História Little girl - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias GRAY, Jay Park, Lee Sung-kyung, LOCO, Simon D.
Personagens Lee Sung-kyung, Simon Dominic
Tags Aomg, Lee Sung Kyung, Park Soo Ae, Simon D, Simon Dominic, Soo Ae, Sung Kyung
Exibições 58
Palavras 2.288
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


<°°> São três da madrugada, mas eu tô aqui firme e forte pra postar o cap, por que não vou poder postar nem sábado, nem domingo, nem hoje a tarde e muito menos na sexta. Vida não tá fácil

° Espero que vcs gostem muito do cap a qual dediquei todo o meu esforço e sono. <°°>

Capítulo 5 - Coffee


Fanfic / Fanfiction Little girl - Capítulo 5 - Coffee

O que passava pela cabeça de Lee Sung Kung não era a coincidência de ter escolhido a empresa do rapaz para  trabalhar ou o fato de que agora Simon era um CEO, ela só conseguia pensar em como ele havia ficado ainda mais bonito, com uma aparência um pouco mais sério do que ela se lembrava e de como sua voz estava mais marcante. Quando menor sempre fazia questão de deixar claro que a voz dele a assustava um pouco, porém agora isso pareceu começar a mudar.

- Prazer em conhecê-los - a secretária curvou-se - Sejam bem vindos. Espero que possamos trabalhar bem juntos

- Escutem bem, sim? - Simon continuou no mesmo tom de antes, nem muito baixo, nem muito alto. Agora com suas mão enfiadas nos bolsos da calça dava passos pequenos até seus mais novos funcionários - As pessoas costumam dizer que eu sou um cara legal, uma boa pessoa com um coração enorme e blá blá blá, porém eu não concordo com isso, não me acho um cara legal ou que meu coração seja enorme - Sung Kyung não concordava com aquilo, para ela Simon era muito mais que isso - Então não pense que vou pensar duas vezes antes de demiti-los. Por que eu faria isso? Simples, não permitido em hipótese alguma que um dos meus funcionários se relacionem sexualmente com uma das minhas modelos

Isso não seria um problema pra Sung Kyung, ela realmente não se relacionava dessa forma com pessoas do mesmo sexo que ela, diferente de sua amiga, Han Hae Bae, que gostava tanto de mulheres quanto de homens. A garota pensou que aquilo seria um grande problema para sua amiga se ela estivesse ali e isso a fez rir um pouco alto demais, no mesmo momento tapou a boca com as mãos e olhou para o lado, todos olhavam para ela

- Algum problema senhorita Lee? - Simon perguntou

- N-Não, nenhum. Me desculpem - curvou-se - Por favor continue - pediu, suas bochechas estavam em fogo de tanta vergonha - Se controle idiota - disse baixinho a si mesma

Simon parou por um momento segurando o queixo entre o polegar e indicador, tentava lembrar-se onde havia parado seu discurso

- Ah, sim. Não levem isso como preconceito, com certeza não é, eu apenas quero prevenir que não tenha que demitir alguém, por que eles estão em um conflito amoroso. Eu realmente não gosto disso. E vão por mim, modelos são seres chatos - Todos riram - Não riem, estou falando sério, digo isso por experiência própria, voc

- Senhor Simon - Jang Sun Hee aproximou-se de Simon e no seu ouvido disse baixo apenas para que ele escutasse - Temos que ir, parece que a modelo Park Soo Ae está fazendo tumulto na porta do escritório do senhor. Ela está exigindo sua presença - Ele respirou fundo, não aguentava mais Soo Ae sempre fazendo uma cena nova para chamar sua atenção. Um dos motivos para ele ter voltado a Coreia do Sul fora ela, porém tinha total certeza que até mesmo no inferno ela o seguiria

- Tudo bem, nós já vamos, só vou encerrar aqui e mandá-los para a sala do Gray, ok?

- Ok, mas seja rápido senhor - pediu e se afastou

- Em quanto as suas dúvidas, acredito que vocês devem ter - todos confirmaram - Infelizmente não poderei tirá-las então deixarei isso nas mãos de Gray. Agora eu preciso ir. Então - fez uma leve referência com a cabeça - Vejo vocês uma outra hora

Todos os restantes no studio sentiram que poderiam, não por medo, mas por puro nervosismo de ter que encarar logo no primeiro dia seu chefe, respirar, soltaram o ar que seguravam no pulmão e saíram da posição de estátuas que estavam. Sung Kyung olhou para Simon e sorriu para sua costas, logo vendo o mesmo sumir e apenas o escuro da entrada da sala permanecer sozinho.

- Achei que fosse morrer. Tudo bem que quem iria "atender" a gente - fez aspas com os dedos - iria ser o Co-CEO não muda muita coisa, mas mesmo assim ser recebido de cara no primeiro dia pelo dono da porra toda é demais pro meu coração - Ki Chaul um rapaz não muito alto e de cabelos laranjas desabafou

- Eu não me importo. Já tinha escutado que os padrões da S&D eram todos gatos, mas não imagina que o CEO poderia ser tão sexy - Yoona se abanou com uma das mãos - E que voz

- Você não tem vergonha na cara Yoona? Se comporte como gente garota e não como uma mulher... D-Da vida - Ha Woo Bin o garoto de cabelos bem arrumados e roupas bem passadas disse

- Está com medo de dizer P.U.T.A, seu babaca. E o que você tem com isso? cuide da sua vida, sim

- Parem você dois. Vocês não escolherem a mesma empresa apenas para poderem brigar por mais algumas horas no dia ou escolheram? - Lee Sung Kyung finalmente se pronunciou - Um de vocês sabem onde fica a sala do senhor Gray?

 

°°°°°

Simon entrou na sala já com sua mente preparada para aguentar as bobagens que a mulher lhe diria. Park Soo Ae era uma de suas mais bonitas modelos, tinha o corpo largo com belas curvas e um rosto fino de uma verdadeira modelo, seus cabelos médios e volumosos coopervam ainda mais para a beleza do rosto da mulher, porém ela podia ser a mulher mais bela que existia no mundo, mas ela nunca teria o coração de Simon, ele nunca aceitaria uma mulher com um coração tão infantil quanto o dela. Mulheres mimadas e birrentas não eram seu tipo ideal

Olhou Soo Ae de pé no meio da sua sala usando um vestido branco que marcava muito bem suas curvas, respirou ainda mais fundo e fechou a porta de vidro atrás de si. Com o barulho que a porta vez Soo Ae virou para ele

- O que está fazendo aqui, Soo Ae? Você tem trabalhos a fazer nos estados unidos pelo o que eu sei como seu chefe - Disse parado no mesmo lugar.

A mulher olhou para ele, ela estava brava e magoada. Caminhou até Simon que cruzou os braços e esperou pelo tapa que ela lhe daria, a mão de Soo Ae chocou-se contra o rosto do rapaz lhe causando ardência e dor, Simon continuou parado no mesmo lugar sem fazer qualquer movimento

- Como você vai embora, volta para a Coreia e não me avisa? - gritou - Como você tem coragem de me deixar sozinha no outro lado do mundo? O que eu sou para você Simon? - as lágrimas que saiam de seus olhos, traçavam um caminho pelas bochechas da moça até chegarem em seus lábios tomados pela cor vermelha do batom

- Se acalme Park Soo Ae, não grite as paredes e portas aqui não são a prova de som, as pessoas vão ouvir - Disse Simon calmo

- Eu não me importo, que elas ouçam e saibam o quão canalha você é

- Escuta, eu não te abandonei, nunca faria isso, tive que voltar para a Coreia a trabalho e decidi ficar de vez, sim? Você tem trabalhos a fazer lá, não podia simplesmente arrastá-la para cá

- Por que não me avisou?

- Vamos concordar que eu não tenho essa obrigação, Soo Ae. Assim como eu não tenho nada haver com a sua vida fora da empresa, você não tem nada com o que se preocupar com a minha. Agora pare de chorar, sabe que eu não gosto de ver mulheres chorando - tocou o rosto da mulher a sua frente, secando suas lágrimas com os polegares

- Como você pode me dizer isso e depois pedir que eu pare de chorar? Você sabe muito bem meus sentimentos sobre você, oppa

- Soo Ae, você não pode obrigar uma pessoa a sentir o mesmo que você. Isso é errado,além disso vai contra tudo o que eu acredito sobre o amor

A moça não o respondeu, tirou as mãos grandes e quentes de seu rosto e limpou suas próprias lágrimas para logo depois sair praticamente correndo da sala. Simon observou a cena cansado e pensou em como seu dia seria pesado e que aquilo não sairia da sua cabeça até que voltasse a ver Soo Ae e pedisse desculpa a mesma, sabia que não estava errado, porém odiava ver garotas chorarem


 

°°°°°

Enquanto seguia o caminho para a saída do prédio pela o extenso hall de entrada, a mesma pensava em um jeito de terminar seu trabalho. Ainda não tinha encontrado um casal de seu agrado para servir como modelo principal do projeto. Na tarde em que seu relacionamento chegou ao fim, pensou seriamente em usar seu namorado - agora ex namorado- e a si mesma como modelos, afinal eles tinham uma ótima amizade, porém com o decorrer daquele dia viu que não poderia contar com ele e muito menos com si mesma. Sung Kyung tinha o costume bobo de olhar para o chão enquanto pensava e isso sempre lhe trazia problemas, foi o que pensou quando sentiu o topo da cabeça bater contra algo duro e o problema a segurar pelas cintura impedindo que ela caísse

- Ainda não largou o costume de olhar para baixo enquanto pensa? - a voz grossa  que era muito familiar a ela soou perto de sua cabeça, Sung Kyung levantou o rosto e deu de cara com Simon a olhando com um sorriso nos lábios

- Ahã? - disse confusa, a ficha de que seu chefe a segurava ainda não tinha caído, porém ela lhe veio logo após ela ouvir a risada dele - O...O...Oppa? - balançou a cabeça em reprovação - Quer dizer. Senhor Simon - se corrigiu, Simon riu de sua reação

- Não é porque me tornei seu chefe eu tenha deixado de ser se oppa. Pode me chamar de oppa quando estivermos fora da empresa e longe do trabalho

- Mas ainda estamos dentro do prédio da empresa e perto do trabalho - o alertou. O rapaz olhou para o lado vendo que as pessoas ao redor observavam atentamente eles, afinal ele era o CEO ali, claro que eles iriam olhar para seu chefe abraçando uma funcionária. Soltou a cintura da garota a deixando livre de seu aperto

- Você está certa - colocou as mão nos bolsos da calça social escura - Você está bem?

- Por...

- Não, não me responda. Tem uma cafeteria aqui na frente, se não for um incomodo gostaria que me acompanhasse

Lee Sung Kyung tinha que lhe agradecer pela carona e o cuidado que o rapaz deve com ela e sua amiga na noite passada, pensou que aquela seria uma boa oportunidade para o fazer. Aceitou com um aceno de cabeça


 

°°°°°

Com as mãos segurava o copo de mocha, seu tipo de café favorito, para esquentar suas mãos. Naquela noite fazia um frio costumeiro para o clima, não para ela, mesmo que já fizessem três anos que estava morando no país, nunca se acostumaria com o frio intenso de lá. Embaixo da mesa suas pernas estavam cruzadas a fim de esquentar seu próprio corpo

- Está com frio? - Simon perguntou ao ver a situação da mulher. Ele queria rir, queria muito rir da cara que ela fazia e de como seu rosto estava quase enfiado no copo de café quente. Sung Kyung o olhou

- Um pouquinho, ainda não consegui me acostumar com o clima daqui, é muito frio

- Mas você  já tinha morado aqui quando pequena - Deu um cole no macchiato

- Sim, mas mesmo que eu já tenha vivido aqui antes, passei dez longos anos longe e isso fez com que a Coreia se tornasse estranha para mim, se tornou algo novo... Sabe eu tenho dificuldades em me acostumar com coisas novas - disse com os lábios sujos da espuma do café

- Então eu me tornei um estranho para você? Não posso mais chamá-la de Bib Lee, já que sou um estranho - comentou, em uma reação exagerada, porém fofa aos olhos do mais velho Lee Sung Kyung negou com as mãos

- Não, não, claro que não, oppa. Eu ainda me sinto muito confortável com você. Pessoas são diferentes de locais, pelo menos algumas delas

- Eu estava brincando. Acha mesmo que eu pararia de te chamar de Bib Lee. Esse é um dos únicos apelidos que eu gosto de falar. E você é como uma irmãzinha mais nova, mesmo que você quisesse eu não me tornaria em um estranho - encostou na cadeira apoiando suas costas no estofado macio. Observou Sung tomar a bebida e seus lábios começarem a se avermelhar por conta da temperatura do café - Quando foi que você voltou?

Ao invés da resposta para a pergunta de Simon sair de sua boca, o único som que ela emitiu foi um grito, um grito causado pela dor de ter uma bebida quente jogada em suas pernas. Num impulso Sung Kyung se levantou fazendo que a cadeira que estava sentada caísse ao chão. Simon olhou assustado para a cena, sem saber o que fazer no momento, para logo depois correr para ajudar Sung.

- Você está bem? Droga

Olhou para a mulher ao lado que com um olhar raivoso de puro ódio, jogou o copo agora vazio no chão e fechou as mãos em punhos.  Não aceitaria que Simon risse daquela forma para outra mulher que não fosse ela, mataria a vadia antes mesmo da infeliz ter a chance de tocar em um fio de cabelo dele

- Que porra você fez, Park Soo Ae? - gritou

 


Notas Finais


Tadinhas das perninha da Bib Lee
Soo Ae unnie sendo má e cruel
heheheh
Até a próxima amores do meu coração
popo <°°>


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...