História Ligados pelo sangue - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Chandler Riggs, Emily Rudd
Tags Carl Grimes, Chandler Riggs, The Walking Dead
Exibições 197
Palavras 1.382
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Famí­lia, Festa, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


HIIII BABYSSS
Boa leitura e não fiquem com raiva de mim huhauahuah

Capítulo 6 - Seu astro chegou


HOLY PETTERSON

No dia seguinte, eu estava sentada em uma mesa de um estabelecimento próximo a meu apartamento. Katelyn praticamente me obrigou a ir junto com ela, já que a mesma queria que eu presencia-se a sua apresentação. Claro que Josh também foi convidado, mas eles não estabeleciam nenhuma relação “amorosa” até o momento. E era engraçado, e irritante ao mesmo tempo, saber que meu próprio irmão e minha melhor amiga tentavam me esconder que estavam perdidamente apaixonados.

Eu poderia simplesmente explodir e, dizer a eles que eu não ficaria incomodada de maneira alguma. Mas o amor não era meu. Não sou eu quem está metida nisso, esta é a questão.

- Um café, por favor. – Pedi à garçonete que aparece para nos atender. A cafeteria se preenchia cada vez mais, me parecia um bom lugar. Em seguida, Josh fez seu pedido. – Onde Katelyn se meteu? – Perguntei, vasculhando o lugar.

- Foi se preparar para cantar. Ali. – Josh apontou para uma entrada na lateral do palco, onde Katelyn afinava seu pequeno violão que eu sempre esqueço o nome. – Ela recebe alguma grana por isso?

- Não Josh. – Respondi. – Pensei que ela havia te explicado. Lembra que a mãe dela sonhava em ter seu próprio estabelecimento? – Ele assentiu. – Pois então, a tia Nacon conseguiu. E Kat apenas ajuda a entreter os clientes.

- Ah, então veremos a tia Nacon hoje? – Ele perguntou, eu diria que ele estava um pouco preocupado. Ou talvez fosse minha impressão. Mas depois de alguns segundos, percebi que ele realmente ficara preocupado em conversar com a tia Nacon.

- Não se preocupe, Josh. Você sabe como a tia Nacon te adora. E eu não ficaria surpresa se você ficasse nervoso em conversar com a sogra, mas já sabendo como você é...

- Holy! – Ele deu um tapa no meu braço, enquanto eu tentava conter a risada. – O que te deu na cabeça?

- Desculpe. – Disse rindo.

- Você pode me contar como foi sua noite ontem? – Ele perguntou, mudando completamente de assunto. E meu sorriso se aumentou ao me lembrar do belo jantar.

- Foi incrível, Josh! – Exclamei. – Você tinha que ver como eles me tratavam, como se já nos conhecêssemos. Bom, eu conheço eles e... Isto não vem ao caso. Apenas saiba que foi maravilhoso passar um tempo com eles.

- Imagino. – Ele sorriu. – Ainda bem que todos te trataram bem.

Meu sorriso diminui-se aos poucos.  

- Nem todos. – Falei, e Josh franziu a testa, confuso.

- Como assim?

- Chandler não foi educado, e eu realmente fiquei decepcionada quanto a isso. – Expliquei tudo a Josh que, me escutava com atenção. Quando terminei, precisei me acalmar ao perceber que já estava ficando estressada.

- Ele realmente te tratou assim? – Confirmei com a cabeça. – Idiota. Eu queria tanto que ele aparecesse aqui para eu... – E Josh não terminou a frase, pois ficou olhando em direção à porta. Olhei na mesma direção, e meu coração parecia querer saltar pela boca.

Era Zack. Era Zack que adentrava o estabelecimento. E ele segurava a mão de uma menina loira que vinha logo atrás.

Voltei minha cabeça para frente, e pisquei algumas vezes para que minhas lagrimas não começassem a escorrer. Era obvio que ele não perderia tempo se lamentando, mas eu não pensava que seria tão rápido. E eu não sabia que em apenas em um dia, Zack se esqueceria do que passamos em um ano e alguns meses.

- Vou quebrar a cara daquele filho da puta. – Josh se levantou para começar a caminhar até eles, mas eu o impedir de continuar.

- Deixe o. – Foi à única coisa que eu disse. E como se eu parecesse tosca, Josh falou alguns palavrões e se sentou novamente.

Pelo canto dos olhos eu podia ver que duas pessoas se sentaram a minha direita, bem de frente para o palco. Eu sabia que era ele pelo seu patético jeito de andar, Zack sempre fora desengonçado. Mas o que me chamou mais atenção foi ver as mãos dele entrelaçada com a da loira que o acompanhava. Tive vontade de correr para bem longe.

Me obriguei a fingir estar entretida demais em alguma coisa, para que ele não percebesse meu incomodo. Mas Zack sempre soube decifrar meus sentimentos. E no momento em que ele se sentou, ele me olhou por fração de segundos antes que pudesse voltar à atenção a sua loira.

Claro que fingi não notar sua presença.

- Você é realmente a pessoa mais sortuda desse mundo, Holy. – Josh disse de repente dando um tapa na mesa. Fiquei confusa, e eu não sabia por que exatamente ele estava estressado. – Seu astro chegou. – Ele balançou a cabeça e eu me virei para porta novamente.

E vi Chandler entrando no estabelecimento junto com Brianna. Meu coração teve a mesma reação, batia tão forte que tive medo das pessoas o escutarem.

Me virei novamente para Josh, e percebi que a garçonete já havia deixado meu café em minha disposição. Fiquei tanto tempo apreciando Chandler?

- Obrigada mundo. Não sei o que eu te fiz, mas não precisava pegar tão pesado. – Reclamei olhando para cima. Em seguida, tomei um grande gole do café.

- Ele vai se sentar ao lado. – Josh sussurrou. E em um passo de magica, Chandler e Brianna estavam sentados a minha esquerda. – Eu não sabia que vocês se pareciam tanto. – Josh falou me olhando estranho.

Mais um.

E sem querer – juro que foi – meus olhos se encontraram com o de Chandler. Ele ergueu uma sobrancelha e em seguida sorriu. Não sei se o sorriso dele foi bom ou um ruim sinal. Ou ele estava de bom humor hoje, ou estava rindo de mim. Provavelmente a segunda opção.

- Tenso. – Josh resmungou e bebeu seu café.

- Bom dia, pessoal. – Olhei para o palco e vi que era Katelyn cumprimentando o “publico”. – Espero que estejam gostando da refeição. – Ela continuou. – Quero que ao ouvir essa música, lembrem-se de uma pessoa muito especial. - E quando eu pensei que ela iria continuar a falar, o som das cordas de seu pequeno violão invadiram meus ouvidos. Um som tão doce.

- Que fofo. – Sussurrei para Josh que estava distraído demais para notar minha fala. Por fim, sorri.

- Big lights. People. Rushing to grow up before you know. Stop signs. Denied. Everyone tells me I gotta grow slow. And it's gonna hurt sometimes. No matter what you do. But nothing can change my mind. – Ela cantava, olhando especificamente para Josh, que deixava um sorriso surgir a cada frase.

Zack invadiu minha mente sem permissão. Meu coração continuava acelerado só de saber que ele estava sentado logo ali. Mas com outra garota. Ele me feriu tanto, me magoou profundamente. E mesmo assim, sou idiota ao continuar pensando nele.

Depois que Katelyn terminou de cantar algumas músicas, ela caminhou até nós e se sentou. Ela parecia um pimentão de tão vermelha, e claro que Josh não estava diferente.

°°°

Algum tempo se passou. Nós já havíamos conversado com a tia Nacon, e aos poucos o estabelecimento ficava vazio. Consegui me manter forte o tempo todo. Ignorei quando Zack pegava na mão de sua loira, ignorei quando ele sorria com aquele sorriso mais lindo que carregava para ela. Ele estava mesmo apaixonado?

Chandler acabara de sair, eu acho. Não prestei muita atenção nele, claro que algumas olhadas foram impossíveis de controlar. Mas ele não me olhou mais nenhuma vez, e eu fiquei extremamente grata por isso.

Como se não bastasse, olhei para meu lado direito, e vi Zack aos beijos com a loira. Meu coração se partiu de novo, e desta vez, permiti que as lagrimas escorressem. Eu não podia conter. E rapidamente me levantei e corri para fora do estabelecimento, como queria fazer a um tempo atrás.

Passei pela porta e, como meus olhos estavam embaçados pelas lagrimas, esbarrei em alguém. Meu corpo foi de encontro com o chão. E quando olhei para cima, Chandler me olhava com raiva.

- Além de idiota é cega também? – Ele gritou e se abaixou para pegar seu celular que havia caído de sua mão. Me levantei, podendo sentir o vermelho do meu rosto de raiva. Automaticamente, dei um tapa no rosto de Chandler, e não me arrependi.

- Metidinho idiota! – Apontei meu dedo em seu rosto. - Quem você pensa que é?

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...