História Limite || [Namjin] - Capítulo 37


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bangtan Boys, Bts, Fanfic, Hoseok, Jhope, Jungkook, Lemon, Namjin, Namjoon, Park Jimin, Seokjin, Suga, Taehyung, Vizinhos, Yaoi
Exibições 393
Palavras 2.196
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Lemon, Romance e Novela, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Annygasheio!
AAAAA FINALMENTE O JIN ABRIU A RABA –q
~perdõe algum erro.
Boa leitura!

Capítulo 37 - Primeira vez


Um gemido improposital escapa de meus lábios ao ter o pescoço chupado. Namjoon ainda estava deitado sobre meu corpo, me acariciando com suas mãos grossas, apalpando minhas coxas, que estavam ao redor de sua cintura.

— Nam... — O chamo, com a voz fraca pelo nossos ato.

— Diga. — Ele profere com o hálito quente batendo contra meu pescoço, oque me causava mais arrepios. 

— Não acha melhor... Parar por aqui? Sua mãe pode entrar. — Meu rosto esquenta com os meus dizerem, e ele levanta o rosto, me fitando com certa indignação.

— Está com medo? — Ele parecia frustado. Solto um suspiro agoniado, virando o rosto para o lado, calado. — Você não tem curiosidade?

— Em que? — Pergunto com a voz fraca, recebendo uma carícia entre meus fios de cabelo.

— Sexo. — Arregalo meus olhos, me sentindo totalmente envergonhado. — Digo, você vai fazer dezoito, não é normal ter curiosidade?

— Não sei, Joonie. — Respiro fundo, voltando a virar o rosto, tendo o olhar penetrante de Namjoon diretamente a meus olhos. — Porque está falando disso agora?

— Bem... Fiz uma hipótese de que nunca transou. — Coro novamente, encolhendo meus ombros. — E adoraria ser a pessoa que faria com você, a sua primeira vez.

Meu coração acelera com suas palavras, que me atingem como um choque elétrico, mandando arrepios por todo meu corpo. Por um instante, perdido na conversa, minha mente viaja para uma cena um tanto quanto quente. Ao pensar, o corpo nú de Namjoon sob o meu, saindo gemidos roucos de sua boca, meu corpo nú, é muita vergonha. Como aguentaria ficar totalmente sem roupas á frente de alguem? E ainda mais quando ele... Quando ele tá com o coiso duro! Não sei exatamente, mas timidez e vergonha resumiam oque me impedia de imaginar as próximas cenas.

— Namjoon... — Murmuro, e sua feição vai para decepcionada, abaixando a cabeça, e assentindo.

— Está bem. — A imagem me parte o coração, e seu corpo volta a levantar do meu. Vamos Jin, pare de vergonha, todo mundo faz. Tomando iniciativa, envolvo minhas pernas por sua cintura, o puxando para baixo novamente, sua expressão é confusa quando cai sobre mim, fazendo novamente pressão com sua ereção em minha barriga.

— Eu quero. — As palavras saem de minha boca, trêmulas, com minha garganta seca. Seus olhos brilham, e me encaram por alguns instantes.

— Vamos para o quarto.

Dito isso, um sorriso toma conta de seu rosto, e ele se levanta do sofá, segurando-me pela mão, com os dedos entrelaçados.

Em quando subíamos as escadas, meu corpo inteiro treme, e minhas mãos suam. Ei estava com medo disso, pode parecer bobo, mas, em minha cabeça, era maior que só prazer proporcionado pelo corpo um do outro, algo mais que isso. Confiar? Também está presente, confiar seu corpo – literalmente – ao outro, podendo ou não se machucar.

— Você está bem? — A voz de Namjoon me desperta, e assinto, vendo a porta do quarto se fechar atrás de meu corpo.

— Sim... — Joonie suspira, ficando á minha frente, encarando meu rosto por alguns instantes. 

— Vamos com calma. — Dizendo isso, sua mão segura-se em minha nuca, e a outra puxa minha cintura para perto, fazendo-me colar á seu corpo. Nossos lábios se juntam novamente, num ritmo lento, sem pressa. Passo meus braços á volta de seu pescoço, e sua mão antes em minha nuca se muda para a lateral de meu corpo, descendo á minha coxa, ao mesmo tempo em que sua lingua é empurrada carinhosamente para dentro de minha boca, sendo preenchido por seu calor material. Nossas línguas se embolam quando as mãos de Joonie me guiam pelo quarto, parando ao sentir a beirada da cama batendo em minhas coxas. O colchão era box, oque fazia-o ser mais alto, evidente.

Com cuidado, o mais velho me empurra para o colchão, fazendo com que me deite. Ele me observa por alguns segundos, e sinto minhas bochechas arderem com o olhar intimidador. Ele sobe ao colchão, colocando os joelhos a cada lado de meu corpo, e segurando minhas mãos em seguida, fazendo uma carícia na palma.

— Não fique assim, quero que se sinta confortável comigo. — Ele pede, levando minhas mãos para cima de minha cabeça, as apoiando no colchão, em quanto entrelaça nossos dedos, fazendo com que nossos rostos fiquem próximos ocasionalmente. Sua respiração quente bate contra minha pele lisa, em seguida dando um beijo carinhoso em meu queixo, seguido de uma mordida leve. 

Arfo quando seus lábios descem para meu pescoço, dando um chupão sob o mesmo, fazendo com que eu me arrepio por inteiro, tendo uma onda quente passada por meu corpo. Os toques de Namjoon me aqueciam, sentia uma sensação estranha, porém ainda não tinha a definido boa, ou ruim.

— Quer que eu a feche? — Ele murmura, apontando com o olhar para a janela. Assinto, e ele sai de cima de meu corpo, indo até a mesma e a fechando, puxando a cortina escura sobre ela. O quarto adquire um tom escuro da noite com pouca luminosidade, o bastante para ver a silhueta de Joonie, e algumas partes de seu corpo c nitidez. Em quanto caminhava de volta, suas mãos descem para a barra da camiseta, e ele a tira, me dando a visão de seu peitoral descoberto. Namjoon não era muito musculoso, mas mesmo assim nem tão fraco. Podia ver, pela forma que ele sobe em cima de meu corpo novamente que tomava cuidado, com todos movimentos que fazia. 

Namjoon baixa as mãos para minha camisa, a levantando em alguns centímetros, e me olhando como se pedisse permissão para despi-la. Assinto, levantando as costas para que ficasse mais fácil, e assim ele faz. Seus olhos correm pela parte exposta de meu corpo, e consigo distinguir um sorriso de canto presente em seus lábios. Fico totalmente envergonhado quando ele abre os botões da calça que eu usava, descendo o zíper em seguida. Seus gestos eram fáceis de ser executados, Namjoon não parecia tão nervoso quando eu estava. É claro Jin, ele já não é mais virgem, e é você que vai perder a virgindade. Joonie parece notar meu desconforto, e para, deixando minha calça aberta, ele me olha.

— Quer tirar minhas roupas? 

Engulo em seco com sua pergunta, mas assinto. Feito isso, ele fica de joelhos sobre o colchão, esperando que eu tire suas roupas. Levanto as costas do colchão, ficando sentado á sua frente, impropositalmente com o rosto na altura de seu pélvis, dando-me a visão do volume presente logo abaixo. Com as mãos trêmulas, desabotoo os dois primeiros botões, descendo o zíper abaixo logo em seguida, fazendo com que meus dedos toquem sem intenções sua ereção. Fecho os olhos por alguns segundos com o toque, levando minhas mãos para a barra da calça, a puxando com certa dificuldade para baixo, sendo surpreendido ao ver o volume se ressaltar.

— Viu como me deixou? — Coro com sua fala, ouvindo um riso abafado de sua parte por minha reação. — Tão lindo. 

Namjoon joga a calça para o chão, junto á sua camisa, e baixa as mãos para minha calça novamente, a puxando para fora de minhas pernas. Cubro o rosto, totalmente envergonhado, ouvindo um riso de Namjoon.

— Tão timido. — Me arrepio ao sentir suas mãos em minhas coxas descobertas, seu toque quente, começava a fazer efeito sobre meu corpo. — Tão gostoso.

Coro violentamente com suas palavras obscenas, levantando meu pélvis por reflexo ao sentir seus lábios em minhas coxas, me arrepiando por completo. Descubro o rosto, o vendo com o rosto próximo de minha cintura, dando outro beijo em minha pele, sorrindo ao perceber meu olhar sobre seu corpo. 

— Não acredito que sou o primeiro a ver isso.— Ele sussurra com a voz rouca, e engulo em seco. — Prometo não te machucar.

Assinto ao que diz, tendo suas mãos no elástico de minha boxer pela primeira vez, sendo lentamente tirada de meu corpo. Eu não acredito que estou mesmo fazendo isso. Pode parecer estranho, mas a vontade que eu tinha de sair correndo passara, a curiosidade me desperta, os toques de Joonie me esquentam, em todos os sentidos. 

— Está tímido? — Ele pergunta, me fazendo sentir sua mão apalpando meu membro descoberto. Deixo escapar um "ah" quando seu polegar passa pela ponta, me fazendo fechar os olhos ao toque. Aos poucos, sua mão passa a se movimentar ao meu redor e a me estimular, fazendo com que alguns gemidos impropositais escapem de minha boca seca. Estico meus braços pelo colchão quando sua mão me deixa, e ele despe a última peça de roupa que havia em seu corpo. Nossos olhos se encontram, e por um momento, a cena da primeira vez que nos vimos me vem á mente. Sorrio com a lembrança, passando a lingua por meus lábios quando minhas coxas são distanciadas, com os olhos fixos em Namjoon, que parecia atento á cada movimento que fazia. Evito olhar para seu membro exposto, isso me envergonharia mais ainda. Para minha surpresa, Joonie leva dois de seus dedos á própria boca, os chupando. Engulo em seco com seus olhos sobre os meus, vendo seus dedos saírem com um filete de saliva. Oque ele está fazendo? Porque ele está baixando a mão? Namjoon! Que porra você ta fazendo?!

— Oque...

— Vou te lubrificar. — Dito isso, sinto sua mão se espalmar ao pé de minhas nádegas, e engulo em seco. Namjoon sorri, colocando um dos dedos molhados em minha entrada virgem. Reprimo um gemido, fechando as mãos em torno do lençol, com uma respiração mais acelerada de minha parte. 

— D-Dói... — Resmungo, com uma pontada de dor repentina.

— Shh... Vai passar. — Outro de seus dedos desliza para dentro, e arqueio minhas costas, fazendo impropositalmente com que seu dedo afunde em meu corpo. Um "Ah" sai de minha boca quando sinto seus dedos se movimentarem dentro de mim, imitando uma tesoura, fazendo com que minha intimidade se alarga-se. 

— N-Nam... — Minha voz é chorosa, aquilo doía bastante. 

— Calma, baby... — Sua voz sussurrada me causa arrepios. — Vou tentar outra coisa.

Certo, não poderia ser pior do que ter seus dedos sendo colocados para dentro de mim. Errado.

Me assusto quando seu rosto baixa sob meu corpo, sentindo um arrepio correr por todo meu corpo com suas mãos em minhas coxas. Ele as levanta, fazendo com que fiquem sobre seus ombros, e meus pés alcançarem o fim de suas costas. Namjoon...?

— A-Ah... — Mordo meu lábio inferior com um beijo sendo depositado em uma das bochechas de minhas nádegas, levantando as ancas ao senrtir sua lingua deslizando pela área, parando especificamente em minha entrada, a empurrando para dentro. Fico totalmente mole, revirando meus olhos com as pálpebras fechadas, colocando uma das mãos sobre minha testa, com certa aflição tomando meu corpo. Porra... Oque eu estava fazendo? Oque Joonie estava fazendo?! 

Pode parecer estranho, mas quando sua lingua passa a se movimentar, uma sensação gostosa percorre meu corpo. Sua lingua era macia, e não incomoda como seus dedos. 

— Está bom assim? — O ouço, sentindo a falta de sua lingua em seguida. Ele sorri ao ver meu estado fogoso, e tira minhas coxas de seus ombros, as deixando no colchão, se pondo entre as mesmas em seguida. 

— Joonie. — Seguro em seus ombros, e seus olhos me fitam. — Só... Vá devagar.

— Como quiser. — Um beijo é depositado em meus lábios, e então dá inicio ao ato em si.

Mordo meu lábio inferior, sentindo seu membro se posicionar em minhas nádegas, causando arrepios descontrolados por meu corpo. Minha boca se forma um "o" perfeito ao sentir sua ereção deslizar com calma para dentro de meu corpo, junto á uma nova pontada de dor.

— Humm... N-Namjoon... — Meu pedido de aflição sai como um gemido, e observo Joonie morder o próprio lábio, se segurando. 

— C-Calma... Vai passar. — Sua voz é falha, com um gemido cortado ao fim da fala. 

Fecho meus olhos com força quando ele passa a se movimentar, me ocasionando alguns gemidos baixos e abafados, contra a pele de seu pescoço, pele no qual eu chupava. Suas mãos apertam minhas coxas, as levando para a volta de sua cintura, o acompanhando com o vai e vem lento que fazia-se presente.

— Jin... — Ele sussurra. — P-Posso?...

Sabia oque ele queria dizer, e também queria que o fizesse.

— Vai Joonie... — Sussurro em seu ouvido, e ele parece se animar, passando a mover a cintura com mais rapidez, entrando e saindo de meu corpo numa sensação gostosa e prazerosa, a dor quase não se fazia mais presente, Namjoon me distraía com alguns beijos no pescoço e na boca, e alguns gemidos de ambas as partes nos atrapalhavam. Minha respiração se acelera, junto as estocadas mais fundas de Namjoon. Gemia em seu ouvido, arranhando suas costas com minhas unhas curtas, entrando em êxtase. 

Com mais algumas estocadas, sou acertado diretamente em minha próstata, arrancando um grito de minha boca. Namjoon percebendo oque havia feito, dá um sorriso de canto, passando a se focar alí, arrancando os mais altos gemidos de minha parte.

— N-Namjoon...! A-aigo... Hm... É-é bom... — Vergonha já não tomava mais conta do meu corpo, estava totalmente entregue ao prazer, e á Namjoon.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...