História Little Do You Know. - Capítulo 47


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Fanfic, Long Imagine, Longfic, Park Jimin
Visualizações 525
Palavras 2.318
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa noite, sweeties, tardei né? Mas como prometido, tá aqui o penúltimo capítulo de LDYK, leiam em local arejado kkk e na paz.

Vejo vocês nas notas finais, boa leitura <3

Capítulo 47 - Imersa em uma camada de proteção.


Fanfic / Fanfiction Little Do You Know. - Capítulo 47 - Imersa em uma camada de proteção.

47 - Imersa em uma camada de proteção.


                            Um mês depois...

 

Eu acordei com a respiração ofegante, constatando ao notar as gotas baterem contra a vidraça da janela que chovia forte lá fora.

Virei meu rosto para o lado encontrando Jimin com uma carinha de sono atordoada, eu havia o acordada, no entanto ele parecia ter ficado ciente do meu estado antes de mim mesma, pois ele me fitava com um semblante preocupado, o mesmo segurou meu rosto, e estava pronto para perguntar – me o que eu estava sentindo quando eu pus as mãos em sua cintura e o abracei.

A sensação de estar entre eles, me fazia sentir imersa em uma camada de proteção que ninguém conseguia me prover, era como um lar, um lugar para voltar sempre.

Jimin havia vindo morar comigo após todo o ocorrido com Chan, e digamos que as coisas ainda não haviam voltado ao normal entre nós.

Ele perguntou – me o que havia acontecido , eu apenas lhe disse que a tempestade que caia fora de casa, contribuiu para que eu tivesse um sono ruim, eu não queria contar a ele que tinha pesadelos com aquele dia ainda, nossa vida nadava em uma calma profunda agora, mas as lembranças não me abandonavam.

Eu mal conseguia sentir os toques de Jimin sem lembrar - me do modo como Chan me olhou sem esperar que ele aparecesse por perto de novo, mesmo que eu estivesse ciente de que ele havia sido preso.

Mas não queria preocupa – lo com aquilo. Por quê eram só paranoias da minha cabeça. Estava tudo bem agora.

Eu fitei as horas no relógio que havia no criado mudo, eu nem havia adormecido por uma hora desde que nos deitamos.
 
 


 
- Foi tão ruim assim? – Ele quis saber com a voz calminha apesar de rouca pelo sono, o polegar fazia carinho em minha bochecha quando o abraço teve seu fim e Jimin sorriu  docemente para mim tentando me tranquilizar.
 
- Estou bem. – Falei, e apesar da escuridão do quarto , eu consegue ver quando ele arqueou as sobrancelhas confuso, parecendo não acreditar. – Só estou um pouco nervosa. – Ponderei , fitando os lençóis. – Mas vai passar,  é só esquecer.
 
- Você quer ajuda ? – Ele questionou, as mãos desceram lentamente para minha cintura, e ele a apertou ali, ainda sem tirar os olhos dos meus.


- Eu quero. – Embora estivesse nervosa, a resposta veio rapidamente, e Jimin pareceu perceber isso, ele tomou a minha mão que pousava sobre o lençol e a beijou carinhosamente, cedendo - me um sorriso mínimo após isso.

 

 

 

Ele afastou o lençóis que permaneciam por perto, nos aquecendo até o fim da cama, por instinto , eu abracei a mim mesma , tentando me aquecer.

Então, Jimin veio até mim , a aproximação repentina me fez prender a respiração por alguns segundos. Ele segurou meu rosto com delicadeza  para que eu o olhas - se e selou nossos lábios devagar, sua língua deslizou sob a minha  explorando o sabor que eu podia o oferecer.

Jimin me puxou para sentar - me em seu colo e perdeu alguns segundos fitando - me.

 

 


 - O que foi? - Questionei preocupada, eu devia estar toda descabelada. Ele contornou meus lábios com os dedos, parecendo gostar de senti - los ali.


 - Eu sente tanta falta de poder estar aqui, tão perto. - Ele falou calmo, dando - me um sorriso mínimo, eu sorri de volta, e levei minhas mãos até a seu pescoço fazendo carinho na nuca dele. - Eu quero te tocar de novo. - Ele contou, sem tirar os olhos do meu, parecia com medo que eu negasse.


 - Você pode. - Falei calma por quê sabia que precisava tentar, e levei minhas mãos até os seus lábios, os acariciando, Jimin passou a descer sua mão pelo meu corpo, o delineando, até parar no meio da cocha, onde ele subiu um pouco a camisola que eu usava, deixando minha bunda nua para ele, ele acariciou o local fazendo choques se distribuírem pelo meu corpo, fazendo - me ficar totalmente entregue a ele como outrora costumava ser.


 - Você foi tão malvada me deixando sozinho ontem, jagi. - Ele murmurou parecendo desgostoso, eu sabia que ele detestava quando eu o " abandonava " para passar a noite na casa de Yang, eu sorri para logo em seguida estacar de boca aberta sentindo a palma de sua mão bater na minha bunda de leve, eu morde os lábios com força, reprendendo a mim mesma de soltar qualquer som comprometedor. Jimin adorava fazer aquelas coisas, a peste nunca ia mudar.

 

 

 

Eu encostei minha testa contra o seu ombro, sentindo seus lábios distribuírem beijos molhados pelo meu pescoço, dando - me também um chupão dolorido, e morde meus lábios com mais força sentindo suas mãos descerem pela divisa da minha bunda lentamente, até encontrar minha intimidade.

Seu polegar acariciou o local e eu pôr impulso tentei fechar as pernas, mas Jiminie riu , mantendo - me parada , o idiota adorava me provocar.

 

 


 - Você só piora tudo ficando com essa cara bravinha, sabia? - Ele falou roucamente, os lábios cheios e molhadas sob minha audição, me arrepiando.  - Viu? Você está adorando.


 - Jimin. - O repreende sentindo sua mão bater novamente na minha bunda, eu odiava e amava suas provocações. E estava cometendo um erro, um erro prazeroso, em deixa - lo saber disso.
 
 
 - Ela tá tão bonita toda vermelhinha, pequena.  - Ele contou malicioso.


 - Porra. - Exclamei baixo e ele riu. - Tu não presta.


 - E você adora. -  Ele murmurou desinteressado, começando a mordiscar meu pescoço. - Vira. - Ele pediu, e eu o olhei arqueando as sobrancelhas, Jimin mordeu os lábios ao sorrir sacana e me virou de costa para ele. Park queria me fazer implorar. E a altura no campeonato eu nem lembrava mais como viemos parar aqui, era provável que isso ocorresse logo. Céus, eu estava com tantas saudades dele.
 
 - Ah jagi, olha só... - Jimin falou baixinho, enquanto acariciava minha intimidade novamente em uma velocidade extremamente devagar. - Imagine como eu deslizaria fácil dentro de você. - Brincou, e eu nem tive tempo de formular um sequer pensamento, pois logo senti seus dedos entrarem na minha calcinha , apertando meu botãozinho. - Viu? Hmm. - Gemeu baixo. - Molhadinha.
 
 - Jimin... - Gemi, me dando por vencida.


 - Deita para mim, amor. - Ele pediu , beijando meu ombro. Eu assente, e cai na cama lentamente e o mais rápido que o corpo trêmulo me permitiu, sentindo Jimin segurar minhas pernas, e afasta - lás uma da outra.


 - O que vai fazer? - Sussurei e franze o cenho vendo Jimin beijar delicadamente a minha cocha, para em seguida lamber o local lentamente.


 - Eu vou amar você... - Ele respondeu calmo, um suspiro seu batendo contra a minha pele quando ele retornou a lamber e mordiscar a parte interna das minhas cochas , um lugar próximo demais da minha intimidade. Meu corpo estava tão sensível que aquilo me parecia uma tremenda afronta. - Você vai gostar... - Ele alertou - me. - Prometo. - Continuou, não dando - me tempo para raciocinar , acabando por deixar um gemido baixo sair ao sentir um beijo na minha intimidade ainda coberta pelo pano fino da calcinha seguido por um lambida lascívia.


 - Céus , você é tão gostosa. - Ele murmurou baixo ao ouvir - me gemer, e eu estaquei revirando os olhos ao sentir suas mãos descerem a calcinha que eu usava, usando o trajeto de tira - lá para beijar cada centímetro da minha pele, até chegar ao tornozelo, onde ele tirou o trapo encharcado que se tratava da minha calcinha, e voltou a subir por cima de mim, tratando de logo passar sua língua pela minha intimidade, que pulsava desesperada. Eu abri a boca sem som ao sentir seus lábios em meu botão enxadinho, onde senti ele o sugar e o puxar entre os lábios.
 
 
 
 - Você quer vir agora, amor? - Ele perguntou - me baixinho , a sua respiração ainda batia sob a minha intimidade, fazendo - me contrair - me mais ainda, eu morde os lábios incapaz de o responder e ofeguei remexendo o meu quadril procurando por mais contato, ao sentir seus dedos me estocarem violentamente, e isso foi o toque suficiente para que eu me desmanchasse fraca naquele cama. - Tão cedo.

 

 

 

Park se livrou - de suas roupas e da minha camisola suada enquanto via - me tentar normalizar a respiração, puxou - me para sentar em seu colo novamente, ele abraçou - me, colando a testa a minha.

Eu deixei um sorriso fraco sair, e levei minhas mãos trêmulas até a nuca dele, brincando com seus cabelos, ainda observando o rostinho avermelhado que meu menino tinha , e puxei de leve os cabelos da parte de trás de sua cabeça, vendo ele pender a cabeça para trás e arfa ainda mantendo seus olhos fechados, o que me sorrir maliciosa observando aquela visão.

Eu colei meus lábios em seu pescoço onde passei a mordiscar e chupar profundamente mantendo o olhar nele quando conseguia vê - lo maltratar os lábios cheios e avermelhados com mordidas, sentindo ele apertar - me mais ainda sobre o seu corpo.

 

 


 - Eu não consigo acreditar que finalmente teremos nosso final feliz. - Jimin deixou escapar quando nos separamos,
  olhando - me por entre os fios  negros molhados pelo suor.
 
 
 - Eu sei... - Deixe escapar baixinho, fitando seus olhinhos negros, Jimin parecia uma miragem naquele momento, boa demais para ser verdade. Mas era. - Eu sente tanta falta de você.


 - Eu também, pequena. - Ele devolveu , fitando - me atentamente.

 

 

 

Jimin colou os lábios rosadas e cheios aos meus , iniciando um beijo calmo e carinhoso. Eu sorri  entre o beijo levando minhas mãos a nuca dele, apertando entre os dedos os fios negros do meu menino.

Ele começou a inclinar seu corpo contra o meu, fazendo - me deitar novamente, deixando meus seios suadas colarem ao seu peitoral que agora estavam nús pois Jimin havia livrado - se de suas roupas a alguns minutos atrás.

Já deitada por completo na cama, fechei meus olhos , maltratando os lábios ao sentir as mãos de Jimin acariciarem meus seios com cuidado,  no mesmo momento forçando seu membro na entradinha da minha intimidade de maneira provocativa para enfia - lo de uma vez só, fazendo assim ambos gemerem sôfregos.

Ele inclinou - se mais um pouco sobre mim, beijando - me de forma lenta, mordiscando meus lábios, enquanto minhas mãos maltratavam suas costas ao senti - lo estocar lentamente sobre mim.

Ele traçou beijos que iam do meu queixo ao meu pescoço, maltratando minha pele, mordendo e lambendo o local após isso, aproximando - se de forma lenta da minha orelha , onde ele tratou de chupar o lóbulo.

 

 


 - Jimin - ah... - Chamei baixo, e ele assentiu devagar cortando o ciclo de estocadas lentas bruscamente para parte onde ele me estocava tão forte e fundo e eu o apertava contra mim, enroscando minhas pernas na sua cintura.


 - Você está me recebendo tão bem, amor. - Ele murmurou malicioso descendo o rosto para o meu pescoço, onde ele passou a beijar de maneira lenta e provocativa. - Me apertando de uma maneira tão gostosa. - Continuou arfando, passeando as mãos agora pelo meu corpo até chegar em meu botãozinho, onde ele passou a estimular lascívia - mente sem parar com as estocadas, fazendo - me gemer baixinho contra o sua orelha.


 - Ah.... - Deixei escapar um murmúrio incompreensível ao sentir Jimin acertar o potinho de prazer diversas vezes, fazendo meu corpo titubear ao sentir - me aperta seu pau grosso ainda mais dentro de mim.
 
 
 

 

 Eu apertei forte o corpo suado e torneado de Jimin sobre o meu, sentindo meu coração bater tão forte quanto o ranger da cama e dos nossos corpos, tentando sustentar toda a onda de prazer que acertava - me.

Jimin aumentou mais a velocidade , e eu rebolei mais em seu pau, vendo - o jogar a cabeça para trás, e puxar - me para cima, invertendo assim, as posições, deixando - me por cima, eu respirei fundo segurando - me e seus ombros, sentindo Jimin aperta minha cintura, dando - me suporte para cavalgar nele, subindo e descendo freneticamente sobre toda a sua extensão, Jiminie gemia apertando a carne farta da minha bunda.

Aos poucos sente nosso orgasmos aproximando - se ao notar a pulsação constaste e espasmos por todo nossos corpos, que fizeram meu corpo suado cair sobre o do meu menino ao sentir o nosso líquido misturar - se.

Eu sorri minimamente sentindo ele me puxar para deitar na cama, de costas para ele, e abraçar - me por trás o meu corpo que se encontrava  mole devido a sensação maravilhosa de segundos atrás, beijando o local um pouco dolorido dos chupões que ele havia dado em meu pescoço, e selando minha bochecha lentamente em seguida.

Eu sabia que havia muitas coisas a se resolverem ainda, Jimin ainda não se via da mesma maneira que eu ou o seus próprios amigos, ele não se achava o suficiente, ele é tão inseguro de perder quem ama, e eu entendia que ficarmos juntos séria um caminho difícil, digamos que eu não era a pessoa mais sensata do mundo, mas eu faria de tudo para ajuda - lo.

 

 


 - Desculpe se machuquei você. - Ele pediu fazendo um biquinho, eu ri negando e me inclinei um pouco para trás, selando nossos lábios. - Eu amo você, pequena.


 - Eu também amo você, chim. - Falei, e sorri ao sentir seus lábios voltarem a selar os meus, feliz por estar ciente e segura que aquela era a nossa única certeza , nos amávamos e poderíamos passar por tudo se estivéssemos juntos.


Notas Finais


• Próximo atualização? Em algum dia da próxima semana. Eu já estou o escrevendo, e bom, não se esqueçam de me dizer nele, se ainda iram querer uma segunda temporada, com aquele cenário. Caso a resposta seja boa, após revisar essa fanfic, ao conclui - lá, eu iniciarei a segunda.

• Quero agradecer a todo amor que muitos de vocês ainda estão dando a LDYK <3 Eu vou fazer mô textão no próximo, mas desde já quero demostrar que sou grata a cada comentário, favorito, visualização e a cada leitor tímido que continua comigo, como também a cada mp que recebe aqui, vocês me receberam tão bem e abraçaram com tanto carinho esse plot e isso realmente me marcou. Muito obrigado <3

• Eu espero que no final de tudo, LDYK deixe uma mensagem no coração de vocês, sobre o amor, a paciência e o cuidado, entendem? Nem tudo são flores.

Drabble, LDYK, por Jimin ; https://spiritfanfics.com/historia/imerso-em-voce-9947647

Vocês gostaram do capítulo? Me deixem saber <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...