História Lies - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias One Direction
Personagens Harry Styles, Liam Payne, Louis Tomlinson, Zayn Malik
Tags Confronto, Larry, Larry Stylinson, Vingança, Ziam
Exibições 143
Palavras 1.417
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Lemon, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Escrevendo pelo cel kkkk tava louca pra voltar
Bjs meus amores

Capítulo 10 - Silêncio


Essa semana em casa foi a das piores. Meus pais brigaram feio comigo por causa da suspensão. Em forma de punição, eles me deixaram a semana inteirinha sem internet, vida social, ou qualquer tipo de entretenimento alternativo. O que me sobrou a fazer foram as tarefas de casa, estudar com o amontoado de livros que eu deixo na estante, e ir dia sim dia não ao escritório do meu pai auxiliá-lo em seu trabalho. Ele sabia que eu odiava ir a seu escritório, mas essa era uma forma de punição.

Nas horas vagas sem fazer nada, o que aconteceu frequentemente essa semana, eu pensava em Louis. Sim, esse cara não saía dos meus pensamentos. Isso já estava me enchendo, pois eu jurei a mim mesmo que iria esquecê-lo mesmo que isso custasse a acontecer.

Eu queria tanto que Josh não tivesse se metido nessa história. Eu poderia estar com Louis agora, em segredo, mas estaria. Pronto, já estou pensando amorosamente nesse garoto, isso é um inferno.

A volta à escola foi muito estranha. Todos os olhares estavam em mim. Não eram olhares reprovadores ou debochados, eram de aprovação e orgulho.

As garotas vinham a meu encontro, bloqueando meu caminho em busca de atenção. Eu, como bom orgulhoso hétero, dei assistência a todas, jurando que as ligaria quando pudesse.

Kendall brotou na minha frente. Ela tinha um sorriso malicioso, que, confesso, me assusta.

- Adorei o que fez com ele. Foi merecido.-Ela coloca a mão em meu ombro e eu não a afasto, pois seria julgado se fizesse isso.

- É, eu sei. Mas fui suspenso por isso.

- Alguns prejuízos valem a pena.- Ela pisca.

- O que quer comigo? -Tenciono o olhar.

- O que sempre fazemos.

- O que sempre fazíamos, você quis dizer. Esqueceu do que me disse a ultima vez?

- Esqueça aquilo.

Eu sei bem o que ela quer: ibope.

- Depois falamos sobre isso. Preciso ir pra aula.

Saio sem me despedir.

A caminho da sala, me esbarro com alguém encapuzado. Meu olhar volta-se para o rosto da pessoa. Vejo por milésimos de segundos os olhos mais azuis que já vi. Era Louis. 

Ele, assim que me nota, sai correndo. Com certeza estava se escondendo dos bullies. Eles virão com tudo pra cima dele agora, sei bem disso. Quero muito não participar disso. Eu já desgracei demais sua vida. Prevejo com muita dor que Louis logo se cansará disso tudo e simplesmente irá abondonar essa escola. E eu quero que isso aconteça, pois me dói o coração vê-lo assim.

O primeiro período passa rápido. Me reúno com meus "amigos" no refeitório. Louis não está aqui, é claro. Com certeza está se escondendo. As pessoas daqui pegam pesado com quem é diferente, ou melhor dizendo, com quem é gay. É por isso que me escondo. Imagine o escândalo se descobrirem que o capitão do time de basquete é gay?! Não que eu seja gay, mas...é, acho que deu para entender.

- O viadinho tá morrendo de medo de aparecer pra gente.-Josh comenta.

Me mantenho em silêncio. Não queria tocar nesse assunto pois me sentia culpado demais.

Zayn e Liam ficam igualmente desconfortáveis com esse assunto. É tão estranho compartilhar do mesmo sentimento. Pela primeira vez não estou indiferente ou caçoando de algo. Isso é sinal de quê? De que estou amadurecendo? Com certeza não. Apenas revendo ou validando meus juízos, não que estejam certos, pois, embora eu reconheça que errei, não quero consertar, nem ser justo o suficiente para assumir à publico o que fiz e principalmente quem verdadeiramente sou. Mas estou confuso até nisso. Afinal, o que sou?!

Odeio essa culpa pesando sobre mim. Droga.

Antes de eu retornar às aulas, vou ao banheiro.

Entro na cabine, pois detestava ser visto nos mictórios.

Estranho, posso escutar um baixo ruído de choro. Olho pelas aberturas entre as cabines, mas não vejo pés a mostra. 

Quando saio da cabine, testo as portas das outras e tem uma fechada. Justo uma que estava a meu lado. Forço a entrada. 

- Sai daqui.

A voz estava diferente, mas reconhecível. Era Louis.

- Louis?!

- Harry?! - Sua voz exala surpresa.- M-me deixa em paz. Sai daqui.- Ele esbraveja com um soluço de choro no final.

- Louis, eu...eu sinto muito.

- Já falei pra ir embora. Não fala comigo.

- Fizeram alguma coisa com você?! Te machucaram?! 

Só de pensar em alguém machucando-o me doía o coração.

Ele solta uma risada sarcastica em meio ao choro.

- Como se você se importasse. Afinal, quem foi que causou tudo isso?! 

Não tem jeito dele me perdoar. Não adianta. Eu só preciso desistir de me importar com ele. 

- Por que ainda não foi embora?!  - Ele grita.

Sim, eu deveria. Não posso ser visto conversando com ele.

Saio do banheiro com um aperto enorme no coração. Com um nó gigante na garganta. No final, eu estava sofrendo junto com ele.

O primeiro dia de volta às aulas acabou. Não teria treino, pois estou suspenso. Eu teria mais uma coisa a fazer na escola: comparecer a detenção.  Louis ficaria na mesma sala que eu? Isso é o que veremos agora.

Entro na sala de detenção, onde só havia a senhora Lopes. Ela me olha com certa cumplicidade. Essa é a segunda vez que venho parar na detenção. 

 - Senhor Harry, estava esperando por você. Agora só falta o senhor...Louis.

Sento-me na carteira do fundo. Não queria ficar lá na frente encarando a senhora Lopes.

- E o que tenho que fazer nessa uma hora de detenção?

- Espere o senhor Louis chegar que começaremos.

Ai, droga, quanta formalidade chata. Senhor? Que chatice.

E Louis?! Por que ele não vem logo?! Por que ele sempre se atrasa?! Eu realmente devia fechar meu bico grande depois de tudo que fiz pra ele.

- Desculpe o atraso, eu...- Louis entra falando, mas logo interrompe a fala quando me vê.- Por que ele tá aqui?! - Seu rosto fica automaticamente vermelho de raiva.

- Assim como você ele cumprirá detenção.

- Disso eu sei, mas...por que na mesma sala?! Eu não quero ele aqui.

- Eu e você não fazemos as regras, Louis. Só estou fazendo o que me foi mandado e ponto final.

- Droga! - Louis senta-se furioso na primeira carteira, parando de reclamar.

Os minutos nessa sala passam devagar. Estamos há algum tempo fazendo redações e resolvendo cálculos. Meu olhar, quase sempre, ia para Louis. Já ele, nunca virava-se para me olhar. Eu queria que, pelo menos, ele me olhasse, nem que esse olhar fosse com rancor. Só queria que ele me olhasse.

- Muito bem senhores, já podem ir embora. - Ela anuncia com voz cansada.

Louis ajeita rápido seu material e levanta-se a todo vapor para ir embora.

Eu me levanto rápido e me despeço de maneira ligeira para a senhora Lopes. Louis já estava a anos luz de distância. 

Por que eu ainda insisto em ir atrás dele?! Ele me odeia, jamais irá me perdoar. 

- Ei, Harry, perdido no corredor?! 

Olho para trás e vejo Zayn vindo em minha direção.

- Ah, Zayn, é você?! - Forço sorriso.

- Sim. Tá tudo bem contigo?

- Não devia estar no treino?

- Perguntei primeiro. Tá tudo bem contigo?

- Claro. Por que não estaria?!

- Você sempre foi um péssimo mentiroso, Harry.

- Você é a pessoa certa pra falar sobre isso? - Ironizo.

- Ei...eu sei o que fiz...eu sei que não devia...eu, eu só queria te ajudar, Harry, saber se está bem, se precisa de mim, se quer me contar alguma coisa.- Ele entristece.

- Foi mal. Mas não, não preciso de ajuda. Eu tô bem. Acabei de voltar de uma detenção, por isso essa minha cara de cansado. 

Zayn sibila um ok. Eu sei que ele sabe que não estou bem, é coisa de amigo.

- Quer ir pro bar?! - Ele pergunta.

- Cadê o Liam?!

Zayn olha para o lado, ele parecia esconder algo. O que houve?!

- Só vamos pro bar. 

Estou escondendo coisas de Zayn, ele também está escondendo, então não insisto em perguntar o que está acontecendo em sua vida. 

- Tá, vai ser bom. Quer falar comigo? - Dou uma última chance.

- Só quero sua companhia.

- É, acho que eu também.

Nossa amizade era assim. Na dor existia silêncio. Não falávamos sobre nossas queixas, só fazíamos companhia um ao outro, sem questionamentos. Se um quisesse falar, falava, mas, se não quisesse, ficaria tudo bem.

 


Notas Finais


Bjs


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...