História Lie - Capítulo 4


Escrita por: ~ e ~Jikookwriters

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts, Drama, Jikook, Kookmin, Kpop, Longfic, Namjin, Tragedia, Vhope, Vkook, Yoonmin
Visualizações 26
Palavras 2.065
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Lemon, Mistério, Romance e Novela, Shonen-Ai, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Até que estou atualizando rápido.
Esse negócio de usar o Word do celular tem efeito. Qualquer momento de ócio e pimba: tô escrevendo.

Bem, boa leitura e leiam as notas finais 🎈

Capítulo 4 - PREQUEL 03 - Challenge


Fanfic / Fanfiction Lie - Capítulo 4 - PREQUEL 03 - Challenge

- O que aconteceu de tão grave assim? – Yoongi perguntava a Taehyung enquanto andavam apressadamente pelo Campus da Universidade. Eles cursavam Publicidade na mesma Universidade que Jungkook, melhor amigo de Taehyung que ligou a ele desolado e preocupou o ruivo demasiadamente. Prontamente já estava correndo até o campus de Direito do qual o amigo era matriculado. Sem entender muito, Yoongi foi puxado pelo mais novo com a intenção que o seguisse até lá.

 

- Meu amigo precisa de mim. – Taehyung respondeu simplista.

- E eu preciso estar junto? – O moreno indagou carregando o sarcasmo intuitivo de sua voz, fazendo o amigo rolar os olhos com a provocação.

- Sim, precisa. Agora ande mais rápido. – Sem muita paciência pediu ao colega de sala e foi seguido até o pátio do campus de Direito, onde estava entufado de alunos novos e veteranos. Estreitando os olhos sem sucesso para localizar seu amigo e sem seus óculos de grau, Taehyung bufou, colocando as mãos na cintura.

- Aquele gatinho está te azarando ou...? – A voz de Yoongi pareceu risonha, apontando para um vulto de cabelo castanho alguns metros a frente e Taehyung andou até lá, sabendo que se tratava de Jungkook.

- Finalmente te encontrei! – O ruivo abraçou rapidamente o amigo que estava sentado no banco da lateral do pátio, sozinho. Ouviu o mais novo suspirar aliviado com a chegada do melhor amigo. – Este é Yoongi, meu colega de sala.

- Oi, lindo. – O moreno saudou Jungkook que simplesmente sorriu fraco. – Simpático... – Murmurou.

- B-Bem... Seria esse um assunto particular. – A voz do dono dos cabelos castanhos finalmente percorreu o entorno e deixou uma carranca no rosto de Yoongi ao se sentir ofendido com aquilo.

- Sou um túmulo. – Provocou, tirando um rosnar de Taehyung ao seu lado. Logo o ruivo sentou junto a Jungkook, segurando sua mão.

- Fale tudo. Yoongi apesar de bocudo, sabe guardar segredo. – Pediu o mais velho dos dois, sorrindo suavemente e tentando acalmar o amigo.

- Eu atropelei um cara sem querer hoje a caminho da faculdade.

- Como assim?! Ele se feriu?! – Taehyung perguntou preocupado, abrindo a boca em formato de “O”.

- Eu não tive tempo de saber. Quando sai do carro para ajudá-lo, quase fui morto pelas suas palavras e assustado cai fora dali. – Jungkook continuou visivelmente envergonhado.

- Olha só, poderia ter matado o cara só pela sua reação de delinquente. – Yoongi alfinetou, vendo que o de cabelos castanhos abaixou o rosto. – Mas acho que esse não foi o caso, certo? – Tentou consertar sua frase ao ver Taehyung lhe olhar furioso.

- Quando cheguei na sala de aula já atrasado, sentei ao fundo. Quando foi um tempo depois, adivinha quem sentou do meu lado?

- O cara que você atropelou? Sério? Que mundo pequeno! – O ruivo falou surpreso.

- Sim. Ainda que parecesse ele nem ter reparado minha existência, no fim da aula me ameaçou dizendo que iria me processar e sei lá o quê. – Jungkook concluiu, citando o amigo assustado. – Se meu pai descobrir... Mamãe...

- Calma. Ele não vai. Vamos conversar com esse cara, que tal? Não pode ser que ele seja tão ruim! – Taehyung respondeu, apertando a mão do amigo. Afinal ele sabia da condição de Jungkook e sua mãe com o pai que tinha.

- Ele não é um cara muito gentil. Provavelmente vai tentar te matar só com aqueles olhos cínicos deles. – O mais novo do trio suspirou, sem muitas esperanças do plano do colega.

- Melhor tentar! Vamos com você! – Taehyung continuou tentando anima-lo e por fim recebeu um sorriso fraco de agradecimento. – Me mostre quem é ele.

- Bem... – Jungkook percorreu seus orbes por todo o pátio tentando localizar a cabeleira loira do tal cara que o ameaçou. Ele o encontrou de longe, rodeado de meninas dando gritinhos e ele sorria lindamente, com seus olhos estreitos como duas linhas retas. De certa forma isso fez o estômago do mais novo se remexer estranhamente por dois motivos: porque todos estavam em volta de um cara antipático como ele é; segundo: por que tem um sorriso tão malditamente bonito? – Achei, está ali, rodeado de menininhas histéricas.

Taehyung seguiu o indicador do amigo e viu de longe o vulto esbranquiçado sem conseguir distinguir o que era o cabelo, a pele e as roupas. Ao menos sabia que parecia ser bem rico. Logo o ruivo puxou Jungkook pelo braço e seguiu em direção a pequena comoção feminina que o tal loiro causava e Yoongi os seguia sem entender quase nada.

- Ei. – Taehyung chamou a atenção logo entrando na roda de meninas que tiveram sua atenção toda para o loiro. Irritadiço, bufou. – EI! – Deu um urro mais alto, assustando algumas garotas e encantando outras. Era difícil de negar a beleza andrógena que o ruivo apresentava ainda mais com aquele cabelo e roupas descoladas nada típicas de um bacharelado em Direito.

Já vendo mais claramente o rosto do tal loiro, engoliu a seco. “Parece de mentira”, pensou Taehyung ao vislumbrar os traços bem definidos e suaves do rosto daquele menino. Além de que ele parecia ser muito mais baixo que si, bem vestido com seu terno de linha ocre e camisa social branca. Diria até que sentiu um pequeno comichão na virilha. Aqueles olhos desinteressados e azuis rolaram até vislumbrar o trio que parou ali, sem esboçar reação. Continuou visualizando a cena com outro menino moreno que lhe parecia familiar e lhe olhava espantado e, atrás dos dois, madeixas castanhas que também parecia saber de quem era.

- Sim? – Sua voz gentil e dócil soou, deixando Taehyung mais uma vez desconcertado. Será que ele era uma menina? Ou um trans?

- Podemos conversar? – O ruivo soltou a pergunta com seu tom grosso de voz, ouvindo suspiros das meninas ao lado. Para elas a visão dos céus estava ali, como se fosse o F4¹ estivesse lá para encanta-las.

- Claro. Meninas, com licença. – Novamente o mais baixo sorriu como uma criança para as demais que se retiraram prontamente. Jungkook assistia tudo aquilo sem acreditar: ele tinha sido um ogro sem nem ao menos ouvir a versão dele do incidente de mais cedo. Estranho.

- Me chamo Taehyung. – O mesmo se apresentou, dando um meio sorriso. – Esses são Yoongi e Jungkook, meus amigos. – Logo a atenção dos olhos azuis percorreram pela silhueta escondida daquele que desejou a morte tantas vezes que perdeu a conta.

- Prazer, Park Jimin. – O loiro respondeu solene, fazendo com que Jungkook engasgasse.

- Tá bem, Kook? – O ruivo perguntou ouvindo o amigo tossir e viu seu rosto empalidecer estranhamente.

- S-S-Sim!!! – O dono dos cabelos castanhos respondeu quase que automaticamente, arregalando os olhos e arrancando um sorriso de canto de Jimin.

“Isso só pode ser brincadeira...”, Jungkook pensou, atordoado.

A ideia de entrar naquela faculdade infernal era de seu pai que sabia muito que se envolvia com assuntos políticos perigosos, como por exemplo a Máfia Coreana. Era um advogado sem escrúpulos e ganancioso, que usava a condição de sua mãe para obrigar o filho a cumprir tarefas tão sujas quanto ele. E essa tarefa tinha exatamente a ver com ele, Park Jimin, filho de um inimigo público e Juiz da Corte, Park Jungmo.

- O que vocês querem comigo? – A atenção de Jimin voltou ao homem alto a sua frente, que parecia o intimidar com a estatura realmente discrepante entre os dois.

- Meu amigo fez uma coisa muito errada com você. Viemos aqui para vocês conversarem e manter isso a pratos limpos. Pode ser?

- Ah... Sobre isso? – O loiro sorriu inocente, virando os olhos ao que lhe atropelou mais cedo, mas não vinha nada de meigo e misericordioso de seus olhos. Jungkook engoliu a seco, ele tinha que agir. Aquela chance era única, deveria trazer a seu favor. – Admito que fiquei muito magoado com a atitude dele de fugir sem prestar socorro.

- Eu não fugi, boneca. – Jungkook finalmente falou algo com toda sua calma e pose. “Voltemos ao que você deve ser”. – Simplesmente estava pagando um mico danado com você gritando, sendo que meu para-brisa se negou a tocar você.

- O que...? – Jimin murmurou desacreditando de tal indelicadeza consigo. Quis xinga-lo de todas as coisas mais horríveis e grotescas, mas refletiu. Tem uma conduta exemplar de bom menino. Use isso ao seu favor. – Como posso perdoa-lo, Taehyung-sshi?

O ruivo respirou fundo, afundando o solado de seu sapato no pé de Jungkook, que segurou um berro de dor. Com certeza o estava punindo pela travessura, mas sorriu de canto quando viu que Jimin só parecia mais irado consigo. Não conseguia entender porque gostava tanto de vê-lo irritado, mas era como uma bela paisagem.

- Nosso amigo está traumatizado também com o baque, não é? – Taehyung rosnou olhando de soslaio só mais novo, que deu de ombros.

- Então meninos. Com sua licença que nossa aula começou há 5 minutos. – A voz grossa de Yoongi se pronunciou, se retirando sorrateiramente e sendo impedido pela mão do ruivo em seu braço. O xingou internamente por isso, pois aquele era seu vizinho gostoso do qual não revelava a identidade nem morto e agora perderia a chance de se manter anônimo sobre o loiro olhando para si desconfiado.

- Já vamos. – O mais alto de todos sorriu quadrado como de costume, dando um beliscão com a mão livre em Jungkook, que praguejou irritado. – Se acertem, idiota. Depois nos falamos.

Assim Taehyung e Yoongi que se despediu com um aceno tímido saíram do pátio já quase totalmente deserto, deixando Jungkook e Jimin num silêncio desconfortável. Ambos se olhavam e desviavam novamente seus orbes na chance de falarem algo, mas não sabiam o que dizer um ao outro. As personalidades ali demonstradas pareciam oposta ao que realmente eram e sim, não condizia mesmo.

Jimin rolou os olhos impaciente e cruzou os braços fazendo um bico em seus lábios fartos, chamando a atenção do menino mais alto que si, mesmo que levemente, ele se sentia mau perto de homens que pareciam mais másculos que si e Jungkook com certeza era um deles. Só agora, diante do silêncio estarrecedor dos dois, Jimin pode observar mais atentamente as características nem um pouco desagradáveis de Jungkook. Dono de uma estatura superior, de músculos muito provavelmente bem desenhados e trabalhados, rosto masculino de maxilar duro e bem nivelado, olhos grandes de um tom do pôr do sol, nariz pontiagudo que ornava muito bem com seus lábios em formato de coração, além dos fios castanhos, quase um dourado escuro que combinava muito bem com a tonalidade de sua voz. Era realmente... Bonito? Jimin pigarreou, tirando os olhos já vidrados do mais alto e grunhiu tentando fazer o silêncio se dissipar. O par de olhos belos de Jungkook lhe lembravam algo, não como uma criança, mas alguém muito virtuoso.

- Realmente não pedirá desculpa? É tão grosso como nunca imaginei. – A voz angelical do loiro provocou, causando uma feição de reprovação de Jungkook, que suspirou.

- Me desculpe, Vossa Senhoria. Simplesmente não vi essa sua cara branca no meio de um dia limpo e ensolarado enquanto estava dirigindo. Fazer o que, aconteceu. – O mais alto deu de ombros, seguindo os passos para a sala de aula, atrasado como sempre. Pegou o maço de cigarro no bolso e segurou entre os dedos um daqueles canudos venenosos e acendeu-o com precisão.

Jimin assistia aquilo tudo ainda estarrecido. Ele fumava? Nem ao menos tinha hálito de fumante! Enfurecido pela resposta atravessada do dono dos fios castanhos, o seguindo com pisadas firmes como de um dinossauro.

Jungkook se limitou a rir baixo, era o que queria. Que Jimin abaixasse a bola, e estava conseguindo. Antes de perceber foi tirado seu cigarro da boca pelo dedos pequenos e rechonchudos do mais baixo, olhando-o sem muito humor.

Viu que o mesmo colocou agora o seu cigarro entre seus lábios vermelhos e protuberantes, sugando a fumaça tóxica e soltando-a no rosto do mais alto – ainda que estivesse nas pontas dos pés.

- Você irá pedir perdão pelo que fez, senão...

- O quê? Irá me matar soprando a fumaça do cigarro na minha cara? Você precisa de sapatos com plataformas se quiser isso. – Jungkook o rebateu, deixando o rosto do loiro levemente rubro.

- Então veremos quem consegue tirar o outro primeiro da faculdade. – Jimin parecia estar o desafiando e, quando Jungkook era colocado a prova, sentia-se obstinado a vencer.

 

 

 

 

 

 

- Que seja. – O mesmo sorriu em escárnio, aceitando o desafio.


Notas Finais


*F4¹: Era o quarteto mágico do dorama chamado "Boys Over Flowers" que aterrorizavam a vida da JanDi. Assistam que é legal!

Bem migos, eu estou curtindo desenvolver o enredo, apesar de muito complexo quando penso nele com início meio e fim HAHAHAHAHA
Mas quero a opinião de vocês também 💕

Obrigada e até o próximo capítulo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...