História Ligados pelo sangue - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Chandler Riggs, Emily Rudd
Tags Carl Grimes, Chandler Riggs, The Walking Dead
Exibições 129
Palavras 1.826
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Famí­lia, Festa, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


HIIII BABYSSS
Boa leitura!!

Capítulo 7 - Eles não são seus empregados, metidinho!


HOLY PETTERSON

Chandler me encarou com tanta raiva! Enquanto minhas lagrimas ainda escorria de meu rosto, totalmente livres, e para ser sincera, nem me arrependo de ter batido no Chandler.

- Meu Deus, o que aconteceu com o seu rosto, Chandler? – Katelyn pergunta assim que saí do estabelecimento. Josh saí logo em seguida, e me olha com pena, pronto para me abraçar.

- Acho melhor você tirar essa garota da minha frente. – Chandler disse, colocando sua mão na marca. – Tira-a daqui!

- Eles não são seus empregados, metidinho! – Falei, nem ligando se estava falando alto demais, eu sei que estava.

- Porra, você me persegue agora? – Chandler disse se aproximando. – Eu já disse pra fingir que não me conhece! – E ele estava mais perto ainda. Chandler acabou de ferir meu orgulho, e eu que achava que ninguém poderia feri-lo. Ele já havia dito palavras o suficiente para que eu me sentisse humilhada, não bastava isso?

Chandler iria dizer mais alguma coisa, no entanto, foi impedido quando eu lhe dei uma joelhada no saco. Ele fez um som de dor, e em seguida se abaixou para tentar se recuperar. Era impossível não ouvir as risadinhas de Josh. Sem mais delongas, corri para a direção do meu apartamento.

°°°

- Posso dizer que aquela joelhada doeu até em mim? – Josh perguntou. Eu estava trancada no meu quarto, lamentando tudo o que aconteceu até agora, talvez seja frescura, eu realmente não sei. Mas é que ninguém tinha me tratado daquela maneira, e eu não imaginava que um ídolo poderia ser o primeiro. Talvez não seja mais ídolo. A porta era a única coisa que me separava de Josh. Sentada no chão, com as costas escoradas na porta, fico ouvindo o que ele tem a dizer. E tenho certeza de que ele também esta na mesma posição. Sempre fazemos isso, talvez seja coisa de irmãos.

- Ele foi tão idiota. –Falei, secando algumas lagrimas que ainda escorriam.

- De quem exatamente estamos falando? – Josh perguntou, arrancando um pequeno sorriso meu. – Porque se você estiver pensando no Zack, desculpe, mas eu vou ter que te bater.

Soltei uma gargalhada.

- Adoro te ouvir rir, Holy. – Ele disse. E meu coração se alegrou ainda mais. – Você deveria mostrar pra ele que, está melhor sem a companhia de um idiota feito ele.

Me levantei aos poucos e abri a porta, encontrando Josh na mesma posição que eu havia imaginado, e o abracei forte. – Obrigada. – Sussurrei.

- De nada. – Ele sussurrou de volta. Depois de um tempo abraçando uma das pessoas que eu mais amo na vida, ele se levantou aos poucos e me ajudou a levantar. – Que tal comermos alguma coisa? Eu cozinhei pra você hoje.

- Você tá doente ou o que? – Perguntei colocando a mão em sua testa, e ele riu. – Vamos então.

Fomos até a cozinha, e sobre a mesa, estava um punhado de comida que Josh diz que cozinhou. Talvez ele tenha encomendado alguns alimentos, mas prefiro deixar que ele se orgulhe de sua culinária.

- Onde está Katelyn? – Perguntei assim que me sentei.

- Teve que ficar lá com o Chandler. – Ele respondeu também se sentando. Revirei meus olhos lembrando novamente de Chandler e sua idiotice. – Ah, eu já ia me esquecendo... – Josh foi até o balcão e pegou um envelope. – É da escola.

- Estou oficialmente matriculada na melhor escola de Atlanta? – Perguntei cheia de esperança. Com certeza, Josh fez o máximo para podermos entrar nessa escola.

- Estamos. – Ele respondeu. – As aulas começam daqui a dois dias.

- Isso é ótimo. Mal posso esperar pra contar pro papai. – Assim que terminei de ler a carta, a guardei e peguei meu celular. – Porque eles ainda não ligaram? – Perguntei, me referindo a nossa mãe e nosso pai.

- Eu falei que iriamos ligar quando precisássemos, mas você pode ligar mesmo assim. – Ele respondeu. – Teve uma vez que eles ligaram tarde da noite, só que você já estava dormindo, e preferi não te incomodar.

- Espero que eles estejam aproveitando muito.

2 DIAS DEPOIS...

Ligação On:

- Alô?

- Oi. Holy, certo?

- Isso, quem é?

- O amor da sua vida, vulgo Andrew. – Meu coração vacilou.

- Ah, meu Deus, como conseguiu meu número?

- Katelyn. – Ele respondeu. – Bem, eu estava pensando, será que eu poderia levar minha convidada de honra na escola hoje?

- Você não está ocupado demais?

- Claro que não. E só pra matar sua curiosidade, gosto de fazer isso porque preciso tratar alguém como filha em Atlanta, já que minha família não mora aqui.

- Claro! Claro que sim! Você sabe onde moro né?

Ouvi sua risada do outro lado da linha. – Eu estou na sua porta neste momento.

Ligação Off

Corri até a porta e a abri rapidamente, e lá estava Andrew a minha espera como havia dito. O abracei, não pude contar o enorme sorriso que surgia de meu rosto.

- Você está bem, convidada de honra? – Ele perguntou, e desfazemos o abraço.

- Estou ótima! – Exclamei e ele riu.

- Podemos ir então? Já está na hora. – Avisou olhando para seu relógio de pulso.

- Josh poderá vir com a gente?

- Josh já esta no meu carro faz tempo. Só faltava você.

- Tá, então vamos. – Falei, e seguimos para fora do apartamento. Me perguntei porque Andrew se importaria, afinal, eu era apenas mais uma fã. Mas talvez eu já imagine qual o motivo que o levou até mim. Estive bem triste por esses dias, e talvez ele soube, e para me alegrar veio me visitar.

- Eu queria ir na frente, mas infelizmente, você que é a convidada de honra. – Josh falou assim que entrei no carro junto com Andrew. Conversamos tanto que, acho que nos esquecemos de que estávamos indo a escola. E quando Andrew parou o carro em frente a enorme escola que nos esperava, meus olhos brilharam.

- Estou vendo que alguém aqui esta muito animada. – Andrew comenta, me fazendo sorrir. – No final da aula, vou estar aqui, se vocês quiserem claro.

- Se não houver problema, eu ficaria muito feliz! – Falei, descendo do carro junto a eles. – Parece que as pessoas notaram o matador de zumbis.

- É. – Ele riu e veio em minha direção. – Venho buscar vocês então. Boa aula! – Ele deu tapinhas nas costas de Josh, e se aproximou de mim para beijar minha testa. Eu poderia jurar que estava sonhando. Como Andrew podia mesmo me tratar como uma filha?

- Obrigada. – Agradeci com um sorriso tímido, e Josh agradeceu depois. Andrew sorriu, e entrou no carro para ir embora.

- Pronta? – Josh perguntou, assenti de todo modo. Enfrentaríamos a mudança, como estava em nossos planos. Entramos na escola incrivelmente grande. E por incrível que pareça, já havia muitas pessoas, mesmo estando cedo. Fomos até nossos armários, que ficavam um do lado do outro, e pegamos os materiais necessários para nossa primeira aula.

- Química. Ótimo. – Falei. – Tô sentindo um frio na barriga!

Josh riu. – E eu tô esperando a oportunidade de ver a Kat. – Comentou, sorrindo. – Ela disse que iria vir, não disse?

- Sim. Ela não perderia o primeiro dia de aula por nada. – Falei, rindo. Mas meu sorriso se desfez quando vi Zack se aproximando. – O que ele tá fazendo aqui? – Sussurrei.

- Você esqueceu? Iriamos estudar todos na mesma escola. Foi o combinado que fizemos com nossos pais.

- Eu tinha me esquecido desse pequeno detalhe. – Falei. Avistei um banheiro feminino, e sem pensar duas vezes, corri para dentro dele.

O desespero estava presente em mim. Eu não queria de modo algum, ter de conviver com Zack depois do que ele fez. Não queria chorar, mas é inevitável. Ele me magoou tanto! Acabei me esbarrando em alguém enquanto entrava no banheiro.

De novo.

No entanto, era Katelyn. Ela chorava. E quando percebeu minha presença, tratou de limpar as lagrimas o mais rápido possível, como se eu fosse uma desconhecida que, provavelmente a zombaria por estar chorando.

- Kat, Deus, o que foi? – Perguntei, preocupada. Katelyn me abraçou o mais rápido possível, e pude saber que ela voltou a chorar novamente. – O que foi, Kat?

- Meus... Meus pais vão se divorciar. – Ela falou, em meio aos soluços. Não pude deixar de sentir uma pontada de dor no meu coração, nunca imaginei como seria se meus pais não estivessem mais juntos. E ver minha melhor amiga sofrendo por isso, e dói tanto!

- Sinto muito, Kat. – Foi à única coisa que pude falar. Eu não fazia a mínima ideia do que dizer, talvez eu nem precisasse dizer nada, além de abraça-la para que desse a ela algum conforto.

O sinal tocou, indicando o inicio da aula.

- Precisamos ir. – Ela disse de repente. – Vamos nos atrasar. E não quero me atrasar logo no primeiro dia de aula. – Ela desfez o abraço e revirou a mochila, tirando de lá uma maquiagem para disfarçar seu rosto inchado e vermelho pelas lagrimas.

- Se você quiser, podemos ir pra casa. Eu fico com você...

- Não, nem pensar. – Ela já retocava a maquiagem. – Vou conseguir passar por isso, sei que vou. Eu... – Seus olhos se encheram d’ agua novamente, mas ela balançou a cabeça e voltou a falar: - Vamos.

E saímos juntos do banheiro. Como esperado, Josh estava a minha espera, mas assim que pôs os olhos em Kat, se esqueceu completamente da minha presença. Não que eu me importe. Quero que tudo de certo para eles.

Sem dizermos qualquer palavra, seguimos até a nossa sala. E por sorte, não chegamos atrasados como temíamos. Me sentei ao lado da parede, Katelyn se sentou ao meu lado, e a frente dela sentava Josh. Algumas pessoas já estavam dentro da sala, e assim que o professor entrou, ouvi uma voz muito bem conhecida.

- Espere, querido professor. – Era Zack, eu reconheceria essa voz a quilômetros de distancia. Josh e Kat olharam para mim na mesma hora, e eu pude sentir a pena pairando sobre mim. – Você não poderia começar a aula sem a gente.

A gente?

Zack entrou, mas meus olhos foram atraídos por Chandler, que entrava calado, ao contrario de Zack. Eles se sentaram do outro lado da sala. Por nenhum momento, imaginei que eles poderiam ser amigos. Se é que eles eram.

- Espero que seu ego diminua. – O professor falou, se direcionando a Zack que, ficou um pouco sem graça. – Não vou tolerar gracinhas. Você já está bem grandinho.

- Claro. – Ele disse, sorrindo. – É que ando muito feliz ultimamente, mas prometo diminuir meu ego.

Então ele andava muito feliz ao lado da loira?

Eu não deveria estar me importando!

- Assim espero. – O professor disse, e andou até a mesa de Chandler. – Senhor Riggs, que bom te ver novamente! Vou adorar sua companhia este ano, como sempre.

- Claro. Nos adoramos, certo? – Chandler perguntou, sorrindo.

- Claro. – O professor sorriu. Estou sentindo um cheiro de falsidade adentrando a sala. Poxa, eu realmente estava acreditando que os dois se adoravam.

 


Notas Finais


Será que ainda Holy e Chandler irão ter uma conversa civilizada? Hmmmmm, acho que sim.
Até o próximo cap!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...