História Little Dot - Capítulo 20


Escrita por: ~

Postado
Categorias Johnny Depp, Lolita
Personagens Johnny Depp, Personagens Originais
Exibições 54
Palavras 812
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 20 - Oh my fucking God!


Fanfic / Fanfiction Little Dot - Capítulo 20 - Oh my fucking God!

 Na mesma semana que Camilla aceitou namorar comigo comprei o teste de gravidez. Eu estava morrendo de medo, eu não podia ter feito isso com ela, Cam é uma menina, não pode ter um filho agora, já era difícil o suficiente fazer ela estudar na atual circunstância, uma criança iria acabar de vez com minhas esperanças dela ser alguém na vida que não seja mãe e dona de casa. Eu gosto muito dela, ela é linda, irreverente, as vezes parece ser mais velha do que realmente é, as vezes parece uma criança de 5 anos mas eu continuo querendo Camis ao meu lado. 

 Voltei ao apartamento com as mãos tremendo mais que quem tem mal de parkinson, deixei a sacolinha com o teste em cima da minha cama, ela estava no banheiro, e fui para a sala. Enquanto esperando ouvi a porta ser aberta e após alguns segundos fechada novamente, foram os piores minutos da minha vida.

 Entrou na sala uma criatura que de morena bronzeada foi para amarela, os dedos finos estavam pousados sobre a barriga. Puta merda. 

 Juro que vi a sombra de uma lágrima no seu rosto.

 - Cam... -minha voz quase não saiu-

 - Jhow...

 - E aí?

 - Você já sabe.

 - Puta que pariu! Eu sou um merda mesmo! Por que não me cuidei!? Puta merda, o que vamos fazer, caralho!? Você quer ter ou quer abortar?

 Ela veio até mim devagar e me entregou o teste, olhei para completar meu desespero e ué...negativo?

 Como assim negativo?

 - Camis... Aqui mostra apenas um tracinho. Um tracinho quer dizer que só tem uma pessoa, você está sozinha, não tem nada aí!

 Olhei para ela e ela estava rindo muito, chorando de rir. Desgraçada.

 - Camilla, o que você fez!? Filha da puta!

 - Eu tenho útero infantil, Johnny, eu não posso ter filhos! -disse em meio ás gargalhadas- Só queria ver sua reação.

 - Não acredito que você fez isso comigo, Camilla! 

 - Você está bravo?

 - O que acha, porra!? Quase me matou do coração! Você é louca!

 - Calma, foi só uma brincadeira, desde que percebi seu medo já pensei nisso. Thaeme ia me ajudar, ia me levar para um suposto exame de sangue mas você comprou o teste antes então não deu.

 Me aproximei dela, eu estava com tanta raiva, como ela faz isso comigo? E se eu tivesse um infarto?

 - Me diga uma coisa, se você estivesse mesmo, o que iria fazer?

 - Abortar. Mas não pense nisso, nunca vai poder acontecer e eu gosto muito de saber disso.

 Respirei fundo e enfiei uma mão por baixo de seu cabelo, segurando com força e puxando levemente para baixo.

 - Você é uma vadiazinha, Camilla.

 Ela sorriu para mim e mordeu o lábio inferior.

 - Gosta disso? Não dá nem pra te ofender...

 - Você não consegue ficar bravo comigo.

 - É verdade? Você não engravida mesmo?

 - Sim, senhor, é verdade.

 - Então podemos fazer de qualquer jeito?

 - Do jeito que quiser.

 Ela sorriu de lado, arqueando apenas uma sobrancelha.

 - Podemos começar agora?

 - Com toda certeza, tio Johnny.

 

 Cam preferiu estudar a noite, depois do que fizemos essa manhã dormimos um pouco, quando acordei ela não estava em casa e em cima da minha cama havia um bilhete escrito "Fui para a Thaeme, volto mais tarde", dei de ombros e saí para almoçar, estava morto de fome, essa garota apesar da pouca idade me cansa mais que todas as mulheres que já fiquei. E me faz mais feliz que qualquer uma delas.

 Aproveitei para ir ao centro da cidade e comprar algumas coisas, quando voltei ela já estava lá novamente, cumprimentei com um beijo rápido e Cam veio atrás de mim saltitando.

 - Jhow, preciso te contar uma coisa.

 - Ah Deus, o que é?

 - É que sabe, eu não quero ficar aqui, eu vou morar com a Thaeme, e eu consegui um emprego.

 - Oi!? Como assim!?

 - Ah, sabe, eu não me sinto confortável ficando aqui, eu gosto muito de você mas eu não quero viver com você, principalmente com você me sustentando.

 Ah, Camilla sempre auto suficiente demais...

 - Tudo bem. -Não, não estava tudo bem-

 - Ficou chateado?

 - Gosto de você comigo.

 - Eu sei, Jhow, mas eu sou sua.

 Foi a primeira vez que ela disse isso desse jeito, eu entendo que não posso apressá-la a demonstrar alguma afeição por mim, Camilla passou por muita coisa ruim na vida sendo tão jovem, imagino como deve ser a cabeça dela. Mas droga, vai ficar tão vazio sem ela.

 - Vou começar semana que vem e então já vou para a casa de Thaeme.

 - Se é assim que você quer, tudo bem...

 - Não fique assim... Eu te amo, senhor Depp.

 Sorri como um adolescente, finalmente ela conseguiu.

 - Eu te amo, Camis.


Notas Finais


nhonhonho
Bom, eu avisei que não gosto de gravidez


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...