História Lithium - Capítulo 27


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Tags Hinata, Hyuuga, Naruto, Sasuhina, Sasuke
Exibições 198
Palavras 1.220
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Mistério, Policial, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Gente, primeiramente gostaria de agradecer todos os comentários de incentivo sobre o enem! Muito obrigada mesmo, agradeço a todos, eu não gostei da prova, mas é esperar para vê. Eu apaguei o capitulo com o aviso sobre a pausa para não poluir a história com muitos avisos. De coração agradeço a compreensão de todos vocês. Obrigada pelos comentários, pela paciência, pelo incentivo e por me aturarem nesse história e na nossa querida Marry Me.


Beijos e boa leitura

Capítulo 27 - Nada é o que parece, interprete como quiser !


Hyuuga Hinata

"A nossa sorte é tão injusta

Encontramos algo tão verdadeiro que está fora de alcance

Mas se você procurasse no mundo inteiro

Você se atreveria a deixá-lo ir?"

 

— Sasuke, preciso de ajuda — foi o que ouvimos assim que adentramos a casa.

Saori estava de pé com olho negro extremamente alerta, era amparada por uma Sakura que se mantinha pálida, não sei de fato se por ver a ex- esposa do Sasuke ou se pelo estado da mesma. Um sorriso surgiu em meus lábios, embora eu lutasse para conte-lo. Ao meu lado Sasuke se mantinha estático, eu podia sentir a preocupação  misturada com raiva e curiosidade. Ele lutava contra o orgulho e vontade de ajudar uma Karin que possuía os braços em tons variados de roxo e alguns cortes na pele alva.  A ruiva me analisava atentamente, aqueles olhos verdes eram inteligentes... Inteligentes demais. Dei um passo à frente, mas Sasuke segurou meu pulso.

— Não irei morder sua esposa — ele franziu a testa, creio que ele não esperava uma resposta tão ácida depois do  nosso pequeno momento de confraternização. Negócios são negócios.  Do alto da escada vi três pares de olhos curiosos; um Gaara extremamente irritado, creio que ele se pergunta como ela veio parar em sua sala de estar, mas essa resposta é fácil, Saori... Meninas sempre cedem a suas mães, mesmo garotinhas inteligentes como ela.  Ino mantinha seus olhos azuis atentos, a espera de qualquer falha minha, e o Naruto? Estava prestes a descer para amparar a Karin...Não sei se isso é uma qualidade ou um defeito do loiro. Caminhei lentamente até ela que deu um passo para trás, adoro jogos de gato e rato.

— Sei o que você planeja— sussurrei perto do seu rosto — posso sentir o cheiro dele impregnado em você.

— Sasuke, como pode, como deixou essa mulher perto de nossa filha, olha o que aconteceu comigo a culpa é dela — a ruiva cuspiu desesperada, virei calmamente analisando a postura do Sasuke. — Eu a ajudei a sair

— Que mentira— Sasuke gritou — indo em direção a ruiva — olha pra mim — ele exigiu. —Você está me dizendo que você fazia parte de tudo isso na época que a Hyuuga estava presa com a irmã dela?— ele cuspiu a pergunta,  Naruto se colocou ao lado da Karin, ele me olhava desconfiado.

— Eu não sabia tá legal? Fui contratada pelo que achei ser uma agência e na época eu ainda estava estagiando, fiquei tão feliz. Sabe... O mundo da moda é difícil... Eles queriam alguém de uma beleza singular, então eu passei dias rodando, procurando, foi ai que achei a Hyuuga. Passei as informações e o olheiro da “agência” foi até ela... Eu fui embora por causa dela, ela deu um jeito de me jogar naquele lugar, mesmo eu implorando e explicando o que aconteceu... Ela esperou anos pra se vingar, de alguém que a ajudou, mesmo eu tendo sido de grande valia pra ela, pergunte a essa víbora quantas crianças eu ajudei a sair daquele lugar, mas ameaçaram você a Saori, eu não podia contar, por isso fui embora. A menina  que está com a policia, eu a ajudei pergunte pra ela. — ela falava e grossas lágrimas desciam, acompanhadas de soluços, foi amparada pelo Naruto que me olhava com reprovação. Sasuke possuía  os punhos fechados, eles tremiam.

—Isso é verdade, Hinata?—  Ino sussurrou, sua expressão pálida deixou um Gaara com as feições preocupadas, embora isso seja raro.

— Me diga você Ino, não é especialista?— ela acenou um sim com a cabeça.

— Hinata ! — Sasuke me chamou baixo... Comecei a caminhar dando voltas em torno da karin, eu vi o Gaara se movimentar lentamente colocando a mão na cintura, vi o Naruto entrar em posição de alerta, a Sakura instintivamente colocou a Saori atrás dela.

— sabe o que eu acho interessante nas pessoas? Elas só se importam com o inicio e o final das coisas, o que aconteceu nesse intervalo de tempo é esquecido. Digamos, só digamos que ela esteja dizendo a verdade, a culpa dela é retirada? Ela é absorvida?—  peguei uma pequena mecha do cabelo vermelho — Você tem o cheiro podre daquele lugar, mas me diga, quando você se apaixonou por aquele verme?— falei entre dentes ela me olhou espantada... —Antes ou depois de tudo? — ou você acha que eu não notaria, seus arranhões são superficiais, ele queria que você colocasse tudo que eu disse a prova, porque ele sabia que esses idiotas se comoveriam com a pequena ovelhinha que caiu na armadinha.

— Chega Hinata — Sasuke gritou, apenas o olhei, esperando ele começar — Você sabia  que ela corria perigo?— ele perguntou

— Defina perigo — dissimulei — ao meu vê ela teve uma estadia cinco estrelas no período que ficou longe de você.

— Tem cinco minutos pra começar a falar, Hyuuga— senti  o objeto frio em minha nuca.

—  dez minutos, foi o tempo que você levou até se decidir se apontaria a arma pra mim ou não, Gaara, faz bem em querer  tornar a Yakuza algo licito, você não leva jeito — falei virando, fazendo com que a arma agora ficasse apontada pra minha testa — Mas acontece que você me deve um favor, e Yakuzas não deixam de pagar seus favores.

— Vão ter que decidir por um lado — falei sem olhar especificamente pra ninguém. Ouvi passos  que identifiquei como os de Sasuke se afastando. Suspirei e abri um sorriso de escárnio. Ele já decidiu, agora tire a arma de minha cabeça — segurei o cano e joguei pro lado.

— Você quer a garota não é? — Naruto perguntou, sua voz era carregada de magoa.

— Achei que seria uma troca justa... Sabe, um Sharingan por um Byakugan  — Naruto avançou pra cima de mim, mas em tempo hábil eu me esquivei. Com a mão fechada ele tentou atingir um lado do meu corpo. — defesa falha, Loiro— falei desferindo um soco na região superior , em um momento de desequilíbrio dele consegui o empurrar até a parede. Um metal ponte agudo era apontando para sua garganta. Nunca confie em ninguém, primeira lição, o que eu faria agora se tivesse acreditado em seus belos olhos azuis? — Antes que eu obtivesse resposta  fui  puxada abruptamente, Sasuke.

— Virei tentando atingi-lo, mas, mas ele foi mais rápido impedido o encontro do seu rosto com meu punho.

— A policia está vindo, sinto muito Hyuuga, mas acho que todos nós sabíamos desde o inicio que não daria certo, você quer vingança e não justiça... — Quase cuspi em seu rosto, mas me controlei, sua respiração estava irregular, eu aproximei meu rosto do seu ouvido — não se arrependa, porque eu não costumo desculpar ninguém, sasuke, nem mesmo você...

A porta se abriu, e Jiraya o delegado  aposentado, juntamente com mais alguns policias  apontaram suas armas exigindo que eu me afastasse, mas atrás visualizei Itachi Uchiha, e seus pais... porque eles estão aqui?

— Naruto, você vem com a gente, o mais velho de cabelos brancos gritou. Acompanhe a Karin, juntamente com os outros, precisamos do depoimento de vocês.

 — Acho que essa é minha hora, sussurrei pra o Sasuke — de surpresa aproximei nossos lábios, pela primeira vez a iniciativa foi minha, ele se surpreendeu, notei quando depois de corresponder ele se afastou como se eu fosse algo contagioso.

— Não se arrependam! — avisei antes de ser acompanhando pelos policiais. Vi a Mikoto correr  para abraçar a Saori que me direcionou um olhar cristalino por conta das lágrimas.  



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...