História Linha Tênue - Capítulo 5


Escrita por: ~ e ~JulieKrukov

Postado
Categorias Cristiano Ronaldo, Lionel Messi, Neymar
Tags Creymar, Cristiano, Gay, Messi, Neymar, Neymessi, Yaoi
Visualizações 61
Palavras 3.164
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Esporte, Famí­lia, Fluffy, Lemon, Luta, Romance e Novela, Shonen-Ai, Slash, Violência, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


''Oi aqui é Davanisasunaru espero que gostem do capitulo ❤''
''Hello aqui é a Júlia! Betando outra vez :3''

A IMAGEM DO CAPÍTULO É COMO O NEY E O CRIS FICARIAM NA FOTO, ou quase dessa maneira, vcs entenderam ! kk :3

Capítulo 5 - V - Coração dividido


Fanfic / Fanfiction Linha Tênue - Capítulo 5 - V - Coração dividido

Neymar.

 

Minhas pálpebras estavam pesadas. Minha cabeça latejava, como se houvesse todo o peso do mundo sobre ele, e realmente havia. Sentia o pesar de um braço em minha cintura, envolvendo-a fortemente. A primeira opção de quem poderia estar ali passou por minha mente.

 

- Leo?...- Sussurrei desconexo, involuntariamente me aconchegando em seus - possíveis - braços. Meus olhos permaneciam fechados, eu estava cansado demais para sequer abri-los. Deixei que meu rosto afundasse na curva de seu pescoço. Um cheiro forte e amadeirado chegou as minhas narinas, deixando-me confuso. Aquele perfume não era de Lionel, eu reconheceria o dele a quilômetros de distancia. Então, quem era?.

Forcei meus olhos a se abrirem, logo encontrando a iris negra e penetrante do ser que no momento tanto odiava. Seu rosto estava próximo demais, era possível sentir sua respiração quente chocando-se a minha face.

- Lamento por não ser quem você queria. Mas garanto a você que sou muito melhor... - Ao perceber a situação vergonhosa que me encontrava tentei me desvencilhar de seus braços, mas isso só fez com que o maior forçasse mais meu corpo a permanecer ali, prendendo-me.

 - Vamos, Neymar. Não se iluda, Lionel nunca largará a família para ficar com você..-  Confessou severamente. Arregalei os olhos por tais palavras, sim era verdade, e sim eu sabia disso. Eu não precisava que ninguém me dissesse o que eu já sabia, mas... porque então aquilo me feriu tanto?, a ponto de fazer com que meus olhos marejassem e eu amaldiçoasse eternamente a mim mesmo por mostrar-me tão frágil em sua presença. Cristiano apenas me deu um último olhar ríspido, logo soltando-me bruscamente e rumando para fora do quarto a passos rápidos. Deixando-me outra vez sozinho. 

Segurei fortemente o travesseiro contra o rosto e abafei um grito estrangulado. Porque tão deplorável?. Levanto-me e ando em direção ao banheiro, para que tomasse outra ducha rápida, na esperança que a água quente afastasse esses pensamentos tão irritantes.

Não demorou muito até que me vestisse e sem escolhas descesse as escadas, indo em direção a cozinha, para que procurasse por lá algo para o meu desjejum.

 

 

Cristiano.

 

Lágrimas. Fora assim que seus olhos ficaram quando cuspi rudemente as palavras que já estavam entaladas em minha garganta. Uma parte de mim penitenciou-me severamente por trata-lo daquela maneira, querendo ou não, o garoto não precisava ter ouvido aquilo, mas precisava. Neymar precisava de um choque de realidade. Ele estava comigo agora, uma hora ou outra ele teria que conviver civilizadamente com o fato de que somos um casal agora, e ele querendo ou não, me pertencia.

Escuto passos apressados nas escadas, olho de soslaio e vejo a figura apática do moreno vir em minha direção a passos lentos. Ele permanecia com o joguinho de gelo. E ele não sabia como aquilo me irritava.

 

- Até que enfim deu sinal de vida...- Verbalizei irônico. Neymar permanecia quieto, como se eu não existisse.

 

- Hum..- Respondeu apenas, sem me encarar.

 

- Responda-me direito, bastardo!..- Vociferei irritado. O moreno assustou-se com a minha repentina mudança de humor, mas não voltou atrás com sua postura.

 

- Eu não sou obrigado a falar com você!. Você sabe muito bem que só estou aqui por causa dessa porcaria de casamento fajuto. Mas não se preocupe, darei um jeito de sair dessa enrascada e logo sairei de sua vida medíocre, como assim quer!..- Rebateu no mesmo tom. Finalmente me encarando nos olhos e eles transmitiam fúria.

 

- Olha aqui..., querendo ou não, você é meu agora!. Meu marido!..- Neymar parecia irritado com tudo que eu falava, parecia que para ele minha presença dava repulsa. Seu corpo fez menção de ir embora, mas antes que pudesse cruzar a cozinha, puxei fortemente seu corpo para minha direção. Sua cintura fora completamente envolvida por meus braços, e antes que o menor pudesse sequer retrucar, tomei seu lábios ferozmente. O moreno ofegou assustado pelo repentino contato. Com certo esforço, Neymar conseguiu se livrar do aperto e alcançando um copo sobre a mesa, revirou todo o conteúdo dele sobre meu rosto, agora completamente molhado por suco de laranja, dando a brecha para que o mais novo corresse como nunca até o quarto.

Minhas pernas se moveram por impulso, correndo atrás dele tão rápido que fora possível segurar a porta do quarto antes que o moreno se trancasse. Empurrando a madeira bruscamente causando um estrondo, andei a passos decisivos até o menor que dava um passo para trás cada vez que eu me aproximava, ''Como o lobo e a presa''. A expressão de espanto e temor, tomou conta de seu rosto. Seu corpo se desequilibrou ao bater nos pés da cama, logo caindo na superfície macia atrás de si. Ele estava onde eu queria.

Ele estava tão frágil e belo naquele momento, que alguma parte de mim não pensou duas vezes e subiu rapidamente sobre seu corpo, prendendo cada um de seus braços com a minha esquerda.

Antes que eu pudesse sequer tomar consciência de meus atos, meus lábios voltaram a encontrar os macios do outro. Neymar tentou quebrar o contato, mas forcei minha boca contra a dele, que por um deslize me deu espaço para que avançasse com a língua. Meus lábios se moviam vorazmente, tentando possuir cada pedaço naturalmente adocicado de sua boca. Quebrando o beijo, passei a torturar agora sua nuca.

E lentamente, distribui beijos por toda sua extensão, que havia ficado parcialmente descoberta pela manga longa fina que trajava. Desci por seu dorso, dando leves chupões e mordidas, fazendo com que o menor ofegasse. Nesse momento um sentimento de posse dominou meu corpo, acendendo uma fagulha em meu coração. ''Eu não poderia deixa-lo ir...''. Quando finalmente cheguei na bainha de sua calça, a campainha tocou, fazendo com que eu afastasse meus dentes do tecido que estava prestes a retirar. Bufando irritado soltei o mais novo ainda estático, coloquei uma camisa qualquer e desci as escadas raivoso.

 

 

Ao destrancar e abrir a porta não poderia ficar mais irritado por quem havia interrompido a minha - quase - foda. Messi e Suárez estavam parados a minha frente. O argentino segurava um buquê de rosas nas mãos e me fitava com ódio. ''Ah, se ele soubesse o que estávamos prestes a fazer...''. Dei espaço para que os dois entrassem e logo Messi decidiu quebrar o gelo.

 

- Cadê o Neymar? 

 

Antes que eu pudesse retrucar o argentino com outro de meus comentários sarcásticos, Neymar aparece ao seu encontro. O olhei de soslaio e percebi sua expressão de desconforto mascarado. Messi passa por mim e entrega o buque ao moreno, que muda de expressão rapidamente, dando um sorriso de ponta a ponta.

 

 

 

- É para você, Ney...

 

Neymar aceita as flores e sorri para o argentino, deixando-me ainda mais irritado. Mas seu rosto ainda parecia abatido pelo o que acontecera a pouco. Me coloco entre os dois tomando o buquê da mão do moreno, que pareceu desconfortável pelo ato.

 

- Me deixe guardar em um jarro de água..- Digo irônico, olhando Messi com ar de deboche. Vou em direção a cozinha e não espero até amassar completamente todas as pétalas e joga-las no lixo.

 

Logo o restante das duas equipes ( Real e Barcelona) chegam na minha casa. Todos pareciam afobados e inquietos querendo perguntar algo, mas apenas James teve coragem, ou inconveniência.

 

- Como vocês dois se apaixonaram?..- Todos os olhares se viraram a Neymar na expectativa do mesmo responder, Ramos e Piqué o encaravam seriamente, fazendo-me franzir o cenho confuso.

 

 - Quem sabe contar melhor essa história é o Cristiano...- Neymar intervem, jogando o fardo pra mim enquanto bebericava o vinho. Sorrio falsamente e jogo a primeira desculpa que se passa em minha mente.

 

- Foi desde a primeira vez que nos vimos.  Eu não resisti a esse moreno e nem ele a mim. Não é Ney? 

 

Neymar sorriu sem graça e balançou a cabeça positivamente. Por sorte, logo mudaram de assunto. Depois de um tempo, Neymar pediu licença a todos e saiu da sala, Messi não perdeu tempo em se levantar e segui-lo...

 

 

Messi.

 

 

 

 

 

Sigo o moreno até o banheiro lentamente sem que ele perceba. Espero Neymar sair e antes que ele pudesse sequer reagir o prenso contra a parede, beijando-o avidamente. O moreno me empurrou, descolando nossos lábios e desviando o rosto para o lado. Ele nunca havia feito isso, sempre me correspondia sem hesitar.

 

- Não aqui. Os outros podem nos ver..- Confessou com a voz entrecortada.

 

- Eu quero você agora. Em três minutos faço você ser apenas meu. Tirando de uma vez da sua cabeça a ideia desse casamento falso!..

 

- Porque você acha isso?..- Perguntou confuso.

 

- Porque você é meu, e sempre será meu. Eu percebo como você me olha, e como olha para ele. Não tente me enganar, Neymar...- Fiz menção de lhe roubar os lábios outra vez, mas ele desviou o rosto, deixando me incrédulo, logo conseguiu se desvencilhar de meu aperto, e se dirigiu a saída.

 

- Eu não..- Antes que Neymar pudesse declarar algo Cristiano aparece de repente, e alterna o olhar entre mim e o moreno, com certa desconfiança.

 

- Meu amor, porque demorou tanto?. Senti sua falta..- Estava prestes a rebate-lo, mas Cristiano puxa Neymar pela cintura, envolvendo-o possessivamente, logo o beijando ardentemente. Para minha ira e surpresa, Neymar correspondia de forma desajeitada. Cristiano sorriu quebrando o contato e o arrastou de volta para cozinha. Deixando-me sozinho, e completamente irritado.

 

§

 

Depois de algumas horas, as equipes finalmente se despediram, deixando apenas eu, Neymar e Cristiano sozinhos na casa. Neymar parecia distante olhando para o aquário da sala. Cristiano também o encarava, mas logo seu olhar se direcionou a mim de forma raivosa, devolvi na mesma intensidade.

 

- Amanhã eu te pego, Neymar...- Digo quebrando o gelo. 

 

 -  Como disse?! - Vocifera Cristiano sarcasticamente.

 

- Foi exatamente o que ouviu , amanhã pego o Neymar para ir ao treino ...- Rebato com sorriso irônico no rosto por Cristiano ter entendido a frase como duplo sentido, o que não era mentira.

 

Me dirijo até a saída percebendo um ar de divertimento no rosto do moreno. Me despeço de Neymar com uma abraço forte, que por algum motivo não foi retribuído da mesma maneira.

 

 

Neymar.

 

Depois que Lionel se despediu, percebi o clima tenso que se instalou no local. Involuntariamente me afastei de Cristiano com receio do maior me agarrar novamente a força. Sinto o celular vibrar no bolso da calça, notando o nome da Rafaella brilhar no visor.

 

- Alô, Ney? Eu vou ficar com David Luca hoje. - Avisou Rafa. David de Luca até agora estava na casa da avó acampando, o buscaria hoje, mas parece que terei que adiar nosso encontro.

 

- Tudo bem, Rafa. Diga a ele que o amo!..-

 

- Tudo bem, vou dizer..- Responde, encerrando a ligação.

 

Ao me virar, percebo o olhar de Cristiano recaído sobre mim enquanto cruzava os braços. Apenas desvio o olhar e ignoro completamente a sua raiva. Subo as escadas a passos decisivos, dirigindo-me ao quarto, logo fechando a porta de forma brusca, para que Cristiano entenda que não gostei nem um pouco de seus surtos possessivos.

 

  Cristiano.

 

Já se passaram duas horas e Neymar ainda não saiu de seu quarto. Subo as escadas e bato repetidamente na porta.

 

- Neymar! Não vai descer para jantar?..- 

 

- Não estou com fome..- Respondeu no mesmo tom. Revirei os olhos pela atitude infantil.

 

- Então tá. Você que sabe...-

 

Em poucos instantes a campainha toca, dirijo-me até a porta para atende-la . Olho confuso para a senhora na minha frente, era a professora da escola do Cris, com ele ao seu lado. ''Ah, merda!'' Com toda essa confusão acabei esquecendo de busca-lo.

 

- Obrigado, Dona Mariana,  por trazer o Cris...- Confesso envergonhado por tamanha estupidez.

 

- Escute bem, Senhor Aveiro. Já é a segunda vez em quinze dias que você ultrapassa a hora de buscar seu filho na escola. Se não ajeitar seus horários corretamente terei que acatar medidas desesperadas. - Encerra o sermão, e me permito pegar Cris no colo, logo fechando a porta novamente. Ele me explica tudo o que aconteceu e eu me desculpo por ter sido tão irresponsável.

 

 

Cris olha por cima de meu ombro e vê Neymar descendo, o mesmo corre para abraça-lo, não deixo de sorrir pelo ato, Neymar parecia ter um imã que atraia o menor. ''Não só ele''. Chamo os dois para jantar, e Neymar aceita depois de muita insistência de Cris. Depois do jantar,  - o qual Neymar mal tocou na comida -, Cris pede ajuda para o moreno com o dever de casa, que não hesita em aceitar. Depois de alguns minutos, preparo Cris para dormir e o deixo em seu quarto no primeiro andar, dou boa noite e fecho a porta.

 

Neymar sobe outra vez para o quarto, sigo-o e noto que o menor começa a pegar algumas peças de roupa e sua escova de dentes. 

 

- Hey, vai aonde?..

 

- Vou dormir em outro quarto...- Responde simplesmente. Não deixo de bufar pela petulância. 

 

- Não, não vai. Você pensa que vou deixar você sair daqui?..- Pergunto, pondo-me de frente a porta, impedindo sua saída.

 

- E você acha que manda em mim?..

 

- Mando, eu sou seu marido. Coloca essas roupas de volta aí e vem dormir...- Rebato entediado, mas o moreno continua parado no mesmo lugar, batendo os pés repetidas vezes no chão, evidenciando sua insatisfação.

 

- Você não me ouviu? Estou indo para outro quarto. - Continuo na sua frente o encarando de forma sevara.

 

- Cristiano! Eu não quero ficar aqui! ..- ''É a primeira vez que ele me chama pelo primeiro nome''

 

-Tente passar então!..- Rebato enquanto cruzo os braços o encarando seriamente.

 

Neymar percebe que não pode me enfrentar fisicamente e joga as roupas no armário,''Tsc''. Logo se deita na cama sem dizer mais nada, demonstrando-se irritado. Dou um pequeno riso nasalado e volto ao meu caminho, pondo-me ao seu lado.

 

- Boa noite..- Digo irônico.

 

Neymar levanta o dedo do meio e se vira pra mim.

 

- Vai pro inferno!!!..

 

- Que fofo é isso que você ensina pro seu filho?..- Perguntei em tom sarcástico. Neymar finge não escutar, e se afasta de mim o máximo possível, ficando na beirada da cama, apenas um deslize e ele daria de cara no chão. Reviro os olhos outra vez pela infantilidade evidente no mais novo. Depois de alguns minutos, seus músculos tensos relaxaram e era possível escutar o moreno ressonar baixinho com o rosto afundado no travesseiro. Percebo que o outro estava vestindo apenas uma camisa manga longa negra, e uma box que deixava sua cintura e um pouco mais abaixo bem delineado, ''Foco, Cristiano''. Afasto tais pensamentos e começo a entrar em meus devaneios.

 

Passei quase uma hora e meia apenas olhando as costas do moreno, vendo seus pulmões inspirarem e expirarem lentamente. O sono simplesmente não vinha, rolei entre os lençóis várias vezes tentando achar a posição certa, mas não conseguia. Neymar pareceu resmungar por ter me remexido demais e perturbado seu sono, mas para minha surpresa seu corpo se virou e começou a vir na minha direção, chegando mais perto, involuntariamente se aconchegando em meu peito e abraçando-me de forma desajeitada. Coloquei minha destra sobre a boca, abafando uma risada, e logo voltando a atenção ao moreno que dormia inocentemente agarrado ao meu corpo. Meus braços o envolveram hesitantes, circulando todo o corpo do menor, colando ainda mais nossos corpos. Recostei meu queixo sobre seus cabelos e o cheiro adocicado característico do moreno chegou as minhas narinas. Aspirei vagarosamente seu cheiro inebriante, fechando ao poucos os olhos em deleite, adormecendo em seguida.

 

 

 

Neymar.

 

Acordei vagarosamente com o toque do despertador, noto que Cristiano não está mais na cama, ''Para o meu alívio''. Depois de alguns minutos apenas deitado encarando o nada, percebo que um cheiro amadeirado impregnou em minha blusa, coro violentamente ao lembrar instantaneamente do dono do perfume, retiro a manga longa rapidamente em irritação e a jogo em algum lugar do quarto, logo me dirigindo a passos apressados até o banheiro, trancando-me lá em seguida.

''Ah,raios!''

 

Cristiano.

 

Acordo primeiro que o moreno, piscando preguiçosamente os olhos. Logo minha atenção se foca no ser abraçado a mim como um coala, sorrio com o pensamento. Ao vê-lo dessa maneira uma ideia se passa por minha cabeça, um sorriso de malícia cresce em meus lábios, alcanço o celular na cômoda ao lado e me posiciono, levando meu rosto para perto do seu e colando nossos corpos - ''mais do que já estavam'' - . Com a mão esquerda faço um sinal de silêncio com os dedos e seguro a câmera com a outra.''Click'', sorrio com o resultado e não tardo em publicar a foto em todas as redes sociais com a legenda ''Shh, não perturbe My Boy''. Abafo um riso pela foto ter sido visualizada por quase um milhão de pessoas em dois minutos. ''Ah, a fama''. Fico pensando em como ficará a cara do Messi quando ver a foto, sorrio vitorioso imaginando qual será a carranca que fará.

 

Fico por alguns minutos apenas olhando para o rosto de Neymar que parecia tão pacífico e sereno enquanto dormia, desço meu olhar aos seus lábios, lembrando involuntariamente o quão macios eles eram e como nossas bocas se encaixavam perfeitamente. Meu sorriso se estende de ponta a ponta ao lembrar que o mesmo havia correspondido ao meu beijo quando o tomei de surpresa na frente do argentino, mesmo movendo-os de forma desajeitada, correspondeu, e por algum motivo enchi-me de alegria, por estar o conquistando, aos poucos.

Com certa dificuldade me desvencilhei de seu abraço sem acorda-lo, e dirigi-me lentamente ao outro cômodo para me arrumar e descer para o café. Fui até a cozinha e sentei a mesa o esperando acordar pacientemente para ir ao maldito treino e antes tomar café comigo. Escuto a campainha tocar e entendiado me levanto para ir atendê-la. Ao abrir a porta dou de cara com um certo argentino baixinho que não queria encontrar tão cedo. Messi sorria irônico, devolvi o sorriso na mesma intensidade. ''Parece que ele ainda não viu a foto'', sorrio pelo fato se tornar ainda mais divertido. Escuto passos nas escadas e olho de soslaio por cima do ombro Neymar descer apressado. O moreno ignorou totalmente minha presença e passou por debaixo de meu braço e sorriu para o argentino, puxei seu pulso o impedindo, fazendo o mesmo me olhar irritado.

 

- Não vai nem tomar café?..

 

- Não estou com fome..-  Ele disse puxando seu braço colocando-o fora do meu alcance e saindo - Manda um beijo para o Cristianinho quando ele acordar. - Disse o moreno, logo se afastando e Messi me olhou sorrindo debochado - Não se preocupe, eu vou cuidar muito bem dele. -

 Eles entraram no carro e Messi deu a partida, logo sumiram de minha vista deixando-me parado como um idiota no batente da porta. ''Quando esse garoto chegar ele vai receber a consequência por seus atos, ah se vai..'''











































 











































 


Notas Finais


''Bjs'' - Davanisasunaru
''Espero que gostem :3, sorry qualquer erro! <3 '' Julie Krukov


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...