História Life hates me - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin, Jungkook, Moonbin, Personagens Originais
Tags Astro, Bts, Haru, Harubin, Harumin, Jimin, Moonbin, Romance
Exibições 191
Palavras 1.725
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Escolar, Festa, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


annyeong leitorassss!!! ~ ♡
ansiosas pra mais um capitulo?! porque eu estou muito ansiosa pra saber o que voces vão achar desse aqui!!! ♡
como respondi em alguns comentarios, a fic vai tratar de alguns temas um pouco mais "adultos", e nesse aqui eu já faço uma breve introdução sobre ele!! mas não se preocupem porque eu vou tratar ele da maneira mais leve e descontraída possivel!! não vai ser nada pesado, então podem ler sem medo ♡
sem mais delongas, vamos ao cap!!
boa leitura e ate as notas finais ♡

Capítulo 4 - Acordo


Fanfic / Fanfiction Life hates me - Capítulo 4 - Acordo

Depois de aceitar que eu iria abandonar este mundo dentro de alguns segundos, não posso dizer que a sensação dos dedos gelados do garoto de cabelos alaranjados em meu pulso foi muito surpreendente. Ele me puxou com força em sua direção, forçando-me a levantar de maneira bem desajeitada. Levou ambas as mãos até meus ombros, segurando-os com firmeza e fazendo com que eu olhasse dentro dos seus olhos negros e pequeninos.

E, nesse momento, vocês podem pensar que eu quase tive um ataque epilético de tanto medo, ou que eu saí correndo para longe, escondendo-me em um lugar onde nunca seria encontrada. Mas, por algum motivo, medo foi algo que eu definitivamente não senti. Eu não senti vontade alguma de sair dali. Eu nem tentei, na verdade. Tudo o que eu senti foi uma imensa vontade de rir da cara de Jimin.

Um sorriso sarcástico se formou em meu rosto quando vi o quanto Jimin estava sério, provavelmente por causa do que havia acontecido com Sunhee. Aquilo estava sendo mais engraçado do que eu pensei que seria.

“Otário”, pensei, reprimindo um riso, enquanto o garoto ainda me fitava sem expressão.

- Foi você, não foi? – ele perguntou, sem elevar o tom de voz. – Foi você quem escreveu aquela porcaria – disse, apontando para o local em que Sunhee havia jogado os pedaços do que um dia havia sido um cartão.

Um cartão muito maldoso, por sinal. Eu me orgulho em dizer isso. E me orgulho em dizer que a ideia de termos trocado os cartões foi minha também.

- Cara, deixa ela em paz – ouvi a voz de Bin atrás de mim. Jimin nada respondeu, apenas lançou um olhar congelante a Bin, que se calou no mesmo instante.

- Está tudo bem, Bin-ah – murmurei, sem tirar os olhos de Jimin. – Eu posso lidar com isso. – falei, abrindo um sorriso de canto.

- O que estava escrito naquele cartão? – perguntou, impaciente. Eu cerrei os lábios, desviando meu olhar do seu. – Me fala, porra. – disse, balançando meus ombros. Esbocei um pequeno sorriso.

- Por que não lê? – perguntei, cínica, apontando para onde estavam os pedacinhos do cartão. – Ah, é – falei, como alguém que se recorda de algo. – Você não pode. – continuei, fingindo uma expressão desapontada. – Sua namorada deixou tudo em pedaços. Sinto muito. – disse por fim, dando de ombros.

Mas a verdade é que eu não sentia porcaria nenhuma.

Basicamente, Bin havia escrito várias ofensas no cartão, todas elas dirigidas a Sunhee. E claro que, no final, tomamos o cuidado de deixar bem claro que Jimin não queria mais nada com ela. Depois, nós trocamos o cartão de aniversário que Jimin iria dar pra Sunhee pelo cartão da discórdia, fazendo com que a garota achasse que havia sido Jimin quem escreveu aquilo tudo.

Maligno, não é? Eu sou praticamente um gênio do crime!

- Você está fazendo um jogo comigo, garota? – Jimin indagou, me empurrando para trás. Eu abri um sorriso divertido.

- Estou. Algum problema? – retruquei, de forma travessa. Jimin me fitou com fúria no olhar, fazendo um arrepio percorrer minha espinha. Inspirou o ar profundamente, soltando-o logo em seguida, e fechou os olhos por um breve momento. Instantes depois, voltou a abri-los, encarando-me com serenidade. Parecia que toda sua raiva havia se esvaído juntamente com o ar.

- Eu te proponho um acordo. – falou, esboçando um sorriso. – Se você quiser continuar com essa palhaçada, fique sabendo que, a cada vez que você aprontar uma das suas, é uma coisa que eu vou fazer com você. – disse, fazendo com que eu arregalasse os olhos, assustada. – No que está pensando, sua pervertida? – perguntou, como se adivinhasse o que se passava pela minha cabeça. Senti minhas bochechas corarem. – Estou falando de ir com você pra casa e coisas do tipo. – explicou, passando a mão pelos fios alaranjados. – Eu sei bem que você... Não me suporta. Será um bom castigo. – falou por fim, abrindo um sorriso de canto.

- Nem pensar. – Bin falou, metendo-se entre nós dois. – Sou eu quem levo ela pra casa. Ponto final. – disse, parecendo extremamente irritado.

- Se você não aceitar minha proposta, quatro-olhos – Jimin se dirigiu a mim, ignorando completamente o garoto à sua frente – Todos vão achar que você é uma covarde. – falou, cerrando os lábios. – O que você me diz? Aceita? – perguntou, fitando-me com expectativa.

- Não caia nessa, Haru – Moonbin me pediu, com desespero na voz. – Não faça isso, por favor. – repetiu, quase em uma súplica.

Encarei os garotos à minha frente por alguns segundos, pensativa. Eu definitivamente amava Bin com todas as minhas forças. Ele era meu melhor amigo. E, em outras circunstâncias, eu teria escolhido ele, sem nem pestanejar.

Mas agora as coisas eram diferentes. Eu não queria perder para Jimin de novo. Eu definitivamente não iria perder para ele. Porque, como eu já havia dito, isso era uma guerra. Eu havia dado as minhas cartas, e agora Jimin deu as dele. Eu tinha que fazer algo para o jogo sair do lugar.

- Eu aceito. – falei, com uma expressão decidida em meu rosto. – Me desculpe, Bin – pedi ao garoto, que me fitava desconcertado. – Acho que hoje você vai ter que ir pra casa sozinho. – falei, abrindo um sorriso fraco.

Bin me encarou por alguns instantes, incrédulo com as minhas palavras. Deu um riso soprado e negou com a cabeça, como se desaprovasse minha atitude. Vê-lo assim era extremamente doloroso. Ele parecia decepcionado.

- Tudo bem. – falou simplesmente, mantendo o tom de voz calmo. – Mas se você acha que eu vou deixar Harumi pra você, está muito enganado. – disse para Jimin, de forma ameaçadora. O garoto de cabelos alaranjados abriu um sorriso debochado diante das palavras de Moonbin, o que me causou estranheza, já que ele não pareceu nem um pouco afetado.

Será que... Jimin podia ser assim tão frio?

- Tchau, Haru. – Bin falou, vindo em minha direção e beijando minha testa. – Nos vemos depois. – disse de forma doce, dando uma piscadela. Apenas assenti, surpresa demais para dizer algo. Ele não havia ficado bravo comigo, afinal?

Segui o garoto com o olhar, observando-o pegar a mochila e se afastar de nós dois, sem olhar para trás. Dei um suspiro alto. Eu sentia um aperto em meu coração por estar fazendo isso com meu melhor amigo, mas disse a mim mesma que aquilo era necessário.

Me virei novamente na direção de Jimin, um tanto contrariada. Ele me fitava com um sorriso de canto.

- O que está esperando? – perguntou, levando a mão até meu pulso e segurando-o. – Vamos, quatro-olhos. – falou, me puxando consigo. Eu me desvencilhei de seu toque imediatamente, sentindo nojo pela região em que Jimin havia me tocado.

- Eu sei andar sozinha, obrigada. – falei em um tom áspero, limpando meu pulso em minhas roupas e ajeitando meus óculos no nariz. – Não preciso de você. – continuei, dando de ombros, sem encarar o garoto.

- Ah, é, esqueci que a princesinha tem alergia a contato físico. – falou, num tom debochado. – Me desculpa. – pediu, de forma irônica. Eu revirei os olhos e comecei a andar, sem esperar pelo garoto.

- Não peça desculpas ainda. Você não sabe o que eu vou fazer com você. – eu disse, fazendo suspense. – Você não me conhece. – falei por fim, abrindo um sorriso.

- Eu acho que eu aguento. – Jimin retrucou, aproximando-se de mim novamente. – Vamos ver quem desiste primeiro. – ele falou, despreocupado, finalmente me alcançando.

- Boa sorte. – eu disse, indiferente, voltando minha atenção ao caminho que tínhamos que percorrer até minha casa.

***

- Por que está tão quietinha, quatro-olhos? – Jimin perguntou, enquanto caminhávamos. – Não me diga que se sente intimidada pela minha presença – completou, arqueando uma sobrancelha.

- Eu não tenho nada pra falar com você. Eu te odeio. – respondi, curta e grossa.

- Ai. Essa doeu. – Jimin falou, levando a mão direita ao peito. Revirei os olhos. – Sabe, eu tenho que te agradecer. – começou, mudando subitamente de assunto. Virei meu rosto para encará-lo, confusa. – Por ter me ajudado a me livrar de Sunhee. – explicou, com o olhar voltado para frente.

Eu franzi as sobrancelhas. Por que ele estava me agradecendo? Aquilo não fazia o menor sentido.

- Eu pensei que tinha ficado bravo. – falei, fitando o garoto com estranheza. A atitude de Jimin era, no mínimo, suspeita.

- E eu fiquei. – ele disse, levando as duas mãos até a nuca. Mas que diabos? Esse garoto é louco? – A gente tinha um lance legal. – explicou, encarando o céu. – Mas todo mundo sabe... Que esse tipo de garota só serve pra uma coisa. – falou, abrindo um sorriso malicioso.

Quando finalmente me dei conta do que Jimin estava falando, não pude evitar que uma careta se formasse em meu rosto.

- Você é... Nojento. – praticamente cuspi as palavras, encarando o garoto da cabeça aos pés com desdém.

- Qual é? – falou, dando uma gargalhada. – Isso é a coisa mais normal do mundo, quatro-olhos. Vai me dizer que nunca fez? – indagou, fazendo com que eu corasse no mesmo instante.

- I-isso não é da sua conta. – gaguejei. Mas que droga, Harumi, você tinha que gaguejar? Justo quando estava falando com Park Jimin? E justo quando estava falando desse assunto?

Eu queria cavar um buraco, me enfiar lá dentro e não sair nunca mais.

- Espera. – Jimin falou, e o som de seus passos cessou. Imitei o gesto do garoto, virando-me para ver o que havia acontecido. – Você é...? – começou, parecendo chocado. Senti todo meu sangue subir até minha cabeça ao adivinhar o que o garoto perguntaria. Dei as costas para Jimin o mais rápido que pude, apressando-me para sair de perto dele. Ah, meu Deus, ele havia descoberto. Eu estava ferrada.

- Cala a boca – retruquei, em um tom esganiçado, apertando o passo para chegar em casa. Por sorte, estávamos perto de onde eu morava, o que era ótimo, já que eu não teria que aguentar os risos de Jimin por muito mais tempo. – Chegamos. Pode ir embora. – disse ao garoto, sem encará-lo, enquanto subia as escadas que levavam à porta da minha casa. Quando estava prestes a entrar, no entanto, fui interrompida por Jimin.

- Não vai me convidar para entrar? – ele gritou, com um sorriso no rosto. – Se quiser, eu posso te ajudar a resolver seu... Problema – Jimin falou, de forma sugestiva.

- Aish! – grunhi, frustrada. – Eu te odeio, Park Jimin! – falei, antes de fechar a porta com força.

Argh! Que garoto irritante!


Notas Finais


o que voces acharam desse acordo??? quem voces acham que vai desistir primeiro?? comentem!!! ♡♡
o que voces acham que o jimin vai fazer com o segredo da haru?? tadinha TuT
espero que tenham gostado!!! ♡♡
se voces quiserem, podem deixar nos comentarios as suas magoas, inseguranças e incertezas!! ♡ mas comentem!! por favor!!! eu fico muito feliz quando voces comentam ♡
kissussssss e ate o proximo cap ~ ♡
twitter: @sorayabegail
tumblr: myfairytails.tumblr.com


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...