História Life Hurts Too - Capítulo 22


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Tags Dança, Luta, Prodígio
Exibições 49
Palavras 1.369
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Luta, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


quem é vivo sempre aparece, né non?!

Capítulo 22 - The past never died


Julie.
Depois de um tempo, Justin acreditou que não havia acontecido nada demais, apenas um mal estar e ficou na sala fazendo seus trabalhos da faculdade. Eu precisava me distrair, então coloquei uma calça saruel vinho, uma regata branca e tênis; peguei as chaves do carro e fui falar com ele.
- Bae, vou até o antigo estúdio, tudo bem? - ele assentiu, selei nossos lábios. - Até mais.
- Se cuida! - ele disse mais alto, pois eu já me encontrava fechando a porta. 
(...)
Eu dançava ao som de Needed me - Rihanna, eu tinha finalizado a coreografia e estava ajustando algumas coisas. Decidi fazer uma pausa para tomar água, eu estava ofegante e cansada, prendi meu cabelo e peguei minha garrafinha. 
- Sempre me surpreendo com sua capacidade para dança. - soltei um soluço com o susto e vi Luke apoiado no batente da porta me encarando.
- O que está fazendo aqui? - perguntei ignorando seu comentário.
- Vim fazer uma visitinha sem seu guarda-costas. - disse debochado e eu revirei os olhos. - Me surpreende que ele esta com você mesmo sabendo o que você fez. - me senti ofendida, mas não demonstrei. - Mas você também está com ele mesmo depois de tudo o que ele fez, então... - ele deu de ombros e eu franzi o cenho.
- Como assim? O que ele fez?
- Oh! Ele não te contou... Ops. - riu irônico. - Ele não te contou que já se uniu a uma máfia para destruir o próprio pai? Que matou pessoas para o destruir? Que traficou e Deus sabe mais o que? - neguei a cabeça chocada. 
- Isso... Isso é mentira! - disse incrédula. 
- Então pergunte a ele quem é "Lil Bizzle" - disse fazendo aspas com as mãos. - Pergunte a ele o que ele acha de Atlanta também, onde ele foi um dos maiores criminosos, todos o subestimavam por conta de pouca idade e em seguida, retiraram o que disseram e admiraram tamanha frieza para uma pessoa só. - meus olhos estavam cheios de lágrimas, ele estava jogando comigo, só podia ser.
- Você está mentindo pra mim! - disse certa daquilo.
- Eu não teria o porquê inventar isso. - deu de ombros. - Mas agora vai de você... Acho estranho que nunca tenha reparado no quanto ele é agressivo, explosivo... Você acha normal? - perguntou e saiu em seguida.
Comecei a pensar no que ele dizia, tudo tava fazendo uma confusão na minha cabeça, ele não pode ter matado pessoas, traficado nem nada! Ele tem seus problemas, mas eu conheço meu menino, ele tem um coração bom! 
Cansei daqueles pensamentos e peguei minhas coisas para voltar para casa, não estava me sentindo bem. Dirigi devagar e com cuidado, cheguei ainda meio atordoada em casa e encontrei Justin apenas de bermuda e com os cabelos meio úmidos, denunciando que havia tomado banho. Ele me encarou e sorriu pequeno, eu não conseguia expressar reação alguma, mas tentei sorrir e fui direto para o quarto. 
- Ju, o que foi? Está tudo bem? - Ele apareceu no quarto e eu estava me preparando para tomar banho.
- Sim, eu só preciso tomar um banho. - sorri meio falso, e entrei no banheiro para tomar meu banho.
(...)
Sai de lá com um pijaminha que peguei no guarda-roupa e encontrei Justin sentado na poltrona, me esperando.
- Será que agora você pode me explicar o que aconteceu? - ele perguntou calmo. Joguei a toalha numa cadeira ali perto e o olhei novamente.
- Quem é Lil Bizzle? - meus olhos se encheram de lágrimas e o rosto de Justin se empalideceu e ele se levantou.
- Como... Quem te falou isso? 
- Quando você ia me contar sobre sua máfia? Ou que você era traficante de drogas? Ou então, que você matou outras pessoas? - perguntei brava.
- Isso faz parte de um passado que eu não mexo e que você não precisa saber, babe. - se aproximou e eu recuei. - Não se afaste de mim.
- Eu quero que você me conte tudo sobre isso. 
Ele me olhou por alguns instantes e suspirou se sentando na poltrona e eu na cama em sua frente.
- Depois de um tempo tendo ódio do meu pai, eu decidi que eu iria até Atlanta para acabar com ele, quando eu cheguei lá com os meninos, fomos a um bar. - ele umedeceu os lábios antes de continuar. - Conheci um cara, Fred, conversamos sobre muita coisa e o contei sobre meu pai e descobri que ele era inimigo dele, com este fato acabei descobrindo que ele era um criminoso que pretendia acabar com meu pai, me mostrou a vida boa que levava: uma casa mais foda que a outra, diversos carros potentes, a mulher que ele quisesse e muito mais. - ele falava com vontade, como se sentisse falta - me juntei a ele e construi meu próprio império, eu tinha uma casa foda, seguranças, carros, dinheiro, empregados, tudo! Eu e os meninos acabamos com diversas gangues, traficávamos, roubávamos e algumas vezes matamos pessoas, mas era necessário. Eu quase destrui o meu pai, mas ele escapou e brigamos, eu me afoguei nas drogas e tive uma overdose, mas fui para o hospital a tempo e fiquei internado numa clínica, tempo depois voltei pra cá para que eu pudesse recomeçar minha vida longe daquilo tudo, começar uma faculdade, ficar perto da minha mãe e logo depois eu te conheci. - finalizou com um suspiro enquanto andava ate o barzinho e pegava um copo de whiskey.
Eu simplesmente não sabia o que dizer, em um instante eu o conhecia com a palma da minha mão e no outro, ele era um estranho. Ele me encarava com intensidade e parecia tentar descobrir o que eu estava pensando ou sentindo. 
- Diga alguma coisa. - ele pediu baixo.
O que você quer que eu diga? - me levantei e o encarei, ele fez o mesmo. - Eu achei que te conhecia bem, mas você estava me escondendo uma parte da sua vida que eu deveria saber! Você... Você matou pessoas, Justin. Oh, meu Deus! Você traficou drogas, você era um... criminoso. - Disse ainda meio chocada.
- Ju, não foi de todo o mal. - o olhei incrédula por sua sentença, como não foi de todo o mal? - Eu traficava para conseguir a confiança dos traficantes e ter aliados para me ajudar contra o meu pai, matei apenas pessoas que estavam prestes a me matar ou a matar algum dos meninos. As pessoas que eu matei eram milhares de vezes pior do que eu. De qualquer forma isso ficou no passado, não vamos deixar interferir no nosso presente. - ele disse pegando minhas mãos, travei minha respiração e senti meu estômago revirar, esse é o poder que ele tem sobre mim.
- Eu não sei, tanta coisa de repente e eu tive que saber por outra pessoa, ou você não me contaria. - o repreendi na última fala. 
- Eu sei e me desculpe por isso, mas agora eu já te contei tudo! Não há nada sobre mim que você não saiba e que eu  tenha que esconder. - disse olhando nos meus olhos. - Eu amo você.
Suspirei e dei um passo a frente.
- Eu também amo você, mas por favor, não minta pra mim, ok?
- Nunca. 
 Ele sem esperar mais nada me beijou e o clima ficou mais leve. 
(...)
 Saímos a noite para tomar sorvete, a mesma estava bem quente e fomos nos refrescar um pouco. Estávamos andando numa rua mais escura quando senti que estávamos sendo seguidos.
Apertei mais o braço de Justin e ele me olhou com o cenho franzido, apenas o olhei com medo e ele entendeu. Juntou nossos corpos e virou a esquina, nos encostando na parede e me fez um sinal que eu deveria ir para trás e quando o homem virou a esquina, Justin o socou no rosto e prendeu seus braços para trás e o jogou na parede, ainda o segurando.
Estava com uma péssima feição mas ela se transformou em confusão, até que ele se pronunciou:
Fred

 


Notas Finais


peço perdão a todas vocês, mas desde abril muita coisa aconteceu na minha vida! coisas boas e coisas ruins e minha inspiração foi embora, eu n tive tempo e eu não queria postar algo bosta, então não postei, mas eu nunca, jamais abandonaria algo tao importante!!! espero que entendam e me perdoem, amo vcs e I'M FUCKING BACK!!!!!
não deixem de comentar ou dar fav, pq se nao eu me desmotivo pf
eu amo vcs


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...