História L. I. E. - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Exibições 184
Palavras 479
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Fantasia, Ficção, Romance e Novela, Sobrenatural
Avisos: Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Mutilação, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Eeeeeeeeeeeeeee!!!!! Postei mais um, meu povo. Façam uma boa leitura. :)

Capítulo 2 - UM


Fanfic / Fanfiction L. I. E. - Capítulo 2 - UM

É estranho ter mais alguém em casa, principalmente quando esse “alguém” é um desconhecido.

Tento focar no filme que está passando na tv, mas é impossível, os meus olhos insistem em focar no garoto sentado a alguns bons centímetros de distância de mim no sofá. Ele  está lendo um manual de Gramática e parece muito concentrado no que faz.

Reviro os olhos, perguntando a mim mesma, silenciosamente, o porquê de eu não me preocupar com os estudos como ele faz. Vai ver, foi por isso que meu pai deixou ele passar uns tempos aqui, para que sirva de bom exemplo para a filha fracassada que ele tem de atolerar todos os dias.

Por um momento, sinto que vi a mão dele tremer, como se estivesse irritado com algo, ou talvez, até meio triste demais para se pronunciar e por isso, o rancor ficou guardado em seu peito, causando-lhe essas reações.

- Algum problema? – perguntei, involuntariamente.

Jimin me encarou, meio triste.

- Meu problema é acreditar nas pessoas.

- Algo que eu possa saber?

Um detalhe sobre mim : Tentei me suicidar várias vezes, tenho milhares de motivos para não querer estar viva, mas consigo tirar cinco minutos para ouvir os motivos alheios e impedir alguém de se matar.

- Eu fui enganado – ele sorriu, meio triste.

Odeio ver garotos bonitos tristes, porque eles continuam bonitos, enquanto eu, pareço uma beterraba mal adubada.

- Você vai encontrar o seu amor verdadeiro – tentei reconfortá-lo, afinal, eu tinha que fazer o papel da adulta cheia dos conselhos.

- O amor verdadeiro está naquilo que você acredita, não nas pessoas ao seu redor.

Que belo soco invisível no meu estômago.

Ele se levanta do sofá, com o manual de Gramática em mãos e sobe as escadas para o segundo andar.

Por medo de que ele se mate – pois é, não quero ver sangue na minha casa -, corro atrás dele e faço ele parar no meio do caminho.

- Se não existe amor verdadeiro nas pessoas ao redor, então ame aquilo no que você acredita – falei, ao mesmo tempo me arrependendo de estar fazendo toda aquela cena.

- Esse é o problema – ele suspirou, seu hálito de hortelã soprando contra o meu rosto – Eu não acredito em nada, e muito menos em ninguém.

Dou de ombros. Tentando demonstrar que não me importo, o que, na realidade, não é verdade.

O único jeito de impedir que uma pessoa com pré-depressão tente se matar, é “entrar” na onda dela, e, certamente, eu aprendi isso ouvindo as conversas dos meus pais com o meu psicólogo atrás da porta.

- Eu acredito em você – murmurei, com cara de trouxa – Então não se mate.

Jimin soltou uma risada cheia de humor,chegando ao ponto de chorar de rir.

- Eu não vou me matar – ele falou – Eu subi porque eu tenho que tomar banho.

Round 2. Levei um nocaute.


Notas Finais


Obrigada por lerem, meus amores. <3 <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...