História Linha Do Destino - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Agatha, Alexy, Ambre, Armin, Bia, Boris, Castiel, Charlotte, Dajan, Dakota, Debrah, Dimitry, Iris, Jade, Kentin, Kim, Leigh, Li, Lynn, Lysandre, Manon, Melody, Nathaniel, Nina, Peggy, Personagens Originais, Priya, Professor Faraize, Professora Delanay, Rosalya, Senhora Shermansky, Thomas, Violette, Wenka, Willi
Tags Amor Doce, Castiel, Docete, Gangues, Policial, Romance
Visualizações 10
Palavras 2.503
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Esporte, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oi gente, então eu tinha excluído a história porque tinha bem pouca gente vendo, mas voltei ~pq vc voltou hein?~
Então eu vos respondo, eu penso que devemos sempre pensar nas poucas pessoas, porque além dessa história estar no início, você ai parte dessas 7 pessoas que viram já me deixa bastante feliz ♡

Então espero que gostem desse capítulo, prometo tentar aumentar os próximos, vou TENTAR! ♡
Nos vemos nas notas finais!

Boa leitura, meu amorzinho do outro lado da tela ♡

Capítulo 2 - Pensamentos Conflituosos


Fanfic / Fanfiction Linha Do Destino - Capítulo 2 - Pensamentos Conflituosos

A garota aparentemente séria parecia ter voltado a seus momentos de criança. Se atirou contra o homem que se encontrava esperando-a e formou um abraço que sentiu ser retribuído.

 

 

- Pai! - O entusiasmo na voz da morena deixava claro a admiração aquele homem a quem havia puxado os seus traços. - Pensei que não iria te ver hoje, o senhor saiu muito cedo.

 

- Eu sei, minha princesa. - A voz extremamente paterna fez um grande contraste com o físico do homem a frente de Victoria. Ele era alto, media em torno de 1,90 e por baixo do terno preto com o mísero toque poderia ser sentido os seu físico invejável para jovens e com certeza entre pessoas de sua idade. Sua semelhança com a jovem na sua frente também era incrível, normalmente os filhos tendem a puxar aos pais, mas nem tanto, levando em conta a mistura de DNA, essa regra parecia não se aplicar a seus filhos. - Tive que sair cedo, sabe que esse lugar viraria de cabeça para baixo sem a minha supervisão, mesmo que por um mísero segundo. - Mesmo com o semblante sério, acariciava a bochecha de sua filha, mesmo que o contato estivesse barrado pela máscara. - Como foi o primeiro dia por lá?

 

Se fosse ser sincera diria que não foi nada demais, mas queria conversar com o pai, antes que ele entrasse em modo "chefe", nome que foi dado por Victoria por causa de sua indiferença em relação a sua família dentro da Black Wolf. Então contou tudo com os mínimos detalhes e mesmo que tudo tenha sido monótono, seu tom fez com que o pai se contagiasse e até deixasse escapar alguns sorrisos. Mas o momento foi breve, teriam que entrar na Central, que era um grande prédio inteiramente preto com janelas espalhadas por cada andar. Quem passasse por aquele lugar teria a impressão que ali se encontrava um Centro Administrativo ou até mesmo na melhor das hipóteses um local para atividades do governo, levando em conta os vigilantes de terno e a discrição do lugar. Então no fim da conversa fizeram o que era óbvio, se dirigiram ao local e a relação passada onde se via pai e filha praticamente caiu em um esquecimento, como se não passasse de lembranças de tempos antigos ou memórias levadas pelo vento. O pai de Victoria, cujo o nome era desconhecido nas gangues, apenas era tratado por seu apelido, Mr. Black, se dirigiu para o estabelecimento atrás de Victoria, a garota acabou por receber vários olhares, que alternavam entre maldosos e sinceros, mas nada que não estivesse acostumada.

 

- Armin. - Falou o pai de Victoria, não foi preciso gritar, o tom imponente e grave de sua voz fez com que o jovem de nome Armin fosse em sua direção e os outros integrantes se dividissem pelo estabelecimento.

 

- Aqui, Mr. Black. - Ele olhou de soslaio para a garota que até o momento brincava com um anel preto e pesado que levava em um de seus dedos. - Red Smile. - Ele a cumprimentou ainda em seu tom sério.

 

- Olá, Armin. - Cumprimentou Victoria com seu tom igual ao de seu pai, mas com uma presença desintereçada, e apesar de sua máscara, totalmente audível.

 

- Então, você tem notícias sobre a Dark Fox? - Interrogou o pai de Victoria.

 

- Não, senhor. - Respondeu o jovem moreno com claro receio, se tivesse que levar reclamação, ele iria levar.

 

"O que a Dark Fox está aprontando? A muito tempo ela sumiu do mapa, sua rivalidade contra nós foi esquecida?" Começou a pensar a garota, os acontecimentos eram controversos, sua cabeça estava entrando em uma guerra de argumentos, mas uma coisa era certa." A garota queria descobrir, se não quisesse, iria ter que descobrir contra sua própria vontade, pois a voz de seu pai ressoou pelo andar que estavam.

 

- Red Smile. Ajude Armin com a procura de informações sobre a Dark Fox, rápido. - Disse o que a garota queria ouvir, essa missão iria ser algo divertido. - Sabe que eu não tolero demoras.

 

- Tudo bem, Mr. Black. Farei o meu melhor a procura de informações. - A morena apenas confirmou ainda brincando com o seu anel, a vista parecia indiferente a aquela missão. Mas seu pai percebeu, havia treinado aquela garota, havia criado ela, havia moldado ela para ser daquele jeito. Os olhos da garota faiscavam em determinação, fazendo imenso contraste com ar indiferente que queria manter, talvez até um sorriso lhe tenha escapado.

 

Após a confirmação de sua filha, Mr. Black rumou pelos corredores do grande prédio, este por sua vez era tão luxuoso por dentro quanto por fora, e claro, moderno, ali haviam pilares de mármore e janelas escuras, deixando um ar misterioso a quem desconhecesse o seu interior. Mas não que tivesse tempo para observar a beleza do prédio, sempre fora bem ocupada em relação a Black Wolf, é assim desde que se lembra, essa responsabilidade deveria ser dividida entre aprendizes de chefes, mas… "Ele me fez o favor de querer ser o diferente, o certinho, o maioral, um verdadeiro…".

Antes que terminasse de insultar a figura que aparecera em sua cabeça, Victoria foi interrompida pela voz de Armin, mas a garota lembraria que poderia acabar por insulta-lo mais tarde.

 

- Vai querer saber as informações do caso ou vai continuar dormindo em pé? - Disse o jovem que havia basicamente sua idade, mas era claramente maior e se aproveitou disso para apoiar o braço na cabeça da garota, a mesma não conseguiu esconder a irritação.

 

- As vezes eu esqueço que você não é realmente educado, de onde eu venho, isso se chama "Paga-pau". - Disse a garota se livrando do braço e deixando uma risada escapar, já que seu sorriso irônico não era visível.

 

- É, a vida é complicada quando não se é filha do chefe, de onde eu venho eu chamo isso de "Se manter vivo". - Ele piscou o olho, mas o momento descontraído durou pouco tempo pois ambos perceberam que teriam que ir, se quisessem realmente continuar vivos, no caso de Victoria, se não quisesse ser castigada.

 

Andaram para o mesmo elevador que havia entrado o Mr. Black a momentos atrás, mas diferentemente dele, eles iriam descer dois andares e não subirem até o último, que qualquer um diria que tem uma vista impressionante, mas pouco apreciada, era um prédio gangster, não uma brincadeira de criança.

Após terem entrado no elevador espaçoso, que levavam tons de azul escuro, preto e branco, com um grande espelho na lateral, apertaram logo no painel para descerem, e a chegada não demorou.

Aquela sala subterrânea era comum, nada era relevante nela, para qualquer um até aparentaria um biblioteca, mas para a jovem, já tinha passado de ser uma sala comum, era um espaço frequentado sempre por ela e por Armin, este último começou a frequentar a sala mantida em segredo após ter se tornado braço direito do Mr. Black.

Victoria caminhou até uma mesa de madeira clássica em tons de marrom e tirou uma chave que levava no pescoço, a chave era aparentemente antiga, parecia um artigo histórico comparado a toda a tecnologia reunida naquele prédio ou ao redor do mundo, mas era o suficiente, pegou a chave e abriu uma gaveta revelando a mesma aparentemente simples, com apenas um livro lá, mas após ter tirado o fundo falso, revelou um mecanismo digital. Para desbloqueá-lo só era necessário a digital de sua mão, e assim foi feito, colocou a mão sobre o dispositivo e logo foi reconhecida, então duas estantes aparentemente velhas se afastaram revelando uma porta de metal com um pequeno quadrado ao lado, nesse quadrado se encontravam números e algo parecido com uma pequena câmera logo acima dos números.

Aquele processo já havia ficado chato para a garota, mas Armin não deixava passar toda vez que via, fora ele quem planejou aquele mecanismo, o orgulho estava estampado em seu rosto. Victoria colou a senha que continha cerca de 27 dígitos, confirmou com sua digital e olhou diretamente para a pequena câmera, a mesma deixou uma luz vermelha passar pelo olho da garota. Aquela luz séria um problema muito grande caso não estivesse acostumada, lembrava daquele flash acabar por cega-la por alguns momentos, no início.

A porta de metal se abriu e os dois jovens entraram, então a porta fechou automaticamente.

A sala era inteiramente rodeada de metais e arquivos, sem contar com diversos visores espalhados por ali.

 

-Antes de tudo... - Falou calmamente se encostando em uma mesa de metal. - Para com essa cara idiota. - O moreno de olhos azuis se limitou a revirar os olhos e suspirar, mas sem perder o ar divertido e convencido de sempre. - E eu quero as informações dos nossos inimigos do TG, eles podem estar relacionados a Dark Fox. - Disse no seu tom calmo de sempre. Sabia que mesmo as gangues pertencendo ao TG, uma sigla para as melhores gangues da região, elas não eram tão cuidadosas quanto a Black Wolf ou até mesmo a Dark Fox, as duas primeiras tinham clara diferença em relação às três restantes. Era o motivo para o ranking continuar o mesmo por anos.

 

- Você fala igual ao chefe, Red. - Ele escondeu o riso com as costas da mão.

 

- Eu fui treinada para isso, caso não saiba. - A jovem sorriu mesmo que não fosse fácil de notar, por conta da mascara, sua expressão evidenciava o sorriso, mas fez um sinal para que fizesse logo o que havia pedido.

 

Rapidamente um dispositivo se encontrava a sua frente, mostrando todos os dados do ranking e de seus rivais atualizados. Observou o ranking;

"1- Black Wolf

2- Dark Fox

3- Mortal Lion

4- Rotten

5- Long Nigth

Então o TG não mostrou nada relevante, está tudo como sempre, mesmo com a Dark Fox relativamente inativa, ela mantém o posto atrás de nós. Que chato."

Os seus olhos vermelhos divagavam pelas informações, mas nada de útil no caso em que teria que exercer, não queria admitir, mas aquilo alegrou a jovem, teria que entrar em campo.

 

- Pelo que vejo em seus olhos. - Disse o garoto desviando a concentração de Victoria. - Vamos ter que entrar em campo disfarçados, então eu acho que eu poderia…

 

- Eu não vou te contar o meu nome real. Sabe que em operações do gênero, meu nome não é necessário. - Interviu a jovem já sabendo do assunto que o moreno insistia em saber.

 

- Sua chata! - Falou de modo exagerado e se jogou na cadeira bufando em desistência.

 

- Para de agir como uma criança, apesar de te considerar útil aqui, eu não posso falar sobre informações pessoais, é a regra. - Disse descontraidamente revisando uns papéis que tinha pego a pouco tempo.

 

- Ei! Eu sou mais que útil. Sou seu amigo, querida antissocialzinha. - Disse ele revirando os olhos e se aproximando da mesa sem se levantar, graças às rodinhas da cadeira macia e preta.

 

- Eu não sou antissocial, sou anti-idiotas, como você. - Olhou para o garoto de soslaio, se divertindo com a expressão exageradamente ofendida que se formou no rosto do mesmo. 

"Ele é meu amigo? Não. Eu não posso ter amigos aqui, tudo não passa de uma encenação plastificada de uma amizade"

"Seu amigo."

A palavra ressoava pela cabeça da garota, apesar de sociável, ninguém nunca tivera entrado naquele posto, apenas amizades falsas, necessárias para ser uma adolescente comum. Realmente, amizades, namoros, saídas, risadas, era falso, sentimentos impostos por seu treinamento.

"É apenas um grande teatro, isso, não passa de uma encenação."

Antes que acabasse por pensar demais no assunto Victoria continuou, aparentemente indiferente a seus pensamentos conflituosos, não iria continuar a pensar sobre isso.

- E antes que você dê surtos de criança mimada, temos trabalho a fazer antes de entrar em campo. - Falou com seu tom de voz sério, era bom ter o ar descontraído, mas queria se concentrar naquela missão.

 

O garoto não falou nada, apenas se dirigiu a mesa e começou a folhear os papéis, ele pensava igual a Victoria quando se tratava do trabalho, a seriedade era ótima em certos momentos, por isso desde do início havia se tornado sua dupla.

 

***FLASHBACK***

 

Devido a acontecimentos trágicos, a Black Wolf começou a formar duplas em suas missões, aliás os lobos precisavam atacar em grupo, e como andar com várias pessoas não é lá tão discreto, havia sido estipulado que seriam dois. Mas quem? Quem não iria atrapalhar a garota que tinha o costume de fazer tudo sozinha?

 

- Red! - Gritou uma voz já familiar, então ao observar viu o moreno de olhos azuis vindo em sua direção. - Temos que resolver a papelada, não temos só o trabalho em campo, e você sabe disso. - Disse ele já perto dela.

 

- Resolvemos isso a qualquer hora. - Disse com um ar descontraído. Eram poucos os que ouviam aquele tom dentro daquela gangue, ela não eram simpática. Não era seu trabalho ser simpática, mas desde do dia que ele chegou, a cativou e se tornou sua dupla, seus pensamentos conflituosos não deixariam ele ser mais que aquilo. - Somos uma dupla agora. - Sorriu a garota e o rapaz retribuiu o gesto.

 

- Pensei que não fosse me escolher. - Ele passou o braço pelo ombro dela e desarrumou o cabelo da garota com a mão livre.

 

- Idiota, vamos resolver isso agora mesmo, caso contrário... - Fez um revólver com a mão e apontou seu dedo contra a cabeça de Armin. - BANG. - Ambos riram e foram acabar com a papelada, antes que aquela brincadeira se tornasse real.

 

*** FIM DO FLASHBACK ***

 

Aquela investigação demorou horas, demoraram muito tempo para encontrar algo de relevante nos papéis. Mas enfim encontraram. "Alguns membros da Dark Fox foram vistos entrando em um armazém no Brooklyn, ótimo." Estava imersa em pensamentos quando a porta de metal que permanecia fechada, se abriu, revelando aquela figura ameaçadora, para todos, menos para a garota ali presente. O Mr. Black.

 

-Red Smile, creio que já saiba o que eu vim fazer. - Prosseguiu entrando na sala. - Armin, prepare o salão técnico, no nível alcatéia. Para amanhã, por hoje já basta, vocês vão ter o que fazer amanhã. - Falou e fez um sinal para que sua filha se aproximasse e fosse com ele em direção a casa, finalmente.

 

Os dois apenas assentiram, mas a garota parecia receosa, mesmo que fosse treinada para aquilo, o nível alcatéia era exagerado, não faz sentido.

"Ele só pode estar brincando, ele tinha visto os arquivos com informações a pouco tempo, a Dark Fox não é tão perigosa assim, ainda mais agora, que está aparentemente inativa, será que o aprendiz deles está finalmente treinado? Só pode ser isso, ele é tão letal quanto eu, ou talvez mais, será que o papai sabe disso? Se sim, por que ele não me falou? Algo não se encaixa. Eu devo... ter medo?".


Notas Finais


Então people, gostou desse capítulo?
Espero que sim, demorei pra pensar como funcionaria o sistema ganster da fanfic, acho que ficou interessante, vão ver como o sistema realmente funciona com o tempo, por enquanto é só algo bem superficial do assunto, tudo tem um motivo pra acontecer não é mesmo?

Apesar da Victoria ser teimosa, podemos dizer que o Armin é o melhor amigo dela, vou explorar os sentimentos dela no futuro, ok? Ok.

Não confundam as coisas, a fanfic se trata de VictoriaxCastiel, mesmo que eles não tenham tido uma interação considerável.

Então, até o próximo capítulo ♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...