História LiKE A WOULD - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias One Direction, Zayn Malik
Personagens Harry Styles, Liam Payne, Louis Tomlinson, Niall Horan, Personagens Originais, Zayn Malik
Tags Amor, Beijo, Colégio, Escola, Harry, Horan, Louis, Malik, Romance, Styles, Suspense, Zayn
Exibições 43
Palavras 1.504
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Festa, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Good morning, bbys!
Sorry pela demora para postar,mas eu estava ocupada com algumas coisas da escola. E é isso! Haushaus

Ps: o Boy da capa é o Tyler kkk

Capítulo 5 - NøtHinG


Fanfic / Fanfiction LiKE A WOULD - Capítulo 5 - NøtHinG

Quando cheguei, vi que os lugares já estavam prontos e percebi que o pai do Tyler, o John, olhava para os meus pais com um sorrisinho de canto. Provavelmente, eles estavam comentando de nós dois com o fato de termos ido para o meu quarto, onde a Gabrielle deve ter aberto a boca para fofocar.
Sentei-me entre a Gabe e o Ty e em alguns minutos, a Dona Morgan nos serviu.

Durante a refeição, minha mãe era a que mais falava. Nisso, descobri que foi ela quem chamou o Tyler e o seu pai para almoçarem conosco. Tudo porque "fazia tempo que não nos reuniamos", ou seja, de acordo com a tradução do sentido figurado, o real motivo seria agradar o meu sogro.

- E como vão os estudos, Mireille? - o John perguntou simpático.

- Minhas aulas começam amanhã. Vou fazer o terceiro ano do ensino médio. - sorri, colocando uma garfada de salada na boca.

- Já sabe o que fazer na faculdade?

- Tenho algumas dúvidas... - olhei para a minha mãe - Mas... Estou focando em áreas que eu possa administrar a empresa.

- Isto é incrível. O Tyler também quer o mesmo.

-Hm, legal. - forcei um sorriso sem mostrar os dentes e o Tyler sorriu para mim, colocando uma mão sobre a minha coxa esquerda por debaixo da mesa e apertando de leve.

- A Milla parece pensar exatamente como eu. - Comentou ele alegre. Bem, ao menos alguém está feliz dentro do nosso relacionamento - E eu só quero deixar registrado, aqui, com todos reunidos, que eu sou louco por ela. - Me fitou com os lábios esticados de orelha a orelha. Meus pais e o meu sogro pareceram estupidamnete felizes, o que me deixou um pouco vermelha de vergonha, e a minha irmã revirou ligeiramente os olhos.

- Fico feliz por vocês. Desejo que um dia se casem! - Pierro, meu pai, se pronunciou, fazendo com que todos olhassem ainda mais para nós. Fiquei totalmente sem jeito e graças aos deuses, não demorou muito para que o assunto mudasse e que o almoço terminasse.

.....

Assim que sai da sala de jantar, senti o meu celular vibrar em minha mão. Olhei para ver quem era e franzi a testa ao notar que se tratava do Zayn, porém ignorei por estar perto do Tyler.

- Milla, vou falar com o meu pai rápido e já volto. Okay?

- Hm, Okay! - concordei com a cabeça ainda sentindo o meu celular tocando - Eu... Acho que vou te esperar no quarto, tá? - Lhe dei uma desculpa para ficar sozinha e logo que ele cedeu, subi as escadas às pressas para poder atender a chamada - Oi! - sussurei um pouco preocupada - Aconteceu algo?

- O que ele faz aí? - Foi seco.

- Ele? - questionei sem saber de quem ele falava.

- Não se faça de tola, Milla! Sabe muito bem do que estou falando. Ou então esse filho da puta brotou do chão?

- Eu... Eu... Não sabia que ele... - tentei explicar enrolada, mas o Zayn me ignorou.

- Deve ser muito engraçado me fazer de idiota e o que quiser quando está comigo. Deus, como eu nunca percebi isto? - riu irônico e eu franzi a testa tentando raciocinar do que ele falava. O Zayn havia bebido ou fumou alguma coisa?

- Zayn, eu não sei do que você está falando. E sobre o Tyler...

- Mireille, faça-me o favor de deixar de fingimento? Toda aquela correria na casa do Louis era mesmo para ver o seu namoradinho?

- Não, claro que não. - respondi normal - E como sabe que ele está aqui?

- Não sei se você lembra, mas... SOU SEU VIZINHO. - gritou alterado e pareceu bater em algo com força por conta do barulho de madeira que ecoou - Além do mais aquele carro horrível dele está estacionado de frente ao seu jardim.

- Hey, eu não sabia que ele estava aqui. Serio! Minha mãe que o convidou. Não tem o porquê de eu mentir para você. Sabe disso!

- Eu sei? EU SEI? - bufou - É comigo que você se diverte, mas é com ele sai no dia seguinte. Sua vida é tão chata e regrada pela sua mãe que na maioria das vezes parece que você me usa como uma diversão para fugir da sua realidade. Como se eu fosse a lei que você quebrasse escondida da Daphné para se sentir mais livre, rebelde e vivida. - disparou rápido e de uma única vez. Eu ouvi atenta enquanto sentia o meu sangue ferver e o meu corpo tremer de raiva.

- Acha que é isto? Acha realmente que eu estou com você há um ano por isto? - minha voz começou a se alterar - Deixe de ser estúpido, Zayn! Você diz como se eu me aproximasse de você para curtir, mas se esquece que nos conhecemos desde crianças. Nada disso entre nós aconteceu de um dia para o outro. E você sabe muito bem o porquê não podermos assumir o que temos.

- Ah sim, eu sei... Você gosta sempre do mais fácil.

- Eu não vou discutir isto por telefone. - bufei estressada.

- É mesmo. Volta pro seu namoradinho. Ele deve estar com saudade de te foder... Onde eu já fodi. - Foi grosso e desligou o celular na minha cara.

Meus dentes trincaram e eu quase arremessei o celular na parede de tanto ódio. Então é assim? Somente ele importava? E eu era algum tipo de conquista,onde assim que eu terminasse com o Tyler,ele ganharia?

Levantei num pulo pronto para ir na casa do Zayn e gritar com ele o quanto fosse necessário para saber o que realmente temos e o que está acontecendo conosco. Toquei na maçaneta e girei para abrir, mas logo que fiz isso, o Tyler surgiu na minha frente.

- Uau! Ia abrir a porta e você já.... - Ele parou e olhou preocupado para mim - Está tudo bem? Que cara é essa?

- Nada. Eu só.... Só... - Falei sem conseguir formular uma frase. Mas na minha cabeça passavam diversas coisas que eu queria jogar na cara daquele imbecil.

- Vem entra! - Empurrou-me e fechou a porta atrás de si - Tem certeza que foi nada? Eu disse ao meu pai que dormiria aqui hoje. Estava vindo perguntar se tudo bem para você. Posso ficar contigo.

- Hm... - fiquei olhando para um ponto qualquer na parede pensando - Não, tudo bem. Quero que fique comigo! - pedi, desliguei a luz e puxei o Tyler pelo pulso em direção a cama. Eu estava de cabeça cheia e sinceramente, precisava de alguém para me abraçar e dar atenção, então deitei-me na cama com ele na minha frente e fiquei fitando os seus olhos estupidamente azuis enquanto sentia os seus dedos fazendo carinho nos meus braços, rosto e cabelo.
Às vezes, me pergunto se um dia eu realmente o amei. Lembro-me de nós dois completamente apaixonados no início de tudo e a nossa relação era tão simples. E agora, praticamente, não há um momento que eu esteja com ele, que não me lembre do Zayn. - Tyler? - o chamei.

- Hm?

- Me desculpa? - Indaguei me referindo à tudo que está acontecendo, inclusive sobre eu o atrair.

- Pelo o quê? - franziu a testa e olhou curioso. Eu poderia lhe dizer a verdade, terminar o nosso namoro, fazer a minha mãe ficar chateada comigo pela a única coisa que se orgulhava de mim, fazer com que o contrato entre a empresa da minha família e do John, provavelmente, quebrasse e então que perdessemos milhões de dólares com a queda de uma, ou talvez, mais ações. Eu poderia, simplesmente, poderia fazer isto. Porém algo não me deixava, pensando em somente uma pessoa: A minha mãe.
Eu sempre faço de tudo para que ela se orgulhe de mim. Só que parece, que apenas a Gabrielle faz as coisas certas. Não importa o que eu faça, a Gabrielle será a elogiada, a Gabrielle será a queridinha, a Gabrielle é quem age como ela queria, a Gabrielle isso, a Gabrielle aquilo. E eu... Nunca sou o suficiente. Quero que um dia ela me ame de verdade.

- Por quase não ter mandado mensagens durante a minha viagem. - Falei quase num sussurro querendo me bater. Até onde eu levaria isto?

- Já disse que sem problemas. - riu baixo e se aproximou mais, ficando poucos centímetros do meu rosto - Não era por isso que estava triste, não?

- Um pouco. Fiquei com a cabeça em outro lugar por muito tempo. - sorri.

- Esquece, já passou! - Deu-me um beijo calmo e fez com que eu me deitasse no seu peito.

Ficamos assim a tarde toda até escurer e dormirmos. Aproveitamos também para colocar alguns assuntos em dia e até que foi bom, pude me distrair ligeiramente com as nossas conversas e os filmes que assistimos.


Notas Finais


Obrigada por ler e acompanhar!
Deixe o seu comentário e favorito se gostar.
Bjinhos lovers!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...