História Sete Pecados e Outras Situações - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, D.O, Kai, Lu Han, Sehun
Tags Baekhyun, Bishounen, Byun, Chanyeol, Comedia, Drama, Exo, Fluffy, Original, Shounen Ai, Tragedia, Yaoi
Exibições 23
Palavras 807
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Pansexualidade, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Acho que me faz mal criar uma fanfic nova com outras duas pra atualizar.
*bebe café* Espero que goste ^^
Até as N.F

Capítulo 1 - Preguiça e Stress


Fanfic / Fanfiction Sete Pecados e Outras Situações - Capítulo 1 - Preguiça e Stress


— Eu não estou com vontade de escrever.

— Como é?

— Eu disse que---

— Eu já ouvi, Chanyeol.

— Então por que você---

— Vai se foder, Park Chanyeol — Baek apontou o indicador na direção do rosto do homem — Você não pode do nada ficar sem “vontade de escrever”. Você está há duas semanas sem me entregar essa merda de manuscrito. Quer me ver desempregado, maldito?

Chanyeol deu uma risada contida. Ele só poderia fazer isso, afinal, não estava a fim de ter sua passagem adiantada para o céu. Ver seu amado editor irritado era a melhor coisa que poderia acontecer numa segunda-feira. Sabia que isso custaria sua vida, mas valia a pena.

Byun Baekhyun era seu editor desde que publicou seu terceiro livro, – que demorou muito tempo para ser escrito, afinal, ele é um preguiçoso nato – antes disso, era um ajudante de editor, e, segundo Baekhyun, era um saco. Nada de interessante acontecia: Só ia pegar café para seu chefe, manuscritos na casa de escritores paranoicos ou ouvir problemas de escritores paranoicos enquanto tomavam o café do chefe.

Entendia o porquê de Baek ser mais estressado que a maioria. Mas ultimamente, têm estado mais nervoso que o normal.

— Até o final do dia, esse manuscrito tem que estar pronto, Chanyeol. Ultimamente tenho feito suas vontades até demais e não ‘tô a fim de arriscar mais nada.

Ah, pensou. Sabia o que estava acontecendo. Deu um pequeno sorriso e levantou-se vagarosamente do sofá de couro marrom. Tirou algumas embalagens de doces e jogou no lixo.

Baek observava todo aquele ritual silenciosamente, não sabia o porquê de Chanyeol ter saído do conforto sem sequer fazer alguma manha ou birra, como estava acostumado.

Baek — o mais novo quase deu um pulo, não percebera que o homem já estava na porta do quarto — Não me incomode nas próximas duas horas — fechou a porta, produzindo um barulho desnecessariamente alto.

Baekhyun não sabia como reagir perante aquela situação, passou a mão pelos cabelos castanhos e levantou-se da poltrona cinza meio receoso, como se, num passe de mágica, Park Chanyeol aparecesse atrás de si, zombando de sua hesitação. 

Observou a mesa de centro, estava cheia de páginas de jornais espalhadas, alguns livros e garrafas de cerveja rodeavam o móvel. O pote de doces estava sem tampa e sem doces. Estava tudo quieto. 

De certa forma, ele teria que admitir, sentia-se desconfortável com a calmaria repentina. Levou um susto. Era possível ouvir o barulho de teclas e alguns xingamentos nem um pouco recomendados provenientes do outro cômodo.

Ele preferia isso ao silêncio que estabeleceu-se no apartamento.



Chanyeol xingava-se em pensamento e externava sua frustração.

Estava sem ideias, afinal, nada de interessante acontecera ao longo da semana para servir de inspiração. Tudo havia sido terrivelmente calmo e silencioso. Ora ou outra, botava um reggae para ouvir e relaxar ainda mais ou, de vez em quando, divertia-se ouvindo os gemidos altos dos vizinhos ou do gato sodomita deles.

Nenhum lampejo inspirativo surgia em sua mente. Nem mesmo a playlist que escolheu gerara algo. Esticou os braços ouvindo um estalar alto, pensou por um segundo ter deslocado-os, mas foi esse som que impulsionou os instintos criativos de Chanyeol.



— Toma, está tudo pronto.

Como prometido, depois de duas longas horas, Chanyeol apareceu com um maço de folhas nas mãos. O mais novo olhou de relance o escritor, que mudara bastante em apenas pouco tempo: estava com as mangas de sua camisa arregaçadas e com um cheiro forte de café. Seu cabelo negro estava bagunçado e em seu rosto jazia os óculos de armação grossa e uma expressão impaciente. 

Baek hesitou antes de pegar os papéis, e quando o fez, deu uma lida rápida, verificando se estava tudo de acordo — Ok, já que terminou sua parte, então posso---

Não pôde completar a frase pois era abraçado fortemente por trás.

Chanyeol deu um suspiro profundo — Você têm estado muito estressado, sabia? — não esperou resposta, pois era uma pergunta retórica — Queria poder ajudar de alguma forma...

O jovem virou a face para poder encarar Chanyeol, que o olhava sugestivamente. Quando percebeu o que o homem queria dizer, desprendeu-se do abraço — Pervertido!

— Ora, sexo é o melhor remédio, independente da situação, não sabia?

Baekhyun corou rapidamente. Pôs a mão no rosto e dirigiu-se à saída — Você não presta! Nunca mais venho aqui! — abriu e fechou a porta violentamente.

Chanyeol deu uma risada discreta. Tirou os óculos e pôs na mesa de centro, analisando a faxina feita por seu editor. Só podia rir da fissura por limpeza que Baek tinha.

Enquanto inúmeras fantasias surgiam em sua cabeça com o mais novo, de relance, viu a tiracolo sobre a poltrona cinza. Deu uma gargalhada. Pegou a bolsa, sentou-se na poltrona e deixou-a ao lado. Fechou os olhos e murmurou:

— Aparentemente, alguém vai ter  que retornar. 


Notas Finais


Eu sinceramente não sei o que deu em mim ao querer fazer uma fic Nova.
Tenho outras duas e nenhuma ideia me vêm a cabeça (o que é muito ruim) Maas incrivelmente minha mente sussurra em meu ouvido, dizendo:
Rabbit-saan...Rabbit-saan... Escreva uma nova história, vai ser legaal....
Odeio minha mente.
E foi isso que saiu.
Me perdoem por estar uma bosta ;-;

Beijos na costa da mão =3=


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...