História Like a Butterfly... 2 - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias AOA, B.A.P, Big Bang, Black Pink, EXO, Got7, NCT Dream, Oh My Girl, VIXX
Personagens Arin, Binnie, Chenle, D.O, Daehyun, D-Lite (Daesung), G-Dragon, Jackson, JB, Jimin, Jisung, Leo, Lisa, Lu Han, Mark, N, Sehun, Xiumin, Youngjae
Tags Aoa, Bap, Big Bang, Black Pink, Exo, Got7, Kpop, Nct Dream, Oh My Girl, Vixx
Exibições 16
Palavras 1.546
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Estão prontos? Eu avisei... É HOJE QUE ALGO ACONTECEEEEEEEEEEEE! Beijos e boa leitura!

p.s: OBRIGADA AOS NOVOS FAVORITOS, MEU CORAÇÃO PERTENCE A VCS <3

Capítulo 10 - Um passo.


Fanfic / Fanfiction Like a Butterfly... 2 - Capítulo 10 - Um passo.

 

 

Himchan, apesar de tudo, era engraçado. O tempo passava e eu nem notava, pois estava legal passar um tempo com os meninos. Brinquei com o coelho de Zelo, rindo. Passávamos pelas barracas brincando, até que me lembrei de algo. Esqueci totalmente de YoungJae, até que o vi correndo em meio as barracas, parecia procurar alguém. Quando me avistou, pegou em meu pulso.

 

-É a Binnie de novo. –Explicou rapidamente para os garotos que concordaram entristecidos.

 

-Pode ir, cuidado com ela. –Himchan disse.

 

-Pode usar meu carro, boa sorte. Vai levar Ji-Min?- Perguntou Yongguk, deu de ombros. Eu assenti, YoungJae ficou meio tenso mas concordou e me arrastou até o carro.

 

Praticamente me jogou dentro do carro, sem nem explicar o que estava acontecendo.

 

-O que está acontecendo? Por que estamos correndo? Binnie está bem? –Perguntei e ele, preocupado nem respondeu, acelerou e deu um soco no volante. –Responda!

 

-Porra Ji-Min, cala boca! –Gritou e arregalei os olhos, surpresa. Encolhi-me um pouco, envergonhada. Ele nunca tinha gritado desse jeito comigo. Acelerou mais, o carro bateria a qualquer momento se ele não e concentrasse.

 

-Diminua isso, está indo rápido demais!- Gritei colocando o cinto, eu estava assustada. Ele me ignorou totalmente. –Por que está agindo assim?!

 

-Filha da puta, quer ficar quieta?! Se gritar mais uma vez bato o carro de propósito! –Berrou dando outro soco no volante. Meu medo se converteu em raiva e tristeza, o modo como ele me tratava fazia eu me sentir um lixo.

 

-Desculpe. –Apoiei o cotovelo na porta e a cabeça na mão, sentindo algumas lágrimas rolarem por meu rosto. Eu nem sabia o que estava acontecendo, mas se em uma irritação ele me trata assim, imagina se não agiria assim de novo?

 

Ouvi o grito do freio assim que chegamos a um estacionamento, desligou o carro e abriu sua porta. Sai do carro e corri atrás dele, que praticamente havia tirado mais velocidade de algum lugar desconhecido. Subiu as escadas de emergência do prédio rapidamente, tentei segui-lo, mas sentia meu corpo doer.

         Chegamos até uma porta e tentou abri-la, que estava trancada.

 

-Binnie, abra isso agora! –Berrou tentando arrombar a porta, finalmente o alcancei. Ele parecia disposto a matar alguém, senti meu coração a mil no peito. Sem resposta, ele deu um chute na porta. –Porra... Isso não abre! Vou ter que descer e pegar a chave...

 

E desceu a escada correndo. Fiquei ali parada, pensando em como ajudar. Olhei ao redor e vi uma caixa de ferramentas, peguei umas ferramentas e olhei para a tranca. Lembrei de uma vez que a porta da farmácia do meu pai ficou emperrada, ele conseguiu arrancar a tranca fora. Segui seus passos, ele me ensinou no dia. Após um tempo, consegui tirar a fechadura e empurrei a porta.

 

-Meu Deus... –Olhei para frente, vendo que estávamos no telhado de um prédio enorme. Estávamos? Sim, pois Binnie estava na ponta, de joelhos no chão chorando. –Binnie!

 

-Ji...Min? –Olhou para trás, assim que me avistou se levantou rapidamente, seus olhos inchados. Um semblante de raiva enfeitou seu rosto. –O que está fazendo aqui?

 

-O que você está fazendo aqui?! –Perguntei com medo de me aproximar, quanto mais eu falava, mais ela parecia ir para trás.

 

-Quem te trouxe aqui?! –Perguntou. Seus olhos me matavam, ela não parecia ter alma. –Foi... YoungJae?

 

O vento era forte, seus cabelos voavam em todas as direções, os meus também, às vezes dificultando minha visão. Aquele lugar era tão alto que minhas pernas estavam bambas, meu coração a mil com a cena. Agora entendi, YoungJae estava desesperado pois Binnie estava aqui. Mas se ela estava na ponta então...

 

-Você quer se suicidar?! –Perguntei entendendo mais ou menos o que estava acontecendo, soltou uma risada irônica.

 

-Ah, Ji-Min... É claro que estou aqui para pegar um vento né?- Disse revirando os olhos. –Pare de se fazer de burra, não aguento mais isso. É por causa de você que estou aqui!

 

-P-Por minha causa?!- Perguntei dando um passo para frente e ela, um para trás, quase caindo. –Por favor, saía dai!

 

-Você não manda em mim!- Berrou batendo com o pé no chão, começou a chorar mais. –Que raiva... Eu queria que você estivesse aqui, eu queria que você que estivesse sofrendo assim. Você não passa de uma mimada frágil, qualquer encosto e você vira vidro. Mesmo assim, se finge de idiota e continua estragando minha vida! Youn... Espera, essa touca é do YoungJae!

 

-Touca?- Tirei a touca de minha cabeça, fitando-a fixamente. Levantei os olhos para a garota, que soltou um rosnado.

 

-Por que você usaria uma roupa del...? Vocês não...? Eu não acredito! VOCÊS ESTÃO NAMORANDO?

 

-Não!

 

-Diga a verdade!- Berrou e eu abaixei a cabeça, envergonhada. –Além de tudo, ainda assim namora o meu irmão! Você é inacreditável! Sério...

 

-Mas por que continua dizendo que estraguei sua vida? Eu nunca fiz nada pra você! –Gritei já me irritando, ela soltou outra risada irônica.

 

-Por isso. –Apontou para mim. Quer dizer, eu achei que fosse, mas depois de segundos notei que era para algo atrás de mim. Assim que me virei, meu queixo caiu.

 

 

 

 

 

 

Não fazia sentido, sinceramente, não entendi aquilo. Não nos primeiros segundos, mas depois entendi. Quando me virei, e vi YoungJae atrás de Xiumin, pensei que estivesse ficando louca, mas juntei os pontos. Binnie e Xiumin estavam namorando.

 

 

"-EI, VOCÊS!-Todos nos viramos, vimos a diretora acompanhada de um dos guardinhas da escola e de Binnie, que tinha consigo um semblante triste.

..

“Obrigada, por me defender.”

 

Entreguei para Binnie e depois de um tempo, ela me devolveu.

 

“Não estava defendendo exatamente você! Se meteu em encrenca demais para um dia. Não haja mais assim.”

..

-Vou chamar Binnie se não me soltar!- Berrei tentando me soltar, ele riu novamente e me puxou para mais próxima dele.

 

-Binnie não é bem o que pensa. –Sussurrou e me libertei dele, dando um passo para trás. –Não seja patética, eu já disse que não vou te estuprar.

..

Chegando lá, praticamente todas as convidadas haviam chegado. Inclusive Binnie, que nem sequer me olhou e saiu com outras garotas para tomar banho, já que a casa tinha três banheiros. (...) 

-Imagina então os garotos do futebol, mas da faculdade! Já viram o tanquinho que eles têm? Eu admito que tombei no chão quando vi eles sem camisa. –Uma delas falou e várias deram risadinhas. –Mas sabemos que temos uma sortuda, que pegou um garoto fofo, sexy e maduro.

 

-Sinceramente, o MinSeok é o pacote completo. –A mesma de antes falou.

 

-Ela é tão sortuda!

...

Por que não me falou que é irmã dele? –Me virei para a mesma, que revirou os olhos.

 

-Porque não. Pare de se meter com minha vida pessoal, Ji-Min! Eu só te ajudei no primeiro dia, não somos amigas. –Entrou na casa e segui sua deixa, todas me olharam estranho."

 

 

-Binnie, saía dai agora! –Berrou Xiumin, correndo para mais perto dela. Os dois garotos me passaram, porém segurei o braço deles e os puxei para trás. –Me solta!

 

-Não, se tentarem, ela vai pular. –Sussurrei, eles pararam onde estavam e a fitaram.

 

-Sempre dando em cima de Xiumin... YoungJae, está com ciúmes? –Perguntou Binnie, em um tom maldoso.

 

-Ciúmes? –Perguntou Xiumin, se virando para mim.

 

-Não soube? Os dois estão namorando, amor. Não que faça diferença, já que você me ama de todo seu coração. –Disse em um tom provocativo, Xiumin continuou me fitando e abaixei a cabeça. –Não se preocupe, eu sei que você nunca gostou de mim, só dessa...

 

-Binnie! –YoungJae interferiu, senti meu rosto corar, quer dizer que Xiumin gostava de mim enquanto namorava Binnie?

 

-Não, YoungJae. Passamos por tanta coisa juntos... Você roubou para que eu pudesse comer, eu roubei para poder cuidar de você, eu sempre te encobria de suas encrencas na escola, você me defendia dos monstros de minha imaginação... E do monstro real. –Disse a última frase com uma entonação acusadora, YoungJae abaixou a cabeça meio arrependido, Xiumin o olhou com um olhar de pena. O que ela queria dizer com aquilo? –Mas é só aparecer uma garota qualquer e você muda de lado, ficando contra mim.

 

-Pare de drama, eu não te deixei! –Se defendeu dando um passo para frente, ela se curvou um pouco para trás e nós três prendemos a respiração. –Por favor, pare com isso, venha para cá e vamos conversar...

 

-Ontem era um dia especial. Tínhamos um compromisso e você decidiu ficar com ela. Não se preocupe, Xiumin fez o mesmo, também me deixou. Tudo por causa dela. –Apontou para mim e depois fez um gesto. –Venha cá.

 

Dei alguns passos tensos até ela, ficando um metro de distancia dela. Pensei em puxa-la, mas se ela se jogasse não conseguiria segura-la.

 

-Binnie, eu... –Fui interrompida por um tapa em meu rosto. Pude ouvir Xiumin e Jae suspirarem. –Desculpe.

 

-Quieta! –Me deu outro tapa e senti lágrimas rolarem por meu rosto. Ela era tão fofa e frágil, eu nem acreditava que aquela pessoa era ela... Estava pasma. Foi ai que paralisei, simplesmente não pude mais me mover. Simples assim, no pior momento. –Mas eu cansei, meu único jeito de ficar livre desse sofrimento. Sem mãe, sem pai, sem irmão, sem dinheiro, às vezes sem comida... Agora acabou, então, desisto.

 

 

 

 

 

 

E ela deu um passo para trás.

 

 

 

 

 

 


Notas Finais


Eu estava com muito medo de postar esse capítulo, faz tempo que estou evitando ele... Mas agora é o fim, eu postei ;-; espero que gostem pq tipo kkkkkkkk né, mas assim, saibam que ai a Binnie tava meio do mal mas na real ela é um amor <3 alias, desculpem por isso ;-; mas é a historio kissus


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...