História Lies Down And Rolls - Capítulo 24


Escrita por: ~

Postado
Categorias Got7
Personagens BamBam, Jackson, JB, Jinyoung, Mark, Youngjae, Yugyeom
Tags 2jae, Dog, Irmb, Jackbum, Jinson, Markjin, Markjinson, Raymond, Yugbam
Visualizações 114
Palavras 1.060
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Festa, Ficção, Fluffy, Harem, Lemon, Romance e Novela, Violência, Visual Novel, Yaoi, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oiie!!! Não me matem. Estou muito ocupado.
Dessa vez não foi falta de criatividade.

Eu e minhas amigas estamos batalhando para debutar nosso girl group. IRMB, eu vou informar mais vocês sobre isso nas notas finais.

Por favor nos apoiem.
Música de hoje:

You are - GOT7

Sobre a conversa da Vanessa e dos netos, eu vi em um livro e em um cite. Não inventei nada, ok? Cada um com sua opinião.

Boa leitura!!!

Capítulo 24 - 3.2.4 - Eva


Fanfic / Fanfiction Lies Down And Rolls - Capítulo 24 - 3.2.4 - Eva

 - Sim, eu também faria isso, Vanessa. - olhou para a avó, espera uma expressão abatida, triste.

Mas o que ganhou foi um grande sorriso e um aceno de cabeça.

- Está certo, pessoas que machucam de qualquer jeito outras não são pessoas. Seres humanos devem ser unidos e apontar o mal. Se as pessoas que fazem o mal não tem piedade por que nós, teremos que ter? Não somos Deus para ter piedade, misericórdia, pena... - pegou mais ar - Somos o único erro de Deus, e moramos em um dos acertos. Infelizmente o que era para ser o jardim do Paraíso se transformou em um inferno de Lucifer. - fechou os olhos - A culpa não é somente de Eva que pecou, poderíamos muito bem termos mudado. - abriu os olhos novamente e olhou para JinYoung - Sabe um dos motivo, que as pessoas acham, de ter sido uma mulher a ser uma das primeiras a pecar?

- Por serem um ser inferior aos homens? Que alguns, mesmo religiosos e homofobicos, acham que Deus é gay e que não gostou da sua criação feminina? - JinYoung leu isso em um livro, cujo o nome não se lembrava no momento, mas sabia que Vanessa já havia lido, ela o indicou.

Mark estava confuso pela conversa ter tomado um rumo religioso e histórico, o que não tem nada haver com nada.

- Sim, isso mesmo, talvez seja verdade, até porque... Se ser homossexual fosse pecado, porque existiriam os nascidos hermafroditas. Não estou sendo machista dizendo que as mulheres são rebaixadas, e nem heterofobica. Apenas estou tirando a idiotice da cabeça do povo... Mas voltando o assunto. - coçou a garganta - Tenho uns amigos que podem nos ajudar no caso do namorado de vocês. Ainda quero ver um bebê naquela barriga.

- C-como soube que ele era hermafrodita? - Mark perguntou curioso, até porque não tinham mantido contado com a avó até a pouco.

- Tenho meus informantes... E por que você acha que eu entrei em um assunto bíblico e mencionei hermafroditas? - Vanessa sorriu mais ainda - Eu sempre penso em tudo. - levantou da cadeira e pegou o telefone na bolsa, antes pousada em seu colo.

Os minutos ficaram em silêncio até os "tun..." do telefone pararem assim que saiu uma voz.

- Deusa do mundo falando. - uma voz feminina disse do outro lado.

- Desde quando você é a Deusa do mundo, Lee Chaerin? - a vice-presidente da Coreia do Sul riu do outro lado da linha.

- Vanessa querida, como vai?

- Vai 'tapeando puta. - as duas eram amigas desde muito tempo, uns 14 anos mais ou menos. Chaerin é mulher do presidente, JiYong, sendo a primeira dama e não querendo depender do marido, se transformou em vice-presidente com trabalho duro - Preciso de um favorzinho seu...

- Depois eu que tapeio, fala ai. - ouviu um suspiro.

- Então, pode buscar o nome RayMond YiEn Tuan? Quero saber sua localização. - logo após alguns dígitos ouvidos por si, um suspiro longo foi ouvido também.

- Está registrado aqui, que o seu filho ainda está na cadeia de Seul. Porém, em uma outra data, semanas depois dele ser preso, sua digital foi usada para usar uma boate lá em TaeJun. - Vanessa riu soprado, seu filho não era tão esperto assim.

O filho da vice-presidente, Seungri, é portador de arquivos militares e do governo. Tinha total acesso a todos os registros de identidade e localização do país. E nesse momento estava no escritório com sua mãe.

- Pode me dar a localização?

- Não, não tem como ver diretamente a localização, parece que a rede do país foi bloqueado nesse local. Mas eu espero ter ajudado.

- Ajudou muito, obrigada. - Vanessa desligou e bateu de leve com o celular na mão duas vezes antes de se virar para os netos - Tenho que resolver algumas coisas, ficaram informados logo após a minha volta, trabalhem duro.

E então saiu da sala com sua postura de rainha. Os saltos chegam até serem irritantes, mas demostravam comando.

- Ainda tenho medo da vovó. - JinYoung falou após a saida da outra.

- Tenho que admitir... - olhou para o irmão desviando seu olhar da porta - Eu também. - riram para tentar espantar a curiosidade e a tensão.

Só para tentar mesmo.

Kavitra estacionou depressa o carro em frente a uma mansão pela região, onde ficou sabendo que morava seu filho junto aos outros membros da família do Kim.

Viu uma mulher muito elegante sair da mansão ao lado, porém não deu importância. Ouviu uma voz conhecida de criança e então olhou para trás.

JunHe estava trazendo YunGi da escola quando avistou a tailandesa.

- O que faz aqui? - perguntou desconfiada.

- Ela é a titia má, mamãe? - YunGi perguntou inocente fazendo o coração de Kavitra apertar por ter causado essa impressão na criança.

- Quero pedir desculpas... - sussurrou baixo, mas a mulher ouviu.

- Depois de saber que meu filho agora é rico e não mais um pobretão? - levantou a cabeça, falando de um jeito calmo.

- Olha, não é isso, apenas... Conversei com meu pai, podemos conversar lá dentro?

Não por pena, não por curiosidade. Apenas porque não guarda ranco, JunHe iria deixar aquela mulher entrar.

- Nossos filhos estão em casa, vamos, entre. - foram até o portão e o guarda abriu.

Andaram por todo jardim muito bem cuidado, as vezes pela senhora que vendia flores - amiga de JunHe - e as vezes pela jardineira contratada.

Digitou a senha na porta e logo entrou. Ouviram barulhos vindo da cozinha e foram lá.

YuGyeom e Bambam estavam sujos de farinha de trigo, assim como toda cozinha. Enquanto o maior abraçava o tailandês por trás e beijava sua bochecha.

Ambos sorriam felizes e aquilo despertou um sentimento de alívio no coração de Kavitra. Ver seu filho tão feliz assim, era lindo.

Ainda sem perceberem. YuGyeom girou o namorado e o beijou. Mesmos sujos. YunGi deu um risinho que despertou os jovens. Se separaram corados.

- O-omma... Chegou cedo. - coçou a nuca e viu sua sogra ali.

- O que ela está fazendo aqui, Dona JunHe? - vez do Bambam perguntar.

- Não seja assim com a sua mãe ela veio apenas conversar, certo Kavitra? - a olhou sorrindo.


Notas Finais


E então? O que acharam?

Bem, eu vou falar sobre meu grupo.
Eu vou lançar um vídeo explicando no meu canal. O link se quiserem se inscrever (https://www.youtube.com/channel/UCkdtqz9LAvb0PH4feD3vfIw)

Queria realmente ver vocês lá, meu primeiro vídeo não vai estar muito longe. Vai ser uma explicação sobre o grupo, a música de comeback e o futuro do canal.

Críticas e opiniões nos comentários!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...