História Ligados pelo Amor — Imagine Park Jimin - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Amor, Aposta, Bangtan Boys, Bts, Drama, Hentai, Hot, Imagine, Imagine Bangtan, Jimin, Jungkook, Min Yoongi, Romance, Suga, Você
Visualizações 1.075
Palavras 1.370
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Esporte, Famí­lia, Festa, Fluffy, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Hey Spirits! 🌸

Demorei né? :') Desculpa, mas como sempre é a minha escola. Socorro quero me formar logo T-T

Obrigada Raira (Ray) por dar umas ajudinhas ai, rs :3

Boa leitura ^.^

Capítulo 8 - Certo ou errado?


Fanfic / Fanfiction Ligados pelo Amor — Imagine Park Jimin - Capítulo 8 - Certo ou errado?

{S/N On}

- Noona! - Taehyung me chamou quando estava no corredor verificando os horários das aulas, o final de semana haviase passado e eu fiquei sozinha nesse meio tempo, já que Ray anda dormindo na casa de Yoongi diariamente. Taehyung não podia pelo fato de seus pais estarem desconfiando de sua sexualidade.

 

 

Domingo ele me ligou chorando, eu senti muita pena, meu peito estava apertado e eu me segurava para não chorar junto com ele. Realmente contar sua verdadeira sexualidade para os próprios pais não deve ser muito fácil, porém não é impossível.

 

Agora Taehyung estava sorrindo abertamente, o que me fazia ficar feliz já que passamos a madrugada inteira conversando.

 

- TaeTae! - Corri para abraça-lo. - Você está melhor?

 

- Estou sim, você é melhor do que muitas psicólogas por aí. - Ele riu de seu próprio comentário.

 

- Bobinho. - Apertei seu nariz. - Se você precisar eu estou aqui Tae, para te ajudar.

 

- Aish! Por que você tem que ser tão fofa? - Indagou balançando os fios de seu cabelo.

 

- É um dom. - Rimos e começamos a andar pelos corredores, estava tudo normal até darmos de cara com Jungkook, vi que os dois trocaram contato visual e sorri batendo palminhas.

 

- S/N! Fica quieta. - Falou em sussurro. Ele estava vermelho.

 

- Ou você é bobo demais ou também é cego. - Ajeitei minha mochila em minhas costas.

 

- Não sei do que você está falando, sweet. - Olhou para os lados fingindo desinteresse.

 

- Vai falar que você não viu? - Perguntei vendo o mesmo negar. - Taehyung! - Exclamei chamando sua atenção.

 

- Não gosto quando você me chama assim. - Fez um bico fofo cruzando seus braços.

 

- Você sabe que não precisa se esconder para mim, não sabe? - Paramos no meio do corredor.

 

- Eu sei... - Suspirou fundo. - Mas e-eu, tenho medo. - Coçou sua nuca.

 

- Medo? - Ele assentiu com a cabeça. - Do que? - Virei minha cabeça para o lado confusa.

 

- É complicado, sabe quando eu disse que meu pai era muito rígido?

 

- Lembro, mas acho que nenhum pai abandonaria seu filho por causa disso. - Falei vendo o mesmo suspirar novamente.

 

- Meu pai disse que nunca aceitaria um filho gay em sua casa. - Abri a boca surpresa. Por que existem pessoas assim?

 

Rejeitar o próprio filho, não deve ser fácil para Taehyung.

 

[...]

 

O sinal tocou e eu fiquei mais alguns minutos esperando Ray, tinha que conversar com ela. Alguns alunos foram entrando, porém ficou um número razoável de alunos conversando no corredor, uns riam altos e outros se paqueravam entre si.

 

Já estava quase entrando em minha sala quando vi duas silhuetas.

 

Uma eu sabia muito bem como reconhecer.

 

Levantei minha cabeça e me deparei com uma cena nada agradável.

 

Jimin e uma garota de mãos dadas.

 

Pisquei várias vezes me perguntando se aquilo era mesmo real. Os dois caminhavam pelos corredores atraindo olhares e cochichos dos alunos que estavam em volta.

 

Engoli seco e me segurei para não ir até ele, já que não temos nada. Eu não conseguia controlar minhas mãos, elas tremiam freneticamente, talvez por conta do nervosismo eu estivesse assim.

 

Segurar um choro era a pior coisa de se fazer.

 

Me virei e entrei na sala rapidamente, Ray já estava lá e me olhava curiosa, já que meu rosto não expressava sequer um sorriso.

 

Me sentei em meu devido lugar e vi os outros alunos entraram, uns falavam alto e alguns fofocavam ainda sobre Jimin e aquela garota.

 

Meu peito se apertou e um sentimento novo nasceu em mim.

 

Desprezo.

 

Quem Jimin pensava que era? Uma hora está comigo e dizendo que me quer por perto, quando de repente ele aparece com uma outra garota. Eu realmente não entendo ele, Jimin é como um jogo que você tem que desembaralhar.

 

Enquanto você tenta descobrir algo sobre ele, Jimin passa por cima.

 

Afinal, por que ele olharia para um menina justo como eu? É realmente difícil entende-lo.

 

Jimin entrou ainda de mãos dadas com aquela garota, e para piorar eles se beijaram, na minha frente.

 

Como ele pode fazer isso? Realmente Jimin e Hoseok tem suas diferenças, porém Hoseok é verdadeiro.

 

Pelo menos eu acho.

 

Me senti frustada, Jimin olhou rapidamente para mim e suas orbes escuras me observavam com intensidade, parecia que Park não estava feliz ao lado daquela garota.

 

Por um momento senti inveja, queria estar no lugar daquela jovem que esbanjava um sorriso enorme em seu rosto.

 

Tudo poderia ser mais fácil se Jimin não agisse como um babaca naquela maldita festa.

 

- Todo mundo sente-se, por favor. A aula irá começar. - O professor mais jovem daquele local falou. Assim os alunos fizeram, todos em seu devido lugar. - Turma hoje temos mais uma aluna em nossa classe. - Apontou para a mesma garota que estava com Jimin, ela se levantou e passou a ponta de suas mãos em seus cabelos ruivos. - Já pode começar a se apresentar, senhorita. - Sorriu e mordeu discretamente seu lábio. O que eu achei muito estranho.

 

A garota com seu corpo estrutural caminhou até a mesa do professor e piscou para ele logo se virando.

 

Impressão minha ou ela e o professor estão flertando? Bem aqui, no meio da aula, eles não seriam capazes.

 

- Meu nome é Yumi, tenho dezessete anos e espero fazer novas amizades com todos, e me dar bem, é claro. - Sorriu falsamente voltando para o seu lugar.

 

A aula começou normalmente, os alunos fizeram suas atividades e Ray continuava com sua cara de desconfiança.

 

[...]

 

Quando trocamos de aula fomos direto para a biblioteca, como Choi pediu. Faríamos alguns textos argumentativos e que valeria nota.

 

Como sempre os mais apressados correram até a prateleira, geralmente eles pegam livros que não são do meu interesse, então não preciso me esforçar.

 

Subi até o segundo andar aonde ficavam livros poucos conhecidos, escritores que não são tão populares porém com suas obras excelentes, muitas pessoas não lêem esses livros por causa da capa ou por simplesmente ninguém falar sobre eles.

 

Mas esses livros são minhas grandes paixões.

 

Olhando rapidamente cada folha de um livro aleatório, senti duas mãos me pegarem pela cintura de forma inesperada. Fechei meus olhos com medo de quem fosse.

 

- S/N! - Me balançou levemente me fazendo abrir os olhos. - Vai! Não temos muito tempo. - Jimin disse olhando para os lados, como se estivesse preocupado se alguém nós visse.

 

- Me solta! - Tentei sair de seus braços porém só fez com que ele me apertasse ainda mais. - Jimin... está me machucando. - Choraminguei.

 

- Me desculpa... - Ele finalmente me soltou e cruzei meus braços. Jimin ficou me encarando por longos segundos, que pareciam horas para mim. Park se aproximou novamente e passou a ponta de seus dedos em meu braço e no rosto, aonde acariciou. - S/N... - Sussurrou meu nome me fazendo olha-lo.

 

- Diga-me logo o que você quer. - Disse ríspida e ele suspirou fundo tentando puxar coragem para finalmente falar.

 

- Aqui não é lugar para namorar. - O professor Choi apareceu e nos pegou de surpresa. - Por favor, voltem para o andar correto. - Mandou e saiu logo em seguida.

 

Antes que eu saísse daquele local, Jimin segurou em minha mão, podia sentir sua destra quente e macia. 

Ah.. sinto muita falta de seus toques.

 

- Podemos conversar depois? - Disse com sua cabeça baixa e em um tom amargurado. Por mais que as vezes eu achasse ele um babaca, não poderia controlar meus sentimentos em relação a isso, eu digo que não me importo mas no final eu mesma me pego pensando nele.

 

Não gostava de vê-lo assim, Jimin parecia contar algo, dessa vez verdadeiramente.

 

Assenti com a cabeça e o meu menino sorriu, ele me puxou pela cintura e deu um selar em minha bochecha fazendo as mesmas esquentarem.

 

- Lhe espero depois da aula. - Disse roçando seus lábios carnudos em meu ouvido, fazendo com que eu me arrepiasse por inteira, Jimin sabia como mexer comigo.

 

Porém uma pergunta ficava em minha cabeça.

 

Eu não me arrependeria depois, certo?

 

 

 

 

 

Errado.


Notas Finais


Gostaram? Vai dar muita merda, beijos.

Não se esqueça de comentar sobre o que achou! 🌸

Vou responder os seus comentários do capítulo anterior >_<

Perfil: @TiaSory

Byebye.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...