História Life [ taekook ] - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jungkook, V
Tags Adultério, Bogum, Jungkook, Oneshot, Taehyung, Taekook, Traição, Vkook
Visualizações 48
Palavras 1.604
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fluffy, Shonen-Ai, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Adultério, Heterossexualidade, Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Tô triste

Capítulo 1 - Um anjo


Ao receber aquela notícia suas pernas fraquejaram e o garoto que estava tentando ser forte a um bom tempo acabou por deixar as pernas finalmente fraquejarem e caiu de joelhos no chão, suas lágrimas espessas escorreram em abundância por sua pele dourada.

Kim Taehyung não queria acreditar na verdade, seu coração não aceitava isso. Os dois eram tão felizes, JungKook tinha tanta coisa pela frente, como a morte chegou aos seus pés tão rápido? Nada o traria de volta, Taehyung nunca mais o veria.

A mãe do moreno se abaixou o envolvendo em um abraço carinhoso afagando seus ombros. O Kim não tinha forças para se manter em pé, a dor era imensa e uma jorrada de sentimentos de culpa invadiam seu consciente, mesmo que não tivesse feito nada. Mas era exatamente por isso que Taehyung se culpava.

Antes não tivesse deixado seu amor sair por aquela porta naquela manhã fria, antes tivesse-o impedido de ir para aquela viagem tão cedo que nem o Sol entrava pelas janelas, antes tivesse respondido o "eu te amo" que Jeon havia lhe dito, antes tivesse tomado alguma atitude diferente.

Naqula noite gelada em que Taehyung recebeu a notícia de que seu amado não estava mais vivo, ele se trancou em um quarto do apartamento onde moravam e não parou de se culpar por nenhum instante.

Ele delirava enquanto pensava o porquê de Jeongguk ter morrido, ele apenas havia saído para uma viagem de negócios. Por que ele? Tantas pessoas, tantos senhores que já estavam no fim da vida, tantos jovens que não queriam mais viver… por que justamente seu JungKook, que adorava a sua existência, estava morto?

Não era justo. JungKook batalhou tanto pela vida que tinha atualmente, para superar os preconceitos, os obstáculos, a falta de dinheiro… ele conquistou tudo.

A horas atrás Jeon comemorava o aumento do salário e dizia para Taehyung que os dois iriam sair para comemorar.

— Amor, temos que sair! Faz tempo, não é? - Abraçou Taehyung por trás enquanto destribua selares pela sua nuca, sempre carinhoso - vou te levar para a praia. O que acha? Passar um tempo juntos, só eu e você. Estou ansioso!

Essa viagem nunca vai acontecer. Taehyung não vai voltar a ver a empolgação e ansiedade presente no namorado toda vez que planejavam ir em algum lugar.

Lembrou-se de todos os seus momentos juntos, flashbacks felizes que se tornaram dolorosos naquele momento de dor. Não queria ter todas aquelas lembranças agora, não queria estragar os momentos felizes com sua mente pertubada e depressiva.

— Eu te amo… - sussurrou no ouvido de Taehyung enquanto entrelaçava seus dedos aos dele - eu nunca te deixarei, não importa onde.

— Promete? - Taehyung fez bico enquanto sentia suas lágrimas serem secadas. Ele e Jeon a semana atrás haviam brigado e JungKook sumiu, Taehyung ficou tão desesperado, pediu tantas desculpas, mandou tantas mensagens e felizmente o moreno havia aparecido com o maior sorriso de todos e disse que não estava ressentido. Foi apenas uma briga e beijos resolviam tudo.

— Eu prometo meu amor, por que eu iria te deixar se eu te amo? Sem você eu não vivo. - Os dois sorriram enquanto apertavam mais os dedos entrelaçados.

JungKook, você disse que estaria aqui sempre comigo, me prometeu. Disse que não vivia sem mim. Cadê você meu amor? Volte para mim.

Taehyung pensou enquanto seu estoque de lágrimas ainda não cessava. O amor dos dois era tão lindo, eles se amavam tanto.

Esse amor que era lindo acabou, Taehyung ficou solitário, seu corpo não sentia mais o calor de JungKook todas as noites, não ouvia mais a voz de seu coelhinho que sussurrava eu te amo toda manhã, sentia um vazio imenso ao olhar para os lados e não ver suas cabeleiras castanhas em nenhum lugar.

Ele se foi.

Tinha que aceitar mas todos os dias acordava esperando ver o moreno deitado ao seu lado e seu sorriso acolhedor o sacudindo e avisando que estava tendo um pesadelo.

Mas não era o que acontecia, não mais e nunca iria voltar a acontecer.

Acabou.

Uma vez Jeon lhe disse:

— Amor, não fique triste. Tudo passa, tudo um dia vai acabar, nada é para sempre, todos esses problemas vão passar.

Tudo passa, tudo acaba, nada é pra sempre.

Isso também se aplicava a vida de JungKook.

Era tão difícil aceitar. Imagine o que é ter aquela pessoa que sempre amou do teu lado e simplesmente de um dia para o outro nunca mas sentir o abraço dela.

Taehyung abraçou o travesseiro que estava jogado na cama onde muitas vezes fizeram amor e o cheirou tentando sentir o cheiro específico de JungKook.

Aos poucos tudo de JungKook estava indo embora.

Chegaria a um ponto em que Taehyung não se lembraria nem mais da voz dele e não era isso que queria, esquecer-se de seu amor de anos? Nunca, era uma traição.

Queria lembrar-se de seu homem em todos os detalhes, mas era difícil e Taehyung se culpava por isso.

[…]

Batidas foram ouvidas na porta mas Taehyung estava ocupado demais deitado vendo as fotos de JungKook, revivendo os antigos momentos então pouco se importou.

Escutou um suspiro alto e a porta rangeu sendo aberta aos poucos.

Bogum entrou no quarto encarando seu amigo naquele momento de melancolia.

— Taehyung…

— O que você quer? - O moreno largou as fotografias em cima da cama e encarou o outro que tinha uma feição contraditória.

— Eu… eu tenho que te contar uma coisa. Você tem que aceitar, tudo bem? Não podemos mais adiar com isso, já faz um mês que você não sai dessa casa.

Taehyung suspirou fundo e se sentou na cama. Ele estava acabado, olheiras profundas, os lábios inchados e o nariz vermelho, suas bochechas brilhavam com o recente resquício de lágrimas.

— O que foi? O que não podem mais adiar?

Ficou relutante em falar mas não podia mesmo mais esperar.

— Sabe o dia da morte do JungKook? - Taehyung olhou para baixo ameaçando chorar novamente e balançou a cabeça confirmando - bem… - Bogum sem jeito apertou os dedos, Taehyung ainda estava muito afetado. - Vai tomar um banho, temos que ir a um lugar.

Se retirou do quarto deixando Tae sozinho e confuso com seus próprios pensamentos.

Depois de ter tomado banho e vestido uma roupa decente Taehyung foi para a sala encontrando Bogum sentado no sofá batucando os dedos na próxima coxa, um ato nervoso.

Jeon te traía - falou sem ladainhas e Taehyung demorou a processar. Até que caiu a ficha.

—…

Nada respondeu e se sentou na poltrona ao lado para que não caísse no chão.

— Ele morreu no acidente junto com a amante, ele não estava fazendo uma viagem de negócios, estava indo passar férias.- Taehyung ouvia tudo com os olhos lacrimejando.

Traía? Amante? Era verdade o que estava escutando?

JungKook o amava tanto, que motivos teria para o trair?

Bogum se levantou rapidamente para abraçar o acastanhado que quase caiu para frente sem forças para sustentar o próprio tronco.

— Não, não. Ele me amava, nos amavamos tanto, ele tem não teria motivos para ter outra. A gente só precisava de nós dois! Ele não vivia sem mim e nem eu sem ele! - Queria provar a si mesmo que JungKook era leal a ele.

— Taehyung - o segurou pelos ombros e encarou no fundo se seus olhos - JungKook o amava muito, todos temos certeza disso. Não sabemos por qual motivo ele tinha uma amante mas agora já passou e eu preciso que você me acompanhe até um lugar.

Taehyung já não queria sair antes, agora então só queria se matar. Tinha sido forte o tempo todo, aguentando tudo isso por Jeon, porque sabia que caso tivesse se suicidado JungKook teria chorado por ele, mas… uma traição. Jeongguk realmente se importava consigo?

Persuadido pelas palavras de Bogum o castanho levantou-se da poltrona e juntos foram para o carro estacionado do lado de fora da casa.

[…]

Bogum abriu a porta branca e suspirou deixando que Taehyung entrasse.

O Kim foi pego de surpresa ao ver uma pequenina sentada no sofá também branco e que encarava os dois com seus olhinhos pretos.

Taehyung semicerrou os olhos se dando conta do que tinha em sua frente.

Aquele rostinho…

Aquela boca…

Aqueles olhos...

Era o JungKook completo em uma versão menor e feminina.

Sua vista voltava a embaçar quando se aproximou da pequena e se ajoelhou em sua frente observando o sua face delicada que o encarava com curiosidade.

— Bogum, ela é o que eu estou pensando? - Sua voz falhou ao questionar.

— Sim, Tae. Essa é a filha de JungKook. Jeon Yuna.

Aproximou-se lentamente da menor se ajoelhando em sua frente e estendeu sua mão trêmula, a garotinha agarrou sua mão resitante, ele acaricou as bochechas da garota com seu polegar.

— Você é tão bonita… quantos anos tem?

— Obrigada. - Respondeu sem graça abaixando a cabeça e levantou três dedinhos balançando as pernas.

Era tão pequena, tão delicada, tinha todos os traços de JungKook.

Olhava para a garota estupefato. Seus os olhos transbordavam água e ele se deixou soluçar baixinho fechando os olhos. A pequena ficou nervosa sem saber o que fazer, alternava o olhar assustado entre Kim e Bogum.

— Taehyung… ela está órfã. Você tem direito a guarda dela por ser marido oficial do JungKook.

Taehyung o olhou como se esperasse que continuasse o que tinha a dizer mas quem esperava uma resposta era Bogum.

— E a família materna dela?

— A mulher só tinha a irmã mais velha como parente viva, mas as duas não tinham um bom relacionamento e ela logo recusou-se a ficar com a garota. Você é a única pessoa que ela tem agora, Tae…

Taehyung voltou a encarar a pequena de feições bonitas a sua frente e acaricou os cabelos negros da mesma.

— Você quer vir morar com seu segundo appa?

Recebeu um sorriso espontâneo em resposta e pegou a menor no colo a abraçando.

Então aquele era seu anjo.


Notas Finais


Só agora percebi que só escrevo oneshot onde o JungKook morre

B E R R O

Sou mto malvada mesmo, desculpa.

Énos e um beijão pra quem leu.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...