História Little Lies - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Alexy, Ambre, Armin, Castiel, Charlotte, Dajan, Dakota, Debrah, Iris, Kentin, Leigh, Lysandre, Melody, Nathaniel, Nina, Personagens Originais, Professor Faraize, Professora Delanay, Rosalya, Senhora Shermansky, Violette
Tags Amor Doce, Drama, Escolar, Romance, Violencia
Exibições 55
Palavras 1.371
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Festa, Fluffy, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Suicídio, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


So passei pra dizer que quem você menos espera..... Anyway... Leiam pra saber heueheueheu

Capítulo 7 - "Você é uma perfeita tábua"


 Eu fiquei observando Castiel por um longo período de tempo até Rosalya tocar meu braço.

 - Você está bem?

 - Sim, estou. Eu acho... - Virei meu rosto para ela.

 - Acha?

 - É... Acho - ainda estava perplexa com o que acabara de acontecer.

 Ignorei os fatos e fui até onde os outros meninos estavam. Hoje no final da aula eu iria jogar basquete com Ken, apenas quero ver no que irá dar.

 - Oi baixinha - Armin me fez de encosto apoiando o cotovelo em mim.

 - Quem devia chamá-la assim é o Lys - Rosa diz em meio a uma risada boba e discreta.

 - Você tem toooda a razão - Alexy destacou. Bati em seu braço já que estava ao meu lado.

 - Vai deixar ele fazer de você um encosto? - Ken disse rindo. - Eu não deixava.

 Ri também, mas deixei que Armin ficasse daquele jeito.

 - Você sabe jogar? - Ele perguntou depois de um tempo mostrando-me o seu PSP.

 - Eu... N-não... Não sou boa em vídeo games - dei um sorrisinho tímido.

 - Eu posso te ensinar, se você quiser - Armin ainda estava me usando como encosto. Eu já estava sentindo certo desconforto em meu ombro.

 - Claro, eu adoraria - ele sorriu gentilmente e eu também. - Você pode, por favor, parar de me usar como encosto? Meu ombro está doendo.

 Ele se empertigou e tirou o braço dali, só depois fui perceber que ele estava com praticamente todo o peso dele ali.

 - Desculpe - ele disse, guardou o seu PSP e foi usar o irmão como encosto, ri da cena e da cara de Alexy.

 - Folgado - Alexy disse e mostrou a língua para Armin que retribuiu e continuou do mesmo jeito.

 O sinal tocou e fomos obrigados a ir para a sala de aula. Sentei em meu lugar e fui retirar o material da mochila, levantei um pouco o olhar e Castiel estava fazendo o mesmo que eu. Terminei ali e virei rapidamente para frente.

 - Hoje deixarei vocês formarem duplas para fazer os exercícios do livro - disse o professor Faraize entrando na sala.

 - Você vai fazer comigo - rapidamente Rosalya se virou para trás e disse sorrindo.

 - Claro - concordei.

 Coloquei minha classe ao lado de Rosa e abrimos nossos livros na página 167. O professor explicou algumas coisas e fomos liberados à começar a fazer os exercícios.

 - Você está conquistando geral, sabia? - Rosalya disse próxima a mim e baixo.

 - Eu? Está louca? - Perguntei com uma sobrancelha arqueada.

 - Não, sabe... Alguns garotos estão comentando sobre você.

 - Quem? É da nossa turma? - Curiosa.

 - É - foi a última coisa que ela disse antes do professor pedir silêncio para a turma.

 Quem?

 O sinal para o intervalo tocou e eu peguei o pulso de Rosalya e a puxei para fora da sala à passos largos na inútil tentativa de não me encontrar com Castiel. Cansei minhas pernas pra nada, ele segurou meu pulso.

 - Rosa, posso conversar com ela? - Ele perguntou ainda segurando meu pulso.

 - Pode - ela respondeu e continuou ali de braços cruzados para ouvir o que quer que ele iria falar.

 - A sós - disse friamente e Rosalya ergueu os braços se rendendo e então foi para o pátio.

 - O que quer conversar? - Perguntei já sabendo a resposta.

 - Bom... Lembra do meu pedido de hoje cedo? - Ele perguntou, mas não queria resposta.

 Ele colocou as mãos em minha cintura e me puxou para perto dele, ele não estava nem ai para quem estava olhando ou não, ele se encostou no armário e me virou de frente para ele.

 - Está bem... E o que pretende é ficar somente assim o resto do intervalo? - Perguntei irônica e sem segundas intenções.

 - Algum problema? - Perguntou sério e grosso.

 - Então esse é você mesmo? - Perguntei retirando suas mãos de minha cintura, não sou uma garota atirada.

 - Talvez - ele me puxou novamente pela cintura.

 - O que você está fazendo? - Coloquei minhas mãos em cima das suas para afastá-las, mas ele apertou minha cintura.

 Ele se afastou do armário e se inclinou em minha direção sem tirar as mãos de minha cintura.

 - Nada de mais... Eu só disse que queria um tempo com você - sussurrou próximo ao meu ouvido.

 As pessoas que estavam lá fora, principalmente Armin o resto de nossos amigos que olhavam para dentro parecia que Castiel estava beijando meu pescoço ou mordendo minha orelha pelo ponto de vista deles, mas ele estava apenas cochichando aquilo no meu ouvido.

 Coloquei as mãos em seus ombros e afastei seu corpo para trás, ele voltou a ficar encostado no armário, dessa vez de braços cruzados.

 Ficamos nos encarando por alguns minutos até que ele enfim disse algo.

 - Você é uma perfeita tábua - ele disse em um tom sarcástico e com um sorriso do mesmo tipo estampado no rosto.

 - Tábua?! - Quase gritei.

 - Nossa, você não sabe brincar, não? - Ele disse entre risos, mas depois ele parou e disse: - repare o que eu disse antes de "tábua". Repare no que as pessoas dizem para você antes de te chamar por um apelido.

 - Apelido? Quer dizer que agora vai começar a me chamar de Tábua? - Agora a sarcástica sou eu.

 - Combina com você - ele piscou e dobrou o próximo corredor.

 Corei, corei muito. Depois fui pra fora.

 - O que aconteceu ali dentro? - Alexy perguntou boquiaberto.

 - Nada - respondi dando de ombros.

 - E aquela proximidade? - Ken perguntou com uma pitada de ironia e uma pontada de ciúme.

 - Ele estava cochichando algo para mim - dei de ombros novamente.

 - Para com isso, irrita - Armin colocou as mãos em meus ombros, dei de ombros mais uma vez para irritá-lo e consegui.

 - Cochichando o que? - Rosalya perguntou.

 - Coisas ora.

 - Sei de vocês dois... - Rosalya colocou a mão no queixo, pensativa.

 - Sério, não está rolando nada entre a gente. Nem nos conhecemos direito.

 - E a mão na cintura, hein mocinha? - Alexy me pegou desprevenida.

 - E eu sei lá - dei de ombros novamente fazendo Armin soltar um grunhido.

 - Aí tem coisa... - Ken disse baixo, mas alto o suficiente para todos ali ouvirmos.

 - Olha, se intrometer na vida dos outros não é uma coisa muito legal - Lysandre disse cansado daquela conversa. - Se eles tem algo isso é somente entre eles. Se não quiserem contar agora, talvez contem depois.

 Achei que você ia ajudar Lysandre.

 - Até você Lysandre?! - Exclamei surpresa.

 - Ou talvez eles não tenham nada - ele se adiantou em dizer corando logo em seguida.

 - Talvez não, eu não tenho nada com ele mesmo. Perguntem ao próprio Castiel - cruzei os braços.

 - Está bem - Alexy disse e começou a andar para dentro da escola.

 Que cara de pau!

 - Isso vai ser divertido - Rosalya disse animada e começou a me empurrar para dentro da escola.

 Assim que encontramos Castiel no outro corredor sentado na escada, Alexy perguntou:

 - Você e Sarah estão tendo algo? - Alexy perguntou com um tom extremo de curiosidade. Ele levantou.

 Castiel olhou para mim e depois abriu um sorriso maléfico.

 - Talvez - sua resposta foi curta e simples.

 - O quê?! - Disse incrédula sobre o que ele disse.

 - Você nunca disse que sim e muito menos não - ele passou por mim e passou uma das mãos em meu rosto, depois saiu.

 - Aha! - Alexy deu um pulo virando-se e apontou para mim.

 - Ele disse que ela não disse sim e nem não, dá pra parar com essa babaquice? - Ken disse um tanto revoltado.

 - Estamos só brincando, moço - Alexy piscou pra ele de um jeitinho... Um tanto quanto... Demonstrativo e Ken revirou os olhos e saiu.

 - Um dia você consegue - Armin abraçou o irmão de lado e fez um gesto como se mostrasse algo para ele no ar.

 Todos caímos na gargalhada, até mesmo Lysandre.


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...