História Lights - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts, Jikook, Namjin, Suga, Vhope
Exibições 104
Palavras 3.229
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Romance e Novela, Sci-Fi, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Nesse capítulo vou introduzir DOIS personagens novos, espero que vocês gostem deles.
Queria agradecer novamente aos favoritos e aos comentários, sempre fico com um sorriso bobo com eles. Obrigada de coração <3
A gente se vê lá embaixo :D

Capítulo 7 - Viagem


Fanfic / Fanfiction Lights - Capítulo 7 - Viagem

POV HOSEOK

Hoseok colocou suas pernas na cama de Suga, enquanto mexia no celular. Estava ali já algumas horas e agora não sabia como ocupar o seu tempo. A mãe de Yoongi tinha ido para casa, depois de finalmente tê-la convencida de que não seria nenhum problema ele passar o restante do dia no hospital. Ela mal saía do hospital esperando o filho acordar.

Hoseok imaginava que ela fazia aquilo para se sentir menos mal, pois raramente visitava o filho desde que ele decidiu ir para Seul, há três anos. Suga não era o tipo de cara dramático, ainda mais considerando que sua mãe o criara sozinha desde os cinco anos quando o pai saiu de casa, deixando-os ao vento. Para completar, sua mãe trabalhava em seu próprio restaurante, estando sempre ocupada, tentando ajudar o filho a se manter na capital com elevados gastos de manutenção. Hoseok achava admirável a relação entre os dois, que mesmo distante, era cheio de consideração e respeito. 

Agora ela encarava a possibilidade de seu único filho ir embora, sem entender como aquilo acontecera. Ela nem sabia quem era Taehyung, apenas que Yoongi caíra do prédio tentando salvar um garoto de cair. Hoseok se sentia mal em fazer parte daquela teia de mentiras - construída por alguém desconhecido - mas ao mesmo tempo acreditava que até a situação ficasse clara, o ideal eram manter tudo no anonimato.

Jungkook tinha comentado sobre sua conversa com o pai de Taehyung. Ele não sabia da tentativa de suicídio do filho, acreditava que tinha sido um acidente, algo normal vindo do filho hiperativo. Sendo assim, ninguém, além deles cinco, sabia o que tinha acontecido. Aquilo era estranho, considerando que a ala psiquiatra do hospital não questionou o ocorrido, e todos os depoimentos feitos na delegacia foram descartados.

Hoseok suspirou compreendendo que não poderia fazer nada. O máximo que podia fazer era ficar próximo de Taehyung, visitar sempre que desse Suga no hospital e ter conversas evasivas e amenas com Namjoon tentando convencê-los de que ele poderia fazer outras coisas além de ficar pensando no amigo em coma.

Sentiu o celular vibrar no bolso, e sem tirar as pernas da cama de Suga, visualizou uma mensagem de V.

[V] Hei, já estou na casa do Jungkook, estou procurando os desenhos pervertidos dele, e você?

Hoseok esboçou um sorriso.

[H] Estou com Suga, esperando o médico dele. Mas o que você quer com os desenhos pervertidos dele?

[V] Quero suborná-lo para ele fazer um desenho nosso.

Hoseok não conseguiu conter o riso. Era inevitável não se divertir com aquelas provocações de V.

[H] Hei, você está fazendo isso de novo. Respeita seu Hyung.

[V] Eu ainda estou pensando em quem vai ser o ativo ou o passivo.

Dessa vez Hoseok riu alto, quase deixando o celular escapar de suas mãos.

[H] Hei!

[H] Hei, você!

[H] É óbvio que eu sou o ativo.

V não mandou mensagem pelo restante do tempo e Hoseok ficou encarando a tela sem deixar de sorrir. Será que ele reagiria a sua provocação? Apostou que V estava todo sem jeito no lado de lá. Hoseok percebeu que poucas coisas o deixavam tão animados nos últimos tempos quanto aquela criança estranha.

- Hei, aqui não é hotel.

Hoseok sentiu suas pernas sendo empurradas da cama. A sua frente uma médica o encarava. As mãos seguravam uma prancheta, e ela tinha uma expressão séria e mal-humorada. Tinha os cabelos longos e castanhos claros, e um rosto oval, bonito e bem cuidado. Seus olhos grandes e amendoados, e boca pequena e franzida denunciava seu cansaço.

Mas não era sua beleza que chamava sua atenção. Era mais sua áurea, que lhe soava familiar.

- Desculpa – ele levantou-se e, mesmo diante do mal humor da mulher, lhe ofereceu um sorriso. – Se serve de consolo, pode ter certeza que Suga não se importaria.

Ela piscou como se pensava sobre isso. Hoseok sentiu que o nome Suga lhe era familiar.

Ela lhe deu as costas e seguiu até Suga, verificando seus sinais vitais. Fez uma série de anotações em sua prancheta que em seguida deixou sobre uma mesinha.

- Você pretende ficar aqui? – ela perguntou enquanto retirava seu jaleco. – Se sim, você pode me ajudar.

Hoseok não entendeu a princípio. Ela se pós ao lado de Suga, puxou o lençol e segurou sua perna massageando-a.

- Você pode fazer o mesmo com a outra perna. – ela sugeriu.

- Você é a fisioterapeuta?

- Não, sou médica cirurgiã. Basicamente. – ela respondeu continuando a massagem. Enquanto ela esticava e dobrava a perna de Suga, Hoseok percebia uma estranha áurea melancólica entorno de si. – Você pode sempre fazer esses exercícios quando visitá-lo. É bom para a circulação sanguínea, e ele não vai sentir tão debilitado caso...

Sua voz morreu e suas mãos pararam.

Hoseok, sentiu aquela áurea se mesclar com arrependimento.

- Doutora...?

- Oh Seung Mi.

- Certo, sendo bem sincera, você acredita que Yoongi pode acordar algum dia?

- É uma possibilidade.

Ela estava sendo evasiva.

- Uma possibilidade? Você pode ser sincera, eu sei que vocês podem contornar a mãe de Suga, mas não precisa fazer isso comigo.

- Não estamos contornando a mãe de Yoongi, temos uma ética profissional. – ela suspirou alto. – O caso dele é especial. Para ser bem sincera surpreendeu todos nós. Era para ele estar morto, o cirurgião responsável apenas fez a cirurgia por questões profissionais, ele duvidava que ele sobreviveria a mesa operatória.

- O que você está querendo dizer?

- Nós não estamos entendendo o caso dele. Ele se recupera e recai, depois fica estável. Os exames toda semana dão resultados diferentes. É um mistério o que está acontecendo com ele. A gente só fica tentando adivinhar o que vai acontecer.

Ela parecia preocupada e em dúvida, mesmo que tentasse conter seu tom de voz. Hoseok achou aquele comportamento estranho.

- Sabe, Suga antes de sofrer esse acidente, disse que tinha algo para fazer nesse hospital. – Hoseok começou a falar. Seung Mi afastou-se pegando seu jaleco de volta. – Você sabe por que?

- A mãe dele as vezes vinha aqui fazer tratamento para o pulmão, ela teve há alguns anos pneumonia severa. – disse evasiva. Hoseok sabia daquilo, mas como Yoongi encaixava naquela história?

- Você conhece Suga?

- Sim. – respondeu, mas não disse mais nada. Apenas recolheu sua prancheta e em seguida olhou par Hoseok, a expressão cansada. – Você tem mais alguma pergunta?

- Não.

- Tudo bem, ele está estável. Diga a mãe dele que eu estive por aqui e que está tudo bem.

Ela se retirou da sala, e então Hoseok entendeu o que lhe era tão familiar. Algo nela lembrava Suga.

 

POV JIN – 10 dias depois

Não soube ao certo por que aceitou estar ali. Estava com uma pequena mochila nas costas e uma mala de mão, quando viu de longe uma vã chegando. Há três dias recebeu uma ligação de Hoseok. Eles se conheciam do curso de culinária sustentável e provavelmente conseguiu o seu número com algum antigo membro. Hoseok começou a falar de uma viagem de dois dias para o campo, uma espécie de casa campestre que pertencia a família de Jimim. Comentou que a ideia tinha sido Namjoon, e que ele queria convidá-lo pois se sentia desconfortável. Hoseok sabia do que tinha acontecido na em sua casa.

“ – Ele não é um cara ruim... só não está em sua melhor época. ”

Ele disse e Jin se deixei levar. Sabia que Namjoon estava passando por um período péssimo desde o acidente de Yoongi. Não podia culpá-lo por ser tão insensível, mas também não tinha nenhuma intenção de ser seu amigo ou fingir simpatia. Foi então que Hoseok disse:

“ – Ele pretende te pedir desculpas, sabe. Ele não sabe fazer essas coisas, então você já deve saber o que isso significa. ”

Jin queria ver e ouvir isso. Queria descobrir como Namjoon, um cara tão orgulhoso, pediria desculpas. Para ajudar, sua agente estranhamente tinha gostado da ideia, dizendo que uma viagem poderia lhe dar novos ares. Então ele estava ali, num sábado de manhã, prestes a fazer uma curta viagem de dois dias com cinco rapazes quase desconhecidos.

A mini-vã cinza parou bem ao seu lado. Hoseok estava dirigindo, e, assim que lhe viu, direcionou um sorriso – Jin se lembrava perfeitamente da sua personalidade engraçada e escandalosa. Namjoon também estava na frente, ele apenas fez um aceno com a mão, meio sem jeito, meio sem coragem de olhar para ele. Jin riu internamente... Namjoon era tão imaturo.

Entrando na vã pode ver Taehyung, ele não o conhecia, apenas sabia que ele era o garoto com múltiplas personalidades, que tinha tentado se matar depois de machucar os filhotes de cachorros. Hoseok também conversou com ele sobre aquilo. O tinha convencido que o garoto não era totalmente responsável pelo que tinha feito. Jin, decidiu deixar a questão em aberto, mas assim que o viu ali, naquela vã, enroscado em Jungkook, algo lhe dizia que estava tudo bem.

Se sentou no banco de trás, onde Jimim encarava a janela no lado de fora. Não era sua intenção, mas depois de quinze minutos em silêncio – Hoseok puxava assunto com V e Jungkook, mas os Jin e Jimim foram deixados de lado – o mais velho não pode deixar de observar Jimim. O garoto ruivo tinha uma expressão meio amarrada, vezes e outra olhando para frente, totalmente desconfortável com alguma coisa.

- É o Taehyung ou Jungkook? – Jin perguntou do nada. Lá fora a paisagem antes cheia de prédio e carros começava a ser substituídas por árvores e pequenas residências.

- Como assim? – Jimim finalmente se virou. Teve a sensação que somente agora ele tinha notado sua presença.

- A pessoa que você está com ciúmes.

Na frente Taehyung cantava uma música junto com Hoseok, enquanto Jungkook ria alto.

- É tão aparente?

- Não, na realidade eu estava jogando verde.

Jimim que antes parecia frustrado, soltou um riso que subiu para os olhos e em seguida abaixou a cabeça meio sem jeito. Jin não pode deixar de notar o quanto ele era fofo.

- Você é esperto hyung.

- Pode me chamar de Jin, se quiser.

- Oh! Então você é o garoto que o Namjoon estava falando.

- Como assim?

- Bom, Namjoon é meio lento para entender essas coisas... ele é tipo um ogro, então quando fui conversar com ele sobre... bom... – Jin soltou um sorriso indicando que já estava entendendo a mensagem. –  ele falou que eu deveria conversar sobre isso com você.

- Por eu ser gay?

- Não... – ele franziu as sobrancelhas como se não entendesse sua sugestão – Por você ser mais sensível.

Não esperava aquilo. Na realidade não imaginava que Namjoon conversava sobre ele com outras pessoas. Aquilo o frustrou por que de repente se viu mais próximo de perdoá-lo, e não pelas razões corretas.

Eles deram continuidade a conversa, contando amenidades, fazendo piadas sobre os outros meninos e rindo de coisas idiotas. Jin se sentiu bem, pois já fazia um tempo que não conseguia ser infantil assim. Para facilitar, Jimim parecia o tipo de pessoa ideal para ele soltar piadinha de mal gosto, por que ele começava a gargalhar de qualquer coisa.

“Minha ex-sogra nunca entendeu o que estudávamos tanto no quarto...”

Jin comentava sobre seu primeiro pseudo-relacionamento ainda no ginasial, enquanto Jimim ria alto, entendendo todas as referências.

“Quando Hye Sun soube que eu era gay, começou a me apresentar todos seus amigos gays, como se ela fosse uma agência de casamentos. E como se eu tivesse que aceitar qualquer um que dissesse gostar de meninos. Um deles era 15 anos mais velho do que eu. ”

Jimim riu, ao ponto de começar a puxar Jin pelo braço criando uma intimidade corporal que não imaginava desenvolver com ninguém tão rápido. Notou que não era o único a perceber isso, por que vezes e outras via Jungkook os encarar pelo retrovisor do carro, como se os observasse atentamente.

(...)

Depois de duas horas que carro, eles chegaram ao seu destino. Era uma enorme casa ao estilo campestre provavelmente redesenhada por algum arquiteto estrangeiro. Era rodeada de um campo verde e tinha um grande deque colado a um lago.

Jin desceu do carro, deixando sua mala de mão na grama. Os meninos começaram uma pequena bagunça enquanto carregavam as coisas para dentro. Parecia que a casa tinha sido reservada apenas para eles, de maneira que ninguém os recebeu. Já um pouco afastados, pode ver o garoto Tae jogar-se nos ombros de J-Hope, que o segurou correndo para longe enquanto riam como crianças. Jimim, seguiu os dois, tentando alcança-los, enquanto Jungkook carregava duas caixas de isopor em direção a casa há alguns metros de distância.  

Jin sorriu sentindo-se bem. Respirou o ar puro, esticando os braços. E foi quando viu sua bagagem de mão ser levada por alguém.

- Você vai ter todo tempo do mundo para isso.

Namjoon disse andando na sua frente, deixando-o para trás.

- Hei, me devolva isso...

Mas o garoto simplesmente o ignorou. Jin suspirou pensando que aquelas pequenas gentilezas eram totalmente desnecessárias. O alcançou e agarrou sua mala.

- Se quer pedir desculpas, você só precisa abrir a boca.

Disse sério e em seguida saiu apressado em direção a casa.  

POV JUNGKOOK

Jimim estava todo meloso para o lado de Jin enquanto preparavam o churrasco no lado de fora. O garoto mais velho preparava os pedaços de carne, enquanto o ruivo ajudava com os legumes. Namjoon arrumava a churrasqueira potável, enquanto Hoseok estava no lado de dentro com Taehyung.

Jungkook se sentiu repentinamente solitário. Estavam todos no deck, mas ele se isolou em uma mesa há alguns metros de distância.  Odiava ver Jimim todo derretido encima de outro cara, ainda mais sabendo que o ruivo era hétero, pelo menos até algumas semanas atrás. Jimim, tinha o procurado várias vezes durante aquela semana, sempre gentil, arranjando pretextos para tocá-lo, soltando aquele sorriso que subia até os olhos e revelava os dentinhos tortinhos. Tinha sido praticamente uma tortura, por isso Jungkook o estava evitando sempre que dava. Estava ali apenas por causa de Taehyung. Ou “V”. Não sabia como chamá-lo, considerando que apesar das diferenças, existia algo nele que não o deixava diferenciá-lo do melhor amigo.

Agora tinha que aguentar ver Jimim lá, direcionando toda aquela atenção para Jin, o garoto modelo, cozinheiro e gentil. Sentiu-se ridículo. Jin parecia ser um cara legal, principalmente considerando que se não fosse por ele, provavelmente Tae estaria morto. Não podia ser amargo com uma pessoa como ele.

- Jimim é tão bonito.

Escutou alguém falar em seu ouvido. Virou-se bruscamente para encarar V, sentando-se ao seu lado.

– É uma pena que ele seja seu amorzinho. –  o mais velho soltou um longo suspiro, fingindo uma paixonite aguda. Jungkook o bateu no braço indignado. Taehyung o provocava, mas V parecia ser especialista naquilo.

- Você não entende.

- Entendo, você só está complicando as coisas como sempre faz. Como você fez com seu primeiro namoradinho no ensino médio. Ou depois que você reprovou na prova especifica e foi beber e parar em um motel com um desconhecido.

Jungkook o bateu novamente sentindo as faces ficarem vermelhas. V comentava tudo aquilo, com a mão no queixo, como se estivesse meditando sobre uma lembrança de sua infância. Aquilo só o deixava mais puto. Se arrependia profundamente de todas as merdas que fez quando finalmente tinha se assumido gay.

- Bom. Eu avisei. – V deu continuidade ignorando o mal humor do amigo.

- Como assim?

- Pelo jeito, ele não tem muito o que perder. – apontou a cabeça para Jin. – Ele é bonitão também. Jimim é uma gracinha. Por que não?

- Você sabe muito bem que eu... – Jungkook tentou explicar mais uma vez a situação, mas V não estava mais prestando atenção.

- Oh meu deus. – V comentou repentinamente olhando para a entrada da casa. Hoseok surgiu apenas de bermuda e uma toalha no ombro. Jungkook levantou uma sobrancelha, o Jung tinha o corpo até bonito, mas definitivamente ele preferia algo mais definido como o corpo de Jimim. Bagunçou os cabelos jogando aqueles pensamentos para o fundo da sua mente.

- Tae Mim, é bom você ficar bem quetinha...

V comentou, mais para si mesmo do que para ele. Jungkook não entendeu, apenas o viu se afastando indo em direção a Hoseok que já se aproximava com um sorriso enorme na cara.

POV HOSEOK

V se aproximou de Hoseok com aquele olhar enviesado que o mais velho conhecia bem. Se viu repentinamente sem jeito, por que o mais velho sabia que V sentia uma forte atração por ele. Nunca se sentira um cara realmente bonito, apenas dentro da normalidade, mas a maneira como V o olhava agora o fazia se sentir praticamente despido na sua frente.

- Vai entrando que eu já to indo buscar a minha sunga. – o mais novo disse com um sorriso de lábios e logo depois seguiu para dentro da residência.  Hoseok soltou uma respiração que até então não tinha percebido estar segurando. Deus, estava nervoso só por causa de um comentário daquele.

Riu consigo mesmo. Ele estava fodidamente atraído por aquela criança estranha.

Jungkook se aproximou anunciando que também se trocaria, segundos depois Jimim correu para dentro também. Era óbvio que o ruivo não perderia aquela oportunidade. O casal praticamente estava se roendo mutuamente de ciúmes e inseguranças, desesperados por qualquer momento que pudessem arranjar uma desculpa para ficarem juntos – mesmo que nenhum dos dois percebesse isso.

A situação daquela viagem parecia meio complicada para todo mundo. Para completar Namjoon e Jin estavam ali, fingindo estarem muito concentrados em suas atividades culinárias. Hoseok, queria rir muito da cara do amigo, que não parecia saber como se aproximar de Jin para simplesmente lhe pedir desculpas. Jin era outro, que mesmo negando para si, não conseguia deixar de observar o garoto, ajeitando a temperatura da churrasqueira pela terceira vez consecutiva. Existia essa estranha ligação entre eles que Hoseok não conseguia entender o que era. Não se tratava de atração sexual. Era apenas uma liga entre eles, como se estivessem sempre muito conscientes um do outro.

- Hei, bora pular.

Hoseok, antes presos em seus pensamentos, sentiu o braço ser puxado e ser arrastado em direção ao lago.

Viu rapidamente V se virar para encará-lo com um sorriso quadrado. Seu coração vibrou e já estava rindo antes de entender completamente a situação quando os dois saltaram do deck em direção ao lago.

Em um instante Hoseok sentiu seu corpo mergulhar e no instante seguinte submergir. Era 12h e o sol estava intenso, bem no centro do céu. Sua visão então ficou bloqueada pelo raios e teve que levar as mãos para poder enxergar direito.

Mas antes de recuperar sua visão sentiu mãos em seu pescoço e lábios frios e molhados na sua boca. Qualquer um saberia imediatamente que aquele beijo só poderia pertencer a V, mas de algum modo, Hoseok sabia que não se tratava do garoto hiperativo. As mãos em seu pescoço, desceram pelos seus ombros até seu peitoral, quando enfim, a pessoa se afastou.

Era o rosto de Taehyung.

Mas algo definitivamente estava diferente.

Uma mistura de aegyo e sensualidade estampava sua face. Havia uma áurea feminina e delicada pairando a sua volta.  E sua voz era pelo menos uma oitava mais alta.

- Oppa... – Hoseok arregalou os olhos quando o garoto a sua frente sussurrou manhoso. –  Finalmente pude conhecê-lo. 

CONTINUA...


Notas Finais


Ai gente, esses dias eu tava vendo um video meio crack do BTS e me deparei com Jin princesa cheio das brincadeiras infantis e bobinhas e é claro que eu em algum momento tenho mostrar esse lado da nossa rainha. Então eu tô me esforçando para construir logo esse lado BTS best friends que é exatamente o que eu mais amo neles.

Mas falando dos personagens novos <3

Gostaram da Dra.? Ela tá meio emotiva aqui ainda, mas ela é um personagem OC que vai ter certa importância na fic lá mais na frente, na hora do climax. E eu sei que muita gente não gosta de personagens originais, mas eu tava meio assim com o Suga, que é lindo demais para ser solteiro, e muito cara de hétero e acabei criando-a para introduzir no plot dele. A história deles vai ser bem bonitinha, apesar de ocupar pouco espaço na fic, prometo que vai ser legal <3
E agora quanto essa nova personalidade do V, palpites? hauhaha eu AMO essa parte dele, espero que vcs amem tbm.

Muito obrigada por ler até, se puder comentar eu ficarei ó, muito, muito feliz. Então um beijão e até breve :D


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...