História Library - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Seventeen
Personagens Hong Jisoo "Joshua", Jeon Wonwoo, Kim Mingyu, Lee Jihun "Woozi", Seungcheol "S.Coups", Soonyoung "Hoshi", Wen Junhui "JUN", Xu Ming Hao "THE8"
Tags Hoshi, Soonwoo, Soonyoung, Wonwoo
Visualizações 37
Palavras 1.173
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Fluffy, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Voltei :))
Eu ia postar toda quinta mas fiquei de fogo e postei hj msm kkkkk
MTO OBRIGADA por comentarem no primeiro capítulo, sério, eu fiquei mto feliz :'D
Continuem comentando oq estao achando e aproveitem ai o capítulo ;)

Capítulo 2 - Ice americano e literatura


Fanfic / Fanfiction Library - Capítulo 2 - Ice americano e literatura

Logo depois de sair da livraria, Wonwoo mandou uma mensagem para Mingyu encontrá-lo.


Wonwoo:

Onde voce ta?


Mingyu:

Em casa

Oq voce quer?


Wonwoo:

Tenho algo pra te dizer

É urgente


Mingyu:

Me encontra na cafeteria de smp apareço em 10 minutos



Ok, Mingyu podia ter muitos defeitos, mas sempre que Wonwoo precisava ele estava à sua disposição.

O moreno chegou cedo no café, pegando sua mesa favorita perto da janela. A garçonete veio em sua direção, enrolando seus fios quimicamente loiros entre os dedos finos, mascando um chiclete (pelo cheiro enjoativo, provavelmente de melancia) tentando parecer sexy, mas falhando miseravelmente.

— O que vai pedir, gatinho?

O garoto segurou-se para não gargalhar na cara da garçonete, pedindo, calmamente um ice americano para si e um frapuccino de caramelo para Mingyu. A garota (Soomin, dizia seu crachá) pareceu decepcionada pelo moreno estar acompanhado, mas apenas deu um sorriso forçado e voltou para cozinha rebolando os quadris.

Seu amigo estava demorando, já que morava há menos de duas quadras da cafeteria, mas Wonwoo não estava surpreso, pontualidade não era um de seus pontos fortes, afinal.


Wonwoo:

Onde voce esta???

Ja fiz o pedido!!


Mingyu:

Ja estou na porta merda


A mensagem mal havia chegado quando o garoto alto e forte passou pela porta. Mingyu era seu melhor amigo, mas Wonwoo não podia negar que ele era um dos caras mais bonitos que já conhecera. Sua pele tinha cor de caramelo, contrastando com seus cabelos acinzentados. Seus dentes eram charmosamente pontiagudos e seu sorriso deveria ser considerado tesouro nacional. Sua beleza chegava a irritar.

Ele se sentou na frente do mais velho, com uma expressão de poucos amigos e suando ligeiramente na testa.

—  É bom ser algo muito importante, porque você fez meu time inteiro perder uma partida.

Soomin colocou os copos de café na nossa mesa, se demorando um pouco e antes de ir embora me lançou um olhar esquisito de reprovação.

— Desembucha, hyung. — ele diz, dando um gole generoso no seu frapuccino.

— Soonyoung me chamou pra sair.

Mingyu se engasgou, tossindo tanto que seus olhos lacrimejavam.

O bonitinho da livraria? — ele diz, atraindo a atenção de todos da cafeteria.

— Sim, ele. Agora fala baixo, seu idiota. — dando-lhe um peteleco.

— Como você conseguiu? Ele é um cabeça de vento. Você se lembra de quando eu tentei.

O mais novo já havia acompanhado Wonwoo a livraria algumas vezes, dando em cima descaradamente do pobre Soonyoung, que incrivelmente não percebeu (ou fingiu não perceber) as cantadas e elogios exagerados de Mingyu, fazendo-o desistir depois da terceira visita.

— Não consegui nada. — diz o moreno, dando um gole em seu café — Ele me convidou e eu aceitei.

— Ele é passivo, né? — o alto perguntou.

Agora foi a vez de Wonwoo se engasgar com sua bebida, enquanto buscava desesperadamente por ar.

— Por que eu saberia de uma coisa como essa? Nós nem saímos ainda.

— Se não gostar dele, diga que tem um amigo.



Até Jihoon estava estranhando o humor de Soonyoung. Mas o garoto não podia se controlar, estava tão feliz que queria poder gritar ou talvez dançar no meio da sala de aula para todos verem sua animação. Talvez fosse idiotice ficar tão animado com algo que poderia se tornar um desastre catastrófico, ou pior, não dar em absolutamente nada. Suas emoções conflitantes resultavam em um garoto agitado e em piadinhas a cada três segundos.

— Hoshi, pelo amor de Deus, para quieto! — Jihoon disse, estressado com a animação excessiva do mais velho.

— Como alguém tão pequeno pode ser tão mal-humorado? — o garoto resmungou, sentando-se na sua carteira e abrindo o caderno.

A aula havia começado há algum tempo, mas seu professor de literatura não dava o mínimo de atenção para os alunos, principalmente para aqueles que só tumultuava a aula, incluindo a garoto de cabelos laranjas que sentava no fundo da sala. Soonyoung ficou conversando com Jihoon, que nem ao menos lhe dava atenção, transformando aquilo num monólogo. Com o total descaso do mais novo, o garoto de cabelos laranjas apenas pegou seu livro de literatura e foi fazer as atividades que o professor havia passado. Simplesmente tedioso.

O sinal da primeira aula tocou e um aluno atrasado bateu na porta, entrando logo em seguida. Jeon Wonwoo entrou, parecia ter sido atropelado por um ônibus no caminho. Seus cabelos estavam uma bagunça, sua testa tinha um pouco de suor e seus óculos estavam ligeiramente tortos sob seu nariz. O estômago de Soonyoung começou a dar reviravoltas e seu coração a bater forte em seu peito.

O moreno analisou a sala de aula, procurando um lugar para se sentar, quando pousou os olhos no garoto de cabelos alaranjados deu um sorriso e andou em sua direção, seus tênis fazendo uma pequeno rastro de aguá e sujeira. Todo o sangue do seu corpo parecia ter subido à sua cabeça se estabilizando em suas bochechas. Wonwoo se sentou na cadeira vazia atrás do garoto, apertando seu ombro antes de sentar-se. O mais baixo tomou coragem e virou-se, encarando o moreno, que o encarou de volta.

— Você está bem? — ele perguntou — Parece que você foi atropelado e jogado aos cães.

O moreno riu, fazendo seu nariz se enrugar. Só Deus sabia o que aquele sorriso fazia com o coração de Soonyoung.

— Eu estou bem. Perdi o ônibus e tive que vir correndo. Aliás, você tem água? Estou morrendo de sede.

— Ah... não,   — o mais baixo responde — mas acho que o Jihoon tem. Quer que eu peça?

O moreno estava abrindo o livro e ajeitando seu material para começar a atividade. O mais velho acompanhava suas mãos ágeis com os olhos vidrados, como se ele fosse uma máquina que deveria ser estudada a fundo. Ele ajeitou os óculos com um dos dedos e ainda com os olhos no livro, respondeu.

— Não precisa. Só gostaria se fosse a sua. —  ele resmunga, mas dá um sorrisinho.

Soonyoung dá um risinho nasalado e se vira para a frente da sala, seu coração batendo forte. Por que ele iria querer beber na sua garrafa? Wonwoo podia ser bem estranho ás vezes. Na verdade, era isso que o deixava ainda mais atraente aos seus olhos.



Na hora da saída, Wonwoo juntou seu material lentamente esperando Soonyoung, que geralmente demorava uma eternidade para sair da sala de aula. Na verdade, os dois nunca haviam trocado uma única palavra na sala de aula, mas depois do convite que recebeu, o moreno sentiu-se no dever de tentar ser, ao menos, gentil com o colega de classe.

O mais baixo olhou para o garoto parado na porta da sala, com as sobrancelhas levantadas.

— Esqueceu alguma coisa? Quer que eu pegue?

Para Wonwoo o que mais lhe atraía no garoto era sua inocência. Ele parecia um filhotinho afobado e desengonçado, despertando no outro uma vontade de pegar-lhe no colo e bagunçar seus cabelos. Nunca havia pensado sobre como se sentia em relação ao outro, mas resumidamente, era isso, proteger-lhe de todo mal existente.

— Não esqueci nada, estou te esperando. Também vou pra biblioteca, lembra?

— Tão cedo?

— Droga, Soonyoung. — o menino diz, rindo — Só quero te fazer companhia, venha logo.

O menino colocou a mochila nas costas e saiu atrás do moreno, correndo em seu encalço.


Notas Finais


E por hj foi isso mores
Espero que tenham gostado :))
Vou tentar postar td semana (se Deus me der criatividade, é claro) entao até semana q vem bbs ;)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...