hoseok — As mãos do menor foram em direção do braço do mais velho apertando o mesmo conforme ele subia em direção ao zíper. Seus olhos estavam fechados e os lábios entre os dentes. Daqui a pouco sua excitação seria tamanha que ficaria com a ereção marcada na calça. 

— Como vai explicar para ChungHo as suas marcas? Vai contar que o 'oppa te marcou? — Min mordeu a pontinha de orelha de Hoseok, puxando-a pra baixo. 

— N-Não. — Jung sussurrou baixinho e se o vagão não estivesse em silêncio absoluto, o branquelo não escutaria. 

— Acho que deveria. Ele ia adorar saber como eu fodo o filho dele. — O Min estava adorando aqueles joguinhos, deixava o tão excitado, só de pensar em tudo que faria com Hoseok. — Sua bunda é deliciosa, amor. Sua entrada é tão apertada. 

Aquilo estava fazendo o estômago de Hoseok revirar em ansiedade, imaginando tudo que Yoongi faria com ele. 

Escutaram a estação ser citada e sabiam que tinham chegado a sua parada, levantaram antes mesmo da locomotiva parar. Logo desciam na estação dando de cara com a parede cinza com alguns folhetos de emprego e propaganda misturado com grafite artísticos, bem colorido dando um ar vivo, ao ar morto do lugar, sem uma alma viva. 

Estavam subindo a escada que levava a avenida principal do bairro quando Jung sentiu a mão do namorado apertar fortemente sua bunda. 

— Tão redondinha, bebê. — Hoseok parou subitamente, virou-se para Yoongi que estava atrás de si um degrau abaixo. 

Passou os braços pelo pescoço do mais alto, que agora se encontrava mais baixo, e acariciou a bochecha branquinha com a pontinha do nariz. 

Foi em direção aos lábios vermelhos de Yoongi e sugou-os deixando fazer um estalo baixinho. Soltou seus braços do pescoço, mordeu de leve o lábio inferior do branquinho e voltou a subir. 

Yoongi demorou alguns segundos para retornar a subir, estava estático com as provocações de Hoseok. 

Quando saíram na avenida, tinha poucas pessoas circulando por ela, o que consequentemente deu mais liberdade para que Yoongi continuasse a provocar o mais novo. 

Estavam abraçados quase que por trás, Yoongi sussurrava coisas sujas no ouvido de Hoseok, o que fazia sua pele arrepiar, morder os lábios, assentir de leve quando necessário, e ter uma ereção um pouco, muito, visível na sua calça. 

— Você vai gemer alto, me pedindo por mais? Vai atrapalhar de novo o sono dos vizinhos? — Yoongi fazia perguntas retóricas que surtiam efeitos nele e no menor — Eu vou te marcar tanto Hoseok. Eu vou te foder tanto. Você aguentar tomar o oppa todo? 

Hoseok concordou freneticamente, como algo desesperado. 

— Você me engole tão bem. Vai deixar eu judiar dessa boquinha? — O loiro apertava firme a cintura de Hoseok, e deixava pequenas lambidas no pescoço dele. 

— Vou Yoonnie. 

Quando se deram conta já estava em frente ao prédio de Yoongi. Entraram em silêncio na portaria, e deram de cara com o 'porteiro' dormindo, não era como se acordado fosse fazer algo. 

Esperaram o elevador agarrados, trocando carícias, e falas maliciosas vindo por parte do mais velho. 

Yoongi morava em uma parte menos favorecida, claramente com uma diferença gritante da onde Hoseok morava. Todavia seu apartamento era ajeitado, e o prédio nem era tão decadente assim. Yoongi ganhava até que o considerável vendendo suas letras e com suas apresentações. 

Yoongi conhecia tão bem Hoseok que era capaz de traduzi-lo. Entraram no elevador e não tiveram tempo nem de esperar as portas se fecharem para o loiro prensar Hoseok contra as paredes metálicas do elevador. O prédio não era grande e o andar de Yoongi não era alto, o tempo presente ali foi pouco, porém Hoseok saiu de lá com uma marca notável em seu pescoço. 

Entraram dentro da residência, tiraram o sapato e Yoongi jogou a chave em qualquer lugar, pegou Hoseok pelas coxas e fez o mesmo prende-las a sua cintura. 


O loiro jogou o menor no sofá e ficou entre suas pernas, Jung levou as mãos até as madeixas acinzentadas do namorado e enrolou seus dedos nelas, seus rostos estavam pertos e os lábios do maior foram roubados com maestria por um beijo cheio de luxúria vindo do mais novo. 

O beijo era sensual, fazia estalinhos pela saliva que trocavam, as línguas dançavam na boca alheia, e com isso foram perdendo oxigênio. O ósculo foi quebrado, os rostos ainda estavam perigosamente próximos, as respirações ofegantes batiam em si. 

O coração de Hoseok estava disparado, se perguntava como Yoongi conseguia ser tão sedutor, sendo apenas ele, parecia estar preso à uma teia que ligava aos joguinhos promíscuos do mais velho. Perguntava-se o que sobraria de si no final da foda. 

Yoongi recostou o corpo do mais novo completamente no sofá, deixando o praticamente deitado. Estava conhecendo todas as partes que compunham Hoseok. Não que já não soubesse de cor cada traço do mais novo, mas era sempre bom ter tudo fresco em sua memória. 

O menor usava a calça jeans que tinha ido à escola, essa era colada demais para Yoongi que era possessivo em um tanto e não gostava dos olhares que o menor recebia. 

Jung era de Yoongi, uma marionete em suas mãos. 

Às mãos do mais velho adentraram sua regata estampada, passando a ponta dos dedos pelos leves músculos definidos ali. A língua do maior estava trabalhando em seu pescoço, alternando entre chupadas e mordidas. 

Hoseok se viu levantando os braços, ajudando Yoongi na tarefa de despi-lo. Se viu adornado por uma brisa gelada que entrava por alguma janela e seus pelos se arrepiaram. 

Yoongi afastou-se de Hoseok apenas para contemplar a visão da pele acobreada com os poros todos saltados e visíveis. Passou levemente a unha entre os mamilos do acastanhado, resvalando para eles, mexendo com o botão rosado, fazendo-o eriçar. 

Jogou seu peso de novo por cima do corpo menor que o seu, o baixo ventre foi em direção a ereção do menor, o que resultou em um gemido sôfrego saindo dos lábios do menor, sem nem ao menos Yoongi tocar lá. 

Subiu com a boca em direção a clavícula da pele morena, chupou forte lá, deixando uma pontada de dor em Hoseok, e depois uma sensação latejante no local, foi fazendo isso por todo o peitoral até que estivesse satisfeito com as marcas deixadas por todo o tronco. 

Desceu as mãos até a calça do menor, abrindo o zíper e desabotoando-a. Retirou inteiramente à veste preta do namorado, dirigindo sua destra até a ereção bem marcada na boxer azul. Viu Jung revirar os olhos em deleite e sufocar um gemido. 

— Não se reprima, Hobi. Deixe seu corpo responder aos meus toques, sim? —Yoongi falou algumas oitavas mais alta do que vinha sussurrando anteriormente. 

Então Hoseok gemeu alto, deixando seu timbre um pouco fino tomar conta do que antes era estalos de bocas e arfares baixos. 

Yoongi se despiu da camiseta e da calça, ficando igualmente à Hoseok. Esfregou seu corpo junto ao menor causando ondas de prazer e calor. 

Jung inverteu as posições, deixando o Min encostado no sofá, sentando no seu colo, com os joelhos um de cada lado do corpo maior que o seu. Seus membros, ainda cobertos, se chocaram o que causou um gemido alto por parte dos dois. 

Era a vez de Jung Hoseok reconhecer o corpo do namorado. 

Desceu a mão pelo abdômen meio definido do Min, apesar de não fazer absolutamente nada o corpo do acinzentado se encontrava melhor que de muitos por aí. 

Arranhou com a mão pesada a tez branquinha do mais velho, fazendo vergões saltaram, deixando-o contente pelo seu resultado. 

Mordeu, chupou, lambeu, arranhou, acariciou, fez de tudo com o tórax do namorado, levando-o do céu ao inferno em questão de segundos. 

Sentiu os toques cessarem e Hoseok se levantar estendendo-o a mão para que também ficasse de pé. Entendeu o moreno, e, colocou-se de pé ainda um pouco extasiado, vendo o mesmo ir em direção do quarto. 

Jung tirou toda sua pouca roupa e deitou-se nú na cama grande do mais velho, Yoongi chegou um pouco mais tarde no quarto. Hoseok sentiu a presença máscula perto de si e foi surpreendido pelo toque dos dedos de Yoongi em sua parte interna da coxa. Seus dedos agora estavam gelados. 

O menor acabou não conseguindo engolir o gemido que se prendia em sua garganta, e no fim, encontrou-se gemendo alto e intenso. 

— Hoseok, sinta. Vê como seu corpo reage a mim? 

Hoseok retraiu o corpo quando se deu conta da pedra de gelo que se encaixava entre os dedos. A pedrinha brincava entre suas coxas, colo e vez ou outra deslizando perigosamente a área dos mamilos. Hoseok sufocou um gemido. 

— Geme Hoseok, solte-se. 

E o garoto atendera ao pedido do mais velho. 

— Se deixa levar bebê, deixe-me te ouvir. 

Yoongi levou a pedra de gelo a boca, segurando-a entre os dentes e alternando entre roçar o gelo e lamber a tez acobreada. 

Yoongi estava explodindo em excitação, entretanto gostava de fazer Hoseok apreciar as preliminares. Mesmo que se levasse ao extremo. 

A pedrinha derreteu, mas Min desceu beijos úmidos pelo pescoço do menor que reclinou a cabeça para receber melhor as carícias. 

Estavam praticamente nus, só o Min ainda vestia cueca. 

Ainda com o ar gelado em sua boca, o mais velho soprou a intimidade do namorado, fazendo-o arquear as costas gemendo intensamente, perdendo os sentidos na tortura deliciosa. 

Sem aviso algum, Yoongi afastou as coxas do mais novo, deixando literalmente aberto para si. Seu tórax subia e descia em antecipação, sem avisos desceu seu rosto até o meio das pernas. Ajoelhado no chão puxou Hoseok para mais perto da borda da cama e colocando suas pernas sob seus ombros. 

Adentrou, com a língua ainda gelada, o interior do mais novo causando êxtase em Hoseok que não abafou seu gemido alto. Sua entrada era profundamente tomada por Yoongi, sentindo as piscadas fortes que Hoseok dava, pedindo silenciosamente para ser preenchido. 

— Oh meu deus, hyung. — Disse quando sentiu as mãos meio geladas do namorado massagear suas bolas instigando-o a vir para si. 

As mãos saíram do local onde estavam e foram até o membro teso que clamava por atenção, começando uma felação rápida. Yoongi viu os primeiros indícios de um orgasmo, acelerou os movimentos, saindo de dentro do maior com sua língua, para subir até o ouvido do mais novo sussurrar obscenidades. 

— Vem para mim amor. Goze, grita sem decência. 

Acelerou os movimentos no membro, levando a outra mão as bolas massageando-as. Hoseok tremia em suas mãos, estava a mercê do bel prazer de Yoongi. 

— Toque-se Hoseok. Faça como se fosse eu. 

Então de supetão o maior parou todos os movimentos que fazia no corpo do mais novo e afastando-se minimamente. Viu as mãos do Jung irem até seu pau, masturbando o mesmo rapidamente enquanto dois dedos escorregavam para dentro de si. Hoseok dava espasmos musculares pela aproximação do orgasmo e de longe escutava Yoongi. 

— Se de prazer Hoseok, seu prazer é o meu prazer. 

Hoseok acelerou os movimentos de suas mãos, entregando-se ao clímax do prazer. Explodiu sujando todo o abdômen. Arqueando-se, gemendo, puxando os lençóis, gritando e enlouquecendo Min Yoongi. Esse que contemplou a imagem do namorado jogado a cama, suado, com a boca abertas em busca de ar e os olhos fechados ainda usufruindo as sensações. 

— Hoseokie eu não aguento mais. Eu te quero, agora. Vai deixar eu te provar né? 

Hoseok estava em seu momento pós orgasmo sem condição alguma para responder. 

O Min puxou-lhe até que sentasse na cama. Tirou os cabelos grudados na testa do moreno, ainda de joelhos na ponta da cama entre as pernas de Hoseok, deslizou a cueca para fora do corpo, deixando seu pau livre do aperto do tecido. 

Chegará a hora de saciar seus desejos. 

Beijou o mais novo com volúpia, Hoseok já um pouco melhor, agarrou-se em Yoongi correspondendo firmemente ao beijo sedento e quente. 

Hoseok soltou do mais velho, afinal ainda estava sensível e foi descendo por sua linha da mandíbula até o pescoço o marcando inteiro. 

— Você é uma tentação, Jung Hoseok. 

O mais novo gemeu pelo comentário. O Min sentiu as mãos do mais novo procurando por seu pau, quando o encontrou circulou o dedo pela glande que expelia pré gozo. 

— Porra Hoseok. Eu não aguento mais brincar, depois você continua. 

Hoseok se abriu que ele o possuísse, mas o Min não o fez. Deitou na cama ao lado de onde Jung se encontrava. Trouxe Jung para seu colo, sem paciência e lentidão. 

Tinha deixado Hoseok acabado nas preliminares, agora acabaria com si mesmo utilizando do tão amado corpo de Hoseok. 

E o mais novo agradeceu pelo namorado não recomeçar a tortura, clamava pelo seu pau, sua entrada piscava para si. 

Oh sim, Hoseok era tão, se não mais, libidinoso que Yoongi e sua fome sexual era tão grande quanto a do maior. 

Abriu as pernas do namorado, posicionando uma de cada lado de seu corpo, roçou seu pau na entrada de Hoseok, vendo as expressões de aproveitamento do menor e as pequenas lamúrias, que mais se assemelhavam a preces, saírem da sua boca. 

Adentrou-o a cabeça com cuidado, ainda que amasse brutalidade, cuidaria de Hoseok acima de tudo. O menor vibrou em excitação e soltou um extenso gemido, mas com um leve incômodo de sempre. 

Yoongi ainda estava parado, só com um pouco dentro do moreno, quando esse sentiu que poderia começar, tratando de rebolar de forma magicamente extraordinária no colo do namorado. 

— Por favor... Yoongi. — Apenas pedidos saiam da boca de Hoseok. 

Saiu e introduziu novamente no menor de forma muito lenta. 

— Yoongi... Eu... — Hoseok chamava pelo mais velho pedindo para que os movimentos acelerassem, um pedido que não conseguia completar pelo torpor que estava. 

Repetiu os movimentos lentos algumas vezes. 

O mais velho, sem sair de dentro de Hoseok, tombou o menino para o lado, colando suas costas na cama, fazendo-o ficar entre as pernas do mais novo. 

— Nunca vou me cansar de provar você, babe. Seu gosto e único, seu interior é tão fodidamente apertado, igual a mais nenhum. E porra... 

— Hyung, eu quero você, dentro de mim. Agora. Mas dessa vez por favor, mete com força. — Hoseok falou tudo em um fôlego só. Yoongi teria parado para rir do jeitinho afobado do maior, mas agora estava ensandecido. 

Circulou as pernas do menor em sua cintura. As súplicas de Hoseok o enlouquecendo faziam seu tesão ir à um grau alucinado. 

Yoongi levantou os quadris do menor, junto com teu corpo. Guiou seu membro até a entrada latejante novamente. Acariciou a entrada com sua glande, brincando com a sanidade de ambos. 

— Min... Isso é torturante. 

Hoseok queixou-se. 

Yoongi riu anasalado, enfiou só uma parte do seu membro, e retirou antes que fizesse grandes efeitos no corpo alheio. 

Hoseok gemeu em pura frustração. 

— Segure no lençol, babe. Hoje você sai daqui sem andar. 

As mãos do maior, prendiam-se nos lençóis, deixando os nódulos brancos. Era tão bom ver Hoseok perdendo o controlo, mas Yoongi também estava no limite. Não dava mais. 

— Me fode. 

Sem mais esperar, Yoongi o penetrou com toda a força do seu corpo, uma única estocada que fez o menor ir do plano superior ao lado do diabo. Se continuasse assim, porra, Hoseok estava completamente fodido, deliciosamente fodido. 

Continuou com movimentos frenéticos, produzindo um único ritmo, estocadas fortes intensas e profundas. E o membro de Hoseok era estimulado pela fricção dos abdomens. Ambos gritavam se prazer, coitada era a pobre vizinha que tinha que escutar toda aquela "falta de vergonha". 

Não é como se os namorados ligassem, ainda mais agora que saboreavam o máximo dos corpos juntos, trocando fluídos. E caralho, como era intenso. 


Min sendo mais velho já tivera diversas experiências sexuais com outras pessoas, mas nada, chegava aos pés do que era foder com Hoseok. Era no mínimo fora da realidade. 

O acinzentado acertou o local certo dentro do moreno que o fez praticamente berrar de prazer. 

Hoseok gemia em intervalos curtos. 

Yoongi saiu de dentro do menor. 

— Fica de quatro para o hyung. Quero ver sua entrada me engolindo. 

Na mesma hora Hoseok virou ficando de joelhos apoiados no lençol branco, colocando os cotovelos e a cara no travesseiro do maior que cheirava ao perfume amadeirado. 

Yoongi encaixou o dedão nas covinhas do quadril de Hoseok deixando que sua mão circulasse a cintura, trazendo-o para mais perto. 

Tirou uma das mãos do corpo do Jung e pincelou a glande na entrada que piscava para si. 

— Você me quer tanto assim, bebê? — Procurou entrar dentro do menor um pouco e voltar. Min adorava provocações no sexo e Hoseok já havia percebido isso desde a primeira foda onde Yoongi judiou de si não o deixando gozar. 

Hoseok assentiu para a pergunta feita anteriormente. Então Yoongi o penetrou forte, deixando o corpo de Hoseok tremendo, estavam em uma sincronia, enquanto Yoongi o puxava contra si e o Jung jogava seu corpo em direção ao do namorado. 

O maior tirou as mãos da covinha do quadril levando uma mão ao membro do namorado e a outra ao ombro aumentando as estocadas. 

Os movimentos estavam mais frenéticos e fortes até ouvir o menor gritar por si, e sentindo seu membro ser apertado contra suas paredes internas deixando completamente em frenesi, ele gozou de forma esplêndida dentro do namorado o preenchendo com sua porra. 

Hoseok havia explodido em um clímax fodido. Sujou todo o abdômen, o lençol e a mão do namorado. E ao sentir o Yoongi sair de si, sentiu o gozo do namorado escorrer de sua entrada. Yoongi pegou o membro sensível de Hoseok mexendo freneticamente com a palma da mão, fazendo movimento circulares na glande, esfregando o dedo no prepúcio, querendo uma estimulação maior. 

Sabia o quão Hoseok ficava mole depois disso e era provável que teria que cuidar do menor, mas tudo que acontecia quando o Jung era estimulado deixava Yoongi a ponto de agradecer até a Buda pela visão. 

Puxou Hoseok para seu colo, colocando-o entre as pernas, colando as costas nuas do moreno ao seu peito, tirou-lhe os cabelos da testa, voltou a estimular o membro sensível de Jung. Deixou o menor completamente bêbado de prazer, entregando-se a mais um orgasmo alucinante e completo. 

Fechando a noite com a melhor visão de Yoongi poderia ter; seu pequeno em seus braços, buscando apoio, com os olhos marejados de prazer, soltando pequenas gotas de gozo fino e ralo, que mais se assemelhava a xixi, se é que não fossem, porém Yoongi não ligava. 

Era perfeição demais para se importar com detalhes tão mínimos. Porra aquilo era a visão que deixaria qualquer um fora de si. 

Hoseok gritava pelo prazer que estava comandando seu corpo. 

Yoongi queria o boquete que Hoseok tinha prometido, mas ainda tinham amanhã de manhã. Sabia que Jung cumpria com as palavras e tinha certeza que, como na semana retrasada, acordaria com um oral de bom dia. 

— Isso foi... — O menor com a respiração fraca e voz baixinha, não concluiu. 

Yoongi riu. 

— Foi, hum... intenso e fodidamente delicioso. — Essa era palavra que definia todas as noites que passavam juntos. 

Yoongi deixou Hoseok na cama, foi até a sala, pegou a roupa do Jung e no bolso da sua calça o maço de cigarros. Voltou para o quarto jogando a roupa do menor de qualquer jeito na poltrona e deitando-se novamente nos lençóis brancos. 

Puxou o moreno até que esse deitasse contra seu peito. E de barriga para cima, com um dos braços atrás da cabeça, Yoongi acendeu seu cigarro deixando-o pendurando entre os lábios e com o braço cheio de tatuagens fazia um cafuné nos cabelos castanhos do namorado, vendo os olhos do mesmo pesar e ele logo cair no sono, todo suado e sujo. 

Na manhã seguinte Jung acordaria, agraciaria Yoongi com seu 'presente', tomaria um banho e um café amargo junto com o acinzentado. Logo depois esse o acompanharia até a parte nobre de Seul, deixando uma esquina antes para que não fossem vistos juntos. 

E quando chegasse em casa, com certeza a enxurrada de perguntas do seu pai viria a fazer, faria sua cabeça doer novamente. Mas não é como se ele se importasse, sabia que a noite tinha sido extraordinária e que na semana que vem seria novamente.


Notas Finais


Espero que não esteja tão ruim :p

Eu queria fazer umas divulgações das maiores defensoras do hoseok bottom desse site.

Da Hel:
•Acordo Sexual: https://spiritfanfics.com/historia/acordo-sexual-6111308
•Dispensing with the captain: https://spiritfanfics.com/historia/dispensing-with-the-captain-5596548

Da Lari:
•Cheerleader: https://spiritfanfics.com/historia/cheerleader-6227307
•Cloud3 : https://spiritfanfics.com/historia/cloud3-5753273
•Oh My Hope: https://spiritfanfics.com/historia/oh-my-hope-5504289


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...