História Lilith -Drarry - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Alvo Potter, Astoria Greengrass, Barão Sangrento, Blásio Zabini, Dino Thomas, Dominique Weasley, Draco Malfoy, Gina Weasley, Harry Potter, Hermione Granger, Hugo Weasley, Lílian L. Potter, Lorcan Scamander, Louis Weasley, Luna Lovegood, Lysander Scamander, Minerva Mcgonagall, Molly Weasley, Molly Weasley II, Narcissa Black Malfoy, Neville Longbottom, Poppy Pomfrey (Madame Pomfrey), Rita Skeeter, Ronald Weasley, Rose Weasley, Rúbeo Hagrid, Scorpius Malfoy, Simas Finnigan, Ted Lupin, Tiago S. Potter, Victoire Weasley
Tags Drama, Drarry, Harry Potter, Larry, Romance, Suspense
Visualizações 443
Palavras 1.207
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Crossover, Drabs, Drama (Tragédia), Escolar, Fantasia, Festa, Ficção Científica, Magia, Mistério, Romance e Novela, Saga, Suspense, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Gostaram do capítulo anterior? Ficou um amorzinho! Shshsh ❤️

Capítulo 11 - Abraço Ingênuo


O loiro correu para o salão da Slytherin, respirando ofegante ele entrou no seu antigo dormitório e encontrou Blasio deitado em sua cama lendo um livro.

—Blaise...

—Malfoy? -ele fecha o livro e direciona o olhar ao loiro.

—Eu preciso conversar. 

—Oh, sim... como quiser, mas seus novos amigos não irão se irritar de você está aqui comigo? -ele disse sarcástico observando o loiro sentar na beira da cama. 

O loiro rodou os olhos e se ajeitou na cama.

—Este ano não está sendo o melhor para mim, Zabini! -ele suspirou e deixou as pernas estilo índio e encarou o moreno. –Sinceramente eu preferi ser amigo dele do que ter de ouvir suas reclamações todos os dias. E porra! Nós estamos crescidos, em meses vamos nos formar em Hogwarts, vamos ter nossas vidas e temos de aceitar que brigar não vai nos levar a nada e eu... eu quero desabafar com você.

Blaise o encarou ainda calado e apenas acenou o incentivando a continuar.

—Estes últimos dias estamos um pouco mais próximos, como podem ter notado. -ele falou levemente irônico e encarou as mãos. –E agora a pouco, meio que... acabamos quase... quase se beijando.

Blaise arregalou os olhos enquanto se inclina para ficar mais perto do amigo e o encara surpreso. 

—Está brincando? 

—Não, não estou. Você já beijou o Jackson, não me julgue. 

—Foi diferente, ele não é o eleito e muito menos famoso, além de que eu sempre soube que meus pais não vão aceitar e acabei desistindo dele... 

—Eu sei... 

—Além de que é Harry Potter...

—Imagina o escândalo! -Draco fechou os punhos.

—Eu já imaginei. 

Draco suspirou e encarou o chão levemente vermelho.

—Draco, por favor me diga que não está gostando dele! E eu ficarei feliz se você mentir só para me agradar. 

Draco soltou um riso fraco pelo nariz e o encarou sem saber o que dizer, Blasio suspirou pesadamente.

—Senti sua falta, irmão. -Draco cortou o silêncio mudando de assunto.

—Eu também senti.

A última vez que se falaram foi a quatro dias atrás. Apenas trocaram algumas palavras e seguiram um para cada lado. 

—Eu posso começar a te ajudar se prometer me falar tudo. Além de que pode confiar em mim, eu sou seu amigo.

—Eu sinto muito por ter sumido desta forma.

—Para de se lamentar... respira funda e conta para mim quando começou os gestos, carinhos e todas aquelas coisas de gay. -Blasio fez careta segurando o riso.

—Blaise! -Draco o repreendeu com o olhar, sentindo o rosto ficar vermelho. 

—Eu era gay, então não se intimide. 

—Eu não sou gay, só acho que estou gostando de um cara.

—Por Merlin, isto está mais confuso do que jogos de quadribol da Ravenclaw e Hufflepuff! 

Draco suspirou ante de contar os detalhes das coisas que ocorreram depois de mudar de salão. Omitiu a forma que se sente recentemente, não quer que o amigo saiba que deseja ver Potter nu... Draco agradeceu mentalmente por seus pensamentos não poder ser ouvidos por quem está em volta. Ruborizou drasticamente após ter pensando coisa do tipo, deu de ombros e tentou agir da mesma forma que antes, disfarçando a vermelhidão.

***

Em poucas horas os boatos surgiram por toda Hogwarts. Chegando nos ouvidos da diretora, que chamou os rapazes após dois dias depois do incidente no pátio de transfiguração. Estes dois dias eles se ignoraram completamente até mesmo quando Lilith estava com eles.

—Meninos, eu não vim julgar ninguém, apenas quero respostas sinceras, isto não é comum entre alunos. -Minerva disse após Harry e Draco se sentarem.

—Sinceros no que? -Harry perguntou.

—A relação entre vocês. 

Eles engoliram em seco e ouviram alguns professores atrás segurar o riso pela expressão que os jovens fizeram para McGonagall.

—Não ocorre nada e nem ocorreu. -Draco foi o primeiro a se pronunciar. 

—Certo, eu apenas ouvi rumores e gostaria de conversar com vocês.

—Professora, não aconteceu nada. -Harry falou quase sussurrando. 

—Serio? Vai ser algum tipo de julgamento ou sentença? -o loiro encarou os professores que se aproximavam da mesa. 

—Não, apenas saber pois poderemos lidar com isto mais fácil, a última vez que isto aconteceu foi a cerca de 70 anos e eu nem mesmo estudava mais em Hogwarts. -Minerva disse seria, Draco perguntou mentalmente quantos anos está velhota deve ter. 

—Por Merlin, qual é o problema de achar Potter atraente? Isto por acaso é algum tipo de crime? Não deveriam nós tratar como se fôssemos especiais só porque quase nós beijamos ou algo do tipo, pelo que sei gays não são mais ou menos especial por serem gays, não precisa disto tudo.

E então, ele engoliu em seco ao notar o que disse, recebendo o olhar incerto do moreno. Alguns professores deram risada baixinho enquanto tentavam disfarçar. McGonagall os encarou incrédula.

—Eu... eu não quis dizer que eu ou ele somos gays, não somos. -tentou se explicar. 

—Eu gostaria de ir embora se não for algum problema. -Harry murmurou encarando a diretora.

Draco sentiu seu rosto ferver ao ter involuntariamente direcionado o olhar ao traseiro do moreno enquanto ele se levanta. Desviou o olhar para qualquer outra coisa que parecesse mais interessante no momento.

—Tudo bem, caso precisem de algo falem comigo. Pode voltar a sua rotina. -ela disse por fim, abrindo um pergaminho em sua mesa.

Ele se levantou rapidamente e saiu sem encarar os professores que continuaram no ambiente. Após fechar a porta, desceu as escada, se afastou um pouco mas se assustou sentindo uma mão em sua boca e arregalou os olhos, encarando as esmeraldas na sua frente.

—Você está louco, Malfoy? Na próxima vez que insinuar que eu sou gay eu arranco suas bocas com os dentes.

Draco ri pelo comentário do menor, sua risada é abafada pela mão do outro, que a retira e o encara com dúvida e desdém. 

—Saiba que para as arrancar com os dentes, tem de por a boca por lá. 

Harry ganhou vermelhidão tão rápido como um pomo é solto para uma partida de quadribol. Eles não notaram que alguns alunos os observavam, já estavam se acostumando com os olhares incertos dos colegas. 

—Você está bem, Harry? -Draco perguntou sorrindo maroto. 

O menor não respondeu e apenas abriu a boca para tentar dizer algo mas voltou a fechar. 

—Suas bochechas estão vermelhas iguais as seus lábios. 

—Para com isso! -sua voz saiu baixa.

—Seu cabelo fica sexy assim. -Draco murmurou próximo a Harry, com a voz rouca, provocando o menor.

—Para com isso, Malfoy! -Harry fechou os olhos com força, não sabendo ao certo de está tão vermelho.

—Você fica adorável quando está bravo. 

—MALFOY! Por favor, para... e-eu estou com vergonha. -Harry murmurou gaguejando, abaixando a cabeça e suspirando fraco.

Draco gargalhou e puxou o menor, sentindo o corpo do outro bater levemente contra o seu, levou uma das mãos as costas do moreno e a outra para seus cabelos bagunçados, sentindo o menor esconder o rosto vermelho na curva do seu pescoço e a respiração dele fazer o loiro se arrepiar, sentindo a armação do óculos tocar sua pele pela proximidade que Harry está. 

—Continue sempre ingênuo. -Draco murmurou o soltando e dando dois passos para trás. Harry parece mais calmo porém ainda esta vermelho.

—Eu não sou ingênuo. 

—Prova-me.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...