História Linden Twins - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Homossexual, Irmãos Gêmeos, Musica, Romance
Exibições 27
Palavras 1.190
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Lemon, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Incesto, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Oi, pessoas.

Este é meu novo conto.

Espero que apreciem... Viu?

Estou gostando muito de escrevê-lo, espero que gostem igualmente de lê-lo.

Capítulo 1 - O Feitiço da Lua


Fanfic / Fanfiction Linden Twins - Capítulo 1 - O Feitiço da Lua

 

Capítulo 1 

 

Era o barzinho de sempre.

Um lugar legal chamado Feitiço da Lua.

Às vezes, rolava música ao vivo.

Bandas locais tocavam vez ou outra no pequeno palco.

Mas, aquela era uma quarta-feira, o início da noite e o pessoal se encontrava por lá para tomar uns tragos e conversar.

Sem esperar grande coisa, ou secretamente esperando... Sem saber o que ao certo.

 

Jiang pediu uma cuba libre, ocupava um lugar junto ao balcão decorado com pedacinhos de espelhos e assim que foi servido, seu amigo Luciel bateu de leve o copo no seu.

O som do vidro tilintando pareceu despertar Jiang do marasmo de sua própria mente.

__Não olhe agora...__ Luciel foi dizendo em tom sacana.__ Mas, acho que tem um cara flertando com você.

"Um cara?"__ Jiang bebericou de sua cuba, quase riu sem levar fé no tom sacana do seu amigo. Mas, quando olhou na direção que Luciel apontou ao cutucar discretamente seu ombro, encontrou a silhueta de outro rapaz fumando perto da mesa de sinuca.

Luciel estava certo, mas Jiang não entendia o porque.

Não conhecia o rapaz em questão, entretanto, não era a primeira vez que colocava os olhos nele. A primeira vez que o vira tinha sido a cerca de uma semana atrás e o rapaz o observava do lado de fora da vitrine da lavanderia, Jiang estava dentro dela usando uma das máquinas.

O segundo encontro de seus olhares tinha sido num ponto de ônibus, os dois estavam em pontos distantes da fila e Jiang ficou inquieto e quase perdeu o ônibus de tanto olhar para trás.

Dessa vez, no Feitiço da Lua, Jiang mirou-se mais uma vez no rapaz e desviou depressa o olhar a encarar sua cuba libre gelada entre os dedos.

__Quem é esse cara?__ Luciel olhou na direção do cara em questão, riu e depois cochichou para Jiang ao seu lado.

__Eu não sei, pô... E não estou flertando com ele, Lu.

__E se ele viesse falar contigo? Sei não... Pelo jeito de olhar dele, parece estar bem interessado.

__Para de olhar para ele, ô infeliz!__ Jiang retorquiu num sussurro exasperado.__ Se ele vier falar comigo, olha que eu empurro ele para você...

Não demorou e o assunto foi esquecido, assim que duas conhecidas se juntaram a Jiang e Luciel naquele balcão. Pediram mais drinks, flertaram com as moças sem levar aquilo muito a sério.

Por alguma razão, ninguém esperava muito de uma noite de quarta.

Se bem que Luciel se deu bem ao sair do bar com a mão na cintura de uma delas...

 

Quando Jiang se viu sozinho com a sua paquera, não tinha grandes intenções. Parou no meio do terceiro copo de cuba e pediu licença para usar o mictório do bar.

Que horas seriam? Ficou com preguiça de consultar o relógio em seu pulso, mas não podia ignorar que tinha que trabalhar no dia seguinte. Pretendia terminar a cuba e se mandar.

Nem sabia mais no que andava pensando quando terminou de urinar, fechou a barriguilha da calça num gesto indolente, ia se virando para ir até a pia lavar as mãos quando viu-se cara-a-cara com o rapaz que tinha visto mais cedo fumando perto da mesa de sinuca.

Os olhos dele eram por demais cálidos, escuros e intensos, havia uma promessa ardente naquele brilho singular.

Jiang fitou aqueles olhos sem ação.

E o braço do rapaz um pouco mais alto se estendeu por cima de seu ombro, a mão dele se espalmou contra a parede e Jiang deu um passo para trás sem querer.

__Vai parar agora com o joguinho?

Que palavras eram aquelas? Ouviu a voz dele pela primeira vez, engolindo uma saliva grossa que se formava em sua boca e quando estava prestes a questionar a que "joguinho" ele estava se referindo foi surpreendido pela boca do desconhecido cobrindo a sua.

Jiang tentou empurrar o cara, livrar-se do beijo.

Contudo, os braços do estranho o abraçaram com afeição desmedida, prendendo amoroso seus braços contra o corpo dele. Sentia o odor do cigarro nas roupas e acima de tudo, sentia aquele beijo repleto de doidice e doçura descabida.

Tentou mais uma vez se desvencilhar ao meter-lhe o joelho entre as pernas.

No entanto, era como se ele pressentisse qualquer gracinha desse tipo, ou Jiang lhe parecesse previsível. Os dois bateram contra a parede em meio ao beijo e ouviu-se uma ou duas vozes estranhas cometendo qualquer coisa sobre a pouca vergonha que andava rolando no banheiro do bar.

Jiang apartou-se do beijo, desnorteado e rubro de vergonha, não conseguiu fitar quem quer que o tivesse criticado. Por essa razão, restou-lhe fitar um tanto perdido o estranho e dar-se conta que apenas suas bocas estavam separadas.

Suas mãos seguravam na jaqueta e os braços dele se cruzavam em suas costas.

Surpreendido pelo olhar amorável fixo em sua direção, como se nada mais importasse.

__Eu... senti sua falta.

E o rapaz o disse tão sinceramente, soltando devagarinho seu cabelo que antes estava preso num pequeno rabinho-de-cavalo.

Jiang não acreditava que aquelas palavras eram para ele, devia ser um engano!

Não era possível... Seu cabelo caiu junto ao seu ombro e suas mãos soltaram com algum desalento a jaqueta preta.

__Como assim sentiu minha falta? Eu mal te conheço...

Jiang também soava sinceramente perdido.

__O que eu te fiz para você me tratar assim?__ O rapaz ainda segurava-o pelos ombros, seu semblante tão sério.__ Fugindo de mim, me ignorando toda vez que me encontra, indo embora sem se quer se despedir de mim!

__Olha aqui!__ Jiang exclamou repelindo o toque em seu ombro.__ Você deve estar me confundindo! Eu não fugi... Tudo bem que quando te encontrei em frente a lavanderia ou te vi no ponto de ônibus, fiquei sem saber o que pensar... Mas, não é de mim que você sentiu falta, pode ter certeza!

Outros caras entraram para usar o mictório e Jiang se moveu nervosamente para se retirar.

Não bastasse ter sido flagrado beijando outro homem, tinha que ter seu pulso fortemente segurado pelos dedos daquele sujeito.

__O que você pensa que..

__Você não vai sair assim enquanto não conversarmos!__ O rapaz bradou a interromper Jiang.

__Conversar o quê?!...

Jiang deu um puxão no próprio braço, queria se soltar. Sabia que estava sob o olhar curioso de terceiros que frequentavam o bar.

Mas, o estranho não o soltou. Na verdade retribuiu o gesto puxando Jiang para junto de si, abraçando-o sem mais pelas costas.

Jiang estremeceu, com que direito um estranho, um cara que se quer sabia o nome, o abraçava tão carinhosamente na frente de outras pessoas?

Para todos os efeitos, era uma briga de namorados. Quem quer que visse, não guardaria dúvidas.

Ainda por cima, dentro do banheiro masculino!

Agiu sem pensar e meteu com força o cotovelo no rapaz, mal tinha começado a se afastar e a voz do rapaz soou com a mesma eficácia de uma corrente presa ao seu tornozelo:

__Huang!

Esse não era seu nome, mas sentiu um estranho arrepio descer por uma de suas pernas.

Virou-se algo desorientado e encarou aqueles olhos escuros tão quentes que lhe suplicavam para ficar.

Somente então, começava a compreender...

 

 

 

 

 

 


Notas Finais


Desde já meu profundo agradecimento por lerem!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...