História Life's obstacles - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Drama, Jikook, Jimin, Jungkook, Romance, Yaoi
Exibições 11
Palavras 2.041
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Ficção, Romance e Novela, Suspense, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


SORRY SORRY SORRY
Sei que demorei, desculpem
final de ano, muita prova, muita entrega de trabalho, professores enchendo o saco ... TA DIFÍCIL
Agora que está tudo calmo, resolvi postar ...
Nem sei quando vai sair o próximo capítulo, mas já ta pronto, só que quero terminar o quarto capítulo pra postar o terceiro e começar a escrever o quinto e vai ser assim agora em diante ( não sei se me entenderam mas ok)
vão ler

Capítulo 2 - O dia de basquete !


Ele se aproximou de mim e aproveitei para abraça-lo devagar, mesmo com ele estando com o corpo todo suado.

-Jimin, oh, não me abrace, estou todo suado! -Ele riu.

-Realmente... -Ri baixo. -Mas eu não me importo! -Sorrio.

-Achei que não viria... -Ele retribuiu o abraço. -Mas você está aqui *-*

-Sobre isso... -Separei o abraço e peguei em suas mãos. -Me desculpe por não ter aceitado mais cedo esse passatempo tão divertido, eu estava quase desmaiando de sono, eu realmente não sabia o que estava falando. Eu realmente sinto muito do só ter chegado agora e estragado esse clima gostoso que estava entre você e seu pai. 

-Abaixa um pouco! 

Me abaixei um pouco para ficar de sua altura. Ele puxou minha cabeça com as mãos e beijou minha testa.

-Não se preocupe, não precisa pedir desculpas e muito menos sentir muito, de uma forma ou de outra você está perdoado. Ainda está cedo... Vamos aproveitar e parar com esse blá blá blá todo! -Ele disse calmo e depois foi se dirigindo novamente à quadra. -Vem! -Ele me chamou.

Eu fui junto. JungKook disse para seu pai nos assistir jogando dessa vez e ele concordou. Começamos uma partida. Ele estava ganhando, ele jogava tão bem quanto eu, ele jogava tão bem quanto uma pessoa que pode andar! Algo estranho que percebi nele, foi que ele sempre está cobrindo suas pernas com um pano, um cobertor na verdade. Ele sempre está com um bendito cobertor naquelas pernas. O que será que tem ali debaixo? Bom, eu não o conheço ainda tão bem, então não posso confirmar que aquele cobertor está sempre ali, mas... Tem algo muito estranho por trás disso tudo. Enfim, o jogo acabou e JungKook ganhou. Ele parecia feliz por ter ganhado, mas um feliz meio sem cerimônia sabe... Eu perdi pra um ser que nem ao menos anda, não sei por que, mas estou me sentindo orgulhoso tanto por ele, quanto por mim. Fomos beber água e descançar um pouco. Me sentei em um banco e JungKook ficou do meu lado. 

-Como você conseguiu essas assinaturas? É raro ver jogadores de basquete dando autógrafos! -JungKook me perguntou de olho na camisa.

-Minha mãe sempre me levou nos jogos de basquete e como eu era uma criança muito anjinha, eu dava um jeito de conseguir um autógrafo dos jogadores!

-Wow, pena que eu não tive oportunidade de ter ido em tantos jogos e nem de pensar dessa maneira!

Jogamos mais uma vez. Por pouco eu perdia de novo. Quando terminamos o último jogo, sim, jogamos três vezes naquela manhã  e depois fomos almoçar. Almoçamos em um lugar simples onde, segundo JungKook, o mesmo junto à seu pai gostava de comer. Ele gostava de coisas simples, sem muita cerimônia e nem qualquer tipo de luxo. Coisas simples, mas bem feitas e bem cuidadas lógico. Depois de almoçar, nós entramos no carro do pai de JungKook e o mesmo estava escondendo de nós, onde iria nos levar. 

-Paaii!! Fala logo e para de suspense!! -JungKook falava muito manhoso. Que coisa mais fofa.

-Jimin, liga não! JungKook é assim mesmo, muito manhoso! -O pai dele falava rindo da ação do filho.

-Ele é a coisa mais fofa desse mundo! -Falei e apertei as bochechas do mesmo.

Ele ficou vermelho e depois ameaçou comer minha mão se eu não tirasse ela dali, mas ele estava com uma carinha tããão fofa que a ameaça não pareceu ser tão cruel. O pai de JungKook estacionou o carro de frente pra um shopping.

-Shopping???? QUE DEMAIS! -JungKook falou como se nunca tivesse ido num shopping.

-Shopping? Que legal! -Falei normal sorrindo.

-Filho, como você raramente vem em um shopping, decidi traze-los aqui !

-OBA! -Ah agora entendi essa animação toda.

-Eu não vou poder ficar então se cuidem ok? Mais tarde venho buscar vocês !  -Ele sorriu e nos deixou no shopping.

Entramos no shopping e começamos a andar em silêncio. Esse silêncio estava me matando até que eu vi uma maquininha daquelas que você tenta pegar o bichinho de pelúcia. Corri até a mesma e tentei pegar um bichinho de pelúcia. Eu consegui pegar um RILAKKUMA!!!!!! Fiquei muito feliz e me assustei ao ver JungKook do meu lado.

-O que está fazendo? -Ele me assustou.

-N-nada... -Escondi o rilakkuma atrás de mim, antes que JungKook visse. 

-O que está escondendo aí atrás? -JungKook disse tentando olhar atrás de mim.

-Eu já disse que nada, você está muito curioso. -Tentei pensar por alguns segundos no que fazer com aquela pelúcia. -Eu já volto! Fique aqui! -Falei e saí correndo para outra loja.

Eu queria dar isso para JungKook, mas não sabia como. Fui em uma loja e olhei alguns colares. Todos eram bonitos, mas tinha um que estava me chamando a atenção. Tinha um com um tipo de bolinha negra como pingente. Ele era lindo, simples, mas lindo. Comprei aquele colar e coloquei no rilakkuma, calma, vocês vão ver o que irei fazer. Pedi para a moça embrulhar tudo com um papel de presente e depois paguei o colar e saí da loja indo em direção à JungKook com o presente escondido nas costas, acho que ele nem imaginava o que tinha nas minhas costas. Eu estava um pouco nervoso... Será que ele iria gostar do presente? Será que não é simples demais? Será que ele iria querer algo melhor? Acalme-se Park Jimin, tudo irá dar certo. Ele estava lá olhando os bichinhos de pelúcia da máquina. Me aproximei e o olhei.

-É... JungKook? -Chamei-o.

-Sim? -Ele me olhou. -Que bom que voltou! Vamos continuar a andar?

-Calma! É... Eu quero te dar isso! -Tirei o presente das minhas costas e estiquei o meu braço para dar o presente para JungKook. -É para você!

-Pra mim? -Perguntou confuso. Ele pegou o presente nas mãos e começou a abrir. Se vocês vissem a cara de felicidade que ele fez, ficaríam surpreendidos como eu fiquei. -Jimin que fofo! Um rilakkuma!! Sério obrigado! -Alguns segundos depois ele percebeu que havia um colar na pelúcia e sorriu mais ainda. -Meu Deus Jimin que lindo! Eu vou surtar da qui a pouco! Sério que lindo! -Sem falar nada, eu tirei o colar do rilakkuma e coloquei em JungKook. -Vou usar para sempre! -JungKook falava muito feliz.

-Pare de agradecer! Gosto de você e gosto de agradar as pessoa que eu gosto! -Sorrio. -Parece que nunca ganha presentes na vida!

-Ah, mas ganhar presente de uma pessoa que você gosta muito é outra coisa! -Ele sorriu. -Vai, vamos continuar andando!

-Vai, agora vou te levar pra você poder ficar agarrado com seu novo rilakkuma!

Começamos a andar novamente e JungKook não largava aquele bichinho. Será que foi especial pra ele ter ganhado algo de mim? Ha que bobeira, claro que não, qualquer pessoa da um presente pra outra. Depois de um bom tempo andando, passando em lojas e conversando, descidimos parar um pouco e descansar.

-Jimin, eu e o Jimin Junior estamos com fome! -JungKook fez biquinho.

-Jimin Junior? -Eu ri.

-Para de rir! É esse o nome que dei para o rilakkuma. Rilakkuma é um nome difícil e "Jimin Junior" não! Por isso dei esse nome à ele.

-Vou leva-los para comer! -O pai de JungKook chegou do nada nos assustando.

-Que susto pai! -JungKook falou colocando a mão no peito.

-Oh senhor Lee, não precisava chegar desse jeito!

--Desculpem-me, não queria assustar vocês desse jeito! -Ele riu. -Mas então quem está com fome?

-Eu! -Nós dois falamos juntos.

-Então vamos!

Saímos do shopping pela primeira saída que encontramos e fomos para o carro do senhor Lee. O mesmo começou a dirigir. Eu e JungKook ficamos nos olhando por um tempo depois viramos para as janelas que mostravam uma linda paisagem de Seul. Até que uma mão quentinha encostou na minha. E olhei para a mão e depois para JungKook que estava sorrindo.

-Você irá gostar muito da qui! -Ele falava ainda sorrindo como um bobo.

-Eu sei... -Eu sorri.

O pai de JungKook estacionou o carro e o lugar tinha uma cara divertida, empolgante. Entramos no lugar que parecia um MC Donalds so que menos cheio. Sentamos em uma mesa e um moço vestido de palhaço veio nos atender. JungKook olhou para o palhaço, o palhaço olhou pra ele e JungKook saiu do lugar as pressas. Eu não estava entendendo nada o que estava acontecendo, ele teria medo de palhaços? Me levantei e corri atrás de JungKook, seu pai veio junto comigo a procura de seu filho. 

-JungKook tem medo de palhaços? -Perguntei meio preocupado.

-Não sei, nunca vi ele desse jeito! -Nem o pai dele sabia o que estava acontecendo.

Procuramos ele por todo lugar até que o achamos bem distante do lugar onde estávamos antes. Nos aproximamos dele e ele percebeu nossa presença.

-JungKook você está chorando? -O pai do mesmo pergunta.

-Saiam da qui! -JungKook falava com umaz voz grossa e assustadora.

-Deixe-me conversar com ele. Vá para casa depois eu o levo! -Falei para o pai do menor.

-Ok! -Ele saiu.

-Eu quero lhe fazer apenas uma pergunta... Você tem medo de palhaços?

-E se eu tiver?

-Não há problema algum, eu também tenho medo de algumas coisa tipo, eu não suporto altura, sério, se eu for numa montanha russa, vai chover vômito é sério. -Credo, o que eu falei agora? -Palhaços são apenas pessoas fantasiadas, não dão medo, palhaços são aberrações por causa de simples lendas e filmes? Eles são tão fofos e engraçados fora desses filmes. O circo nunca seria reconhecido se não fosse o palhaço né? Quando falamos em circo logo pensamos nos incríveis palhaços com seus jeitos divertidos de ser. Eu devia te colocar em uma sala preso com um palhaço sabia? Só pra você perder o medo... Mas eu nunca faria isso, não quero causar pânico à ninguém e muito menos à você. Mas pra superar o medo, só estando com ele cara a cara.

-Dorme na minha casa hoje? -JungKook me abraçou.

-Claro... Por que não?

Seria divertido, mas não entendi o por que desse convite tão inesperado. Será que ele teria medo dos palhaços e quer que eu lhe proteja? Nós saímos do lugar e chamamos um taxi. 

[QUEBRA DE TEMPO]

-Você vai dormir em sua cama né? Então certamente vou dormir em um colchão né? Então, onde ele está? Quero já coloca-lo e depois avisar minha mãe que estarei aqui!

-Nós dois iremos dormir na cama! 

-Que? Quer dizer, por que nós dois na cama?

-Por que a cama é de casal e não ocupo o espaço inteiro!

-É que eu pensei que por você ser... -Ele me interrompeu.

-Por eu ser desse jeito ou ocupo a cama toda? -Ele riu. -Para de ser bobo Jimin, eu sou uma pessoa normal, apenas vivo minha vida sentado e por razões óbvias, eu não fico em pé. 

-Ta bom então, posso usar o telefone pra ligar pra minha mãe? -Perguntei meio tímido.

-Claro, apenas antes de sair do quarto, desligue a luz e se precisar, só a ligue quando voltar. 

-Ok -Saí do quarto e fui em direção à sala, onde diquei o número da minha mãe no telefone e a mesma logo atendeu.

-Sim? -Minha mãe dizia com aquela sua voz calma.

-Mãe, sou eu, Jimin. JungKook me pediu para dormir aqui na casa dele.

-Ta bom filho, pode dormir aí e quando chegar de manhã, a chave estará debaixo da porta.

-Okay! -Desliguei o telefone. Fui para o quarto novamente. Liguei a luz, "obrigando" o menor a abrir os olhos. -Desculpa

-Não tem problema nenhum! -Ele sorriu.

Tirei o meu short, ficando apenas de cueca e camiseta. Fiquei um pouco vermelho quando percebi que JungKook estava olhando fixamente para a minha bunda. Não tenho culpa se gosto de dormir sem short, nem calça. Apaguei a luz e me direcionei para a cama e me sentei, antes, pensando em algumas coisas que seriam importante para eu fazer amanhã. Me deitei e virei para o lado oposto de JungKook. Fechei meus olhos e logo senti braços rodearem minha cintura.

-Boa noite Jiminnie! -JungKook falou sussurrando.

-Boa noite Kookie! -Falei com o mesmo tom de voz que o menor.

Eu deixaria ele assim, qual seria o problema dele me abraçar né?


Notas Finais


obrigado por você ter lido até aqui
até o próximo capítulo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...