História Little Princess - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Tags Baekyeol, Boys Love, Boyxboy, Chanbaek, Chansoo, Kaisoo, Kaisso, Lemon, Yaoi
Exibições 74
Palavras 1.186
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Crossover, Escolar, Famí­lia, Festa, Lemon, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oi meuzamô
Gente, eu tô meio apressada porque tenho que estudar :c Entretanto, rogo para que apreciem sem moderação sz

Capítulo 7 - Como cão & gato


Por que ele trouxe um cachorro???

Vendo dessa forma eu entendo que ele pode ter trazido para passear, e levando em conta que eu trouxe meu gato... Pera, eu trouxe um gato!!!

Meu Deus eles vão se matar!!!

Baekhyun demora para perceber o felino em meu colo, o que faz o cachorro querer correr para avançar nele, e assim que o dono nota Meomeo, ele puxa a guia, e o cachorro automaticamente se senta. Ele não para de latir, e claro que isso está assustando MeoMeo.

— Por que você trouxe um cachorro? - pergunto, meio nervoso

— Por que você trouxe um gato?!- ele rebate, alternando em olhar para mim e para o corgi, tão nervoso como eu

— Eu vim levá-lo para passear pela praça.

— Eu faço isso toda tarde. - por algum motivo ele cruza os braços

— Podia ter avisado.

Ele faz uma cara de raiva que me encolhe.

— Você também não avisou nada!- ele dá um passo e o corgi se levanta para latir para meu gato - Pára de latir, July!

O cachorro tenta de todas as formas saltar para morder meu gato.

— Não deixe esse bicho pular no meu.

— Você fala como se eu fosse culpado. VOCÊ TAMBÉM NÃO FALOU NADA!!

E assim começa uma discussão, Baekhyun carregando o cachorro -que descobri ser fêmea- e eu segurando MeoMeo, um dando sermão no outro. A discussão está tensa, acho que todos estão vendo. E estamos discutindo mais do que o cão e o gato, acho que Meomeo e July pararam de brigar para ouvir a gente brigando.

— Olha, se for pra ser assim, eu vou pra casa. - canso, dando uma solução e me esquivando vez ou outra da corgi - me viro para a calçada

— Pois vá! Achei que fosse uma pessoa legal, mas... - de repente ele para de falar - Ei!!! Devolve!!

Me viro bruscamente e percebo que sua mão tapa seu pescoço que eu lembro bem de que ele usava um colar de lacinho, e olho ao longe e no mesmo há um moleque correndo com o suposto colar de lacinho.

— Ladrão!

Por algum motivo minhas pernas  não me obedecem e eu me vejo correndo atrás do bandidinho mequetrefe que parece ainda mais desesperado quando vê que eu estou o perseguindo. E meu deus, eu sou muito lento, não consigo chegar perto.

Me impulsiono ainda mais para alcançar, me esquivando das pessoas e das coisas como se estivesse em jogo de obstáculos, e dando até saltos sobre pedras e lama. Meomeo permanece no meu colo e não para de miar.

Ah, se eu pego esse descarado.

Ele se vê encurralado diante de umas grades, e eu tento ser rápido para botar Meomeo em cima de uma árvore e pular em cima do maldito ladrão de colares, e meu Deus, era um pirralho!

Meu punho pousa em seu rosto como um forte soco, e ele cai no chão, jogando o colar longe. Ele ia apanhar mais, só que um policial aparece de repente entre eu e o moleque.

— Que diabos está acontecendo aqui?!- o homem pergunta com o tom de voz grave

— Esse moleque roubou meu colar de ouro! - Baekhyun apareceu logo atrás do homem, com July no colo

Minhas pernas estão muito trêmulas, arfo muito, não sou acostumado a correr. O policial pega o pirralho pela gola da camisa e o obriga a estender os braços para que possa algemá-lo.

— Você está muito encrencado. - foi tudo o que disse até ir embora levando o ladrãozinho para longe

Enquanto isso, procuro pelo gramado o maldito colar e o motivo de ter feito minas pernas ficarem tão bambas. Eu teria caído na grama se ele não tivesse me segurado.

— Obrigado por fazer isso. Mesmo eu não sabendo o porquê.

— Onde achou o policial?

— Ele estava comendo pipoca no banco da praça e eu o chamei.

Sorrio para ele, pegando o tal colar de lacinho - muito bonito por sinal - e o entregando.

— Acho que eu te devo desculpas. Não era pra ter sido assim.

— Não, não era...

Ele se vira de costas, e eu instintivamente passo o cordão para engatá-lo, voltando finalmente às suas origens. Ele se vira para mim, apontando para a árvore onde meu gato foi deixado. E eu corro para tirá-lo dos galhos, meu deus, eu sou horrível.

— Desculpa, meu bebêzinho - sim , eu mimo demais esse gato - Vou dar um petisco para você quando chegarmos em casa.

— Já vai para casa? - Baekhyun pergunta, com um olhar meio caído

— Bem, eu não sei... eu...

Ouço um suspiro da parte dele, July já parou de latir.

— Se você quiser ir, n-não tem problema, eu entendo p-perfeitamen...

Ele está corando. Ora, o que eu fiz? Afinal, por que ele sempre cora quando olha diretamente nos meus olhos?

— Algum problema? - pergunto assim que percebo que ele está ficando cada vez mais desnorteado

— Não, eu... eu tenho que ir. Até outro dia.

Ele se afasta de mim e antes que eu o impeça, já está se misturando às pessoas da praça.

Eu sou um panaca.

~ × • × ~
Chegando em casa, entro direto em meu quarto, ignorando qualquer implicância de meu pai que pergunta três vezes seguidas sobre como foi o encontro com a "BaekHee". Eu não estou afim de falar com ninguém agora. Deixo Meomeo no chão e me sento na ponta da cama, um misto de aborrecimento, frustração, culpa, raiva, tristeza me esmagam. Por que eu sempre dou essas mancadas?

E pra piorar, não tenho ninguém para descarregar minhas mágoas, Kyungsoo ainda está com raiva de mim e eu não tenho muitos amigos, na verdade Kyung é meu único amigo, e o resto é colega e conhecido.

E pior ainda, eu estou com a puta responsabilidade de me desculpar com Baekhyun também. Aaahh, que merda!

Não quero mais pensar nisso agora, acho que vou dormir. É, vou dormir, preciso descansar, é muita confusão pra uma cabeça só, é o máximo que preciso fazer é fechar os olhos, deitar e dorm...

Toc, toc, toc.

Merda, deve ser meu pai. Sem vontade alguma me levanto da cama para ir até a porta atendê-lo. Por algum motivo, não é ele, e sim Bakong.

— Vim guardar suas roupas.

A deixo entrar, e ela de repente fecha a porta. Me assusto com a atitude, o que ela pretende?

— Chanyeol, você está em apuros. - ela diz, em um tom de voz baixo e preocupado

— O que? Por que?- meu tom de voz torna-se tão preocupado como o dela

— Sabe que seu pai vai jantar com a tal da Yoona no sábado, sabe?

— Claro que sei, ele só fala disso.- respondo, cruzando os braços e revirando os olhos, detesto aquela iguanodonte

— Sim, e você sabe por que ele decidiu jantar com ela?

— Por que eles - urgh!-   se gostam?

— Também, mas não é só isso. Ele vai pedir a mão dela em casamento.

O QUEEEEEEEEEEEE?!!!!!!!


Notas Finais


Porra dinossaura
Porra Chanyeol
Porra Baek
Porra todo mundo

Ahhabdha espero que tenham gostado, chu de gilao ~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...