História Lie - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Suho, Xiumin
Tags Xiuho
Exibições 24
Palavras 1.228
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Musical (Songfic), Yaoi
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Wow! Eu voltei em menos de um ano -qq
Serio, tem tanta song para sair, tanta long sendo planejada, e ainda tem ODA tendo que ser atualizada eu juro que vou escrever ela!

Eu não tenho muito o que falar, bem... Esse eu realmente não revisei nada, fui as pressas por que se não ficava sem SuMin no RPG, ordem da Mozona/coelhinha, infelizmente ela tem esse poder e.e

Espero que gostem e a música usava foi "Lie" do BTS, sim, do álbum Wings, por que eu amei ela e o álbum inteiro <3

Boa leitura meus marshmallows <3

Capítulo 1 - Capítulo Único- Qual a mentira que vai me salvar?


Conte-me
Com seu sorriso doce
Conte-me
Diga-me como se estivesse sussurrando em meus ouvidos

 

Min Seok era um paciente meu, um dos mais curiosos por assim dizer, ele sofria de transtorno de personalidade borderline, eu como um psiquiatra novato era fascinado pelo seu caso, como tinha uma curiosidade incomum sobre o menino, eu não era de acreditar que a doença era o que faz uma pessoa.

 

- Conte-me, como está a se sentir dês de ontem, alguma crise? – Batuquei pela oitava vez a caneta na prancheta onde anotava coisas sobre si.

 

Ele pigarreou e revirou seus olhos, tombando sua cabeça para trás a deixando apoiada no sofá, deixando seus braços jogados, fitando o teto enquanto fazia barulhos com sua boca.

 

- Estou a me sentir entediado, normalmente vazio e sem vontade alguma de viver, algo normal, não é doutor? – Levantei minhas sobrancelhas dirigindo meu olhar para si, me desconcentrando da prancheta que estava a anotar suas palavras e percebi que ele apoiava seus braços em seus joelhos e se inclinava para frente, sentado no sofá, com seu sorriso de canto.

- Você não me respondeu se teve mais alguma crise – Levantei meu rosto e cruzei minhas pernas, vende seu olhar cair sobre as mesmas e subir novamente para meu rosto, ele bufou e voltou à posição de outrora.

- Devo ter tido – falou baixo- ah sim, agressividade, acredita que ontem ChanYeol não quis ir ao shopping comigo por que tinha que fazer um trabalho com o colega de sala dele, aquele tal de BaekHyun, e Kai estava ocupado com aquele projeto de menina coruja...

- Ele tem nome MinSeok – O interrompi após sua fala, ele ainda não acreditava que seu melhor amigo tinha um namorado que se vestia como uma menina.

- Não me importo com isso, continuando... Ah sim, eu bati no Kai e no Baek – Soltei a caneta e o olhei surpreso, o vendo levantar seu rosto e sorrir ao notar meu estado.

- MinSeok já conversamos sobre isso, por que bateu neles? – Passei a mão em meus fios castanhos me recompondo.

- Porque o Kai não me deu atenção e aquele filho da puta do BaekHyun roubou a atenção que meu namorado deveria me dar – Estalei minha língua no céu de minha boca e deixei a prancheta ao meu lado, apoiando meus braços em minhas coxas, ficando curvado, lhe encarando com minha cabeça para o lado com meu cenho franzido.

- ChanYeol não é seu namorado, ele si quer gosta de estar perto de você, BaekHyun é o verdadeiro namorado dele – Suspirei me encostando no estofado.

 

Não seja como uma presa
Seja suave como uma serpente
Eu quero fugir, mas

 

- Tsc – ele estalou sua língua- Por que você sempre está a me dizer isso?

- Por que eu tenho que lhe avisar o que é uma ilusão de sua mente e o que você pode confiar

- E eu posso confiar em você, doutor?

 

Travei ao escutar sua pergunta e continuei imóvel enquanto lhe observava, ponderando entre dizer a verdade ou omiti-la, por que MinSeok era obrigado a confiar em mim, mas nem sempre era a melhor opção, não querendo confundir sua mente, mas eu era um psicólogo, brincava consigo como um cientista brinca com um rato de laboratório.

 

- Você deve confiar em mim! – Respondi arrumando minha postura, tentando não transparecer o meu total incomodo com seu olhar fixo em mim.

- Está incomodado? – Ele sorriu de canto convencido, voltando a se encostar de forma desleixada no sofá.

- Incomodado? Com o quê, MinSeok?

- Comigo, com o jeito que mexo com você – Ele deu de ombros.

- Me fale outra mentira – disse debochado o vendo levantar suas sobrancelhas e me encarar.

- Eu te amo

 

Um silencio reinou naquele local, ele me encarava e eu fazia o mesmo consigo, já havíamos debatido sobre isso, mas fora daquele local, em uma noite em um bar quando eu cometi um erro.

 

Se afaste, afaste, afaste de mim
Custe o que custar, me salve
(Me salve)

 

- Então... Por que trouxe um paciente seu aqui? – Ele me perguntou mexendo em seu drink com seu indicador, parecendo entediado.

- Você estava saindo do meu consultório para passar mais uma noite sozinho, sem ninguém, como um bom médico ainda acho que diversão é um bom remédio... Ou um Martine bem feito – Ri sem graça o fitando de canto de olho, e percebi mesmo que pequeno, um sorriso em seus lábios.

- Obrigado pela consideração... É lindo vindo de um médico que me empanturra de remédios – Meu sorriso morreu e meu queixo foi ao chão, havia ficado totalmente sem graça com suas palavras, mesmo conhecendo MinSeok há nove meses, seu jeito grosso causado pela bordeline me deixava atônico ainda- Yah! Estou apenas a dizer a verdade, mas de qualquer forma, obrigado por me trazer para me divertir, vamos dançar? – Ele se virou para mim, ainda encostado com seu braço no balcão e balançava o resto de seu drink o deixando respingar algumas vezes.

- Claro! – Me levantei e estendi minha mão, o puxando após o menor a segurar e colar seu colar ao meu, sorri de canto o vendo rir e o puxei para dançar.

 

>>yyy<<

 

- Você até que sabe dançar para um psicólogo – Ele riu, tomando de uma vez sua vodka e eu pude ter tempo de admirar meu paciente com os olhos de alguém normal, não como o MinSeok que conhecia e sabia de todos os problemas, pude o admirar como a pessoa que ele era, bonito, atrativo, misterioso e extremamente curioso.

 

Mas fazia bastante tempo, nesse caso de nove meses, seis eu começara a observar ele de forma diferente, acabar caindo na tentação de lhe beijar, acabar sendo preso por um olhar seu, e por mais que fosse loucura eu acabei por dizer, algo que como psicólogo eu dizia ser pura ilusão, que eu deveria estar ficando louco, mas ao conviver com loucos, a tendência é virar um.

 

- Min Seok! – O chamei atraindo sua atenção a mim e o chamei mais perto, pedindo para virar seu rosto e eu poder falar em seu ouvido- Eu te amo...

 

Sussurrei e o vi ficar atônico, demorando para processar, até virar seu rosto e com um sorriso contido em seus lábios ele vir a prosseguir

 

- Eu também te amo

 

Me queira
O eu que perdeu o caminho
Me queira
Como sempre, eu

 

- MinSeok, seu horário acabou – Disse ríspido, me levantando do sofá.

- Mentiroso falta vinte minutos ainda – Ele se levantou cruzando seus braços na frente de seu corpo, me encarando serio.

- Mentiroso? Min Seok, o único a brincar com a verdade aqui é você, por favor, eu trabalho com loucos, não preciso da sua loucura me manipulando

 

Ele pareceu surpreso com tudo isso e com uma raiva surpreendente ele pegou sua mochila, se dirigiu a porta e eu o acompanhei, a abri para si e ele parou na mesma de costas para mim, apenas me encarando por cima de seu ombro.

 

- Minha mãe vai ficar sabendo disso, ela não te paga para não ir até o fim.

- Então fale para ela procurar outro psicólogo para você!

 

Ele ficou em silencio me encarando e eu devolvia o peso de seu olhar.

 

- Eu vou sentir sua falta – Ele disse em tom baixo me fazendo rir.

- Qual é a próxima mentira?


Notas Finais


O final foi ruim? Desculpa, eu fui ver algumas mensagens de "Lie tumblr" e me deparei com algumas frases que me fizeram ter algumas ideias... E saiu isso no final, seria totalmente diferente, terem uma ideia o Min acabaria interrogando o Jun como se ele fosse o psicólogo e ele manipularia o Jun, o fazendo pensar que tudo que ele vivia ou sentia era uma mentira... Acabou assim, com eu acabando com o OTP e o Jun sendo trouxa! Por quê? Por que o cartão de trouxa dele é limitado!

Viu? Não saiu 5.000 palavras u.u foi curto

Obrigado por lerem <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...