História Life Changing - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Chaz Somers, Christian Beadles, Justin Bieber, Ryan Butler
Personagens Chaz Somers, Christian Beadles, Justin Bieber, Personagens Originais, Ryan Butler
Tags Chaz Somers, Drama, Gangster, Justin Bieber, Lauren, Romance, Ryan Butler
Exibições 49
Palavras 2.079
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Mistério, Policial, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá pessoal, aqui está mais um capítulo novinho pra vocês!!!
Obrigada pelos comentários na última postagem, isso me ajuda muito a continuar a escrever e saber o que vocês estão achando do rumo que a história está seguindo!!!
Boa leitura a todos !!!

Capítulo 3 - I Won a Sister


Fanfic / Fanfiction Life Changing - Capítulo 3 - I Won a Sister

"A mudança é aprender novos caminhos e crescer no tempo certo, 
é permitir que a vida faça de nós melhores pessoas."

Durante a viagem, que nem foi tão longa, ocorreu tudo muito bem e agora estávamos aterrissando.

“Senhoras e senhores, chegamos ao destino final, Los Angeles – Califórnia”

Ao ouvir o piloto se pronunciar minhas mãos gelaram, agora definitivamente eu estava sozinha e do outro lado do estado, mas vamos lá encarar tudo isso!

Desci do avião, passei pelos policiais que checaram meus documentos e segui para um departamento que tinha uma esteira pra receber minha mala, depois de esperar um pouco ela finalmente apareceu peguei-a e devo afirmar que estava realmente muito pesada, acho que não sou nem um pouco exagerada. Após todos esses procedimentos da viagem, fui para o último que seria me encontrar com alguém que o próprio internato enviou para me buscar, não foi muito difícil reconhecer a pessoa que mandaram, já que era uma freira. Se não bastasse viver em um internato, seria esse agora de freiras ?!?!

Por sorte eu estava enganada, a senhorinha que me buscou no aeroporto se apresentou brevemente, apenas falando seu nome e nos direcionamos para um carro, junto de um segurança que ia dirigindo-o. Durante todo o caminho fui apreciando a vista da nova cidade, pena que não poderia desfrutar dessa liberdade, enquanto não chegávamos ao colégio aproveitei pra fazer diversas perguntas a tal senhora e a resposta que me deixou mais aliviada foi de que o colégio não era cheio de freiras, ela era a única e era responsável por dar aulas de religião (obviamente). Após mais alguns minutos chegamos ao colégio que era enorme e me deixou de boca aberta. Saímos do carro e o tal segurança levou minhas malas para dentro, enquanto a freira se apoiava em meu braço e caminhava comigo para uma sala da coordenação:

– Pronto querida, agora vou lhe apresentar à diretora do colégio, ela pode ter uma cara assustadora, mas tem um bom coração – A freira disse batendo na porta da diretora enquanto eu assentia com a cabeça.

– Pode entrar – Disse uma voz de dentro da sala e então abrimos a porta – Ahh Irmã Clarisse que bom tê-la aqui – A diretora disse assim que viu a senhora que estava ao meu lado e depois passou a me olhar com um sorriso no rosto – Vejo que trouxe companhia, será esta a menina dos Miller que estou esperando para conhecer a semanas? – A mulher que antes estava sentada, levantou-se e veio em minha direção.

– Muito prazer diretora, sou Lauren Miller – Disse estendendo a mão para cumprimentá-la e logo ela fez o mesmo.

– Prazer Lauren e seja muito bem-vinda garota – Ela dizia simpática e eu gosto disso, talvez as pessoas daqui não sejam como eu pensava – Espero que tenha um ótimo ano aqui e que não precise me visitar muitas vezes, você me parece ser uma menina educada e estudiosa, realmente espero isso de você, você não daria aos seus pais o desgosto de ir contra às regras deste colégio, daria ? – Meus olhos se arregalaram, de boazinha e simpática essa mulher só tem o começo depois já coloca as garras pra fora eu hein

– C-c-claro que não, senhora diretora – Disse trêmula.

– Pois assim espero que aconteça garota, não estou aqui para brincadeiras – Ela voltava para se sentar atrás de sua mesa – Bom você chegou com alguns dias de antecedência, suas aulas só começam na segunda-feira. A irmã Clarisse vai te levar para seu futuro quarto, aproveite esses dias para colocar suas coisas em ordem e se preparar para as aulas.

Assenti com a cabeça, após as palavras da diretora eu e a freira, que ao contrário da última que conversamos era super atenciosa, nos retiramos da sala e devota de Deus me levou para conhecer meu quarto...

** FLASH BACK OFF **

E aqui estou eu, numa tarde de Sexta-feira em meu quarto, sentada na cama com meu celular na cara, pensando em tudo e fazendo nada. Já faz pouco mais de dois meses que estou nesta prisão de segurança máxima, a diretora mostrou realmente o seu gênio forte e TODAS as regras super exigentes deste colégio, quando eu penso que posso fazer alguma coisa NÃO, NÃO PODE, TEM UMA REGRA QUE TE PROIBE MOCINHA, na escola que eu estudava em Sacramento também tinham regras, que eu burlava em um piscar de olhos, diferente daqui. Isso aqui é um inferno, não vejo a hora de dar no pé e não voltar nunca mais.

Como sou a garota nova daqui, deixei muitas coisas pra trás, uma delas é o meu “espírito de patricinha” saí da minha zona de conforto já que aqui não posso dar mole que as pessoas querem me espezinhar, mas confesso que não sinto tanta falta do meu “reinado” hoje, vendo as garotas daqui que são como eu era na minha antiga cidade, eu percebo como eu era chata e pé no saco, tá eu ainda posso ser um pouquinho, mas nem se compara...

Se eu for colocar em uma balança todas as coisas boas e ruins de eu estar aqui com certeza vou citar muito mais as negativas, mas eu não sou a única que passa por isso. Assim que as aulas tiveram inicio, eu conheci a garota com quem, hoje, eu divido o quarto. O nome dela é Caitlin e está na minha turma, logo que nos conhecemos nos tornamos amigas, ou melhor, muuito amigas, ela começou a estudar aqui no meio do ano passado então este é o segundo ano dela aqui, mas ela me disse que no ano anterior preferiu ficar em um quarto sozinha já que ela não gosta das pessoas, principalmente das garotas, da nossa sala.

Ela também veio pra cá por livre e espontânea pressão dos pais, logo na primeira semana que nos conhecemos, ela me contou a história de como veio parar aqui, disse que seus pais não paravam em casa, que eles nunca tinham tempo pra ela e para o irmão, então decidiram mandá-la para cá e o irmão foi mandado pra um outro colégio, mas como ele sempre conseguia fugir de lá os pais acabaram cedendo com ele, parece que hoje vive com mais uns amigos e trabalha com informática/sistemas alguma coisa assim, ela não me poupou do resto e dos detalhes. Quando ela me contou toda essa história até pensei “Coitada, essa é outra injustiçada pela vida. O irmão se livra e ela não” mas depois de ouvir suas histórias vejo que não é bem isso que acontece hahaha a Caitlin pode ter essa carinha de anjo, mas vive dando suas escapadas pras noitadas, baladas, festas e tudo mais, ela sempre arruma um jeitinho de sair daqui sem que ninguém note a sua falta.

– Levanta e se arruma! Vamos, vamos, vamos... – Essa era minha querida amiga, super delicada, Caitlin entrando no quarto discretamente. Saí de meus pensamentos derrubando o celular no rosto e ela riu – Mas é uma anta mesmo, anda Lauren levanta dessa cama – Ela me puxava pelos braços me fazendo sentar na cama – Deixa de moleza amiga... É SEXTA !! – Ela disse erguendo os braços e sorrindo abertamente, um sorriso que contagiava e acabei rindo da cena.

– Pronto Cait, já estou sentada. Agora pode me dizer qual o motivo de toda essa alegria? – Disse normalmente e ela me olhou abismada.

– Alegria? Garota se toca eu to é eufórica – Ela debochou e acabei rindo junto dela – Lau, que dia é hoje? – Ela me perguntava, com o olhar ansioso pela resposta.

– Sei lá, dia 20? – Respondi dando de ombros.

– Não sua trouxa, to falando de dia da semana. Então, que dia é? – Ela me olhava ainda esperando uma resposta.

– Sexta – Falei como se fosse óbvio, tenho certeza que essa garota ia aprontar, mas não posso deixar de tirar uma com a cara dela.

– E sexta é dia de que? – Ela mexia as mãos incessantemente me motivando a responder.

– Sexta é dia de... – Coloquei a mão no rosto para parecer pensativa, eu adoro irritar a Cait – Ahh lembrei, aula de Religião. Ohh meu Deus, Cait você vai pra missa de hoje? Que maravilha!! A irmã Clarisse vai adorar!! – Como eu consigo ser sínica hahaha falava com uma falsa animação na voz a irritando ainda mais, ela é muito nervosinha.

– Depois quando eu respondo a altura eu sou grossa né Lauren – Ela fechou a cara e cruzou os braços – É claro que não vou pra essa porcaria de aula, se toca... – Ela disse me dando as costas – Vim aqui te chamar pra sair comigo hoje à noite, mas já que me respondeu assim...

– Ah Caitlin, me desculpe, mas você sabe que eu gosto é de HOMEM – Disse falando mais alto – E além do mais eu tenho namorado – Disse segurando o riso e nesse momento ela vira para mim com os olhos arregalados e vermelha de tanto prender a risada, não agüentamos e rimos uma da cara da outra – Tá desculpa amiga, eu não podia deixar de judiar um pouquinho, você tava tão felizinha. Agora me conta, pra onde a gente vai? E me explica como é que vamos sair daqui, eu nunca fiz isso, e se der errado? Caitlin a diretora vai me matar – Disse pensando nas conseqüências que essa primeira saída minha pudesse gerar.

– Relaxa Lau – Ela dizia e se sentava ao meu lado na cama – Eu já fiz isso várias vezes, tudo bem que vai ser a sua primeira saída, mas relaxa nunca deu errado. O Chris, meu irmão vem buscar a gente na rua de trás quando já estiver escurecido, vamos arrumar nossas mochilas com as roupas e pulamos o muro dos fundos do colégio, aquele lá perto das árvores que você costuma ficar sentada em baixo sabe? – Assenti com a cabeça – Então, como eu ia dizendo, a gente pula o muro, entramos no carro vamos pra casa dele, nos arrumamos e LES’T GO!!! PARTY!!! UHUUL!!! – Ela gritou instintivamente e logo tapei sua boca.

– Tá maluca, quer mandar tudo por água a baixo já, antes mesmo de arrumarmos as mochilas? – A repreendi e ela me olhou com pedido de desculpa nos olhos, tirei as mãos de sua boca.

– Desculpa, foi a emoção.

– Tudo bem, eu topo ir hoje, mas se der errado eu te esgano Caitlin!!! – Fiz gestos de minhas mãos em seu pescoço, rindo

– Vai dar tudo certo – Ela se levantou da cama e parou – Ah, antes que eu me esqueça, é melhor guardar esse seu celular, se entra alguém aqui já sabe né... – Ela apontava o indicador e o balançava em minha direção.

– Sim eu já sei – Revirei os olhos – Mas eu precisava falar com o James – Claro que ela sabe quem é ele, eu a coloquei a par de toda a minha situação quando cheguei aqui, contei sobre James e sobre as meninas também – Se bem que ele anda não me atendendo, me deixa em cada vácuo que olha vou te contar...

– Tem certeza que ele está com você nessa? – Ela me olhava de canto enquanto enchia uma bolsa de costas com suas roupas para nossa voltinha de hoje a noite, ao ouvir isso a olhei com os olhos arregalados – Me desculpa amiga, eu sei que não conheço ele, mas se ele está te ignorando desse jeito a semanas como você mesma me conta, será que não é porque... Ah quer saber esquece – Agora é que ela me deixou intrigada.

– Não, agora me conta – Olhei sério pra ela.

– Eu estava pensando, se ele não poderia estar... você sabe... com outra pessoa enquanto você está aqui sofrendo e lembrando dele, mas deixa isso pra lá deve ser só coisa da minha cabeça – Ela tomava cuidado e escolhia as palavras e o modo de falar.

– Que bobagem Cait, nós prometemos um ao outro que iríamos esperar esse ano passar e que tudo voltaria ao normal quando eu saísse daqui.

– Se você diz então tudo bem, não está mais aqui quem te falou isso – Ela ergueu as mãos como se estivesse rendida.

Voltamos a arrumar as bolsas pra levar até a casa do irmão de Cait e ela me ajudou com a escolha da roupa e tudo mais. Já estávamos no local combinado, o tal do Chris já estava lá com seu lindo carro que puta que pariu eu não acreditava que ia andar naquela máquina, um Porsche 911 Carrera, fiquei babando enquanto ele ajudava Cait a pular o muro, ela conseguiu agora faltava eu pular, era muito alto, quando tomei coragem e estava pronta pra pular o inesperado aconteceu...

 


Notas Finais


E então continuo ??
Este foi mais capítulo.Obrigada pela leitura, espero que tenham gostado.
Deixe aqui nos comentários suas estrelinhas, sugestões, críticas e opiniões!!! Isso é muito importante, assim eu posso saber se vocês estão gostando ou não, se tem algo que eu possa melhorar.
Então é isso, escrevam pra mim e me contem o que acharam deste capítulo. Beijinhos !!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...