História Life and Death - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Undertale
Tags Alphyne, Asgoriel, Chariel, Deuses, Frans, Papyton, Reapertale, Sanrisk
Exibições 135
Palavras 682
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Famí­lia, Fantasia, Ficção, Luta, Magia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Sobrenatural, Universo Alternativo
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


OIEEE DESCULPA O CAPÍTULO CURTO
Eu n podia ficar sem postar :(
Mas n se preocupem! A partir do capítulo que vem terão alguns momentos "Frans" :)
Bjo

Capítulo 7 - Chapter Six


Fanfic / Fanfiction Life and Death - Capítulo 7 - Chapter Six

Frisk enfiou a cabeça sobre as cobertas e seu corpo tremeu de leve, ela não queria encontrar Sans e muito menos ser morta por ele.

— Frisk! Eu esqueci de falar isso pra você,mais cedo… Mas, se você for uma Deusa… — deu uma pausa e logo se lembrou de outro termo. — Ou uma semideusa, não há perigo de morrer por ele! — Papyrus falou, encostando as mãos na costa da morena.

— M-mas… Eu não sou nada disso… Sou apenas uma ex-mensageira! — Sua voz saiu um tanto abafada por conta do cobertor.

— Mas… E se você virar um ser de luz poderoso? Digamos que… Imortal?

— Não posso simplesmente me tornar uma Deusa? — Sua cabeça estava saindo dos lençóis para encarar o esqueleto.

— Me desculpa, mas isso não é possível! — Fez uma pausa para pensar. — Mas talvez a Deusa Alphys possa te ajudar com isso! — Sugeriu ele.

— Deusa A-Alphys? — Perguntou Frisk, um tanto receosa.

— Ela é a Deusa da inteligência! Garanto que achará uma solução para isso!

— Sim! — Animou-se Frisk. — Então eu não terei mais medo dele! Obrigada Papyrus! — Após isso, abraçou o esqueleto maior, que logo retribuiu o ato.

— Mas o que é isso…? — Uma figura negra estava em frente à porta. Ele estava passando pelos corredores quando ouviu uma gritaria. Frisk e Papyrus se separaram, porém a morena não o largou. Sans, ao colocar os olhos em Frisk, a reconheceu. — Hey, eu me lembro de você, kiddo… — A última palavra fez com que Frisk se arrepiasse toda, a voz do esqueleto ficou um tanto rouca e grossa, o suficiente para meter medo em qualquer um.

— Sa-Sans! — Papyrus segurou Frisk. — Não a machuque! — Papyrus ficou na frente do irmão, mas nada parecia impedi-lo.

— Machucar? — Ironizou. — Que nada, eu quero apenas um aperto de mãos que ela me deve... — Ergueu seu braço esperando uma resposta de Frisk.

Na primeira vez que ambos se viram, Frisk não ficou com tanto medo pois, não era possível ver o rosto do mesmo.

— Vai me deixar esperando, Sweetheart? — Fez uma cara maliciosa e sorriu, flutuando direto para Frisk.

— Não! — Papyrus defendeu-a batendo na mão do outro, que o olhou assustado. — Sans! Por que matar?! Deixe-a viver sua vida! — Paps olhou para o irmão com cara de choro. — Por favor...

Sans nada disse, apenas sorriu e deu de ombros. Ele não iria desistir de tentar acabar com sua vida. Antes de sair do quarto, deu uma última olhada para Frisk e sorriu. Assim que o outro saiu por completo, Papyrus sentou-se na margem da cama ao lado de Frisk e o mesmo suspirou pesadamente.

— Humana… Não é nada legal dizer isso, mas… Você tem que ir atrás de Alphys! Só ela sabe o que fazer, Sans não vai desistir tão cedo! — Paps a segurou pelos ombros, fitando-a logo em seguida.

— M-mas… — Protestou-se e logo foi interrompida por Papyrus.

— Eu sei que você é boa e esperta, então não se preocupe! Se sairá bem! — Sorriu ele, tentando passar a mesma energia para ela. — Além de você ter um save point.

Papyrus apontou para a estrelinha que estava pendurada como um colar no pescoço da morena, que estava quase se desabando em lágrimas.

— Não chore, assim que ela te ajudar, pode retornar, tenho certeza que Sans poderá ser seu amigo! — Passou a mão no rosto de Frisk, que logo o abraçou.

A morena havia se despedido do esqueleto, agora sua única alternativa era voltar para as Ruínas… Não! Pensou ela, saiu da casa e correu através de Snowdin. Com apenas um casaco azul para cobrir o seu corpo, caminhou até chegar em uma parte cheia de neblina O contato com a mesma, “sufocou” Frisk, fazendo-a tossir e correu mais rápido até chegar em Waterfall. O lugar era úmido e com vários lagos envolto. Mas ao olhar para trás, viu um rastro de morte, a neve estava derretida e as plantas que se encontravam sob, estavam murchas e secas.


Notas Finais


Espero que tenham gostado!
Mas agora, sinceramente, levarei a fanfic um pouco mais a sério com capítulos maiores *cof cof* Feels *cof cof*
Bjo e tchau szszsz


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...