História Like a Butterfly... 2 - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias AOA, B.A.P, Big Bang, Black Pink, EXO, Got7, NCT Dream, Oh My Girl, VIXX
Personagens Arin, Binnie, Chenle, D.O, Daehyun, D-Lite (Daesung), G-Dragon, Jackson, JB, Jimin, Jisung, Leo, Lisa, Lu Han, Mark, N, Sehun, Xiumin, Youngjae
Tags Aoa, Bap, Big Bang, Black Pink, Exo, Got7, Kpop, Nct Dream, Oh My Girl, Vixx
Exibições 23
Palavras 2.538
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oieeeee, queria MUITO postar o OUTRO capítulo, mas acabei deixando para depois pois quero seguir e postá-lo depois. Até para deixar um capítulo a mais para mostrar o inicio do namoro e etc... Depois seguimos com o resto, certo?

Espero que gostem...

DEUS, OBRIGADA PELOS NOVOS FAVORITOS, SAIBAM QUE EU FICO MUITO FELIZ COM ISSO <3 AMO VOCÊS!

Kissus e boa leitura!

(sorry capítulo grande)

Capítulo 9 - Se for para ser assim, não quero mais.


Fanfic / Fanfiction Like a Butterfly... 2 - Capítulo 9 - Se for para ser assim, não quero mais.

 

 

Deitei no colchão no canto daquela espécie de garagem, me perguntando se tudo ficaria bem no dia seguinte. YoungJae tirou também um cobertor do armário, jogou para mim e o observei apagar a luz e tirar seus sapatos.

 

-Falou com minha mãe?- Perguntei meio nervosa. Ele apenas suspirou e veio até mim.

 

-Ela acha que você vai dormir na casa da Binnie, sua amiga. –Sentou no colchão, perto de mim e passou a mão por minha perna, a alisando. –Vai ficar tudo bem.

 

-Eu sei, eu só... Não estou entendendo nada direito. –Falei meio confusa, engatinhou no pequeno colchão, ficando por cima de mim.

 

-A partir de hoje, está namorando o garoto mais bonito da cidade. Também entrou pra gangue dos malvadões e tudo vai ficar bem, Okay? – Mesmo com pouca iluminação, pude vê-lo sorrir. Beijou-me calmamente e senti um arrepio percorrer meu corpo, ele estava tão próximo. Enlacei seu pescoço com meus braços e ele deitou ao meu lado, me abraçando e nos aproximando. –Tudo bem por você dormirmos juntos?

 

-Depende de como quer dizer. –Respondi confusa, sorriu e encostei a cabeça em seu peito, sentindo seu perfume. Algo difícil de sentir de longe, por isso me senti privilegiada. -Acho que já entendi o que quis dizer.

 

Aquele momento estava muito bom, apesar do namoro ser repentino, eu já queria isso... Eu acho. Precisei do pedido para me tocar de que realmente gostava de YoungJae. Queria poder eterniza-lo, mas eu sabia que não. Fechei os olhos e senti o momento. Cai no sono.

 

...

 

Acordei sentindo alguém me chacoalhar, abri os olhos e vi YoungJae sentado na cama com os cabelos bagunçados me fitando.

 

-É melhor levantar. –Falou sorrindo e me sentei na cama, olhando em seus olhos. –Bom dia.

 

-Bom dia. –Falei com os olhos entreabertos por conta de alguns raios de sol que invadiam o local por frestas da janela. Ele se aproximou e selou nossos lábios.

 

-Uuuuuh! –Só então percebi o grupo de amigos de YoungJae do outro lado do local aplaudindo e berrando. Corei.

 

-Ah, shippo! –Gritou Yongguk com seu belo sorriso aplaudindo. Soltei uma risada envergonhada e YoungJae revirou os olhos, rindo. Se levantou. –Dormiram juntos... Ai?

 

-Não rolou nada. –Se aproximou do amigo e lhe deu um peteleco na cabeça. Pude notar JongUp e Zelo trocando notas de dinheiro. –Sério que vocês apostaram a virgindade de alguém?

 

-Tanto faz, eu ganhei. –Sussurrou Zelo se aproximando de mim e sentando ao meu lado enquanto ele me mostrava o dinheiro como se fosse precioso.

 

-Ainda bem. –Murmurei em resposta, rimos juntos e notei que Jae me olhava com uma expressão estranha.

 

-Oh... Ciúmes! –Himchan apontou no rosto dele, que empurrou sua mão para o lado e pegou suas chaves.

 

-Vamos, Ji-Min. Tá na hora de você ir para casa. –Me levantei assentindo e vesti minha bota e touca, ele pegou em minha mão e me levou até a entrada.

 

-Tchau! –Acenei pros garotos que se despediram também.

 

-Desculpe a inconveniência deles. –Suspirou colocando o capacete em mim, balancei a cabeça.

 

-Tudo bem, eu gosto deles. –Falei pensativa, então tirei o capacete da cabeça. –Espera... Que tal nos divertirmos por mais um dia? Afinal, agora eu já faltei à escola, não posso voltar no tempo.

 

-Okay, mas vai querer fazer o que, então?- Perguntou colocando o capacete na moto, dei de ombros. A porta de metal se abriu e os garotos saíram, sorrindo ao nos ver.

 

-Cara, aquele parque de diversões reabriu. –JongUp falou com uma expressão diferente, um sorriso meio fofo que até hoje não tinha visto.

 

-Sério?!- Perguntou parecendo muito alegre, se virou para mim. –Nós temos que ir lá.

 

-Tudo bem. –Sorri e eles sorriram também, todos concordaram em ir para lá.

 

...

 

YoungJae dirigiu o carro de Yongguk, foi engraçado pois pela falta de espaço, eu teria que ir no colo de alguém, mas YoungJae não deixou. Por isso Daehyun ficou no colo do JongUp, que tinha consigo um semblante desconfortável. Por outro lado, Daehyun tinha um sorriso largo no rosto.

-Oh, dois casais no carro, vou morrer. –Brincou Himchan, JongUp ameaçou dar-lhe um soco e todos riram.

 

-Três com você e o Bang. –Daehyun disse apontando para ele e Yongguk, que estavam bem próximos. Fiquei no banco da frente perto de YoungJae, que sorria.

 

Os óculos escuros dele refletiam os raios de sol fortes que estavam por toda parte, todos usavam um menos eu (que não tinha) e Zelo, que dormia. Liguei a rádio e começou uma música eletrônica americana, Zelo acordou e pareceu desconfortável, sem conseguir dormir.

 

-Parem de se mexer tanto... –Murmurou em meio a bagunça dos outros garotos que estavam agitados, como se não tivessem ouvido, continuaram e ele ficou com uma expressão desconfortável. –Hyungs...

 

-Zelo, pode trocar comigo. –Falei tirando o cinto e ele sorriu, YoungJae apenas nos observou em silêncio. Com dificuldades, fui para a parte de trás enquanto ele veio e sentou na frente. Em pouco tempo, dormiu. Os garotos continuaram fazendo bagunça, mas me juntei a eles. –Não! Eu vou cair!

 

-Não vai. –Disse Yongguk abrindo o teto solar, me levantei e fiquei com o peito para baixo dentro do carro, e a parte de cima para fora. Senti o vento forte bater em meu rosto. –Viu?

 

-Isso é tão bom! –Falei abrindo os braços, a paisagem era bonita. Senti algo bater em minha perna e cai para dentro do carro, no colo de alguém. –Ah...

 

-Desculpa!- Disse Daehyun em desespero, não me tocando como se eu fosse quebrar em mil pedaços. Comecei a rir, vendo todos olhando para mim confusos, só então notei que cai em cima do colo de Yongguk.

 

-Desculpa. –Falei ainda rindo, puxei um pouco da minha calça para cima e vi que fiquei com um hematoma na panturrilha. Yongguk meio que me segurou pela cintura, rindo também. Seu sorriso era tão bonito.

 

-O que raios está acontecendo ai atrás?- Perguntou Jae, olhando pelo espelho retrovisor e revirando os olhos. –Por que você tá no colo dele? Que barulho foi esse?

 

-Meu pé! –Himchan exclamou rindo, acho que eu havia pisado com minha bota nele, todos riram enquanto YoungJae estava sendo ignorado.

 

-Desculpe Jae. –Me apoiei nos bancos da frente e me aproximei dele. Deixei um beijinho em sua bochecha e ele escondeu seu sorriso. –Não fique bravo, Okay?

 

-Tem uma bunda no meu rosto. –Himchan falou com uma expressão engraçada e voltei para trás, caindo sentada no chão do carro, fiquei ali mesmo. –Você tá bem?

 

-Sim. –Sorri e ele também, sinto que quanto mais tempo passo com os meninos, mais fico alegre.

 

...

 

-Whoa... Continua igual!- JongUp exclamou com um sorriso, Zelo veio até meu lado.

 

-Obrigada por me ceder seu lugar, não consegui dormir noite passada. –Sorriu para mim, que retribui e coloquei minha mão em seu ombro (com dificuldades, pensa um garoto alto.)

 

-Não? Por quê? Tem algo te preocupando?- Perguntei fitando seu rosto, ele assentiu pensativo. –O quê?

 

-É uma longa história, mas agora estou melhor. –Disse e eu assenti. –Aliás, eles gostam daqui, pois nós costumávamos vir aqui quando eramos pequenos.

 

-Ah sim... Ia perguntar isso.

 

-Ji-Min, vem cá!- YoungJae me chamou, me despedi de Zelo e corri até o outro.

 

-Sim?- Perguntei sorrindo, ele me fitou com uma expressão brava. –Ué, que foi?

 

- Nada. Machucou a perna no carro?- Perguntou apontando para a mesma, assenti. –E está de pé?

 

-Engraçado você, hem. –Disse irônica, ele sorriu.

 

-Você está ficando mais forte, se acontecesse no dia em que nos conhecemos, estaria agonizando no chão. –Brincou e dei um tapinha em seu ombro. –Está melhor assim.

 

-E você era um babaca! –Resmunguei batendo um pé no chão. –mas agora está legal.

 

-Eu sempre fui legal, só queria money. –Brincou e revirei os olhos rindo. –Esse parque é muito legal, tem uma montanha russa que você vai gostar de ir, alias, tem uma casa do terror.

 

-Estou prevendo minha morte. –Ri e ele me abraçou de lado, continuamos andando até entrar no parque. Fomos até uma barraquinha de comidas. –Oh, esse algodão doce é bonito.

 

-Quer um?- Perguntou apontando para ele, assenti e ele comprou. Colocou em minha mão.

 

-Obrigada. –Sorri e dei uma mordida nele. Enquanto derretia em minha boca em sabores doces, YoungJae e seus amigos conversavam.

 

-Oh, posso pegar um pedaço?- Perguntou Zelo. Assenti e ele pegou um pedaço enorme e enfiou na boca. Ergui o cenho dando-lhe um peteleco na cabeça. –Ai...

 

-Era um pedaço, não tudo. –Ri e ele levantou suas mãos como rendimento. –Estou triste.

 

-Que pena. –Riu e pegou mais um pedaço, quando fui tentar arrancar dele, o colocou em minha boca.

 

-Ei! –Disse sentindo aquilo meio grudento, riu e saiu correndo para uma barraca com ursos de pelúcia.

 

-Aposto que consigo pegar um. –Falou convencido, seus olhos brilhando.

 

-Tente, aqui. –Tirei uma nota do bolso e dei para ele, que tentou acertar o tiro no alvo de brinquedo, mas não conseguiu. Ele perdeu suas três chances. –Deixe-me tentar.

 

Peguei a arma e errei meu primeiro tiro, porém acertei o segundo. Sorri orgulhosa e ele bateu palmas, meio envergonhado. O homem me deixou escolher um prêmio, peguei um coelho branco de pelúcia. Estendi para Zelo.

 

-Espera, pegou para mim? –Perguntou e assenti sorrindo, pegou o coelho meio envergonhado. –Obrigado.

 

-Você pegou isso?- YoungJae surgiu do nada, assenti e ele fez uma expressão de “nada mau”. –Parabéns.

 

-Achou que eu era composta apenas de defeitos? Tenho qualidades. –Brinquei e ele assentiu.

 

-Achei mesmo. –Zombou e o empurrei de lado, Zelo saiu andando e se juntou ao resto do grupo. –Brincadeira, eu não gostaria de um poço de defeitos né fofa.

 

-Que contraditório. –Ri e ele me deu um beijo na cabeça.

 

-Vamos, tem uma montanha russa aqui perto. –Pegou em minha mão e me levou até ela, fomos todos lá e prestei atenção em uma placa.

 

-Já volto. –Falei indo na direção dela, atrás dela tinha algo escrito em caneta permanente.

 

“Uma montanha russa mágica, quem chega ao ponto máximo querendo sorrir, pode ser feliz.”

 

Fiquei meio pensativa e voltei para a fila, logo, puxei o braço de Zelo para mais perto de mim.

 

-Você conhece a lenda dessa montanha russa? –Perguntei sorrindo, ele negou com a cabeça. –Quando você chega ao ponto máximo, se desejar de verdade sorrir, vai ficar feliz.

 

-Isso é bobagem. –Balançou a cabeça segurando o coelho.

 

-O que custa tentar? –Perguntei e ele deu de ombros. –Exatamente, vamos lá, quem sabe seu dia melhora.

 

-YoungJae! –Daehyun chamou-o, que foi para mais perto dele na fila e eles começaram a conversar. Demorou um bom tempo, minhas pernas estavam bambas e Zelo parecia meio inquieto.

 

-Vamos lá?- Perguntou e o segui, sentamos lado a lado. Não vi Himchan, Yongguk nem JongUp, conclui que eles nem iriam. Ele parecia mais nervoso que eu, só de olhar para ele, sentia que tinha que cuidar dele como uma criança. Vestimos nossos cintos e uma proteção que ia dos ombros até a cintura. –Acho que vou desistir...

 

-É sua chance, está na hora. –Segurei sua mão com um pouco de dificuldade, tentando esconder meu medo para confortá-lo. Em segundos, ela disparou e começamos em um caminho extremamente rápido. Nós gritávamos e ouvíamos os gritos dos outros dois, era praticamente impossível raciocinar com toda a movimentação. Em segundos, ela parou e respiramos ofegante.

 

-Tudo certo? –Me virei para ele assim que soltei o cinto, só então me lembrei da lenda. Pude vê-lo sorrir largamente. –Funcionou!

 

-Parece que sim. –Sorriu e me afastei, soltando sua mão. Ele suspirou pegando seu coelho (que deixou no espaço para acessórios que poderiam sair voando) e indo encontrar Daehyun.

 

-Oi, gostou?- Perguntei para YoungJae, que assentiu rindo.

 

-Foi muito foda. –Falou pegando em minha mão, aquilo era fofo, mas ficava estranho juntando com os palavrões que ele falava. Eu não gostava muito, mas acho que ele faz o que quer, afinal. –Quer ver as fotos que a câmera bateu?

 

-Claro! –Assenti e fomos até a barraca, onde as fotos iam passando. Quando apareceu a dele, Daehyun gritava e ele também, com um riso. Sorrimos, assim que passaram mais algumas apareceu a minha e de Zelo. Eu gritava sorrindo e Zelo parecia meio chocado. Os olhos do Jae desceram até nossas mãos unidas e ele pareceu ficar meio bravo. –Ele estava com med...

 

-Não vamos falar sobre isso, não acha que está na hora de irmos à casa do terror? –Disse ainda meio desconfortável, assenti nervosa e ele me arrastou pela mão.

 

-Não vamos esperar os outros? –Perguntei olhando para trás, ele negou.

 

-Por enquanto, vai ser só eu e você.

 

...

 

Era um local muito escuro, fumaça para todo lado. Uma luz de emergência piscava várias vezes, sons de grito soavam. Eu estava tremendo e quase não saia do lugar. Eu só ia para frente, pois YoungJae (eu acho, pois não enxergava nada) me puxava.

 

-Cuidado para não desmaiar. –Zombou rindo, revirei os olhos, as pernas bambas. –Quer dizer, “filme de terror”: Meu Deus. Morri.

 

-Claro, zombe de mim no melhor momento possível. –Senti uma respiração próxima e me aguentei para não berrar. -Eu tenho defeitos, mas você também. Fuma, bebe, é grosso, agressivo, às vezes indelicado e não sabe esconder seu ciúme marcante.

 

-A culpa é minha se fica grudada no Zelo? –Falou meio irritado, pensei um pouco e talvez ele esteja certo, mas eu apenas quero ser legal com eles. –Além, é claro, de ficar no Yongguk e no MinSeok.

 

-Não posso ter amigos? VOCÊ me machucou e Xiumin me protegeu fazendo em me aproximar dele, a culpa é minha agora?! –Berrei batendo o pé no chão.

 

-Mas somos namorados agora, eu e você.

 

-Se não vai me deixar ter amigos então podemos terminar agora mesmo. –Bufei.

 

-Certo. –Ouvi um som como de toque de celular, como uma mensagem. Soltou minha mão e entrei em desespero, eu não podia ver nada e estava perdida. Ouvi um grito monstruoso e me senti perdida em um enorme deserto sem luz.

 

-Y-YoungJae? POR FAVOR, APAREÇA!- Berrei sentindo que poderia chorar, mas então segurei as lágrimas e respirei fundo. –Não posso depender de ninguém.

 

Dei passos trêmulos respirando fundo e tentando manter a calma, não poderia deixar nada me fazer entrar em desespero. Um monstro surgiu e começou a correr atrás de mim, tentei fugir dele o máximo que podia, mas sentia que iria tropeçar a qualquer momento. Finalmente cheguei a saída e cai de joelhos no chão de grama, glorificando a luz do sol e os sons humanos.

 

-Está bem?- Perguntou Himchan, me ajudando a levantar. Assenti e sorri. –Cadê o Jae?

 

-Tivemos uma “discussão” lá dentro, ele desapareceu. Mas logo aparece, tudo bem. –Falei tentando ser positiva, apesar de que eu não acredite em minhas próprias palavras. –Que tal nós tentarmos algum jogo? Ouvi dizer que aqui tem a garra de pegar prêmios. Vamos lá!

Ele assentiu sorrindo e juntos fomos. Pensei um pouco, eu estava mais forte e madura. Por um lado, YoungJae zombar de mim assim foi bom para eu poder enfrentar aquele brinquedo idiota sem fraquejar. Seus exercícios me ajudaram a correr melhor e também me sinto mais independente, sem ter que pedir ajuda dele e de Xiumin para qualquer coisa.

 

Quem sabe quando eu achar ele eu agradeça, não é?

 

 

 


Notas Finais


Espero que tenham gostado <3 Não se preocupem muitooo com outros shipps por enquanto, sem traição kkkkkk espero que tenham gostado <3

Kissus~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...