História Life hates me - Capítulo 15


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin, Jungkook, Moonbin, Personagens Originais
Tags Astro, Bts, Haru, Harubin, Harumin, Jimin, Moonbin, Romance
Exibições 180
Palavras 1.669
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Escolar, Festa, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


annyeong, minhas leitoras preferidas!!!! ~ ♡
tudo bem com voces?? espero que sim, pq eu estou.... bem mal TuT
fui mal na minha prova de matematica hoje, to muito triste!! TuT
mas espero que gostem do capitulo que eu fiz com carinho ♡
ah, muito obrigada a todas que deixaram suas teorias no cap passado!!! tiveram duas leitoras que acertaram o que ia acontecer nesse cap ♡
enfim, boa leitura!!! até as notas finais ♡

Capítulo 15 - Bultaoreune


Fanfic / Fanfiction Life hates me - Capítulo 15 - Bultaoreune

Naquela linda tarde de quarta, eu esperei que Park Jimin fosse até minha casa para que terminássemos o bendito trabalho de Geografia, o qual deveria ser entregue na quinta-feira, vulgo no dia seguinte. Eu esperei, esperei, pacientemente e por horas. Mas vocês acham que ele foi?

A resposta é bem simples: não. Jimin não deu as caras naquele dia.

Eu não sei por que eu ainda esperava alguma coisa dele. Com certeza ele devia estar se pegando com alguma garota por aí. Trocando beijos e... Outras coisas. Aish! Eu não quero nem pensar. Vou ficar assustada se imaginar demais.

Subi as escadas até meu quarto batendo os pés, mesmo que não houvesse ninguém em casa para me escutar. Eu estava irritada. Muito irritada, pra falar a verdade. Durante aquele dia, eu ponderei se não seria muita crueldade fazer o que eu estava pensando. Mas, no fim, acabei decidindo que não. Jimin merecia aquilo. Ele não quis me ajudar no trabalho, provavelmente pra ficar se pegando com qualquer uma. Talvez Solji, Sunhee, sei lá. Eu não queria saber, e eu não me importava.

Aquilo era imperdoável.

Peguei minhas folhas de papel almaço, coloquei meu nome e o de Jimin e comecei a pôr meu plano em prática.

Jimin ia se arrepender por ter me traumatizado daquela forma com Solji e por me fazer escrever aquele resumo sozinha. Disso eu tinha certeza.

***

No dia seguinte, cheguei ao colégio com cara de poucos amigos. Eu ainda estava irritada pelo que Jimin havia feito. E pelo que ele não havia feito, também.

Apesar de já serem quase nove da manhã, horário em que devíamos estar nas salas, eu caminhei pelos corredores sem a mínima preocupação. Eu ia me atrasar, mas eu não ligava se esse fosse o caso. Eu tinha algo bem mais importante para fazer.

Algum tempo depois, lá estava eu, na frente dos armários. Assim que Jimin me viu, ele veio correndo em minha direção. Parecia nervoso.

- Trouxe o trabalho? – perguntou, preocupado. Assenti com a cabeça, abrindo um sorriso amarelo. O garoto relaxou as feições no mesmo instante. – Graças a Deus. – Jimin soltou o ar que estava preso nos pulmões e olhou para o teto, como se realmente estivesse agradecendo por aquilo. – Desculpa por não ter ido ontem. Eu fiquei... Enrolado. – explicou, esboçando um sorriso sem graça.

Mantive em minha cara aquele sorriso mais falso que nota de três reais, embora eu estivesse me mordendo de vontade de revirar os olhos. Minha pálpebra já estava começando a tremer enquanto eu encarava fixamente o garoto. Eu estava me controlando para segurar a raiva, mas era difícil.

- Eu imaginei. – grunhi, dando um riso soprado. Joguei minha mala no chão com violência e a abri, procurando o trabalho dentro da minha pasta. Segundos depois eu o ergui no ar, mostrando a Jimin que eu o havia encontrado. – Aqui está. – falei, segurando o fino maço de papéis.

- Obrigado. – Jimin agradeceu, suspirando, enquanto tentava se aproximar para pegar o trabalho. Eu, no entanto, coloquei minha mão espalmada sobre seu peito, impedindo-o de alcançar aquilo que eu segurava. Ele me fitou confuso. – O que você está fazendo? – perguntou, franzindo as sobrancelhas.

Fiz sinal para que ele esperasse e levei a mão até o bolso, retirando de dentro dele um isqueiro. Ele arregalou os olhos quando me viu com o objeto em mãos.

- O que é isso? – ele perguntou, alterando seu tom de voz. Aproximei o isqueiro do trabalho, enquanto um sorriso maquiavélico se formava em meu rosto. Jimin alternava seu olhar entre eu e o maço de papéis, tenso.

- Bultaoreune. – sussurrei, acendendo o isqueiro e fazendo nosso trabalho de Geografia pegar fogo.

Jimin deixou o queixo cair com minha atitude, arregalando ainda mais os olhos, se é que aquilo era possível. Os olhos de Jimin, antes tão pequenininhos, agora estavam extremamente abertos por causa do choque que havia acabado de sofrer.

- MEU DEUS, SUA LOUCA – ele gritou, assim que se deu conta do que eu havia feito. Joguei os papéis no chão e esperei que queimassem, rindo do meu próprio feitio. O garoto de cabelos alaranjados rapidamente se ajoelhou ao lado das folhas que eram consumidas pelas chamas e que agora mais pareciam um monte de cinzas. As pessoas que passavam por ali nos encaravam como se nós fôssemos dois malucos.

Bom, talvez eu fosse. Jimin era só um imbecil mesmo.

- Você colocou fogo no seu próprio trabalho? – o garoto perguntou, incrédulo com o que eu acabara de fazer. – Qual é o seu problema? – indagou, tão confuso quanto enraivecido. Seu rosto já começava a adquirir diferentes tons de vermelho. Eu, no entanto, estava bem calma.

- Você. – resmunguei, fria, enquanto a expressão de fúria no rosto do garoto se acentuava cada vez mais. – Tchau, Jimin. Hasta la vista. – eu me despedi, dando as costas para o garoto e acenando sem a menor vontade.

Eu conseguia sentir seu olhar queimar minhas costas, mas não dei a mínima. Pra ser sincera, imaginar a cara que o garoto fazia enquanto eu me afastava me fez rir ao invés de qualquer outra coisa. Eu já havia conseguido deixar Park Jimin irritado. E ainda eram nove horas da manhã.

Jimin não perdia por esperar. Aquilo era só o começo.

***

- Park Harumi e Park Jimin, tragam o trabalho aqui, por favor. – o professor Lee pediu, sentado em sua mesa, sem erguer o rosto.

Eu fitei o garoto com um sorriso de canto, esperando que ele tivesse alguma atitude. Aquilo seria o ponto chave para o próximo passo de meu plano maligno, o qual já estava em execução.

- Senhor. – Jimin chamou, limpando a garganta logo em seguida. O mais velho o encarou, esperando que desenrolasse o assunto. – Eu... Tive um problema com... – começou, fazendo-me ter a certeza de que ele falaria do nosso trabalho. No mesmo instante, fiquei em pé, chamando a atenção do professor e fazendo com que Jimin interrompesse sua própria fala.

- Caham – limpei a garganta, levando o punho fechado até a boca. – O que Jimin quer dizer, professor, é que infelizmente ele não pôde fazer sua parte do trabalho. Uma pena, realmente. – fiz sinal de negação com a cabeça, lamentando. Olhei de canto para Jimin, que estava com as sobrancelhas franzidas. Parecia tão perdido que eu tive que fazer força para não rir. – Eu tive que fazer o meu próprio trabalho, sem sua ajuda. – murmurei, fingindo uma expressão triste. O professor assentiu, parecendo compreender minha situação. Abaixei-me até minha mala e peguei o trabalho verdadeiro, o qual eu ia entregar sozinha. Quando Jimin viu o que eu tinha em mãos, sua boca formou um perfeito “o”. Ele finalmente havia se dado conta do que eu tinha feito.

O trabalho que eu havia queimado, algumas horas atrás, era falso. Não passava de um maço de papéis em branco. O que estava em minhas mãos, agora, era verdadeiro.

- Sua ordinária. Você me enganou. – Jimin bradou de seu lugar, levantando-se e fazendo menção de vir até onde eu estava. Ele estava muito exaltado. Eu realmente o tinha irritado dessa vez. – Professor, essa doida queimou um monte de papel que ela fingiu ser nosso trabalho e agora quer entregar o verdadeiro sozinha pra ficar com toda a nota e me ferrar. – falou, com um tom de voz acusatório, apontando em minha direção. O resto da sala, incluindo Bin, nos fitavam confusos.

Voltei meu olhar na direção de Moonbin. Pude ler, em seus lábios, as palavras “Você queimou?” se formarem. Assenti, sorrindo de forma travessa. O garoto negou com a cabeça, desaprovando minha atitude, mas notei que um sorriso se formou em seu rosto logo depois.

- Jimin, não tenho como provar que o que você está dizendo é verdade. – o professor retrucou, com o tom de voz calmo. Não consegui evitar que um sorriso se formasse em meu rosto. – A senhorita Harumi alegou que você não a ajudou na elaboração do trabalho. – disse, apontando para mim. – Isso é verdade? – perguntou, sem me encarar. Ele estava com seus olhos fixos em Jimin.

O garoto de cabelos alaranjados assentiu, enquanto passava a mão pela nuca. Parecia totalmente sem graça. Eu tinha conseguido lhe deixar sem saída dessa vez. Ele não podia usar o fato de eu tê-lo enganado queimando um trabalho falso como argumento contra não ter me ajudado no trabalho.

Bingo.

- Se esse é o caso, devo ser justo com a senhorita Harumi. – o professor disse, voltando seu olhar em minha direção. – Ela irá tirar nota integral se houver cumprido todos os quesitos, claro – explicou, gesticulando com as mãos, enquanto eu assentia, como uma menina inocente. –... E Jimin ficará sem nota, infelizmente. – completou, dando de ombros.

- O quê? – Jimin protestou, batendo as mãos na carteira e fazendo um estrondo, o que assustou algumas pessoas ao seu redor. – Eu... – começou, meio envergonhado pelo barulho que havia feito – Não posso entregar na próxima aula? – perguntou, erguendo as sobrancelhas, com uma centelha de esperança em sua voz.

Diga que não. Diga que não.

- Não, Jimin. – o senhor Lee falou, negando com a cabeça. Yes! – Eu fui muito claro quanto ao prazo de entrega. Todos tiveram o mesmo tempo para fazer os resumos. Sem prorrogações, sem exceções. – completou, impassível. – E, como você sabe, esse trabalho valia um terço da nota final. – falou por fim, voltando a olhar para as folhas em suas mãos.

Ah, professor Lee, eu poderia te dar um beijo agora, se o senhor não fosse tão velho e tão feio!

Enquanto eu comemorava internamente, Jimin fitou o mais velho por alguns instantes, incrédulo. Parecia não acreditar no que havia acabado de ouvir.

- I-isso quer dizer que... – balbuciou, com o queixo caído.

- Você já está de recuperação, Park Jimin. – o professor constatou, indiferente. – Prepare-se para passar suas preciosas férias de verão aqui comigo. – falou, sorridente, como se não houvesse nada no mundo que lhe desse mais prazer do que confinar seus alunos naquela sala de aula durante o período em que nos considerávamos livres.

Senhor Lee, eu te adoro!


Notas Finais


haru deixou o jimin de recuperação kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
adoro ♡♡
imagino ela queimando um papel no meio de um monte de gente, serio, deve ter sido muito engraçado pra quem tava assistindo a cena kkkkkkkkkkkkkkkkk
o que voces acharam??? deixem comentarios dizendo se voces gostaram!!! ♡♡
não me abandonem!!! me desejem sorte nas provas que eu ainda vou ter essa semana, please!!! ♡
a autora ama voces!!! não esqueçam de comentar ♡
muito obrigada por tudo ♡
kissusssssss e ate o proximo cap ~ ♡
twitter: @sorayabegail
tumblr: myfairytails.tumblr.com


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...