História Life hates me - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin, Jungkook, Moonbin, Personagens Originais
Tags Astro, Bts, Haru, Harubin, Harumin, Jimin, Moonbin, Romance
Exibições 213
Palavras 1.913
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Escolar, Festa, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


annyeong, meus amoresssss!!! ~ ♡
como estão voces??? eu estou um pouquinho resfriada, mas estou bem ♡
aposto que estão curiosas quanto ao titulo kkkkkkkkkkkkkkkk só digo uma coisa: muitas risadas e altas emoções nesse cap ♡
enfim, não tenho muito o que falar aqui, vamos ao capitulo!!!
boa leitura e até as notas finais ♡

Capítulo 5 - Ovo


Fanfic / Fanfiction Life hates me - Capítulo 5 - Ovo

Mesmo contra minha vontade, passei o fim de semana inteiro pensando na conversa que eu havia tido com Jimin na sexta-feira e nas coisas que ele havia descoberto sobre mim. E por Deus, foi terrível. Tudo o que nós dois havíamos falado ficava dando replays em meu cérebro, me atormentando sem a menor piedade. Eu estava ficando louca. Totalmente louca. Aquilo era pior que a morte.

E era vergonhoso. Era mais vergonhoso do que eu conseguia suportar sozinha.

Por isso, chamei a única pessoa com a qual eu podia contar para tudo. Moonbin, é claro.

Eu lhe telefonei domingo à tarde, quase implorando para que viesse aqui em casa. O problema era que estava chovendo. E não era nem uma chuva de verão, ou uma garoa dessas que você sai e mal se molha. Era praticamente uma tempestade. E, para vocês verem o nível em que aquele fim de mundo se encontrava, Bin se recusava a vir até aqui. E ele era meu vizinho.

Eu tive que fazer muita chantagem via linha telefônica para conseguir que o garoto viesse. Fala sério, acho que foi a atuação da minha vida. Eu podia ser atriz de dorama. Aqueles doramas bem dramáticos, sabe? Acho que eu iria ficar rica.

Mas, voltando ao assunto, depois de muita insistência de minha parte, finalmente ouvi a campainha tocar. Desci correndo as escadas, de meias e pijama mesmo. Aquilo não era nada que Bin já não tivesse visto.

Abri a porta sorridente, dando de cara com um Moonbin extremamente ensopado. Franzi as sobrancelhas ao vê-lo daquela forma. Eram apenas alguns metros de distância entre nossas casas. Como ele havia se molhado tanto?

- Tá acontecendo o segundo dilúvio lá fora. – Bin falou, irritado, assim que entrou dentro de casa. Eu não consegui responder. Minha atenção havia sido totalmente tomada por outra coisa.

A camiseta de Bin, molhada, havia adquirido um tom quase transparente, deixando à mostra seus músculos e seu abdômen definido. Eu sabia que eu estava encarando, mas eu não conseguia evitar. Aquilo era muito mais forte que eu. Moonbin sempre foi assim... Tão sexy?

Além do mais, os cabelos molhados lhe deixavam com um ar mais viril. Eu não sei quanto tempo perdi observando o garoto, mas sei que foram, no mínimo, alguns bons segundos. Eu conseguia sentir minhas bochechas corarem e meu coração acelerar com a visão de Moonbin à minha frente.

Eu sei. Sou uma pervertida.

- O que você tá olhando? – ele perguntou, com um sorriso de canto, atraindo minha atenção. – Eu sei que sou bonito. – falou, convencido. Revirei os olhos, apesar do garoto ter razão em cada palavra. Um, eu realmente estava olhando, e dois, ele realmente era bonito.

- Você não presta. – falei, dando risada. – Venha trocar de roupa. – eu disse, puxando o garoto pelo braço até meu quarto.

***

Bin já tinha várias mudas de roupa guardadas aqui em casa, justamente para ocasiões como essa. Ele trocou a camiseta molhada por uma regata seca, e usou uma toalha para secar o cabelo. Eu não pude evitar um suspiro ao ver o garoto daquela forma. Mas que droga está acontecendo com você, Haru?

- Posso deitar? – perguntou, apontando com o dedo indicador o espaço que sobrava ao meu lado na cama. Eu assenti, sentindo o colchão afundar com o peso do garoto. – Diga o que te aflige, minha pequena Haru – ele pediu, de forma teatral. Eu dei um riso abafado com o modo como o garoto falou. Moonbin passou o braço direito pela minha nuca, fazendo com que eu me deitasse sobre ele. A sensação do corpo do garoto perto do meu era quente e aconchegante.

Envolvi meus braços em seu tronco, aproximando-me um pouco mais. E assim ficamos por algum tempo, sem que uma única palavra fosse dita. O silêncio entre nós dois era tão grande que podiam ser ouvidas nossas respirações.

- Eu... – comecei, cortando o silêncio, sem saber como iniciar o assunto. – Ainda não tive minha primeira vez. – confessei, sentindo meu coração bater por tocar naquele assunto.

Pude sentir o garoto respirar fundo, embora não estivesse olhando em seu rosto. Ele acariciou meu braço de forma gentil, o que me transmitiu tranquilidade.

- Está nervosa por causa disso? – perguntou, com o tom de voz doce. Assenti. – Não fique. Você ainda tem dezoito anos. Tudo tem seu tempo certo. – falou, beijando o topo da minha cabeça. Dei um suspiro.

- Não é isso, Bin. – retruquei, com a voz trêmula. – Jimin descobriu. Eu estou ferrada. – completei, sentindo meus olhos se encherem de lágrimas.

Bin me puxou para ainda mais perto de si ao perceber meu estado. Ele apertou o abraço, fazendo eu me sentir protegida.

- Se Jimin usar isso contra você, é porque ele é um babaca. – ele falou, simples. Senti o nó na minha garganta se apertar e deixei alguns soluços escaparem, sem querer. – O que foi, Haru? Está chorando? – perguntou, preocupado. Levei as mãos até o rosto para abafar o choro.

Aquela era a primeira vez que eu chorava por Park Jimin.

- Aish, eu vou bater naquele desgraçado por te fazer chorar. – Moonbin disse, parecendo irritado. Eu acabei rindo com a provocação do garoto. – Viu só? Eu já te fiz rir. – Bin se vangloriou, sorridente. – Eu sou muito bom mesmo. – falou por fim, cheio de si. Fiz um gesto de negação com a cabeça, sorrindo. Bin-ah era o único que conseguia me fazer sentir bem nesses momentos.

Logo em seguida, o silêncio pairou sobre nós novamente. Eu fitava os móveis do meu quarto, distraída, até que uma pergunta me veio à mente.

- Bin. – chamei, com a voz engraçada por conta do choro. Felizmente, eu já havia me acalmado.

- Hum? – respondeu simplesmente, fazendo com que eu erguesse o rosto para encará-lo. Moonbin fitava o teto, parecendo tão distraído quanto eu alguns segundos atrás.

- Como... – comecei, nervosa. Não sabia como fazer a pergunta. – Como foi a sua primeira vez? – perguntei finalmente, sentindo vergonha por estarmos falando daquilo.

- Eu não lembro. – Bin respondeu, rindo soprado. – Eu estava bêbado. – completou, me arrancando alguns risos.

- Você se arrepende? – perguntei, fazendo o garoto virar o rosto para me encarar. Ele ficou pensativo por alguns instantes antes de responder.

- Não me arrependo, mas também não me orgulho. – respondeu, de forma indiferente. – Não quero que seja assim com você, Haru. – ele falou, com o tom de voz sério. Eu o fitei, curiosa. – Seja com quem for, me prometa que vai ser especial. E que você vai estar sóbria – disse, abrindo um sorriso. Eu ri com o pedido do garoto.

- Eu prometo. – falei, assentindo com a cabeça. O garoto deu um beijo em minha testa e começou a fazer carinho nos meus cabelos logo em seguida, parecendo satisfeito com minha resposta. – E já tenho uma ideia do que podemos aprontar para irritar Jimin desta vez. – completei, abrindo um sorriso maquiavélico.

- Ah, meu Deus – Bin falou, me fazendo rir. – Pode falar. – continuou, dando-me a deixa para lhe dizer no que eu estava pensando.

Depois de eu lhe explicar em detalhes o que tínhamos de fazer, começamos a assistir um episódio de um dos meus doramas preferidos, “Good Morning Call”. Depois de terminarmos, decidimos que o melhor seria que Bin ficasse por ali mesmo. Afinal, já era noite e ainda não tinha parado de chover. Ele pegou um travesseiro e um edredom, deu um beijo em minha bochecha e foi dormir na sala.

Fiquei acordada por mais algum tempo, pensando em como eu faria para executar o meu plano diabólico, até que finalmente peguei no sono.

***

- Se acalme, Jimin – pediu o professor de Educação Física, diante da figura irritada à sua frente.

Estávamos na aula de Educação Física, na terça-feira. Haviam se passado quatro dias desde o desagradável ocorrido enquanto íamos para casa, e, como Jimin não havia dado sinais de que iria usar aquilo contra mim, decidi aplicar minha mais nova pegadinha contra ele.

- Como você quer que eu me acalme? – perguntou Jimin, com o rosto vermelho. – Essa garota colocou um ovo dentro do meu tênis. – ele falou, apontando em minha direção.

Tive que usar todas as minhas forças para conseguir segurar o riso. Tecnicamente, não havia sido eu, e sim Moonbin quem havia deixado o ovo dentro do tênis. Isso, obviamente, não anulava minha culpa, já que a ideia havia sido minha. Mas eu tinha que manter minha compostura e meu disfarce de menina inocente na frente do professor. Por isso, fiz minha melhor cara de desentendida quando o garoto de cabelos alaranjados me acusou.

- Eu? – perguntei, apontando para mim mesma. – Por que eu faria isso? – completei, franzindo as sobrancelhas. Eu queria muito rir da cara que o garoto estava fazendo.

- Você sabe muito bem o porquê. – Jimin respondeu, enquanto risadas ecoavam pelo ginásio. – Professor, essa maluca quer acabar com a minha vida. – falou, olhando na direção do mais velho.

- Que mentira – eu disse, fingindo ter sido ofendida. – Eu e Jimin somos tão amigos. – falei, indo até o garoto e lhe abraçando. – Não é, Chimchim? – perguntei, fazendo uma expressão fofa. O garoto arqueou as sobrancelhas, parecendo confuso com a minha atitude.

- Eu sei muito bem que você colocou o ovo lá, quatro-olhos. – ele disse, com o tom de voz áspero, desvencilhando-se do meu abraço.

- Que cruel, Chimchim. Que provas você tem? – perguntei, colocando as mãos na cintura. O professor apenas nos assistia, totalmente perplexo com nossa discussão. – Até onde eu sei, uma galinha pode ter entrado pela janela da escola e achado seu tênis muito atraente. – falei, encarando minhas unhas, fazendo com que toda nossa turma explodisse em gargalhadas.

- Isso é ridículo. – Jimin retrucou, dando um riso soprado. – Você vai acreditar nessa louca, professor? – ele perguntou, num tom debochado.

- Pra mim, acreditar que Harumi tenha perdido seu tempo colocando um ovo dentro do sapato de um aluno parece tão absurdo quanto uma galinha ter entrado no prédio e feito seu tênis de ninho, Park Jimin. – o professor finalmente se pronunciou. – Além do mais, é sua culpa por não ter visto o ovo. Por Deus, quem é que calça o próprio tênis com um ovo dentro? – ele perguntou, incrédulo com a situação. Jimin apenas o fitou, enfurecido, enquanto nós gargalhávamos.

A minha barriga já doía de tanto rir por causa da expressão indignada no rosto do garoto de cabelos alaranjados. Eu já estava rindo fazia um bom tempo, e continuaria rindo, se o professor não nos tivesse interrompido.

- Tudo bem, terceiro ano, agora chega. – ele falou, apitando em seguida, fazendo com que nós cessássemos os risos. – Em formação de aquecimento. – pediu, e logo todos os alunos começaram a formar um círculo. – Menos você, Jimin. – disse, dirigindo-se ao mais novo. – Vá arranjar outro tênis. – falou por fim, parecendo se compadecer do estado do garoto.

Jimin negou com a cabeça, como se não acreditasse naquela situação. Passou a mão pelos cabelos, visivelmente nervoso. E, quando percebeu que eu o observava, começou a caminhar em minha direção, mancando por causa do ovo quebrado dentro do tênis.

Eu permaneci parada, com os braços cruzados e um sorriso divertido no rosto. Eu até poderia ter saído dali, mas estava muito curiosa para saber o que o garoto diria.

- Como é, Park Jimin? – perguntei quando o garoto se aproximou, arqueando uma sobrancelha. – Vai desistir? – completei, em tom de desafio.

- Eu? Desistir? – indagou, dando uma risada abafada. – Me espere na saída, quatro-olhos. – falou, com um sorriso no rosto, antes de se dirigir ao vestiário.


Notas Finais


sobre a haru crazy girl sendo fofa e chamando o jimin de chimchim: ♡♡
gente, eu queria desabafar aqui!! falar sobre essas coisas que eu estou tentando abordar na fic (primeira vez e etc) é uma coisa MUITO dificil pra mim, porque eu sou muito fechada e muito envergonhada mesmo!! eu tenho muita vergonha de falar sobre isso, então, como eu decidi que essa fic vai ser mais "sensual" que california dreamin (aloka), eu vou tentar de verdade abordar esse assunto com voces, espero que com o passar da fic eu perca minha vergonha e consiga falar dessas coisas com mais naturalidade!! ♡♡
eu conto com a ajuda de voces, espero que voces deem muito apoio e amor a fic, e peço que não me critiquem se as cenas mais "sensuais" não ficarem muito boas, eu realmente sou nova nisso TuT
eu tenho muitas ideias na minha cabeça, e tenho certeza que quando eu começar a escrever vou ficar até corada (pq sou dessas), mas espero de coração que não me abandonem!! ♡
esse é um projeto que eu quero levar pra frente e vou ficar muito orgulhosa quando eu finalmente terminá-lo. ♡
muito obrigada por todos os comentarios e por todos os favoritos!! eu amo voces ♡
kissusssssss e ate o proximo cap ~ ♡
twitter: @sorayabegail
tumblr: myfairytails.tumblr.com


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...