História Little Heroes ( TaeKook ▪ VKook ) - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jungkook, Personagens Originais, V
Tags Jeon Jungkook, Jungkook!kid, Kim Taehyung, Kooktae, Kookv, Presente Da Caah, Taehyung!kid, Taekook, Taekook!kids, Vkook, Whipped!jungkook
Visualizações 142
Palavras 1.992
Terminada Sim
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Fluffy, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


CAAH, SUA LINDA, FELIZ ANIVERSÁRIO! VOCÊ É UMA DAS MINHAS MELHORES AMIGAS, E FICO FELIZ DE TERMOS NOS APROXIMADO MAIS POR CAUSA DE TAEKOOK! OBRIGADA POR TUDO, E ESPERO QUE GOSTE DESSE PRESENTINHO! TE AMO ❤

Capítulo 1 - One-shot


Fanfic / Fanfiction Little Heroes ( TaeKook ▪ VKook ) - Capítulo 1 - One-shot

I, I can be everything you need

If you're the one for me, like gravity

I'll be unstoppable

I, yeah I believe in destiny

I may be an ordinary guy

Without his soul

But if you're the one for me

Then I'll be your hero

(Hero - Sterling Knight)



Do ônibus escolar, trajando um uniforme amarelo, o garotinho de cabelos negros e lisos de corte tigelinha desceu correndo em direção à sra. Jeon, que o aguardava na portaria do prédio, mostrando os dentinhos de coelho ao sorrir para ela.

Sabia que a mãe havia preparado um delicioso almoço para ele, mas o motivo de sua pressa era outro: Kim Taehyung, o adorado hyung que morava no apartamento ao lado do seu.

Quando se mudou para lá, Jungkook chorou muito, pois não queria deixar os amiguinhos da creche nem as tias que sempre cuidaram tão bem do pequenino.

Sua mãe tentou explicar que ele, agora, era um garoto grande e tinha que ir para uma escola onde pudesse estudar com outros garotos grandes, mas Jungkook apenas cruzou os braços, contrariado, afirmando que “não queria crescer”.

Então, em poucas semanas - que para o menino pareceram uma eternidade -, os Jeon se mudaram.

E foi assim que, um belo dia, Jungkook conheceu Taehyung.

O menino de cabelo castanho-claro, também liso e de formato tigelinha, havia saído do elevador e andava até o playground do prédio.

De longe, avistou Jungkook todo amuado no banquinho perto dos brinquedos, com sua mãe ao lado, tentando fazê-lo interagir com as outras crianças.

- Filho, por favor… Você sempre gostou tanto dessas coisas!

- Eu gostava quando tinha meus amigos. - resmungou.

- E por que não tenta fazer outros amigos?

- P-porque… E-eu… - desviou o olhar para os pezinhos balançando à sua frente, encabulado.

Tinha vergonha de admitir para a mãe que não sabia como fazer amigos, já que não lembrava como conheceu aqueles outros; afinal, desde a mais tenra idade, só lembrava que estava na creche cercado de outras crianças e com as tias que ensinavam a desenhar, cantar e brincar de várias coisas legais.

Estava assustado, quase chorando de nervoso, e também de raiva, sem entender por que precisou mudar de casa. A outra sempre foi boa. Adultos eram estranhos, e não queria ser mais um deles.

Então, num impulso, pulou do banco e saiu correndo em direção aos elevadores, fitando apenas o chão abaixo de si e ignorando os pedidos de sua mãe para que voltasse.

Nisso, acabou esbarrando em Taehyung, e o choque fez ambos caírem no chão, sentados de frente.

- Ai, minha bunda! - o mais alto exclamou, com o semblante dolorido.

- D-desculpa. - balbuciou, sem coragem de olhar nos olhos de quem havia derrubado.

- Jungkook! - a voz repreensiva de sua mãe surgiu atrás de si, e ele a encarou, vendo-a com as mãos na cintura - O que foi isso, filho? Quase machucou o menino!

- Eu tô bem, tia. - garantiu - Quem são vocês?

- Ah… Eu sou a sra. Jeon. Meu marido veio trabalhar nesse bairro e tivemos que nos mudar. E você é…?

- Taehyung! Kim Taehyung. - abriu um largo sorriso, o qual deixou Jungkook levemente ruborizado - Moro no segundo andar.

- Que coincidência! Nós também.

- Mentira! Em qual número?

- 203.

O Kim ficou boquiaberto.

- Eu moro no 205! Somos vizinhos!

- Oh, isso é ótimo! - a mulher juntou as mãos, animada - Viu, Jungkook? Que tal ir brincar com ele?

O pequeno Jeon fitou Taehyung, hesitante, apesar dele parecer gentil e animado.

Comprimiu os lábios, sem saber o que fazer, até que o outro ficou de pé, estendendo a mão para ele.

- Vamos ser amigos, Jungkook! Você é mais novo, né? Prometo que vou ser um bom hyung!

Mais uma vez, Jungkook sentiu aquela pontada no peito, fascinado pela luz que o menino irradiava.

Engolindo em seco, segurou a mão dele, que o ajudou a levantar.

- Vou ficar ali no banco lendo meu livro, tá bom? - a sra. Jeon avisou, beijando a testa do filho - Cuide bem dele, Taehyung!

- Pode deixar, tia! - afirmou, arrastando Jungkook até a gangorra.

Cada um sentou numa ponta, e o mais velho deu impulso com os pés, movimentando o brinquedo.

O Jeon ainda parecia meio perdido, apesar de gostar de chegar ao topo, imaginando que a qualquer momento poderia alcançar o céu.

- O que tanto olha? - o mais velho indagou, movendo a cabeça para trás - Tem algum avião, pássaro ou sei lá?

- Er… Não.

- Então, o que é?

Jungkook corou, incerto se deveria revelar a um estranho suas curiosidades. Geralmente, nenhuma criança entendia, ou até ria dele, então aprendeu a se calar.

- N-não é nada.

- Nem vem, Jungkook. Você tá pensando em alguma coisa. Desembucha. - piscou um dos olhos - Sei guardar segredo!

O Jeon arregalou os olhos, surpreso.

Nunca teve ninguém para contar seus segredos.

- Guarda mesmo?

- Sim! Ó, vou te contar um primeiro, pode ser?

Pela primeira vez em muito tempo, Jungkook sorriu, mesmo timidamente.

- Pode.

O outro, então, abaixou o tom de voz antes de confessar:

- Eu já tenho oito anos, mas… Ainda tenho medo de escuro.

Jungkook abriu a boca, visivelmente surpreso.

Meninos grandes ainda podiam ter esses medos?

Porém, estava feliz por Taehyung lhe contar um segredo. Se sentiu importante.

- Tá… - apertou mais os dedinhos no ferro da gangorra - Às vezes, eu… Queria ir pra perto do céu. Bem pertinho. E, aí, queria saber se… Daria pra ver um anjo. Ou tocar numa nuvem. Ou ver o sol se esconder antes da lua chegar. - abaixou a cabeça, sem-graça - M-mas… Isso é meio bobo, né?

O breve silêncio é interrompido por um eufórico Taehyung.

- Não acredito! Achei que só eu pensasse assim!

E então, quando Jungkook sorriu maravilhado, foi o coração de Taehyung que paralisou por alguns segundos.

Não demorou para que se tornassem a dupla dinâmica do prédio. E, mesmo tendo amizade com outras crianças, o Kim preferia ficar com Jungkook, pois ele parecia entender muito melhor seus estilos de brincadeiras e até sua forma de pensar. Até quando não entendia, Jungkook sempre olhava para ele, admirado, como se fosse o hyung mais incrível, esperto e engraçado do mundo.

Com Taehyung, Jungkook se sentia livre para falar o que quisesse, abusar da imaginação e não ter medo de perguntar qualquer coisa que quisesse saber, pois o hyung sempre estava disposto a ajudá-lo, como um verdadeiro herói.

Os meses passaram e, para os dois, virou rotina se encontrarem depois do almoço, quando ambos voltavam de suas respectivas escolas. Taehyung sempre ia buscá-lo em seu apartamento para descerem juntos até o play, e eles sempre falavam sobre como seria mais legal se estudassem no mesmo lugar, pois poderiam passar ainda mais tempo juntos.

Aquele hyung era realmente muito maneiro, mesmo que às vezes brigassem por coisas bobas, como quais cores usar para pintar um desenho ou quando debochavam de quem perdia numa partida de videogame. Até falavam “nunca mais vou te ver, seu chato, bobo, feioso”, com as vozes embargadas de quem não quer se separar, e logo faziam as pazes, pois não aguentavam de saudade um do outro.

Então, num fim de tarde, lá estavam os dois correndo perto do campo de futebol, num canto mais afastado das demais crianças, lutando contra vilões invisíveis dos Vingadores, cujos filmes haviam assistido há pouco tempo.

Geralmente, Jungkook era o Homem-de-Ferro, seu personagem favorito, enquanto Taehyung cada dia interpretava um diferente - inclusive a Viúva-Negra - porque, segundo ele, um bom ator deve estar sempre pronto para interpretar qualquer papel, e era assim que chegaria mais perto do seu sonho.

Tal fala, obviamente, fazia os olhinhos de Jungkook brilharem de admiração.

Naquele dia, porém, Taehyung pediu para ser o Homem-de-Ferro, e Jungkook deixou. Só que, quando o amigo começou a incorporar o personagem, ele ficou parado, cruzando as mãozinhas na frente do corpo.

- O que foi, Jungkook?

- É que… Eu sempre faço o Homem-de-Ferro, e… Agora… Não sei quem fazer. - murmurou, cabisbaixo - Desculpa, hyung.

- Ei, Kookie, não fica assim! - ser chamado assim pelo mais velho lhe dava um frio na barriga - Calma aí que eu vou pensar em alguma coisa.

O mais novo fitou o menino cuja mão coçava o queixo, olhando para cima, buscando uma solução.

Adorava a “pose de hyung pensador”, pois sempre vinham boas ideias depois - pelo menos para eles, pois picotar um monte de folhas de papel do escritório do sr. Jeon para fingir que era neve caindo ou colar band-aids coloridos pelo corpo todo antes de entrarem no banho não parecia muito divertido para a sra. Jeon, mas a dupla sempre gargalhava.

- Você pode ser o… Hulk! - afirmou, fitando o mais novo com ar decidido.

- O Hulk? Por que? - indagou, confuso.

- Você parece sempre calmo, mas, quando explode, ninguém segura. E come tanto espinafre que vai acabar ficando mais forte que eu um dia!

- M-mais forte que o hyung? - um misto de medo e orgulho saiu em sua voz.

- Sim! E, também, você é muito atencioso e fofo. - prosseguiu, apertando uma das bochechas do mais novo - Ninguém seria um Hulk melhor do que você!

Jungkook mal podia conter a explosão de felicidade que dominou seu peito, sorrindo tanto que levou as mãos à boca, ainda deslumbrado com as palavras do hyung.

Poderia fazer algo por ele, retribuindo todas as gentilezas e ensinamentos recebidos, e aquilo o enchia de expectativas.

- Um dia, vou ser muito forte e te proteger de todo o mal! - prometeu, empolgado - Você vai ver, hyung!

- Opa… Gostei disso, hein? - o outro riu, contente - E, se eu tiver muitas armaduras, vou te dar uma pra você não se machucar quando sair socando todo mundo por aí.

O mais novo solta uma risada melodiosa, aquela que Taehyung mais gostava de ouvir, pois o rosto de Jungkook ganhava tons avermelhados e ele achava lindo.

De repente, o Jeon parece surpreso, e aquilo intriga o mais velho.

- Hyung… - o outro começou - Eu percebi uma coisa.

- O que?

- Você… E o Homem-de-Ferro… Também são bem parecidos.

- Ah, é? - Taehyung adorou ouvir aquilo - Por que?

- B-bom… - o mais novo parecia acanhado de repente - Vocês são meio doidos, teimosos, gostam de irritar todo mundo, não seguem muitas regras, mas… No fundo… São bonzinhos. Ajudam as pessoas, mesmo zoando elas.

- Ah… - a explicação fez o Kim corar, e um sorriso envergonhado surgiu em seus lábios - O-obrigado, Kookie.

- Deve ser por isso que gosto tanto dele. - concluiu, radiante, encarando-o com os olhinhos pretos - Porque ele me lembra você, hyung!

O mais velho não sabia explicar a sensação esquisita que se apossou de seu coração, inquietando-o dentro do peito, e teve uma súbita vontade de abraçar Jungkook, que ruborizou ao ser enlaçado pelo pescoço.

- Você é uma gracinha, Kookie!

Este sorriu timidamente no ombro do amigo, levando as mãozinhas às costas dele.

Então, após alguns segundos, eles se afastam, encantados com aquela ternura que os envolvia.

Logo estavam brincando novamente, concentrados em seus papéis, correndo, pulando e escalando por toda parte.

Num dado momento, porém, Taehyung caiu ao tentar desferir um golpe de karatê com a perna, ralando o joelho no chão.

- Aaai… - lágrimas de dor brotaram nos olhos amendoados.

O Kim se apoiava na perna boa enquanto a outra estava dobrada para cima, com as finas linhas de sangue ardendo.

Jungkook se aproximou, agachando em frente ao amigo, e vê-lo prestes a chorar partiu seu coração.

De repente, sorriu, como se lembrasse de algo brilhante.

- Eu vou te salvar, hyung! - o outro o encarou, confuso, e o Jeon limpou o sangue com a barra da blusa antes de assoprar e deixar um beijinho no machucado - Pronto. A mamãe sempre diz que um beijo sara qualquer dodói!

Taehyung ruborizou como nunca antes, e o Jeon continuava a sorrir diante dele, puro e carinhoso.

Seus lábios, então, ganharam o típico formato de coração ao sorrir quando pegou a mão do mais novo para levantar.

Ao ficar de pé, segurando firmemente aquela mãozinha contra a sua, mirou nos olhos alheios antes de dizer:

- Você é o meu herói, Jungkook!

Ele encara o mais velho com o olhar comovido, sorrindo tanto que as bochechas esticaram ao máximo no pequeno rosto.

- E você é o meu, hyung!


Notas Finais


Um dia eu tava pensando nos motivos do JK gostar tanto do Homem-de-Ferro e percebi o quanto ele lembrava o Tae hahahahaha, coincidência? EU ACHO QUE NÃO 🙆

Espero que tenham gostado, já fazia um tempo que eu queria escrever taekook!kids ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...